Archives for posts with tag: Bancos

Em 9 de Fevereiro de 1946, no fim da tarde, a seita de Lei Peng Su rapta FuTak Iam, (1) que estava no templo de Kun Iam, a conversar com o bonzo do Pagode e mantem-no sequestrado cerca de cinquenta dias, numa casa da Rua Bispo de Medeiros, à espera que a sua família pague o resgate. Foram seis os pistoleiros comandados por Mak Va Ian, “bem vestidos, de cabelo cortado à escovinha e fortemente armados “ (segundo o bonzo que foi testemunha do rapto) (2) 

Para demonstrar que se tratava de um rapto espectacular e sujeito a todas as consequências, os raptores cortaram uma orelha a Fu e enviaram-na à família, que cedeu à pressão fazendo a entrega de uma elevada quantia em notas do BNU (3) (4)

As investigações apontaram para uma enorme cabala de que foram mentores agentes e graduado da PSP. “Segundo as declarações feitas mais tarde por alguns dos arguidos, do «bolo» couberam duzentas mil patacas a Sebastião Voltaire Morais, chefe da P.S.P., e cem mil a Lei Pung Su, chefe da quadrilha – os restantes negam ter recebido algum dinheiro.” (5)

(1) Fu Tak Iam 傅德蔭 (1895-1960) foi o maior acionista da sociedade Tai-Heng Limitada (também referida como Tai Hing) concessionária do jogo no Hotel Central, constituída em 20 de Abril de 1937 (ano que chegou a Macau, proveniente de Cantão) com o capital social de um milhão de patacas, das quais seiscentas e trinta e nove mil foram por ele subscritas. Era dono da ponte cais n.º 16 e do navio Tai Loy, de estabelecimentos comerciais e industriais e de prédios urbanos. A partir de 1947, principal sócio do banco Tai Fung. (3)

Foi condecorado em nome do Presidente República (general Craveiro Lopes) com o grau de Oficial da Ordem Militar de Cristo, em 27 de Junho de 1952 aquando da visita do Ministro do Ultramar, Sarmento Rodrigues a Macau. Morreu em Hong Kong em Novembro de 1960.

Anteriores referências neste blogue em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/fu-tak-iam-fu-laorong/

Aconselho leituras de: a) Programa da TDM – Canal Macau, 17 Outubro 2019 – Livros com João Guedes – The Fu Tak Iam Story , disponível em  https://www.youtube.com/watch?v=OMFpG4h0kbI b)ttps://hojemacau.com.mo/2018/02/02/casinos-familia-de-fu-tak-iam-primeiro-magnata-do-jogo-cria-fundacao-em-macau/

(2) “A acção do rapto é tão rocambolesca que um dos automóveis utilizados se avaria na Rua Horta e Costa, tendo os raptores tempo para o reparar sem que ninguém se aperceba do que acontece” (5).

(3) JORGE, Cecília; COELHO, Rogério Beltrão – Roque Choi Um Homem dois sistemas. Livros do Oriente, 2015, pp. 44-49)

(4) “As exigências dos raptores vão mais longe. Obrigam Fu, ainda em cativeiro, a escrever uma carta ao Governador propondo medidas para facilitar a vida das seitas e, já em liberdade, exigem mais dinheiro, sob pena de correr perigo a vida de Ho Yin, na altura sócio de Fu, que também tinham em seu poder” (3)

Os raptores obrigam Fu a escrever uma carta ao governador dando-lhe «sugestões» para o comportamento dos polícias. Segundo a missiva, o governador não deveria autorizar rusga na cidade apoiada por soldados africanos, os únicos temidos pela quadrilha” ” (5)

(5) , Luís Andrade de – A História na Bagagem, Crónicas dos Velhos Hotéis de Macau, ICM, 1989, pp. 135-139

Caixa de fósforos do “Night Club King-Do”, da década de 80-90 (século XX), situado no 10.º andar do Edifício do Banco Wing Hang, na Avenida de Almeida Ribeiro. Tel: 76878

Fundo cor azulada; desenho do logo, e letras em branco
Dimensões: 5,6cm x 3,5 cm x 0,7cm
澳門京都夜總會 (1) Verso: fundo cor azulada; desenho do logo, e caracteres chineses em branco
Fósforos de cabeça vermelha

(1) 澳門京都夜總會 – mandarin pīnyīn: ào mén jīng dū yè zǒng huì; cantonense jyutping: ou3 mun4 ging1 dou1 je6 zung2 wui2

Propício para as festividades do ano novo chinês, apresento três envelopes vermelhos – Lai Si (1), emitidos pelo Banco Comercial de Macau, (BCM), todos com o mesmo tamanho (10,2 cm x 7 cm) mas com imagens diferentes. Provavelmente da década de 90 (século XX)

De interessante, o logo do BCM nos três envelopes, no canto inferior esquerdo com a brasão de Macau.

