Archives for posts with tag: Tuna Macaense

Guia turístico, em chinês e inglês, emitido pelo “Macau Government Tourism Office” em 1993, com 104 páginas (18,8 cm x 12 cm). Publicado (“Not for sale”) por “Directed Macau Listas Telefónicas, Lda.”, com apoio dos Serviços de Turismo de Macau.
NA CONTRACAPA
Anúncio dos Serviços de Turismo de Macau, publicitando o Buffet de comida macaense às sextas-feiras, por 95 patacas (adulto) e 50 patacas (crianças menor de 12 anos), com acompanhamento da música ao vivo da “Tuna Macaense”, no Restaurante da Pousada de Mong Há.

Calendário dos eventos turísticos e feriados em Macau, de 1993, em inglês
Calendário dos eventos turísticos e feriadossem Macau, de 1993, em chinês

Com interesse, os diversos anúncios e fotos desse ano de 1993 como por exemplo
ANÚNCIO – Restaurante do Casino Jai-Alai no Palácio de Pelota Basca, Porto Exterior, aberto 24 horas e “Our midnight Dim Sum is so distinguished that everyone visits Macau must not miss it
Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/casino-jai-alai/
ANÚNCIO – Macau Mokes (“Macau´s original self-drive rental company”)
ANÚNCIO – Café a Bica
Ver anterior referência em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/03/25/caixa-de-fosforos-cafe-a-bica/
澳門遊踪mandarim pīnyīn: ào mén yóu zōng ; cantonense jyutping: ou3 mun4 jau4 zung1.

“Com a longa tradição conquistada em mais de um século de existência, o Teatro D. Pedro V voltou a patentear a sua plateia ao público de Macau, após a renovação operada em todas as salas e dependências e as obras realizadas na estrutura exterior transformando todo o edifício e fazendo-o voltar àquela antiga presença, que fez dele um centro de cultura e onde actuaram grandes figuras do mundo musical, da ópera e do teatro.
Foi neste recinto, com uma audiência a vibrar de entusiasmo que se reviveram hora agradáveis, quando um grupo de carolas em que José dos Santos Ferreira mais uma vez evidenciou o seu valor e outros entusiastas, levados na onda impulsionadora que os invadiu e arrastou ao palco, encenou a revista «Nhum Velo», que foi apresentada nos dias 10 a 12 de Abril, com o mais assinalado sucesso e lotações esgotadas.
Organizado pela Direcção do Clube de Macau e de colaboração com um grupo de sócios, o espectáculo despertou o maior interesse na população e os calorosos aplausos da assistência bem explicaram o agrado que lhes deu tal actuação.
Na noite de 11, teve a presença do Governador de Macau e esposa, bem como do secretrário-adjunto para os assuntos sociais e cultura.
Este espectáculo teve por base peças escritas em «patois», a língua que tende a desaparecer, mas que ainda mantém um sabor especial, nas suas múltiplas formas expressivas de épocas passadas, em termos que a gíria reproduz a transmissão de conversas caseiras, no ambiente das velhinhas da terra que as usam sem rebuços nem distorcida pronúncia.
No entanto, também, foi apresentada a peça portuguesa «Os inquilinos do Sr. Zacarias», igualmente interpretada por sócios do clube.
A «Tuna Macaense» marcou a sua presença, na execução de música popular, na noite da récita. O som dos seus bandolins recorda as noites das festas, em que, se reuniam famílias, em serões musicais.
Foram noites alegres e divertidas, em que a hilariedade explodia às cenas de requintado humorismo que se sucediam no palco.”
Reportagem da revista « Macau B. I. T.», 1977.

Com a presença do Governador, coronel Garcia Leandro e esposa, e de entidades oficiais  foi inaugurada no dia 14 de Novembro de 1977, pelas 17,30 horas, a «Feira Musical – Macau 77», instalada no jardim de S. Francisco, ocupando quase toda a sua área, contando numerosas barracas de petiscos portugueses e chineses bem como os apreciados manjares da cozinha macaense, mostruário de produtos portugueses e locais, jogos diversos, turismo, brinquedos, etc.

MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical IEntrada principal da Feira
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical IIActo inaugural da Feira ao ar livre, com o corte da fita pela esposa do Governador

Ao longo dos dias 14 a 20 de Novembro, funcionando ao ar livre, estiveram três actividades do campo musical, cada uma de características completamente diferentes.

MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical IIIDanças folclóricas chinesas
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical IVTuna Macaense
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical VDanças folclóricas portuguesas

Também se despertou o interesse com a característica ópera chinesa com actuação em todas as noites, a partir das 19,30 horas.
Ascendeu a quase 30 000 o número de pessoas que ali foram divertir-se, provar a comida típica macaense, portuguesa e chinesa, em tendas que funcionaram das 17 às 24 horas.
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical VIA parte comercial incluía algumas tendas de especialidades – vinhos e artigos portugueses, artigos eléctricos, artigos fotográficos, tapeçaria – e três tendas de informação e exposição, dirigidas por entidades oficiais.
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical VIIMACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical VIIIAssim, o C. I. T. , Centro de Informação e Turismo teve  em exposição artigos de propaganda e à venda livros e publicações.
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical IXO Leal Senado dispunha de recordações, emblemas, alfinetes e miniaturas da bandeira e outros artigos.
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical XA tenda do Fundo de Exportação, a cargo dos Serviços de Economia, apresentava um mostruário de produtos da indústria local e nacional, em reduzida escala, mas bastante para atrair os interessados no assunto, sendo prestada as informações e orientação para mais pormenores a quem inquiria elementos desse sector.
MACAU B.I.T. XII 9-10 1977 Feira Musical XIAs entradas no recinto renderam mais de $ 26 000,00 patacas o que veio a compensar, de algum modo, as despesas avultadas da construção das vedações, das tendas e dos estrados, mas que não pagaram o custo.
Outra receita proveio do aluguer das tendas, com um rendimento de cerca de $ 15 000, 00 patacas
Fotos e informações de “MACAU B. I. T., 1977″

De 18 a 28 de Março de 1983, realizou-se no Casino do Estoril, em Lisboa e depois no Porto, a Semana de Macau em Portugal, organizada pela Direcção dos Serviços de Turismo.

Sábado FEV 1983 - Orquestra ChinesaOrquestra chinesa

 O Presidente da República Portuguesa, de então, o general Ramalho Eanes e o Governador de Macau, contra-almirante Almeida e Costa, estiveram na inauguração da Semana.

Sábado FEV 1983 - Ópera ChinesaÓpera cantonense

 A iniciativa, da Direcção dos Serviços de Turismo de Macau, em colaboração com a Sociedade Estoril-Sol, levou a Portugal uma comitiva de cerca meia centena de pessoas, entre eles, pintores, artesãos, dançarinos, fotógrafos, mestres de cozinha e cantores.

Sábado FEV 1983 - Tuna MacaenseTuna Macaense

Informação e fotografias da Revista SÁBADO, suplemento ao Boletim Diário de Informação, de 12 de Fevereiro de 1983. Edição do Gabinete de Comunicação Social.

No dia 3 de Janeiro de 1864, (1) realizaram-se em Macau, por motivo do nascimento de D. Carlos, (2) estrondosos festejos com iluminações, récita de gala no Teatro D. Pedro V (3), banquete no Palácio do Governo e no do Barão de Cercal (4), fogos de artifício e outros divertimentos no Campo de S. Francisco (5), tendo tido os espectáculos teatrais chineses, realizados nos dias 4, 5 e 6, uma frequência diária de quatro a cinco mil espectadores (6)

