Na continuação da postagem de 12-02-2018, festejos do ano novo chinês que nesse ano de 1956 foi a 12 de Fevereiro (1), retiro do «Boletim Geral do Ultramar» (2), uma crónica macaense sobre as festas escolares realizadas nas Escolas Primárias Oficiais Luso-Chinesas Sir Robert Ho Tung
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/02/12/noticia-de-12-de-fevereiro-de-1956-dia-de-ano-novo-lunar/
(2) Extraído de «BGU», XXXII – 369,Março de 1956 pp. 166-168 e

O Ano Novo Chinês ANO LUNAR DO RATO / ÁGUA / MASCULINO / BRANCO (1) começa hoje, 25 de Janeiro de 2020, e foi precisamente neste dia , há 36 anos, a 25 de Janeiro de 1984, o CTT emitiu e pôs  em circulação 450 000 selos postais da taxa de $ 0,60, alusivos ao signo chinês do Ano Novo Lunar do Rato, que se, iniciou, em 1984, a 2 de Fevereiro.
Em anterior postagem de 25 de Janeiro de 25/01/2018 (1), apresentei a pagela n.º 8 referente a essa emissão extraordinária com um sobrescrito de 1.º dia de circulação, selo e obliteração de 1.º dia.
Hoje apresento, desse ano, 16 selos iguais sem obliteração e um “marcador” de 21 cm x 5 cm (dobrável ao meio) em que um dos lados tem escrito em português:

Correios e telecomunicações de MACAU
República Portuguesa
ANO LUNAR DO RATO
emitidos em 25.1.1984
CTT – MACAU
Divisão de Filatelia.

No verso apresenta

5 selos de 60 avos
3.00 patacas

(1) 鼠年 – mandarim pīnyīn; shǔ nián; cantonense jyutping: syu2 nin4
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/01/25/noticia-de-25-de-janeiro-de-1984-filatelia-1-o-dia-de-circulacao-ano-lunar-do-rato-i/

Ngâu Fâi 牛肺 (1)
Bofes (pulmões) de boi

“Como os bofes do boi são escuros e de aspecto repelente, a expressão ngâu fâi p´ó 牛肺婆 (mulheres bofes de boi) (2) é empregada para designar as meretrizes ordinárias.”
GOMES, Luís Gonzaga in «Mosaico», IV-21/22 de Maio/Junho 1952
(1) 牛肺– mandarim pīnyīn: niú fèi pó; cantonense jyutping: ngau4 fai3
(2) 牛肺婆– mandarim pīnyīn: niú fèi pó; cantonense jyutping: ngau4 fai3 po4

Na noite de sábado, 24 de Janeiro de 1968, houve no Clube de Macau – Teatro D. Pedro V, um animado baile, com grande concorrência dos sócios, notando-se entre os presentes, o Governador e Esposa e o secretário-geral e esposa.
A decoração original dos salões do Clube harmonizava com os costumes envergados por parte da assistência e contrastava com a distinção do «smoking» dalguns cavalheiros e dos vestidos de noite das senhoras.
A festiva reunião abrilhantada pela Tuna privativa do Clube, pela orquestra do Estoril e pelos conjuntos musicais «Thunders» e «Heartbeats».
Dançou-se animadamente até alta madrugada e foi servida, na ocasião oportuna, uma magnífica ceia.
No domingo seguinte, foi a tarde infantil, dedicada aos filhos dos sócios. Foi uma festa igualmente e alegre, sobretudo para a pequenada. Houve merenda, dança e outros divertimentos.infantis, próprios da quadra.”  (1)

The Thunders (2)
https://questing.wordpress.com/category/the-thunders/

(1) TEIXEIRA, P. Manuel – O Teatro D. Pedro V, 1971
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/09/10/musica-the-thunders-os-trovoes/

Continuação da publicação dos postais de Macau digitalizados do «Jornal Único» de 1898 (1)

NOTA:Os chichés das vistas photographicoas foram tirados pelo photographo amador Carlos Cabral. Todos os trabalhos respeitantes a este «Jornal Único» foram executados em Macau
Extractos do artigo de Augusto Cézar d´Abreu Nunes ”Avenida Vasco da Gama”, publicado no «Jornal Único».
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jornal-unico/
http://purl.pt/32511/3/html/index.html#/1

