Archives for posts with tag: Teatro Vitória

Continuação da publicação dos postais constantes da Colecção intitulada “澳門老照片 / Fotografias Antigas de Macau / Old Photographs of Macao”, emitida em Setembro de 2009 pelo Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau/Museu de Macau (1)

Aspecto do Porto Interior na década de 10 do século XX, (2) – uma ponte-cais de passageiros, muito possivelmente da empresa “The Hong Kong, Canton and Macao Steamboat Company, Ld.” (agente em Macau: A. A. de Mello – Praça Lobo de Ávila (Praia Grande) n.ºs 22-24.
Reparar nos anúncios (lado esquerdo da foto) aos hotéis: “THE MACAO HOTEL” – situated in the centre of praya grande facing the sea”,(3), “ORIENTAL HOTEL” (4) e “HOTEL DE BOA VISTA” (5) e ao cinema: “ VICTÓRIA CINEMATÓGRAFO”. (2)
(1) Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/postais/
(2) Pelo anúncio afixado na fotografia: “VICTORIA CINEMATOGRAFO”, a foto deverá ter sido tirada após 08-01-1910, dia da inauguração desse cinematógrafo (o primeiro em Macau), situado na Calçada Oriental (hoje, Calçada do Tronco Velho)
Ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/
(3) Proprietário W.M. Farmer (Rua da Praia Grande n. º 65). Também proprietário do “Victoria Hotel” (em Cantão) e agente em Macau de casas comerciais de Cantão e Hong Kong.

Anúncio de 1912

Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/12/06/leitura-macau-ha-cem-anos-a-chegada-iii/
(4) O “Oriental Hotel” ficava na Rua da Praia Grande. Em 1912 era gerido por M. A. Conceição
東方酒店 mandarim pīnyīn: dōng fāng jiǔ diàn; cantonense jyutping:  dung1 fong1 zau2 dim3
(5)  Hotel de Boa Vista – 海鏡酒店 (“Hou Kiang Tsau Tim” ) , propriedade da Santa Casa da Misericórdia, estava alugada a A. A. Vernon. O Gerente era A. Naris.
Publicitado como “The Sanitarium of South China” na Rua do Tanque do Mainato n.º 1.
Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/04/24/anuncio-de-1904-boa-vista-hotel-sanitarium-of-south-china-macao/
海鏡酒店 mandarim pīnyīn: jiǔ jìng diàn hǎi ; cantonense jyutping: hoi2  geng3 zau2 dim3

Mais um filme dos “Três Pacóvios”, como eram conhecidos em Macau (em Portugal, os “Três Estarolas”). Este filme de 1963, dirigido por Norman Maurer pertence à fase final da carreira deste grupo, como o anterior filme que publiquei em (1).
Parodiando “A Volta ao Mundo em 80 dias”, de Júlio Verne,  o bisneto de Phileas Fogg , o Phileas Fogg III (interpretado por Jay Sheffield), aceita a aposta para fazer o mesmo percurso à volta do mundo do seu bisavô, sem contudo levar algum dinheiro ou aceitar qualquer trabalho remunerado. Os seus ajudantes são os “3 Pacóvios”. A “princesa” indiana salva é interpretada pela actriz joan Freeman.
Com mais interesse, é o filme que está no verso deste folheto como “PRÓXIMA MUDANÇA”
Um filme para a juventude da época, de 1964  “Get Yourself a College Girl” uma comédia com música cantada por grupos ou cantores conhecidos (“beach party movie”)  dirigido por Sidney Miller, que já descrevi em anterior postagem (2)
(1) Anterior filme dos “Três Pacóvios” neste blogue em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/02/12/folheto-de-cinema-teatro-apollo-xxiii-the-three-stooges-in-orbit/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/05/14/noticia-de-14-de-maio-de-1965-folheto-de-cinema-teatro-vitoria-xxii/   
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=8clXTN607ys
https://www.youtube.com/watch?v=Zex9mfiE_vE
https://www.dailymotion.com/video/x5ei93w
http://www.tcm.com/mediaroom/video/212866/Three-Stooges-Go-Around-The-World-In-A-Daze-The-Original-Trailer-.html

Estreou-se a 27 de Março de 1956, no Teatro Vitória, (1) o filme “Helena de Tróia” (para maiores de 18 anos) anunciado como:
O espectacular  cerco levantado por Helena e Paris, a mais afamada história da fuga dos amantes”
“O tumultuoso acontecimento que levou a Idade dos Titães ao seu máximo furro!
“ As chamas da idade dos titães em “Cinemascópio e Warnercolor”
“Gastaram-se três anos para o filmar e 6 milhões de dólares para o produzir” (2)
A Tipografia “San Chong Trading & Co” imprimiu 2000 exemplares deste folheto ( o habitual nesses anos era de 1000 exemplares) o que pressupõe que a Distribuidora previa um grande êxito de bilheteira.