Rei D. Carlos I
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Carlos_I_de_Portugal.jpg
(1)   Já em 1 de Dezembro de 1863 havia sido celebrado, em Macau, o nascimento do príncipe. Idênticas celebracões festivas pelo Príncipe, foram realizadas a 12 de Maio de 1864, pelo reconhecimento como sucessor do trono e quando o Príncipe se casou, o Decreto de 13 de Maio de 1886 ordenou igualmente festejos públicos, o mesmo se verificando a 22 de Março de 1887, pelo nascimento do Principe da Beira.
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XIX, Volume 3. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, Macau, 1995, 467 p (ISBN 972-8091-10-9).
(2)   D. Carlos I de Portugal (nome completo: Carlos Fernando Luís Maria Vítor Miguel Rafael Gabriel Gonzaga Xavier Francisco de Assis José Simão de Bragança Sabóia Bourbon e Saxe-Coburgo-Gotha), filho de D. Luís I e de Maria Pia de Saboia. Penúltimo rei de Portugal.
Nasceu em Lisboa a 28 de Setembro de 1863 e faleceu a 1 de Fevereiro de 1908 (morto pelos disparos, no Terreiro do Paço). Subiu ao trono em 1889.
(3)   Sobre o Teatro D. Pedro V, ver:
      https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/08/leitura-o-teatro-d-pedro-v-ii/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/07/noticias-de-7-de-marco-de-1857-teatro-d-pedro-v-i/
(4)   Sobre o Palácio e o Barão de Cercal, ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/10/31/noticias-31-de-outubro-de-1872/
(5)   Em 1861 o governador Coelho do Amaral mandou demolir o Convento de S. Francisco, (嘉思欄修院 / 聖方濟各修院), fundado por franciscanos castelhanos a 2 de Fevereiro de 1580, (por isso, na toponímia chinesa ,o jardim de S. Francisco  tem o nome de Ka-Si-Lán-Fá Yun, 加思欄花園,isto é “Jardim dos Castelhanos“). Em 1585, os franciscanos castelhanos foram substituídos por franciscanos portugueses e, em 1834, por as ordens religiosas terem sido extintas em Portugal e por isso também em Macau, o Governo de Macau tomou posse do terreno e seus bens.
O Convento foi demolido e, no seu lugar, construído um quartel, batalhão de primeira linha, que o destacamento ocuparia a partir de 30 de Dezembro de 1866.
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/11/29/leitura-descripcao-de-macau-em-1837/
Toponímia Jardim de S. FranciscoA zona arborizada foi transformada em jardim público – Jardim de S. Francisco considerado o 1.º jardim público de Macau. O jardim tinha sucessivos patamares até ao Rio das Pérolas e perdeu essa ligação ao mar com os aterros da Praia Grande, em 1920. Posteriormente com a abertura da Rua da Santa Clara, em 1935, foi-lhe retirada vasta área (destruída também o coreto onde a alta sociedade convivia ao princípio da noite e ouvia música).
(6)   GOMES, Luís Gonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.

NOTA 1: Aproveito para chamar a atenção para um trabalho de investigação de Joana S. Pinto Brun sobre “Os Jardins Históricos de Macau”. Trata-se de um trabalho de dissertação para mestrado em Arquictetura Paisagística (Universidade Técnica de Lisboa) de 2011 e que recomendo a sua leitura, disponível em:
http://www.repository.utl.pt/bitstream/10400.5/…/Dissertacao_JoanaSPBrum.p…‎

Convento de S. FranciscoConvento de S. Francisco

(TEIXEIRA, Pe.. Manuel – Os Militares em Macau. Edição do Comando Territorial Independente de Macau, 1976, 614 p.)

NOTA 2: Recordo ainda aqui a canção dedicada ao “Jardim de S. Francisco”, da Tuna Macaense, de 1997, do album “Titi Bita di Lilau”. A melodia é de António dos Santos Dias. Disponível no You Tube:
http://www.youtube.com/watch?v=Q3RCf0ugE0w