Archives for posts with tag: Turismo

Saco comercial de cor verde, de 40, 5 cm x 25,5 cm de dimensões, da Direcção dos Serviços de Turismo com o mesmo design em ambos os lados do saco comercial que publiquei em 30-03-2013, (1) da década de 80 (século XX) com a mensagem a preto, mas em inglês.

“MACAU
The past is present.”
Num dos lados como em (1) além da mensagem, o mapa de Macau e Ilhas englobando Hong Kong, Kowloon, parte do sul de Guangdong (Guanzhou) e o Rio das Pérolas.
No outro lado, uma impressão a preto da fachada do S. Paulo, como em (1)  com os dizeres em inglês:

In 1620  the Japanese gave us our sermon in stone.
St.Paul´s has been called a sermon in stone. I tis a moving sermon from another time. Look closely and you´ll see European saints, beside Chinese dragons and Japanese chrysanthemums carved in the the stone.
Today our great stone sermon is a symbol of the first meeting of East and West. I tis Macau.
Wander our streets, you´ll see history all around you.
Quiet cobblestone courtyards splashed with bounainvillea.
Old fortresses with silent cannon that have fired on pirate and invader. Crimson Chineses temples, pastel Portuguese churches and a sense of history you can feel.
And you can shop for antiques as old as Macau. Dine at restaurants that feature our unique cuisine with dishes from old Portugal or old China. Sample our Portuguese wines. Visit our border gate and take a day trip into China.
It takes justa na hour by jetfoil from Hong Kong to travel centuries back-in time.
Visit us soon.”
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/30/saco-comercial-macau-o-passado-e-presente/  

Folheto turístico “BEM VINDO A MACAU” emitido pela Direcção dos Serviços de Turismo em Maio de 1998, composto por três partes dobráveis (cada uma com cerca de 21 cm x 30 cm), muito semelhante quer na grafia quer no conteúdo ao folheto turístico do ano anterior (ver postagem de 28-04-2018) (1)
A diferença está na actualização dos dados estatísticos referentes ao ano de 1997, nomeadamente ao que se refere ao Aeroporto Internacional de Macau:
“ Em 1996 e 1997 o Aeroporto Internacional de Macau foi distinguido com a classificação do terceiro melhor aeroporto da Ásia. A pontuação mais alta incidiu rapidez e eficiência da assistência ao check-in e à bagagem, e ainda à adequação do desenho e imagem do Aeroporto. A pontuação mais fraca foi atribuída às facilidades das lojas francas que desde então sofreram uma considerável melhoria com introdução de novas lojas, quiosques da especialidade (de diversas marcas de renome mundial) e preços competitivos.
Em 1998 o Aeroporto Internacional de Macau continuou a melhorar a qualidade dos seus serviços prestando aos passageiros um atendimento ainda mais requintado”
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/04/28/folheto-turistico-da-direccao-dos-servicos-de-turismo-de-1997/

Artigo publicado na imprensa portuguesa de 1948, referindo-se a uma «carta da China» escrita pelo jornalista e autor de livros Harold H. Martin para a revista “Holiday” (1) publicada em Maio de 1948. Com as referências habituais a Macau, interessante foi a sua nomeação de «Cidade da Consciência Escrupulosa»
Salientar também outras duas histórias em relação ao período da Guerra do Pacífico que ainda nunca vi mencionado noutras fontes embora vagamente referida pelo meu pai. A primeira:
“ … Quando quatro navegadores americanos que tinham sido abatidos nas águas próximas foram recolhidos por um «junco» e trazidos para cidade, as autoridades acolheram-nos cordialmente e internaram-nos. Quando um piloto japonês enganado pelo nevoeiro aterrou com o seu bombardeiro no aeroporto de Macau (???)  julgando tratar-se de Hong Kong, a polícia macaísta prendeu-o igualmente e tomou conta do aparelho que ainda se conserva no campo de futebol, como único troféu de guerra da cidade. …(…) … Desde que os pilotos americanos que o «junco» recolhera se recusaram a comer e a beber, convencidos de que tinha caído nas mãos do inimigo. Confessaram mais tarde ao Consul britânico, (2) que representava também os Estados Unidos, que nunca tinham ouvido falar de Macau»
A segunda: “Já com a guerra adiantada, aviões americanos vieram bombardear os depósitos onde estava armazenado o precioso fornecimento de gasolina, só distribuído aos bombeiros e aos médicos e um estilhaço de granada atingiu o chefe de polícia Manuel Pinto Cardoso. … (2)