Certamente que os leitores do jornal, nesse dia longínquo de 22 de Janeiro de 1932, se riram das singularidades do Calito. Mas pouco havia que se rir nesse dia, pois no jornal também vinha a notícia dos graves acontecimentos em Xangai.
Em 28 de Janeiro de 1932, desencadeia-se um feroz bombardeamento que deixa Chapei, a cidade chinesa de Xangai, num mar de chamas. Imensas vidas se perdem no inferno das explosões e no desmoronamento dos edifícios.
No capítulo do cinema, ouvem-se pela primeira vez as vozes de Lon Chaney e Greta Garbo, respectivamente nos filmes “The Unholy Three” (1) e “Romance“, (2) ambos no Vitória. O Capitol distingue-se com uma película que é um vale de lágrimas: “East Lynne“. (3)  Janeiro também será o mês de “Huckleberry Finn”, com Mitzi Green e Jackie Coogan, (4) e de “King of Jazz”, (5) um dos melhores filmes musicais de todos os tempos, ambos apresentados no Capitol.
A vida continua tão despreocupada que “A Voz de Macau” se entretém, numa coluna, a falar de uma das figuras mais populares e características da nossa terra nos anos 30, o “Calito Maluco”, também conhecido por “Calito-Tâo-Kai” (Calito que furta galinha). Quem, das gerações mais velhas, não se recorda desse pobre homem, desdentado, calvo, sujo, tanta vez embriagado, falando um patois retinto, fazendo de moço de recados para não morrer de fome, ou simplesmente pedindo “emprestado” dez ou vinte avos às pessoas conhecidas?
Quem não se lembrará do seu pregão habitual: “Quim querê comprá Alua? Fiado cerzi mêa! Ginête cornesstach!”, pelas ruas da cidade pacata, batendo a várias portas. Lamuriava sempre, tratando toda a gente por “mano” ou “mana”. Sofria vexames e impaciências com resignação e só perdia a cabeça quando a criançada cruel gritava “Calito-Tâo-Kai”. Era um homem honrado que ganhava os seus dez ou vinte avos com lisura e não podia suportar que o chamassem de ladrão. Então enfurecia-se e da sua boca ouviam-se pragas e impropérios.
Era um homem original. “A Voz de Macau” relata em certa passagem:
Contam-se dele coisas interessantes como: empurrar um carro (riquexó) durante meia hora e, logo que recebe a paga do seu trabalho, meter-se no carro que empurrou e, de perna cruzada, andar a passear outra meia hora, entregando, por fim, ao cúli que o puxa, aquilo que recebera; pedir uma esmola, e não conseguindo obtê-la, pedir vinte avos emprestados. Por fim, são-lhe dados os vinte avos a título de empréstimo, e quando o credor já não se lembra do facto, aparece o ‘Calito’ a pagar-lhe dez avos, dizendo que o resto será pago para o mês que vem!
Das vendas que o incumbem de fazer, presta sempre contas certas, não se enganando nem desviando um avo sequer.
Pobre Calito! Pobre, mas honesto”.
FERNANDES, Henrique de Senna – Cinema em Macau III (1932-36)
http://www.icm.gov.mo/rc/viewer/30023/1797
(1) “The Unholy Three” é um melodrama norte-americano de 1930, sonoro, da Metro-Goldwyn-Mayer , com o célebre actor Lon Chaney (seu último filme e o único falado; Chaney morreu de cancro de garganta, dois meses após o lançamento do filme) e dirigido por Jack Conway. É uma nova versão do filme homônimo de 1925, com ambos os filmes baseados no romance “The Unholy Three”, de Clarence Aaron “Tod” Robbins.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=SZy6H4u1r18
https://www.dailymotion.com/video/x20nosn
(2) “Romance” é um filme norte-americano de 1930, do gênero drama, dirigido por Clarence Brown e protagonizado por Greta Garbo e Lewis Stone.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=O5IOLuqmIjM
https://www.youtube.com/watch?v=tHGmiMpxiRw
https://www.youtube.com/watch?v=5M-gqduRobc
(3) “East Lynne” é um filme norte-americano de 1931, do gênero drama, dirigido por Frank Lloyd e protagonizado por Ann Harding e Clive Brook.
“East Lynne” é baseado no romance homônimo da escritora Mrs. Henry Wood, publicado com enorme sucesso em 1861. A obra já foi filmada várias vezes,
“East Lynne” obteve uma indicação ao Oscar, de Melhor Filme, porém o vencedor naquela edição foi o musical “Cimarron”.
(4) “Huckleberry Finn” é um filme norte-american de 1931, do gênero comédia de aventuras, /Uma versão livre do romance clássico de Mark Twain) dirigido por Norman Taurog. É uma sequência do filme “Tom Sawyer” de 1930, do qual utilizou praticamente a mesma equipa técnica e os mesmos actores:  Jackie Coogan, Junior Durkin, Mitzi Green e Jackie Searl.

(5) “King of Jazz” é um filme norte-americano de 1930, musical, da “Universal Pictures” protagonizado por Paul Whiteman e sua orquestra. O filme contou também com o grupo “The Rhythm Boys” (trio formado por Bing Crosby, Al Rinker e Harry Barris entre 1927-1930). Dirigido por John Muray Anderson. “King of Jazz” foi filmado inteiramente no processo “Technicolor” de duas cores e foi produzido por Carl Laemmle Jr. para a Universal Pictures.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=KdCukticfmE
https://www.youtube.com/watch?v=Yib17tXwxj4
https://www.youtube.com/watch?v=p8OZiDucB3w

Continuação da publicação dos postais de Macau digitalizados do «Jornal Único» de 1898 (1)
NOTA:Os chichés das vistas photographicoas foram tirados pelo photographo amador Carlos Cabral. Todos os trabalhos respeitantes a este «Jornal Único» foram executados em Macau
Extractos do artigo de A. Basto “O *Pagode da Barra”, publicado no «Jornal Único» pp. 43-49
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jornal-unico/
http://purl.pt/32511/3/html/index.html#/1