Extraído de «BGU» XLV – 523/524, 1969

Segundo o sítio do clube, «Odense Boldklub» (1) a assistência em Macau foi de 10,000.
Fui um dos espectadores (mas duvido que tenha estado a assistir 10 000 pessoas). Infelizmente já não me recordo dos jogadores de Macau que participaram neste encontro.
O clube fez um “tour asiático” de 12 de Fevereiro a 4 de Março de 1969 com a seguinte comitiva e resultados: (2)
Treinador: Jack Johnson
Jogadores: Mogens Therkelsen, Poul Johansen (goalkeepers), Jens Høj, Eskild Stasiak, Jens Plambech, Bjarne Nielsen, Curt Hansen, Erling Rasmussen, Preben Hjorth, Steen Rømer, Kurt Christensen, Ole Petersen, Hans Rasmussen, Berner Ladegaard, Henrik Kamp Madsen, Flemming Rasmussen, John Christensen.
THAILAND: 14-02-69 – Bangkok – selecção da Tailândia (1-3 OB) (Espectadores: 8,000)
HONG KONG: 17-02-69 – Hong Kong – League XI (1-0 OB) (Espectadoes: 28,000]
19-02-69 – Hong Kong (1-1 OB- Steen Rømer marcou pelo OB]
22-02-69 – Selecção Chinesa (0-0 OB) (espectadores: 25,000]
MACAU: 23-02-69 – selecção de Macau (0-0 OB) (espectadores: 10,000]
HONG KONG: 24-02-69 – Equipa de Sing Tao (0-2 OB -John Christensen x2)  (10,350)
CAMBOJA: 25-02-69 – Phnom Penh: selecção do Cambója (0-1 OB -John Christensen)
27-02-69 – Phnom Penh: Camboja (XI 3-0 OB)
MALÁSIA: 01-03-69 – Kuala Lumpur: selecção do Selangor (1-3 OB)
(1) O clube «Odense Boldklub» da Superliga Dinamarquesa, com sede em Odense, foi fundado em 1887 com o nome de «Odense Cricketklub», (club de cricket) que em 1889 alterou o nome para o actual quando se juntou o departamento de futebol e do ténis.
Em 1969 militava na 2.ª divisão. Em 1975 foi promovido à 1. Divisão onde se mantém actualmente, chamada de Superliga dinamarquesa.
Títulos conquistados:
Campeonato Dinamarquês: 3 vezes (1977, 1982 e 1989).
Vice-Campeonato Dinamarquês de Futebol: 4 vezes (1951, 1983, 1993 e 2009).
Copa da Dinamarca: 5 vezes (1983, 1991, 1993, 2002 e 2007).
Vice-Campeonato da Supercopa da Dinamarca: 1 vez (2002). (1)
https://pt.wikipedia.org/wiki/Odense_Boldklub
(2) http://www.rsssf.com/tableso/ob-eastasia69.html

Uma nota inserida no «The Canton Register», Vol 8, DEC 8th, 1835, n-º 49, p. 195, (assinada com o nome de “Cícero”), acerca dos pintores chineses da escola de Lam Qua.
Lam Qua 林官  (1), foi um pintor chinês da província de Cantão, que com os seus retratos de estilo ocidental (muitos são retratos de mercadores estrangeiros e chineses de Cantão e Macau) criou uma “ fábrica /escola” de desenho e pinturas (onde se fazia também cópias de pinturas e depois quadros a partir de fotografia) na sua oficina em Cantão (na zona dos grandes armazéns estrangeiros) grande parte destinados a clientes ocidentais.
Foi o primeiro pintor chinês a ter uma exposição dos seus quadros no Ocidente

“View of Foreign Factories, Canton, 1825–1835” atribuído a Lam Qua
Lam Qua trabalhando num estúdio em Hong Kong c. 1850
Fotografia de John Thomson (2) (3)

Auto-retrato de Lam Qua cerca de 1840

 

Embora sempre referenciado como discípulo em 1820 de George Chinnery, (4) este terá negado que fosse um seu aluno. Chinnery ensinou muitos estudantes chineses e provavelmente por intermédio destes e dos próprios quadros de Chinnery, exerceram uma grande influência na pintura de estilo ocidental de Lam Qua.
Lam Qua é também conhecido por ter colaborado com o médico Peter Parker, (5) pintando os retratos dos doentes com patologia pré operatória, a maioria com  tumores  e deformidades (3)