A Revista “Holiday”, n.º 5 de Maio de 1948, dedicado a Paris

(1) A revista “Holiday”, magazine americano de viagem, foi publicada de 1946 pela “Curtis Publishing Company” até à década de 70 (século XX) quando o número de vendas decaiu e foi vendida para outra empresa da mesma área que voltou a publicá-la com o nome de “Travel Holiday” até 1977.  Posteriormente em 2014 voltou de novo às bancas através de uma empresa francesa (sede: Paris), com edição bianual, escrita em inglês.
https://en.wikipedia.org/wiki/Holiday_(magazine)
(2) Manuel Pinto Cardoso na princípio da década de 40 era subchefe e estava colocado na Polícia Administrativa do Comissariado da Polícia. Depois promovido a chefe de esquadra em finais dessa década foi nomeado chefe da Esquadra n.º 4.

No dia 3 de Fevereiro de 1977, realizou-se em Hong Kong ” 17th ANNUAL PATA WORKSHOP” – subordinada ao lema:
“THE CONSUMER – THE ONLY PERSON WHO REALLY MATTERS”
numa realização conjunta de Hong Kong e Macau para a 17.ª Conferência da PATA (Pacific Area Travel Association) onde particip+aram cerca de 1500 delegados.
The PATA theme for 1977 – “The consumer – the only person that matters” – wears well. For if the main object of PATA is to sell tourism, then the consumer is the prime objective and his demands must be met. On an international level, PATA helps in smoothening out distinctions and in promoting areas and regions hitherto unexplored. It gives all members equality of status and in this it has succeeded in promoting international goodwill and cooperation.” (1)

A delegação de Macau, governador José E. Garcia Leandro, director do Centro de Informação e Turismo, Jorge A. H. Rangel e Rufino Ramos.

Fotos extraídos da Capa do “Anuário de Macau – Ano de 1977”, editado pelo Centro de Informação e Turismo, 1977, 506 p.
(1) A PATA (Pacific Area Travel Association) , é uma associação fundada em 1951, que realizou a sua primeira conferência em 1952, no Hawai com 84 delegados ligados ao turismo do Norte de América e área do Pacífico.

“PATA is a not-for profit association that is internationally acclaimed for acting as a catalyst for the responsible development of travel and tourism to, from and within the Asia Pacific region. The Association provides aligned advocacy, insightful research and innovative events to its member organisations, comprising 95 government, state and city tourism bodies, 25 international airlines and airports, 108 hospitality organisations, 72 educational institutions, and hundreds of travel industry companies in Asia Pacific and beyond. Thousands of travel professionals belong to the 36 local PATA chapters worldwide. “ http://www.pata.org/about-pata/

Saco de papel de cor vermelho e letras a preto; dimensões:31,5 cm x 28 cm ; base de 28 cm x 10 cm.

MOMENTOS MEMORÁVEIS
Sentir MACAU

da Livraria do Centro de Promoção e Informação Turística de Macau, em Lisboa
Outro exemplar, com as mesmas dimensões e «design» variando somente na cor.

Capa da revista MACAU CELEBRATION CITY, n.º 1 publicado em Dezembro de 1996 (25 Patacas). Tópicos principais deste número: “A Macanese Christmas”, “Chinese New Year” e “Easter”

Revista (30cm x 21 cm; 34 páginas) em inglês, publicada em Dezembro de 1996, projectada para ser publicada três números ao ano, creio no entanto que só foi publicada este número. A capa do n.º 2, estava anunciada neste primeiro número e prevista para sair em Abril de 1997, mas não sei se foi concretizada. . Pretendia ser um “magazine” de acontecimentos festivos de Macau, hotéis, restaurantes, de divulgação turística. Publicação da “Imagination Macau” (“Managing Editor”: Liz Thomas).

Na contracapa um anúncio da “CAM– Macau International Airport Company”

MACAU, ASIA OLDEST GATEWAY TO CHINA
Asia´s oldest Europen gateway is home to Asia´s newest airport.”

Caixa de fósforo com a publicidade “Turismo Macau” nos dois lados, com as cores da bandeira portuguesa (verde por cima; vermelha, por baixo e as letras em amarelo). Possivelmente da década de 60 mas mais provável de 70 (século XX).
Dimensões : 5,5 cm x 2,5 cm x 0,8 cm.
Os telefones da sede em Macau n.º 5164 e as agências em Hong Kong: do lado de Hong Kong n.º 430118 e Kowloon 661265
Os fósforos de que tenho, somente 4 exemplares, têm a “cabeça” vermelha.