Archives for category: Comércio e Indústria

Artigo de Luís Gonzaga Gomes publicado no jornal “A Voz” e republicado no BGU, Fevereiro de 1953.

Artigo publicado no Boletim Geral das Colónias, em 1950 (1) e assinado pela “Secção de Propaganda da Colónia -Macau
(1) Disponível na net
http://memoria-africa.ua.pt/Library/BGC.aspx

Colecção de seis marcadores de livro intitulada “仔炮竹 (1)“Extra Selected Firecrackers”, etiquetas de embalagem de panchões das várias fábricas que existiam na Ilha da Taipa, dentro de um pequeno envelope (15,5 cm x 5,5 cm).

Colecção emitida pelo Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau, comprada no Museu de Macau, em 2016, por 10 patacas. Legendas em chinês, inglês e português.
Apresento o 1.º dos seis marcadores com a etiqueta de embalagem da “Kwong Hing Tai Firecracker Co”.
No rótulo está escrito além do nome da fábrica, um aviso de utilização:

“SPECIAL QUALITY FLASHLIGHT CRACKERS
WHOOPEE BRAND
KWONG HING TA
MADE IN MACAU
LAY ON GROUND – LIGHT FUSE – RETIRE QUICKLY”

Kwong Hing Tai Firecraker Co., fundada em 1923, foi a primeira fábrica de panchões estabelecida na Taipa.
Embora o Instituto Cultural aponte o ano de 1923 para o início desta fábrica, com o nome de registo de «KWONG HING TAI» ou «KUONG HENG TAI», só aparece a partir do Anuário de Macau de 1938. (2)
Em anteriores “Anuários” a partir de 1923, estava registada uma fábrica de panchões de nome «Kuong-nguin», mas localizada em Macau.
FIRMA- Kuong-nguin
GERENTE – Li UNG In Teng
Estrada da Guia (Chácara de Vasconcelos)
No Anuário de 1924, aparece:
FIRMA- Kuong-nguin
GERENTE – I In Teng
Estrada da Guia (s/n)
E no Anuário de 1927, o registo desta fábrica é o seguinte:
FIRMA- Kuong-nguin
GERENTE – Li Ung Teng
Estrada da Guia (Chácara de Vasconcelos)
(1) 仔炮竹業  – mandarim pinyin: dàng zǐ bào zhú yè; cantonense jyutping: tam5 zai2 paau3 zuk1 jip6 – fábrica de panchões da Taipa.
(2) Registada em Macau a fábrica de panchões com o nome de “Kuong Heng Tai”; a loja de vendas estava na Rua das Lorchas s/n (Anuário de 1938). Mais recente, no Anuário de 1966, estava registada uma empresa “Kuong Hing Tai” com escritório na Ponte Cais n.º 11 e fábrica na Estrada Ferreira de Amaral – Taipa.
Ver anteriores referências às fábricas de panchões.
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/panchoes/

anuncio-1942-a-chau-tobaccoPublicidade inserida no jornal “A VOZ DE MACAU», de 1942.
anuncio-1942-grey-hound-brandA marca de tabaco “Grey Hound” (logotipo: dois cães de caça-galgos) era popular entre os fumadores da época, nas décadas de 40 e 50, principalmente o tabaco solto (o cigarro não era ainda muito usado) para enrolar ou para por nos cachimbos.
Creio que continua a ser uma marca de tabaco para cachimbo.
Era vendido em maços quer na forma de  cigarros embrulhados em  papel doce (cada maço a $0.50) quer em tabaco solto (1 onça a 0.30 ou ½ onça a $0.20) preparados (embrulados) pela “A CHAU TOBACCO C.º” , cuja sede era na Rua Formosa n.º 24.
anuncio-1942-watsons-lime-juice-cordial
«CORDIAL DO SUMO DE LIMÃO – MARCA “WATSON» distribuído em Macau pela firma “Hip Wo & Co.”, na Avenida Almeida Ribeiro, n.º 50

“Feito com os melhores limões de “West Indies”.
Incomparável para uso nos”cocktails” e “gimlets” é como um refresco benéfico para o sangue em qualquer ocasião. Não há outro igual!”