 

Auto-retrato de Lam Qua c.1853-1854

 

Um dos quadros atribuídos a Lam Qua é o retrato do macaense Miguel António de Cortela
Miguel António Cortela, (1783 – 1844), 5.º filho de Inácio Baptista Cortela de Sousa e Albuquerque e de Mariana da Silva Faria, casou em casa, em 8 de Abril de 1829, com Ana Maria dos Remédios, (fal. a 1860) que corria perigo de vida , sendo ela viúva de Eduardo Organ e filha de  António Bernardino dos Remédios e de Maria Rita dos Remédios. Tendo-se ela restabelecido, receberam ambos as bênçãos nupciais em 12 de Novembro de 1829.
Miguel sucedeu a seu pai, cerca de 1820, nos cargos de Depositário Geral dos Cofres de Macau e tesoureiro dos Defuntos e Ausentes. Foi proprietário da barca «Tranquilidade» que naufragou na viagem de Macau para Solor em 1843 com 48 homens a bordo, que todos se salvaram. Tinha 1 das 82 acções da «Casa de Seguros» de Macau fundada em 1810
TEIXEIRA, P. Manuel – Galeria dos Macaenses Ilustres do Século XIX, 1942.
FORJAZ, Jorge – Família Macaenses, I Volume
(1) Guan Qiaochang (1801 – c.1860) (Lam Qua 林官; ou Kwan Kiu Cheong 關 喬 昌), é neto do famoso artista de Cantão, Spoilum (Guan Zuolin, activo entre 785 and 1810) e filho de Lamqua (com o mesmo nome) que terá herdado o estúdio familiar de pinturas. Com a colaboração de muitos dos seus alunos, produzia-se um grande número de quadros de pintura para exportação. Seu irmão Tinqua (Guan Lianchang- ca. 1809-1870) refinou o método de trabalho com produção em massa dos quadros quer a óleo quer de aguarelas.
https://visualizingcultures.mit.edu/rise_fall_canton_01/cw_essay04.html
林官 mandarim pīnyīn: lín guān; cantonense jyutping: lam4 gun1
(2) Sobre este fotógrafo, ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/john-thomson/
(3) https://en.wikipedia.org/wiki/Lam_Qua
(4) George Chinnery (1774 – 1852) que deixou a Inglaterra aos 28 anos de idade em 1802, e passou 23 anos na Índia e depois 27 na China, chegou a Macau em 1825 tendo aí falecido em 1852.
Ver anteriores referências em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/george-chinnery/
(5) De 1836 a 1855, Lam Qua produziu uma série de quadros de pacientes em tratamento com Peter Parker, médico missionário dos Estados Unidos. Parker que estabeleceu o primeiro hospital americano Guangzhou em 1835, introduzindo técnicas cirúrgicas novas (introdução de anestesia) como amputações e cirurgias reconstrutivas, contratou Lam Qua para pintar os retratos pré-operatórios dos pacientes que tiveram tumores grandes ou outras grandes deformidades. Algumas das pinturas agora fazem parte de uma coleção do trabalho de Lam Qua, realizado pela Universidade de Yale, na Coleção Peter Parker, na Biblioteca Médica Harvey Cushing / John Hay Whitney; outras estão no Museu Gordon, no Guy’s Hospital, em Londres.
http://whitney.med.yale.edu/gsdl/collect/ppdcdot/
https://library.medicine.yale.edu/find/peter-parker 
NOTA: Outro quadro de Lam Qua,de 1843, é : “A Praia Grande vista da varanda, residência do mercador Nathan Kinsman, já postado em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/02/23/noticia-de-23-de-fevereiro-de-1837-tomada-de-posse-do-governador-adriao-silveira-pinto/

No mês de Fevereiro,de 1952,  a selecção do soft-ball de Macau visitou Hong Kong, onde saiu vitoriosa em dois encontros disputados.

A selecção de soft-ball de Macau que prestigiou em Hong Kong o desporto local

Dessa colónia vizinha veio a Macau  também no mês de Fevereiro de 1952, uma equipa de hóquei em campo composto de estudantes do Colégio Kadouri (1) que defrontou a equipa de juniores do Hockey Club de Macau, no campo de Tap Seac.