“The Iliad’s story of the Trojan war, told from the Trojan viewpoint”

Director: Robert Wise com os actores: Rossana Podestà (Helena), Jacques Sernas (Paris), Stanley Baker (Aquiles) e a jovem Brigitte Bardot (escrava Andraste) – o primeiro filme desta actriz fora da França e em inglês. (3)
Excelente música de Max Steiner (4)
Ocupando todo o verso do folheto, um argumento muito pormenorizado
(1) Estreou.se nos EUA em 26 de Janeiro de 1956
(2) Produção: 6 milhões de dólares. Nos EUA a receita na altura foi de 3,2 milhões de dólares.

Jacques Sernas e Brigitte Bardot

(3) Jacques Sernas e Rossana Podestá conheceram um lançamento internacional considerável quando foram escolhidos como protagonistas neste filme, um projecto gigantesco que a Warner rodava em Itália (nos Estúdios “Cinecittá”). Foram escolhidos como símbolos eróticos e os dois tentaram mais tarde a sorte em Hollywood mas não chegaram a tornar-se artistas internacionais ao contrário de Brigitte Bardot que dois anos mais tarde faria “Et Dieu créa la femme” (“E Deus Criou a Mulher”)
(4) Poderá ouvir em:
https://www.youtube.com/watch?v=bd5Sq225JTE
https://www.youtube.com/watch?v=xVAb21qr2hg
Trailers:
https://www.youtube.com/watch?v=iHi7Kcf42TQ

Estreia no dia 11 de Janeiro de 1957, no Teatro Vitória o filme do “ The King of Rock´n Roll – ALAN FREED (1) – ROCK! ROCK! ROCK!”. Em Macau, “Dance, Dance, Dance”, em Portugal (estreado a 10 de Abril de 1957) : “Vamos dançar o Rock”. (2) Na altura, um sucesso de bilheteira em todo o mundo onde foi projectado bem como a venda do álbum “Rock! Rock! Rock!” (3)
Dirigido por Will Price, (filmado a preto e branco, 85 minutos), em 1956, apresentando vários artistas e conjuntos ligados ao “Rock´n Roll” com todo o destaque para “Alan Freed and his Rock´n Roll Band”. Aparecem também Teddy Randazzo (como actor principal –Tommy), Chuk Berry, “The Flamingos”, “Frankie Lymon and the Teenagers”, La Vern Baker entre outros conjuntos. É o primeiro filme da actriz de 13 anos, Tuesday Weld (4) (no papel de Dori; as canções no filme são cantadas por Connie Francis).
https://en.wikipedia.org/wiki/Rock,_Rock,_Rock_(film)

Os protagonistas principais: Tuesday Weld e Teddy Randazzo
http://deeprootsmag.org/2015/08/03/rock-rock-rock-1956/

(1) Em 1951, o “disc-jockey” Alan James Freed (1921-1965) criou o termo rock‘n’roll, antes conotado ao acto sexual. Freed teve um importante papel por atrair jovens brancos para a música feita pelos negros, lançando nomes em seus programas de rádio e posteriormente com a promoção de shows ao vivo. Apareceu em quatro filmes ligados ao tema “Rock´n Roll”: 1956: “Rock Around the Clock”; 1956: “Rock, Rock, Rock”; 1957: “Mister Rock and Roll”; 1957: “Don’t Knock the Rock” (2); 1959: “Go, Johnny Go!”. Ver biografia em:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Alan_Freed
(2) Anteriores referências a filmes com o tema “Rock´n Roll”:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/11/29/noticia-de-29-de-novembro-de-1956-folheto-de-cinema-teatro-vitoria-xxxi-moby-dick/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/12/30/noticia-de-30-de-dezembro-de-1956-folheto-de-cinema-teatro-vitoria-xvii-boas-festas-e-feliz-ano-novo/
(3)O álbum “Rock! Rock! Rock! “ foi o primeiro LP da editora  “Chess Records”. A capa tem a foto de Chuck Berry. Foi o primeiro LP deste artista. Nem todos os artistas que actuaram no filme estão no álbum pois este somente contém quatro temas de trãs artistas: Chuck Berry e dos conjuntos “The Moonglows” e “The Flamingos”.
https://en.wikipedia.org/wiki/Rock,_Rock,_Rock_(soundtrack) 
(4) Tuesday Weld com uma longa carreira iniciada com este filme (a ultima aparição cinematográfica “Chesea Walls“ é de 2001) ganhou o “Golden Globe” em 1960 como a artista mais promissora do ano pelo filme de 1959, “The Five Pennies”.
Trailers do filme e algumas canções mais famosas:
https://www.youtube.com/watch?v=RCt4_Dwt-Lk
https://www.youtube.com/watch?v=weD_ClKJx_0
https://www.youtube.com/watch?v=9jKrHzps0XM
https://www.youtube.com/watch?v=9r2HF5uHtNE