Versos dos três envelopes.

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/envelopes-vermelhos-%E5%88%A9%E6%98%AF-%E5%88%A9%E5%B8%82-%E5%88%A9%E4%BA%8B/

(2) Anteriores referências ao Banco Comercial de Macau: https://nenotavaiconta.wordpress.com/?s=banco+comercial+de+Macau

Durante as “1.ªS JORNADAS DE DERMATOLOGIA E VENEREOLOGIA DE MACAU” que decorreu nos dias 25 a 28 de Novembro de 1994, (no ano em que decorreram várias reuniões científicas para comemorar os 120 anos do Hospital) no auditório da Escola Técnica do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, a Comissão Organizadora dessas jornadas, organizou uma exposição de pinturas de cinco artistas que residiam na altura em Macau.

CAPA

O produto da venda do catálogo e 20% do lucro dos quadros vendidos na exposição destinavam-se à futura Associação dos Doentes com Lupus.

CONTRA-CAPA

Apresento o catálogo da exposição (patrocionador: BCM) de 24 páginas (capa: 24 cm x 24 cm) com o design de Isabel Pyrrait, imprimido na Tipografia Martinho.

1.ª Página

A exposição dos quadros que decorreu no átrio da entrada do Centro Hospitalar Conde de S. Januário, teve a concepção de Isabel Pyrrait e Vicente Bravo.
Os artistas representados foram: Isabel Pyrrait, Joana Ling, Konstantin Bessmertnyi, Kwo Woon e Vicente Bravo.

Um dos quadros exposto de Kwok Woon (1) – O Sonho do Oriente

(1) Kwok Woon – pintor profissional, nascido em Cantão em 1942, em Macau desde 1980 e falecido em 2003,. Membro fundador do “Círculo dos Amigos de Cultura de Macau”
Ver biografia num artigo do pintor Mio Pang Fei, sobre Kwok Woon, disponível em
http://www.icm.gov.mo/rc/viewer/30004/1449
e a propósito de uma exposição póstuma intitulada “Velejar no Sono””, em 2016 onde se apresentou 40 obras/séries deste artista, ver em
https://www.gov.mo/pt/noticias/124067/

Anúncio do Banco Comercial de Macau, de 1993, publicado num boletim do território (1)

O tempo não pára,
nós também não

時日邁進mandarim pīnyīn: běn xíng yǔ shí rì mài jìn; cantonense jyutping: bat1 haang4 jyu4 si4  jat6 maai6 zeon3

(1) Boletim Informativo da P.S.P., 2.º Trimestre 1993 N.º9
https://www.fsm.gov.mo/psp/cht/revista%20da%20psp/pdf/09.pdf 

Calendário (plastificado)) (26,5 cm x 21 cm) do Banco Nacional Ultramarino para o ano 2001
Publicita-se (em chinês e português) as várias agências que o BNU tinha (até esse ano) em Macau e Ilhas (11 no total, contando com a Central, na Avenida Almeida Ribeiro, 22 & 38) bem como o Escritório de Representação em Hong Kong e a sua agência em Zhuhai. (1)

Verso do calendário

(1) Zhuhai – 珠海 – cidade chinesa com cerca de 1.560.229 habitantes (dados de 2010), localizada na província de Cantão (Guangdong), no Sul da China e faz fronteira com a Região Administrativa Especial de Macau a sul.