A equipa do Colégio Kodouri  que foi derrotada por 0 a 1 num encontro com a equipa de juniores do Hockey Club de Macau

Informações e foto recolhidas de «Mosaico», IV-19 e 20, 1952.
(1) O Colégio “Kadoorie” (hoje “King´s College”) foi fundado por Sir Ellis Kadoorie (1865 – 1922), judeu, negociante e filantropo, membro da família Kadoorie (2) originária de Bagdad (Iraque) com grandes negócios no Médio Oriente, Índia e China e  Hong Kong. (3)
O Colégio foi fundado em 1891 com o nome de ‘The Ellis Kadoorie School for Indians’, a primeira escola em Hong Kong  onde o “hindi” e o “urdu” foram incluídas no curriculum escolar. Durante a II Grande Guerra esteve fechada e  reabriu em 1946 com ensino em inglês e chinês. Em 1960. o nome foi alterado para “Sir Ellis Kadoorie School”
Actualmente permanece no local original a secção “Sir Ellis Kadoorie Primary School”, construída em 1980 e a secção “Sir Ellis Kadoorie Secondary a School” mudou.se para Oeste de Kowloon em 2000.
(2) Um dos membros da família, Lawrence Kadoorie, (1899-1993) também industrial, hoteleiro e filantropo em Hong Kong, foi o que contribuiu para terminar a construção da Sinagoga Kadoorie dos Anusim/Marranos (4)  da cidade do Porto (Portugal) mais conhecida como a Sinagoga do Porto /Museu Judaico do Porto na Rua Guerra Junqueiro em 1929 e inaugurada em 1938 ( a maior sinagoga da Península Ibérica e Sudoeste Europeu)
https://en.wikipedia.org/wiki/Kadoorie_family

Sinagoga do Porto /Museu Judaico do Porto

(3) https://en.wikipedia.org/wiki/Ellis_Kadoorie
(4) História dos Marranos – judeus que viviam na Península Ibérica e que foram convertidos (ou forçados a converterem) ao Cristianismo durante a Idade Média, em:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Marrano

Texto de Thomaz d´Almeida Garrett, Professor da Escola Colonial, (Portugal) publicado na «Revista Portuguesa Colonial e Marítima» 1909 Volume XIX, n.º 146 e n.º 147, denominado “Problemas Coloniais”. Referente a Macau, somente duas pequenas notas nas p. 63 (n.º 146) e p. 112 (n.º 147)

Artigo 3.º -É expressamente prohibida a criação de porcos dentro das habitações; os transgressores d´esta postura pagarão a multa de $ 5.1.º – Os donos dos porcos poderão conserval-os em casas ou barracas apropriadas (cortelhos), comtanto que estejam completamemnte separadas das habitações, e sejam diariamente limpas.

Extraído do «BOGMT»,  XLI – 8 de 23 e Fevereiro de 1895, p. 66
NOTA: Cortelho/ curral – recinto, geralmente coberto, onde se recolhe o gado. ”

 

 

A OPINIÃO”, semanário independente, iniciou a sua publicação a 24 de Novembro de 1921 e somente se publicou 27 números, sendo o último de 25 de Maio de 1922.
O editor foi o advogado João Jacques de Lima Gracias (1) com redacção, administração e tipografia na Rua da Praia Grande n.º 73
(1) Nesse ano de 1922 era também vereador do Leal Senado da Camara que era presidida por Francisco Xavier Anacleto da Silva e como vice – presidente, o tenente-coronel José Luís Marques. Outros vereadores: António Alexandrino Gonzaga de Melo, e Álvaro Alvares.


Um pino (pin), circular de 2 cm de diâmetro, oferecido por uma associação que se formou na década de 90 (século XX), se não me falha a memória (não me lembro do nome da associação), ligada a deficientes motores.
Na altura, já existia a “Associação Recreativa e Desportiva dos Deficientes de Macau” (ARDDM)(1) fundada na década de 60 (século XX) por Leonel Borralho, (2) e actualmente presidida por António Fernandes.

Pino por trás – mecanismo de fixação

(1) Ver anteriores referências à ARDDM / CPM ARDDM:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/associacao-recreativa-e-desportiva-dos-deficientes-de-macau-arddm/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/leonel-borralho/