No dia 13 de Dezembro de 1922, foi lançada uma bomba, nos jardins do Palácio do Governo, na série de vários atentados bombistas que os terroristas chineses xenofobistas estavam executando, periodicamente, na cidade, tendo o cinema Vitória, o Grémio Militar e alguns estabelecimentos comerciais sido vítimas das suas proezas (1)
Em 29 de Maio desse ano, tinha sido novamente proclamado (2) o estado do sítio em todo o território em Macau devido ao cerco à esquadra de Ship Seng e a resposta policial. Foram mandadas encerrar todas as associações de classe cujos estatutos não estivessem autorizados ou requeridos. (3)

Palácio do Governo c. 1910

(1) GOMES, Luis G. – Efemérides da História de Macau, 1954
(2) O anterior estado de sítio tinha sido declarado a 24 de Setembro de 1921 (com suspensão de garantia pelo prazo de 8 dias), mas que, em consequência de certas entidades inglesas terem intervindo, se evitou um sério rompimento, sendo ordenada, no dia seguinte, a cessação da ordem de estado de sítio (4)
(3) “29-05-1922 – Novamente é proclamado o estado de sítio em todo o território. Factos graves contra a soberania nacional, o prestígio das autoridades e a segurança da população”. (4)
“30-05-1922 – O 2.º Suplemento ao B. O. n.º 21 contém o edital n.º 2: «São convocados todos os cidadãos portugueses válidos a apresentar-se imediatamente no quartel do corpo de Voluntários (em Santa Clara), a fim de serem mobilizados para serviço do Governo. Macau, 30 de Maio de 1922 – O Comandante Militar da Cidade – Joaquim Augusto dos Santos, Coronel» Só a firmeza da resposta do Governador (Comandante Corrêa da Silva – Paço d´Arcos) às autoridades de Cantão evitou crise maior.” (4)
(4) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, 1997.
Sobre estes incidentes no ano de 1922, anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/10/23/os-tumultos-de-macau-em-1922i/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/10/24/os-tumultos-de-macau-em-1922-ii/
E aconselho a leitura de GUEDES, João – O General anarquista e a “República Cantonense” em http://arquivo.jtm.com.mo/view.asp?dT=355903012

Estreia no dia 29 de Novembro de 1956, no Teatro Vitória, o filme “MOBY DiCK”, para maiores de 13 anos, nas três sessões diárias habituais.
Filme britânico (partes filmadas na Ilha da Madeira), de 1956, dirigido por John Huston (talvez o melhor filme deste realizador) para a “Warner Bros”, com argumento de Ray Bradbury e do próprio John Huston e os bons desempenhos dos actores, Gregory Peck, Richard Basehart, Leo Genn, James Robertson Justice e Orson Welles (brilhante actuação no pequeno papel do Padre Mapple).
De salientar a fabulosa fotografia de Oswald Morris (segundo alguns críticos, a melhor película sobre o mar).
Adaptação pessoal ao mesmo tempo muito fidelíssima da magistral novela de Herman Melville de 1851, história da obsessão do capitão Ahab (Gregory Peck) com a baleia branca Moby Dick que o feriu, tirando-lhe uma perna de Ahab, anos atrás.
Trailers do filme
https://www.youtube.com/watch?v=l_ibjoSB6Xs
https://www.youtube.com/watch?v=5LOlmBgV_v0
Próxima mudança: o filme “ROCK AROUND THE CLOCK” com o título “Ritmo Moderno” terá estreado nos primeiros dias de Dezembro desse ano, a proceder outros dois filmes da mesma temática: “Ritmo Inebriante” (“DON´T KNOCK THE ROCK”) estreado em 30 de Dezembro, já apresentado em anterior postagem (1) e “Dance, Dance, Dance”, (“ROCK,ROCK, ROCK”) estreado em 11 de Janeiro de 1957.

