Anúncios de filmes para os dias 5 e 6 de Julho nos cinemas “Capitol” (“O melhor e mais elegante Cinema de Macau – Otima maquina e ótimos filmes, europeus e americanos”) e “Apollo” (“ O mais moderno Cinema de Macau, exibindo os melhores filmes europeus e americanos”), publicados no jornal «A Voz de Macau», do dia 5 de Julho de 1937.

Crack-Up” é um filme americano a preto e branco, de 1936,  dirigido por Malcolm St. Clair. Peter Lorre desempenha um entusiasta aeronaves inofensivo, meio confusa, que é na verdade um espião implacável desesperado para colocar as mãos sobre os planos para uma aeronave experimental. Otros actores: Brian Donlevy, Helen Wood, Ralph Morgan e Thomas Beck. https://en.wikipedia.org/wiki/Crack-Up_(1936_film)

Trailers em:

Trapped by Television” é um filme Americano a preto e branco,  de 1936,  dirigido por  Del Lord  com os actores Mary Astor e Lyle Talbot. https://en.wikipedia.org/wiki/Trapped_by_Television

Trailers em:

Proxima Mudança: “One Way Ticket” , filme americano (drama prisional) de 1935, da “Columbia Pictures”, dirigido por Herbert Biberman com os actores Lloyd Nolan, Peggy Conklin e Walter Conolly. https://en.wikipedia.org/wiki/One_Way_Ticket_(1935_film)

O livro “CHRONICA PLANETARIA (Viagem à Volta do Mundo) ” de José Augusto Correa, (1) publicado em 1904 (2) é um relato de viagem à volta do mundo que o autor começou em Lisboa, no dia 15 de Março de 1902 na estação do Rossio:

Partida da estação central do Rocio, Lisboa, às 11 horas e 6 minutos da manhã de sábado, 15 de Março de 1902. Dia esplendido e sol. Em seguida aos abraços de despedida e á grata operação de fotografar o grupo de amigos que compareceram, dissemos, o Soares e eu, um último adeus á cidade amada de Herculano. (…)

e terminou na mesma cidade, a 19 de Setembro de 1902: A 7 de setembro e ao som de hymnos festivaes que saudavam a aurora anniversaria da independencia do Brazil, (…) deixei o solo paraense para bordo do «Jerome», que em doze dias me transportou à formosa cidade de Ulysses, termo, como fôra princípio, da minha viagem circular planetária.

Exemplar encadernado, com lombada em pele, bem encadernada., mas com desgaste (contornos das capas)
Exemplar com uma dedicatória do autor numa folha incorporada antes da folha de rosto,  “offerece José Augusto Correa, Lisboa, 24 de Fevereiro de 1905

Da estadia em Macau de 20 de Junho a 22 de Junho, o autor descreve-o nas páginas 352 a 362 (III Parte- De Alexandria a Hong Kong pp. 251 a 1370)

Infelizmente das 240 fotogravuras que o livro apresenta, somente uma foto (a Praia Grande) é de Macau.

20 de Junho – Entre as três próximas cidades: Vistoria (Hong Kong), Macau e Cantão, há uma regular carreira de vapores de roda, som serviço de restaurante. Em três horas de bôa marcha, vence-se as quatro milhas que separam Hong Kong, isto é, a China inglesa, de Macau, a China portugueza.

Foi por uma tarde límpida e formosa que avistei o pharol da Guia, e a linda capellinha contigua, a alvejar por entre a ramaria. Apparece depois o bello quartel mourisco, hoje, hospital de colericos, (3) a monumental fachada de S. Paulo, os campanarios de S. Lourenço, toda a magnifica edificação da Praia Grande, d´entre a qual sobresahe o palácio do governador, e no extremo oposto o hotel-sanatorio da Boavista, elevado no meio de um caracol maravilhosamente pittoresco. Todo este conjunto impressiona encantadoramente o forasteiro que pela primeira vez aporta à cidade do Santo Nome de Deus de Macau.

O porto, d´este lado da minúscula peninsula, é inacessível a embarcações de alto bordo. É preciso dobrar a ponta da Boavista e ir fundear no porto interior, que defronta o bairro chinez. Este é extenso mas sujo, com exterior apparencia de remota antiguidade. (…)   …………………. continua.