A.S. Watson Group”, neste momento uma multinacional do ramo retalhista com negócios em todo o mundo, foi fundada em 1828 em Guangdong (Cantão) e posteriormente mudou-se para Hong Kong em 1843, onde está a sua sede (1).  É uma marca registada desde 1871 – A.S. Watson & Company. Marca internacional essencialmente bem conhecida no campo das bebidas, cervejas, água mineral, bebidas não alcoólicas, sumos de frutas, etc.
(1) Prédio “The Watson House”  – 屈臣氏中心” (mandarim pinyin: Qūchénshì Zhōngxīn); cantonense jyutping: wat1 san4 si6 zung1 sam1) em Fo Tan, Shatin, Novos Territórios.
https://en.wikipedia.org/wiki/A.S._Watson_Group

bgc-vii-n-o-72-jun1931-pp-186-187-fabricantes-e-exportadores-de-macau-ibgc-vii-n-o-72-jun1931-pp-186-187-fabricantes-e-exportadores-de-macau-iiPublicada no Boletim Geral das Colónias, 1931

A «VACARIA MACAENSE» num anúncio de 1922, tinha a sede na Rua Central n.º 32. Era mais que uma “vacaria” pois comercializava vários produtos próprios de uma mercearia.
anuncio-1922-vacaria-macaenseSegundo o anúncio: “Nesta leitaria, a única em Macau onde se usa com o máximo escrúpulo de todos os processos higiénicos e sanitários na manipulação do leite, encontra o público, além do artigo próprio da sua indústria, uma grande variedade de géneros alimentícios, tais como farinhas lácteas, bolachas, biscoitos, frutas e legumes de conserva, chá, café, chocolate, manteiga fresca e de lata, etc., etc., etc., tudo da melhor qualidade e pelos preços mais convidativos.
A Vacaria Macaense é a única leitaria portuguesa existentes nesta cidade, e a única montada à europeia, que a qualquer hora patenteia ao público os seus estábulos, onde o máximo aceio e higiene se impõem a quem os visita.”
anuncio-de-1934-leitaria-macaenseOutro anúncio, de 1934 (1) mas da «LEITARIA MACAENSE», (creio que a “Vacaria” onde estava o estábulo das vacas, estaria num sítio e o posto de venda noutro, mais acessível ao público) (2) situada na Avenida Almeida Ribeiro n.º 6, mas mantinha o mesmo argumento embora só anunciasse o “leite fornecido é sempre fresco e de pureza garantida”
Tinha também “LEITE ESPECIAL PARA CRIANÇAS” que era de vacas seleccionadas e destinado especialmente a alimentação de crianças de tenra idade”
(1) A “Vacaria/Leitaria Macaense “ teve vários donos ao longo dos anos. Sabemos que em 1936 a quem pertencia:
12-09-1936 – Publicada no B. O. n.º 37 a constituição da Sociedade «Irmãos Unidos, Lda», dos irmãos Leitão, vocacionada sobretudo para a indústria hoteleira que envolvia os hotéis «Riviera» e «Majestic», os teatros «Capitol» e «Apollo», a «Vacaria» e «Leitaria Macaense». (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997.)
(2) Os Anuários de Macau consultados referem sempre a esta actividade económica como “Leitarias/Vacarias”, em inglês “Milk Stores and Diaries”. Durante décadas (principalmente entre as décadas de 20 a 50 do século XX) muitas “Leitarias ou Vacarias” existiram em Macau.
No Anuário de Macau de 1927 (Total: 11); de 1932 (Total: 12); de 1933 (Total: 13); de 1934 (Total: 13; de 1936 (Total: 13); de 1938, (Total: 10); de 1940-41 (Total:12) e de 1950 (Total:19). Não tenho informação a partir desta último ano. Os anuários a partir de 1951 já não incluem a listagem dos «comerciantes, industriais e profissionais» existentes.
No ano de 1940-41, a “Leitaria Macaense” tinha como endereço o Teatro Capitol (1) e era até a esta data o único com o nome em português.
Em 1950, além do número de estabelecimentos destaactividade aumentarem (19 no total) a “Leitaria Macaense” (novo endereço: Beco da Arruda s/n) teve a concorrência de outras duas leitarias “portuguesas”:  a leitaria/vacaria «Eurasia» na Rua do Hospital n.º 14 e a de «Henrique Nolasco da Silva» na Travessa da Misericórdia n.º 1.