Cortejo do funeral – Lu Lim Ioc (31-7-1927), ao longo da Avenida do Conselheiro Ferreira de Almeida
Sem referência do editor

Lou Lim Ieoc/Ioc 盧廉若 (1877-1927), filho mais velho de Lou Kau/Cau (1837 – 1906), abastado comerciante (com vários  interesses comerciais entre este, acionista da «Nam Iong Tobacco Company», um dos proprietários do Banco Pou Hang, presidente da Companhia «Clube Internacional de Recreio e Corridas de Macau, Limitada»)e grande filantropo de Macau
Foi um dos fundadores da Associação Comercial de Macau. Presidente da Câmara de Comércio da China em Macau e do Hospital Kiang Wu (contribuiu para a reconstrução do Hospital), Presidente da Sociedade da Educação Chinesa (chegou a manter, à sua custa várias escolas), membro do Conselho Legislativo de Macau.
Tem o Título de honra da China durante a dinastia Qing, medalhado pela República Chinesa e em 1925 condecorado pelo Goverto Português com a Comenda da Ordem de Cristo (governava interinamente Macau Joaquim Augusto dos Santos, na ausência do Governador Rodrigo José Rodrigues)
Morreu a 15 de Julho d3 1927.


Cortejo do funeral – Lu Lim Ioc (31-7-1927), ao longo da Avenida do Conselheiro Ferreira de Almeida
Sem referência do editor

Infelizmente Lou Lim Ioc morreu cedo, segundo consta, vítima e apoplexia, tendo sido faustosos os seus funerais, e luzido o préstito que percorreu Macau em 31 de Julho de 1927. A urna com os seus restos mortais, seguiu para Cantão, onde veio a ser sepultado na encosta da colina conhecida por Pak San.
Lou Lim Ieoc teve 17 filhos das suas sete esposas, das quais só a primeira – aquela que usufruía, na China todas as prerrogativas de mulher legítima – habitava na sua luxuosa residência (herdado do pai Lou Kau que adquiriu um vasto terreno sito nas várzeas  próximas da velha aldeia de Mong Há, construindo uma confortável residência, rodeada por um idílico jardim em estilo palaciano conhecido por U Wó Un . Jardim de Recreio (hoje conhecido como jardim de Lou Lim Ieoc)
A despesa diária da sua casa orçava entre 5 a 7 contos, quantia muito elevada naquele tempo. Contudo, os seus rendimentos permitiam-lhe viver como um grande senhor.“ (TEIXEIRA, P- Manuel – Toponímia de Macau, Vol.I, 1979)

Cortejo do funeral – Lu Lim Ioc (31-7-1927), ao longo da Avenida do Conselheiro Ferreira de Almeida
Sem referência do editor

Anteriores referências a este filantropo e do seu pai bem como ao jardim da residência, em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/lou-lim-ioc/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/lou-cheok-chin-lu-cao/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jardim-lou-lim-ioc/

Calendários de bolso do Banco Hang Sang (1) dos anos de 1984 e 1985, em chinês, ambos com as mesmas dimensões (9,3 cm x 6,5 cm) e o mesmo design, só se diferenciando, num dos lados,pelo quadro artístico (pintura chinesa) apresentado.
(1) O Banco Hang Sang em Macau 恒生銀行  澳門分行, é uma filial do «Hang Seng Bank Limited – 恒生銀行有限公司, com sede em Hong Kong.
Hang Seng Bank Limited (Chinese: 恒生銀行有限公司) is a Hong Kong-based banking and financial services company with headquarters in Central, Hong Kong.
Hang Seng Bank operates a network of around 260 service outlets in Hong Kong.[1] It also has a wholly owned subsidiary in mainland China, Hang Seng Bank (China) Limited which has a network of 46 branches and sub branches.”
https://en.wikipedia.org/wiki/Hang_Seng_Bank

Macau – Ponte Nobre de Carvalho e Praia Grande, à noite

Calendário de 20,5 cm x 14 cm do ano de 1991, emitido pelo “Bank of China, Macau” (Avenida Almeida Ribeiro, n.º 1), em chinês. (1)

Verso: calendário de 1991

(1) Ver anteriores referências ao Banco da China em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/banco-da-china/

Calendário (com informações em chinês) com as dimensões de 29, 5 cm x 21cm, para o ano 2000, emitido pelo Banco Tai Fung / 大豐銀行. Assinalados os feriados locais de Macau e Hong Kong.
O Banco Tai Fung tem actualmente a sua Direcção sediada na Rua de Berlim n.º 6 (edifício CNAC). Durante muitos anos estava sediada (e ainda hoje se mantém como agência bancária) no edifício da Avenida Almeida Ribeiro n.º 296, lugar onde estava o Teatro Vitória (entrada pela Rua dos mercadores) que fechou definitivamente a 25 de Novembro de 1971. (1)
(1) Ver em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/