Archives for category: Notícias

No dia 14 de Fevereiro de 1954, o Clube Náutico de Macau levou a efeito duas interessantes regatas,  a que não faltou o valioso concurso da Secção Náutica da Mocidade Portuguesa. Duas taças foram postas à disputa, a primeira denominada «Improviso» oferta do velejador Gustavo Nolasco da Silva e a segunda denominada «Carochinha», oferta do velejador Tenente Lopes da Costa.

Aspecto das regatas «red-wing», vendo-se ao fundo as ilhas da Taipa e Coloane.

Disputaram a primeira taça as embarcações da classe «moth» do Clube Náutico e da Mocidade Portuguesa, vindo a ganhá-la a embarcação conduzida pelo «às» da vela da Mocidade, António Maneiras.
A seguir à largada dos «moths», fez-se a dos «redwings», para a disputa da taça «Carochinha» , a qual foi ganha por Lopes da Costa.
Estas regatas serviram também como preparação dos velejadores de Macau para o «Interport» com Hong-Kong , que nesse ano se realizaram no dia 28 de Fevereiro, nas águas de Macau.

O velejador tenente Lopes da Costa recebendo das mãos da esposa do governador a taça conquistada numa regata à Taipa e Coloane

(1) Ver anteriores referências ao Clube Náutico de Macau
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/clube-nautico-de-macau/
NOTA: informações retiradas de «MBI» I- 14, 1954. As Imagens foram extraídas de «BGU» XXIX-346, 1954.

Festejou- no dia 12 de Fevereiro de 1956, a entrada do novo ano lunar – MACACO /FOGO, acontecimento relatado no «BGU» (1)

Em torno da estátua do heróico coronel Vicente Nicolau Mesquita montaram tenda para a tradicional venda de flores naturais e ramos de pessegueiros no dia de ano novo lunar
Uma novidade para este ano novo chinês foi uma banca onde vendiam antiguidades chinesas, estatuetas que faziam o encanto dos colecionadores.
Nas bancas de flores viam-se vasos com tangerineiras de palmo e meio pejadas de frutos maduros

(1) Extraído de «BGU» XXXII – 370 Abril de 1956.

Para comemorar a entrada do ANO LUNAR DA CABRA DE METAL, o Correio de Macau ( Correios e Telecomunicações de Macau) pôs em circulação uma emissão extraordinária filatélica com lançamento no dia 8 de Fevereiro de 1991, (1) de um sobrescrito do 1. º Dia de circulação com um selo e obliteração de 1.º dia todos com o mesmo motivo. (2)
O sobrescrito tem um formato rectangular com 16,2 cm x 114 cm.
Custou o sobrescrito $2, 50 (duas patacas e meia)
O selo de papel couché no valor de $4,50 patacas tem as seguintes dimensões: 39 mm x 30 mm. O desenho é de José Cândido.
Junto com o envelope, trazia um marcador (10,5 cm x 5 cm) evocativo do “ANO LUNAR DA CABRA”, emitido também pelos mesmos Correios com a indicação de “5 selos de $4.50 Patacas / 22.5 Ptc”

No verso: “Emitidos em 8.2.91 CTT-MACAU”

Atributos da Cabra de Metal (Ano de Xinwei) (1991), calculados segundo a fórmula “Hastes Celestes” dos Cinco Elementos por Lawrence Lei, com tradução para português de Lai Jing Liang (Direcção dos Serviços de Correios).
A Cabra de Metal pertence ao género “cabra selvagem”. Meiga na aparência mas dura de carácter, tem, no entanto, bom coração. Com ousadia, visão e persistência nos seus princípios tem a ambição de estabelecer os seus próprios negócios.”
https://philately.ctt.gov.mo/uploads/stampimages/mac201501pageprt.pdf
(1) Portaria n.º 10/91/M. –  Emite e põe em circulação selos postais e carteiras alusivos à emissão extraordinária «Ano Lunar da Cabra». (Boletim Oficial de Macau n.º 4 de 28 de Janeiro de 1991.
(2) A pajela dos Correios e Telecomunicações de Macau n,º 53 com os dados técnicos já foi postada em 16/03/2015 aquando do início do ano lunar da Cabra a 19 de Fevereiro de 2015. Ver em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/03/16/filatelia-ano-da-cabra/

Esta notícia referente à libertação do capitão de infantaria Álvaro de Andrade Salgado no dia 19 de Dezembro de 1954, após cativeiro em Cantão durante 31 meses,  foi publicada em Portugal no «Boletim Geral do Ultramar», em Fevereiro de 1955. (1) Para mais informações consultar neste blogue, uma anterior postagem (2) sobre o mesmo assunto.
(1) Extraído de «BGU» XXXI-356 – 1955.
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/03/22/noticias-de-22-de-marco-de-1952-e-19-de-dezembro-de-1954-capitao-alvaro-marques-de-andrade-salgado/
Outras referências a este oficial em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/alvaro-m-andrade-salgado/

