Do mesmo artigo da Professora Ana Maria Amaro (1), umas receitas de tradição oral:

CHÁ DE POLOPÉ – Esta palavra aparece, por vezes, nos velhos cadernos de receitas de culinária e de mezinhas das senhoras de Macau, sem significado expresso. Ouvimos, às senhoras macaenses, chamar polopé e polopei à casca de toranja, por deturpação de pó lôk pei (波碌皮), nome chinês da casca de jamboa.(2) O chá de polopé, tal como o chá de casca de toranja, são usados contra sustos, o que nos leva a crer que polopé (3) é, realmente, casca de toranja.

MEZINHA SUZO-BARATASuzo-barata é o nome de Macau dado às pequenas bolas pretas que se vendem nas farmácias chinesas, geralmente envolvidas por hastilhas finas de bambu e que não são nem mais nem menos do que excrementos esféricos de escaravelhos. Segundo informadores chineses, na China do Norte é costume enterrar-se em pequenos covachos bolas do diâmetro de 3 a 5 cm, feitas com bosta de búfalo. Aí desenvolvem-se rapidamente os escaravelhos que depositarão nas bordas dos seus ninhos os excrementos esféricos com valor medicinal. (4) Tanto contra susto como contra mal-de-ar esta mezinha é muito estimada, tanto na China como em Macau.

O escaravelho chinês é o Xylotrupes dichotomus L. Alguns informadores macaenses consideravam que o chamado chá de sete folhas, usado em lavagens contra mal-de-ar também surtia efeito no caso de mal-de-susto. Contudo, ao que parece, reinava entre as senhoras portuguesas de Macau uma certa confusão entre o chá de sete folhas e o chá de sete estrelas (chat seng chá 七星 茶 ), específico para crianças, mas usado contra doenças gastro-intestinais (5)

Além da pedra cordial, atrás citada havia quem usasse, em Macau, pó de aljofre (pérola moída no sá pun– (沙盤 ) aberto com água ao qual se juntava, por influência chinesa, uma pitada de pó de carimbos (cinábrio). (6). Este pó cozido com coração de porco (usado homeopaticamente) é, também, considerado muito eficaz contra sustos e futuros males cardíacos.

(1) AMARO, Ana Maria – O mal de susto ou subissalto (A queda da alma) in: Revista de Cultura. – Vol. 3, nº 10 (Abril/Maio/Junho 1990), p. 43-50. Ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/01/25/leitura-mal-de-susto-ou-subissalto/

(2) Jamboa é o nome dado em “patois” de Macau à toranja (Citrus grandis Osbeck)., cujo nome clássico chinês é iau

(3) É possível, porém, que pelo-pé seja aqui equivalente a pelo-do-pé, isto é, pelos pubianos que se usavam no Brasil, sob esta designação, como “elixir de amor”, e portanto, como mezinha de carácter mágico. (1)

(4) É de registar que este simples, conhecido por “châu keong” (草 薑 ) gengibre de mau cheiro em tradução literal, entra também nalgumas receitas de mezinha para lavar contra mal de ar ou savan. (1) Creio que o caracter chinês 草 (mandarim: zào / cantonense: chou2) que está no artigo não está correcta pois significa “erva” e não mau cheiro 臭(mandarim: chòu/ cantonense: cau3). O correcto deveria ser “châu keong臭薑

(5) Esta composição é, aliás, constituída por 12 simples que se vendem em pacotinhos nos ervanários de Macau, já triturados e prontos a serem fervidos no gargu (bule de barro que vai ao lume). Deve ministrar-se às crianças durante três dias consecutivos, contra indisposições intestinais acompanhadas d febre ligeira. (1)

(6) O cinábrio (HgS) é um produto tóxico, usado em medicina chinesa como antiespasmódico e sedativo em casos de taquicardia de natureza nervosa e ainda no tratamento de convulsões infantis. É, também, considerado pelos tauistas uma substância dotada de poderes sobrenaturais. (1)