A propósito da comemoração dos 100 anos de actividade de firma “F. RODRIGUES LDA.” (1) e em comparação com o anúncio recentemente publicado na imprensa macaense, pela  “F. RODRIGUES  (SUC.RES) LDA.” (2)
Anúncio de 1921 (?)

anuncio-1921-f-rodriguesF. RODRIGUES
ESTABLISHED 1916
General merchant, Importer, Exporter, Insurance & Shipping Agent

A Firma «F. Rodrigues Lda.» era agente das companhias de navegação e seguros, Neste anúncio publicitava-se como agente em Macau das Companhias de Vapores:

The Ocean Steamship Co. Ltd.
Companhia Transatlantica de Barcelona.
Sun-Sin (Parte Europea)

de outras empresas estrangeiras:

T & E. Plum (Denmark) Manteiga
Clarence E. Edson & Associates (Cleveland Ohio. U.S.A.)
Underwood Typewriter Co. Ltd.
Sterling Electrical Specialities (Cleveland Ohio. U.S.A.)
“Shell Motor Spirit” The Asiatic Petroleum Company South China Limited (Hong Kong)
Vacuum Oil Company (Hong Kong)

de empresa local:

Empresa de Transporte Automóveis (Gerente geral)

e importadora de carvão da

Mitsubishi Shoji Kaisha (Hong Kong)

Anúncio de 2016

anuncio-2016-f-rodrigues-suc-res-ltdAnúncio publicado no Jornal “Tribuna de Macau” n.º 5081, 9 de Set. 2016 p.7 – PUBLICIDADE

(1) “8-12-1916 – Fundada a Firma «F. Rodrigues Lda.» que através dos sucessores, continua a operar”. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997).
Fernando de Senna Fernandes Rodrigues (1895-1945) foi o fundador e proprietário da firma «F. Rodrigues Lda.» desde 1916 até 1945, quando foi assassinado à porta da Caixa Escolar por Wong Kong Kit, a soldo da quadrilha de chineses pró japoneses.
O filho, Humberto Fernando Rodrigues (3) assumiu depois a direcção da firma tornando-se sócio – gerente da firma «F. Rodrigues Sucrs. Ltd» em 1947. (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses Vol. III, 1996).
(2) 26-12-1947 – Constituída a sociedade “F. Rodrigues, Sucessores Limitada ” com um capital social 150 000,00. (Obras e Melhoramentos efectuados em Macau, 1950. A firma tornou-se um dos principais importadores de produtos alimentares portugueses e foi agente em Macau da «British Airways».O actual presidente da companhia é Humberto Carlos Rodrigues.
Anteriores referências a esta firma:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/firma-f-rodrigues/
(3) Humberto Fernando Rodrigues (1921 –  ? ) filho de Fernando de Senna Fernandes Rodrigues e de Ângela Edmée Jorge era  engenheiro civil. Foi vice-presidente da Associação dos Exportadores e Importadores de Macau e condecorado com a Medalha de Mérito Industrial e Comercial (Portaria 353/99/M de 27 de Setembro).
Anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/humberto-f-rodrigues/
Aconselho leitura: “A ÚNICA EMPRESA PORTUGUESA COM 100 ANOS” de Liane Ferreira publicada no JTM, em 8 de Setembro de 2016
http://jtm.com.mo/local/unica-empresa-portuguesa-100-anos/