(1) José Augusto Corrêa nasceu em Vigia (Vigia, também chamada de Vigia de Nazaré, é um município brasileiro do estado do Pará) mas passou a maior parte do tempo na Europa sobretudo em Lisboa e Paris. Era da Academia de Ciências de Portugal e editou várias obras de caráter teológico, filosófico e literário entre 1894 e 1926. Na sua obra “Crônica Planetária”, de 1902, Augusto Corrêa escreveu sobre sua passagem pela terra natal em agosto do referido ano: “22 de Agosto de 1902,- eram nove horas e meia da manhã quando pisei o sólo da pátria idolatrada, (Belém – capital de Pára) depois de uma ausência de vinte e sete anoshttps://www.culturavigilenga.com/copia-biografias

(2) CORREA, José Augusto – Cronica Planetaria (Viagem à volta do mundo), 2.ª edição. Editora: Empreza da História de Portugal, Lisboa, 2.ª edição, 1904, 514 p. Illustrada com 240 photogravuras; 15,5 cm x 21 cm

(3) O “hospital de colericos” (sic)  – Hospital (militar) de Sam Januário foi construído em 1872, destinado a militares, nunca foi quartel mourisco, nem foi para doentes com cólera. De 1896 a 1901 houve uma epidemia de peste bubónica em Macau (e arredores) e em 1902 surgiu uma epidemia de cólera em Cantão : “15-03-1902 – O B. O. acautela para a necessidade de tomar medidas preventivas face à epidemia de cólera que grassa na província de Cantão. O B. O. n.º 30 considera-a já extinta” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia de História de Macau, Volume 4, 1977)

Extraído de «O Independente», I- 45 de 9 de Julho de 1869, p. 397

Este espectáculo teatral foi uma repetição da peça dramática “ D. Afonso III” ou “O Valido do Rei” que foi representada pelos mesmos amadores (europeus e macaenses em que os papeis das damas foram também feitos por mancebos macaenses), nesse mesmo teatro, em 20 de Junho de 1869. A comédia intitulada “De noite todos os gatos são pardos” representada no dia 20 de Junho, foi substituída no dia 3 de Julho, por outra, um quadro de costumes em um acto intitulado “As Creadas”.

Extraído de «O Independente», I- 43 de 25 de Junho de 1869, p . 37

No dia 2 de Julho de 1956, celebrou-se na Sé Catedral, a festa de Nossa Senhora da Visitação, (1) orago da Santa Casa da Misericórdia a que assistiram mesários, irmãos, funcionários da Santa Casa e pobres protegidos por esta secular instituição de beneficência, fundada nesta cidade, em 1569, pelo primeiro bispo de Macau, D Melchior Carneiro. (2)

D. Belchior Carneiro, (3) bispo titular de Niceia e governador do Bispado fundou em 1569, a Confraria da Misericórdia; a construção inicial englobava uma igreja consagrada à Visitação de Nossa Senhora, que foi demolida em 1883, Há uma informação do Padre Videira Pires, (4) referente ao século XVIII : “A igreja da Santa Casa, ao lado da sede, no Largo do Senado, tinha mestre de capela, organista e «meninos cantores», mas estes eram mal pagos

“A visitação” do pintor Domenico Ghirlandaio c. 1491 (Musée du Louvre, Paris) https://virgemimaculada.wordpress.com/2011/05/13/nossa-senhora-da-visitacao/

(1) “A devoção a Nossa Senhora da Visitação originou-se entre os primeiros franciscanos. Trata-se de uma devoção totalmente inspirada no Novo Testamento, mais precisamente no Evangelho de São Lucas 1, 39-56. Quando o anjo Gabriel anunciou a Maria que ela seria a Mãe do Salvador, ele disse que Isabel, prima de Maria, já idosa, estava no sexto mês de gravidez por um milagre de Deus. Por isso, Maria foi às pressas até a região montanhosa da Judeia, à cidade de Ain Karnm, para visitar Isabel. Daí o nome de Nossa Senhora da “Visitação”. (5) Porém somente com o Papa Pio V (papado 1566 – 1572) ela tornou-se obrigatória para toda a Igreja Latina e inserida no calendário geral das festas e no Missal romano, transferindo a data de 2 de Julho, na qual era antes comemorada, para 31 de Maio, o último dia do mês mariano.

(2) «M.B.I.», Ano III, n.º 71, 15 JUL 1956,  p. 14.

(3) Anteriores referências a D. Belchior Carneiro em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/d-belchiormelchior-carneiro/

(4) PIRES, Benjamim Videira – A Vida Marítima de Macau no Século XVIII,1993.

(5) http://www.cruzterrasanta.com.br/historia-de-nossa-senhora-da-visitacao/202/102/

Dois envelopes vermelhos – Lai si (1) – próprios para as festividades do ano novo chinês – de duas lojas comerciais situadas na Avenida Almeida Ribeiro nas décadas de 60 /70 (século XX), joalharias & ourivesarias muito conceituadas neste ramo de negócio e que actualmente ainda permanecem no negócio.