Imagem retirado de (2)

De interesse é o anúncio da apresentação do documentário: “ABRIL EM PORTUGAL” projectado com o filme “Ritmo Moderno”

“Apresentando
Jack(ie) Lane, a rapariga que chocou o Império! (2)
Amália Rodrigues, a maior cantora de Portugal!
Os bailarinos do mundialmente Tágide Clube de Lisboa!
Narração de Trevor Howard
Um complemento tecnicolorido da COLUMBIA PICTURES”

O filme (curta metragem de 20 minutos, colorido, filmado em 35 mm, depois convertido em” cinemascope”) “April in Portugal” realizado em 1955 (mas estreado só a 20 de Abril de 1956, nos EUA) é um documentário “turístico” britânico dirigido por Euan Lloyd, produzido por Irving Allen e Albert R. Broccoli (produtor de muitos filmes de James Bond), narrado pelo actor britânico Trevor Howard (1913-1988).
Interpretando uma guia turística de nome “Jackie Lane”, a artista Jocelyn Lane (actriz e modelo nas décadas de 50 e 60 – século XX e que casou com o príncipe to Prince Alfonso of Hohenlohe-Langenburg em 1973) vai apresentando ao longo do documentário além da paisagem, os artistas portugueses: Amália Rodrigues (1920-1999); o matador português António dos Santos (primo do mais consagrado toureiro a pé Manuel dos Santos que actuou em Macau em 1966) (3) e Fernando Gil e o seu ballet
Anúncio do filme “The Eddy Duchin Story” estreado no Teatro “Proctors”, em Nova Iorque, no dia 25 de Julho de 1956 com apresentação “EXTRA” de “April in Portugal
http://jocelynlanepage.blogspot.pt/2015/06/april-in-portugal-1955.html
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/12/30/noticia-de-30-de-dezembro-de-1956-folheto-de-cinema-teatro-vitoria-xvii-boas-festas-e-feliz-ano-novo/
(2) Questiona-se a etiqueta de apresentação desta artista: Jack(ie) Lane, a rapariga que chocou o Império
A explicação terá sido: a exploração pela imprensa “cor de rosa” britânica de um “incidente” ocorrido no final de 1955 em que Jocelyn Lane se apresentou numa première real em Londres com um vestido muito “ousado”.
Starring Jackie Lane the girl who shocked an Empire.”  We will discuss this further in a future post, but the U.S. ad campaign was trying to exploit an incident that had occurred in the fall of 1955.  Jocelyn made international headlines after being blasted in the London press for a daring dress that she wore to a royal premiere… ?
http://jocelynlanepage.blogspot.pt/2015/06/april-in-portugal-1955.html
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/02/04/slide-colorido-de-macau-turistico-da-decada-de-60-seculo-xx-v-touradas-em-macau/


O Teatro Victória originalmente na Calçada Oriental, foi inaugurado a 8 de Janeiro de 1910, havendo notícia do trespasse do terreno onde se achava instalado em 20 de Junho de 1910 (1)
Está também referenciado um «Cinematógrafo Victoria» numa barraca na Rua da Cadeia em 1913 (2)
O Teatro Victória (depois Vitória) localizado na Avenida Almeida Ribeiro (a entrada ficava na Rua dos Mercadores) (3) foi inaugurado em 8 de Janeiro de 1921 e esteve 50 anos em actividade (encerrou a 25 de Novembro de 1971.
(1) “20-06-1910 – Trespasse do terreno onde se acha instalado o cinematógrafo «Vitória» feito em nome de Bartolomeu Barreto e Ramon Ramos”. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997)
(2) “19-05-1913 – Prorrogação das licenças concedidas para o funcionamento do «Cinematógrafo Victória» numa barraca na Rua da Cadeia.” (Boletim do Arquivo Histórico de Macau, Tomo I, 1985)
(3) Ver anterior referência em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/