Raid SAGRES 1987 IJorge Cruz, Arnaldo Leal e Prata Mendes,  (1) pilotando o monomotor Sagres, reeditaram o feito semelhante realizada em por Sarmento Beires, Brito Pais e Manuel Gouveia, a bordo de um «Breguet», que todavia ficou pelo caminho.(2)
Os novos heróis de hoje, percorreram no seu monomotor 30 mil quilómetros em 26 dias, (3) antes de alcançarem o seu destino final – Macau – e depois de enfrentarem diversos acidentes técnicos e dificuldades burocráticas.
A 15 de Fevereiro, o Sagres despedia-se de Macau, sobrevoando a cidade, com destino a Portugal. Mas dois dias depois, ventos fortes das montanhas de Yunan faziam estremecer o monomotor português que, também com falta de combustível, viria a cair em Luxi, na China (4)

Raid SAGRES 1987 IIRaid SAGRES 1987 III

Raid SAGRES 1987 IV

NOTAS:
1 –  A avioneta “Sagres” ficou posteriormente colocada (estará ainda ??) no Parque de Seak Pai Van (na altura chamada “Granja” em Coloane).
2 – Foi descerrada à entrada do edifício do Leal Senado, uma lápide evocativa deste feito, junto a uma outra já existente e que evoca a epopeia vivida em 1924 por Sarmento Beires, Brito Pais e Manuel Gouveia. Esta placa foi enviada de Lisboa pelo Aeroclube de Portugal com o objectivo de homenagear precisamente aqueles pioneiros da aviação portuguesa. A placa descerrada havia sido entregue ao Governador de Macau pela tripulação do “Sagres” aquando da sua chegada ao Território. Pinto Machado entendeu que “ o lugar apropriado “ para a sua colocação era o Leal Senado. (5).
3 – Jorge Cruz Galego relatou esta viagem no livro:
GALEGO, Jorge Cruz – Raid aéreo no Sagres,  de Sagres a Macau. Associação de Comandos de Macau, 1998,  158 p. : il. ; 30 cm.
4 – Poderá ver um pequeno vídeo da chegada a Macau em:
http://www.dinistel.pt/raid.htm

(1) Jorge Cruz Galego, Álvaro M. Prata Mendes e Arnaldo Alves Leal , este proprietário do monomotor “Sagres” MOONEY SUPER 21, construído em 1965.
(2) Recorda-se que no 1.º «raid» aéreo Lisboa -Macau, os pilotos aviadores, Major de Infantaria António Jacinto da Silva Brito Paes e Major de Engenharia José Manuel Sarmento de Beires e o mecânico Alferes graduado António Manuel Gouveia,  a bordo do 2.º avião “Pátria II” (o 1.º avião “Pátria” “partiu-se” numa aterragem forçada na Índia), não chegaram a Macau tendo o avião caído, no dia 2 de Junho de 1924, em Sam -Tcham, a 45 milhas de Macau. Os aviadores chegaram a Macau, trazidos pela canhoneira «Pátria».
(3) Na verdade foram cerca de 15.000 Km em 27 dias ( tempo total de vôo: 65H30) , com 23 aterragens. Foi realizado em 1987, entre Lisboa e Macau com início a 11 de Janeiro e concluído em 6 de Fevereiro, com a chegada a Coloane, no Aterro da Concórdia em Seac Pai Van.
http://foreverpemba.blogspot.pt/2009/07/diversificando-relembrando-o-raid-aereo.html
(4) Informações e fotos retiradas de «Nam Van» n.º 1, 1987.
(5) Informações recolhidas do  “Jornal de Macau” e “Tribuna de Macau” 12.3.1987