Archives for posts with tag: Toi San

Espelho do Mar P.e Videira Pires I

Livro do Padre Benjamim Videira Pires, “ESPELHO DO MAR” (publicado em 1986) (1),  terceiro livro de poesia do autor, que o dedica a todos os amigos de Macau. Contém 26 poesias, sendo as três últimas composições (“Pecado Original“, “Tríptico” e Acto de Esperança” reedições, “levemente actualizadas”.

Da Nota Prévia escrita pelo autor, retiro:
O primeiro (livro), JARDINS SUSPENSOS, mereceu as honras de uma tradução japonesa, feita pelo licenciado da Universidade «Sofia» de Tóquio, sr. Shigeru Otake.
            O tempo de vinte e oito anos, decorrido sobre a publicação da segunda obra poética, DESCOBRIMENTO, purificou os elementos «circunstâncias» e «artifício», que insensivelmente se infiltram, em qualquer «criação» do homem. Estes poemas ganharam, assim, mais simplicidade e verdade. Porque a espontaneidade e a candura da infância têm de ficar, até ao fim, na nossa alma.”

ACTO DE ESPERANÇA

 – Senhora de T´oi Sán e da fronteira,
sentinela isolada de Além-Mar,
envolve-nos a noite traiçoeira,
comes trelas vermelhas a rondar…

Dominas, Mãe de Deus, a terra inteira,
dum trono atapetado de luar;
Que futuro, Divina mensageira,
descobre para nós o teu olhar?

Nesta hora,  a Cidade iluminada
é uma flor de nenúfar delicada,
pairando sobre medos e cansaços…

Senhora, não reveles o destino;
Macau prefere a sorte de um menino
que dorme, confiado, nos teus braços! –

Macau, Ilha Verde, 12 de Maio de 1953

Espelho do Mar P.e Videira Pires IIBenjamin Videira Pires (Torre de D. Chama, Mirandela, 1916 – 1999), missionário da  Companhia de Jesus desde 1932, ordenado sacerdote no Porto, em 1945, vem para Macau em 1948. Historiador, Pedagogo (deu aulas no Liceu Nacional Infante D. Henrique), Ensaísta e Poeta, com vários livros publicados em cada especialidade. Na poesia, publicou 3 livros: “Jardins Suspensos“, publicado em 1955, “Descobrimentos: Poesias“, em 1958 e “Espelho do Mar“, em 1986.

Referenciado na obra “Trovas Macaenses“, (2) o autor, João C. Reis diz dele, o seguinte:
Possuidor de vasta cultura, a sua escrita é ponderada, profunda e comunicativa. Desenvolveu, no jornal “Confluência” de 1974/1975, uma poesia intervencionista, sem adornos que ficará a perder em relação à outra apenas na limitação natural dos temas
NOTAS:
1 – Sobre o Padre Videira Pires, aconselho leitura do trabalho de António Aresta na Revista “Administração“, de 1999, e que pode lê-lo em:
http://www.safp.gov.mo/safppt/download/WCM_004211
2 – A capa do livro é da autoria de A. Conceição Júnior.
3 – Anterior poesia do Padre  Videira Pires, “Crepúsculo” no “post”:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/01/22/poesia-crepusculo/
(1) PIRES, Benjamim Videira – Espelho do Mar. Instituto Cultural de Macau, 1986, 57 p. + |1|, 25,5 cm x 16 cm.
(2) REIS,  João C. – Trovas Macaenses. Mar-Oceano-Editora, Macau, 1992, 485 p. + |10|

Dos sítios recomendados  e assinalados no mapa de Macau, já não existem o Casino Jai Alai, o (antigo) Terminal Marítimo Macau-Hong Kong, a bancada do Grande Prémio, o Casino Flutuante “Macau Palace“, O Hotel Matsuya, , o Hotel Bela Vista. No mapa já estavam assinalados os novos aterros: NAPE, o novo Terminal Marítimo junto ao reservatório,  Areia Preta e entre o Fai Chi Kei e o Toi San
No mapa das Ilhas permanecem os pontos turísticos, um dos hotéis mudou de nome “Hyatt Regency Macau“.

(1) Mapas e foto do “Travel Agent´s Handbook for Macau 92/93. Macau Government Tourist Office, 87 p.”