Pela Portaria Provincial n.º 25 de 6 de Fevereiro de 1879, publicado no «Boletim da Província de Macau e Timor» Vol. XXV, n.º 6 de 8 de Fevereiro desse ano, se determinou que o mesmo Boletim se publicaria «em português e em chins, devendo a repartição de sinólogos ser encarregada da traducção de todos os actos offciaes e da revisão e exame de provas para a publicação, a qual será sempre feita com o visto do 1.º interprete sinólogo”.
O despacho é do governador da província, Carlos Eugénio Correia da Silva «Attendendo a que só a publicação em caracteres sínicos poderá facilitar-lhes a leitura de taes actos, pela ignorância quasi completa que têem os chinas da língua portugueza”. Por isso, o Boletim da Província de Macau e Timor “será publicado em português e chinês, devendo a repartição de sinólogos ser encarregada da tradução de todos os actos oficiai
Esta Portaria Nº 25 foi traduzida por Pedro Nolasco da Silva, 1º intérprete.
Para o cumprimento deste despacho, em 4 de Agosto de 1879 (1) foi assinado um contrato feito com Nicolau Tolentino Fernandes proprietário da tipografia mercantil (“visto não haver mais estabelecimentos d´este género n´esta colonia”) para a impressão do Boletim das província e mais papeis imprensa para as diversas repartições.
(1) Publicado no «Boletim da Província de Macau e Timor», XXV, n.º 37 de 13 de Setembro de 1879 p. 210.

A propósito da comemoração da inauguração do Casino Hotel Lisboa, fez ontem ( dia 3 de Fevereiro) 48 anos, publico mais  dois “slides” digitalizados da colecção  “MACAU COLOR SLIDES  – KODAK EASTMAN COLOR)”comprados já no final da década de 60 ou princípio de 70 (século XX), se não me engano , na Foto PRINCESA (1).
O primeiro “slide” é referente ao então novo coqueluche CASINO HOTEL LISBOA, a primeira grande unidade hoteleira dos tempos modernos em Macau.
Construção iniciada em 1964 (1.ª fase do Hotel Lisboa), abre ao público em 1970 (mantendo contudo ao longo dos anos sempre em obras de ampliação e remodelação de espaços) com hotel, casino, vários restaurantes europeus e orientais, clubes nocturnos, lojas, piscinas e outras facilidades. (2) Propriedade da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau (S.T.D.M.), inauguração do Hotel Casino Lisboa foi a 3 de Fevereiro de 1970 e o Casino Lisboa situado na cave do edifício foi inaugurado em Junho de 1970. (3)
O 2.º “slide “  é do casino “MACAU PALACE CASINO” (1 e 2.º andar) e Restaurante “MACAU PALACE” (“rés do chão”) mais conhecidos como o Casino/Restaurante Flutuante, que começaram a funcionar no ano de 1962, no Porto Interior, num “junco adaptado”, atracado à Ponte Cais n.º 12/B. Foi o 1.º casino da era “STDM”, embora o considerado 1.º casino “terrestre” – o novo Hotel Estoril (3) – tivesse sido só inaugurado a 15 de Novembro de 1963 (4)
(1) Ver anteriores slides desta colecção em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/artes/
(2) “06-02-1970 – Grande inauguração dos pisos 7.º e 8.º do novo Hotel Casino Lisboa ; é também aberto ao público o restaurante português «Portas do Sol», e um centro de «bowling». O grande mural com caravelas, patente no átrio da entrada do Hotel Lisboa, é da autoria do artista mexicano, residente em Hong Kong, Francisco Barbosa.” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia, Volume 5, 1998)
(3) “Junho de 1970 – Inaugurado, no novo Hotel Casino Lisboa, o casino Lisboa, situado na cave do edifício. Ao mesmo tempo é encerrado o casino da Rua Cinco de Outubro (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia, Volume 5, 1998)
Ver mais informações em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-lisboa/
(4) Mais informações em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/casino-flutuante-macau-palace/

No dia 3 de Fevereiro de 1977, realizou-se em Hong Kong ” 17th ANNUAL PATA WORKSHOP” – subordinada ao lema:
“THE CONSUMER – THE ONLY PERSON WHO REALLY MATTERS”
numa realização conjunta de Hong Kong e Macau para a 17.ª Conferência da PATA (Pacific Area Travel Association) onde particip+aram cerca de 1500 delegados.
The PATA theme for 1977 – “The consumer – the only person that matters” – wears well. For if the main object of PATA is to sell tourism, then the consumer is the prime objective and his demands must be met. On an international level, PATA helps in smoothening out distinctions and in promoting areas and regions hitherto unexplored. It gives all members equality of status and in this it has succeeded in promoting international goodwill and cooperation.” (1)

A delegação de Macau, governador José E. Garcia Leandro, director do Centro de Informação e Turismo, Jorge A. H. Rangel e Rufino Ramos.

Fotos extraídos da Capa do “Anuário de Macau – Ano de 1977”, editado pelo Centro de Informação e Turismo, 1977, 506 p.
(1) A PATA (Pacific Area Travel Association) , é uma associação fundada em 1951, que realizou a sua primeira conferência em 1952, no Hawai com 84 delegados ligados ao turismo do Norte de América e área do Pacífico.

“PATA is a not-for profit association that is internationally acclaimed for acting as a catalyst for the responsible development of travel and tourism to, from and within the Asia Pacific region. The Association provides aligned advocacy, insightful research and innovative events to its member organisations, comprising 95 government, state and city tourism bodies, 25 international airlines and airports, 108 hospitality organisations, 72 educational institutions, and hundreds of travel industry companies in Asia Pacific and beyond. Thousands of travel professionals belong to the 36 local PATA chapters worldwide. “ http://www.pata.org/about-pata/