OURIVESARIA TAI LOY “LUCKY”

Dimensões: 10,3 cm x 7,1 cm
Verso

OURIVERIA SHEONG HEI YUT

Dimensões: 10,5 cm x 7,1 cm

雙喜月珠寶金行

Verso

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/envelopes-vermelhos-%E5%88%A9%E6%98%AF-%E5%88%A9%E5%B8%82-%E5%88%A9%E4%BA%8B/

(2) A ourivesaria Tai Loi mantém-se actualmente em actividade com o seguinte endereço: 大來珠寶金行有限公司 – Avenida de Almeida Ribeiro nº. 351-355 rc, Macau, tel: 8577863 – 澳門新馬路351-355號 28577863是 – E-mail address: tailoijewell@yahoo.com.hk

(3) Mantém-se também em actividade com o seguinte endereço:

Seong Hei Jewellery – 雙喜珠寶金行 – Av. Almeida Ribeiro, 271-275 r/c Macau, tel: 28375902 – 澳門亞美打利庇盧大馬路271-275號地下 – Fax:28322010 – E-mail address: sheonghei@gmail.com

Notícia da conferência realizada no Grémio Militar de Macau no dia 30 de Junho de 1909 pelo tenente Luciano José Cordeiro (1)

Extraído de «Revista da Artilharia» Ano Vi, n.º 64, Outubro de 1909, p. 206

Anterior referência a Luciano José Cordeiro: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/luciano-jose-cordeiro/

Sobre o tancar e as tancareiras de Macau (1) – extraído do Capítulo VI (pp. 140-141) “Narrative of the Expedition of an American Squadron to the China Seas and Japan; Performer in the year 1952, 1953, 1954. Under the command of Comodore M. C. Perry, US Navy. Edited 1956 “ (2)

Tanka Boat, Macao

“The harbor is not suitable for large vessels, which anchor in Macao roads, several miles from the town. It is, however, though destitute of every appearance of commercial activity, always enlivened by the fleet of Tanka boats which pass, conveying passengers to and fro, between the land and the Canton and Hong Kong steamers. The Chinese damsels, in gay costume, as they scull their light craft upon the smooth and gently swelling surface of the bay, present a lively aspect, and as they looked upon in the distance, from the verandahs above the Praya, which command a view of the bay, have a fairy-like appearance, which a nearer approach serves, however, to change into a more substantial and coarse reality.” (p. 140)

Tanka Boat Girl
Chinese Woman and Child, Macao

(1)  https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/08/04/usos-e-costumes-tanka/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/02/03/leitura-as-tancareiras-i/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/02/07/leitura-as-tancareiras-ii/

(2) https://books.google.pt/books?id=DoVEAQAAMAAJ&pg=PA154-IA3&lpg=PA154. Outras referências desta viagem neste blogue: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/04/22/noticia-de-22-de-abril-de-1853-o-plymouth-em-macau/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/06/02/leitura-a-gruta-de-camoes-em-1852-expedicao-do-comodoro-m-c-perry-i/

Extraído de «O Correio» I-1 de 1 de Julho de 1890, p. 2

Na continuação da notícia de 30 de Abril de 1873 (1), o mesmo jornal «Gazeta de Macau e Timor» (2) (3) dava notícias da chegada a Macau do brigue «Concordia», no dia 27 de Junho de 1873.

«Gazeta de Macau e Timor», I- 41, 1 de Julho de 1873, p. 2
«Gazeta de Macau e Timor», I-43 de 15 de Julho de 1873, p. 2

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/04/30/noticia-de-30-de-abril-de-1873-brigue-concordia-e-o-contingente-de-mouros-i/ (2) «Gazeta de Macau e Timor», I-41, de 1 de Julho de 1873, p. 2 (3) «Gazeta de Macau e Timor», I-43, de 15 de Julho de 1873, p. 2

Duas caixas de fósforos iguais do restaurante “TAI SAM YUEN – 大三 元 酒家 que ficava na Rua da Caldeira n.º 41-45 e esteve aberto durante toda a década de 70 (século XX). Desconheço quando terá fechado já que no seu lugar está actualmente o hotel  com o nome de “Ole Tai Sam Un” – 澳萊大三元酒店 (1)

Tinha três números de telefone para contacto: 2529 – 6596 – 7292

Fósforos com as “cabeças” encarnadas

大三

澳門福隆下街四十一四十五号 (2)

電話: 二二几-六五几

 (1) “Ole Tai Sam Un” – 澳萊大三元酒店

Ole Tai Sam Un Hotel – Rua da Caldeira, N.º 43-45 https://www.agoda.com/pt-pt/ole-tai-sam-un-hotel/hotel/macau-mo.html?cid=1844104

(2)  Nome conhecido em chinês desta rua 福隆下街 – mandarim pinyīn: fú lōng xià jiē; cantonense jyutping: fuk1 lung4 haa5 gaai1. RUA ABAIXO DA (RUA) FELICIDADE. O nome oficial em chinês é 白眼塘橫街mandarim pinyīn: bái yǎn táng héng jiē; cantonense jyutping: baak6 ngaan5 tong4 waang4 gaai1

Ver anteriores referências à Rua, Largo e Travessa da Caldeira: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/largo-da-caldeira/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/travessa-de-caldeira/