Archives for posts with tag: Teatro Nam Van

Com início em 11 de Junho de 1965, no Teatro Nam Van, o filme “Invitation to a Gunfighter” (em Macau, com tradução para “Ele Mata Por Sedução”), um espectáculo para maiores de 17 anos

Invitation to a Gunfighter” é um filme de 1964, de cor “DeLuxe Color”, um western dirigido por Richard Wilson, com produção de Stanley Kramer. Actores: Yul Brynner (Jules Gaspard d’Estaing), Janice Rule (Ruth Adams), Brad Dexter (Kenarsie, George Segal (Matt Weaver), Alfred Ryder (Doc Barker), Clifford David (Crane Adams) e Pat Hingle (Sam Brewster). https://en.wikipedia.org/wiki/Invitation_to_a_Gunfighter

Trailers; https://www.youtube.com/watch?v=7dtJHNu4qJ0 https://www.dailymotion.com/video/x3es3wu https://www.dailymotion.com/video/x3es4gf

PRÓXIMA MUDANÇA “The Black Torment”( A Mansão do Tormento) é um filme de 1964, britânico de baixo orçamento da companhia  Compton Films (similar à da produtora “ Hammer Horror da década de 60, filmes de terror e gótico)  , dirigido por Robert Hartford-Davis com os actores John Turner, Heather Sears e Ann Lynn.

https://en.wikipedia.org/wiki/The_Black_Torment

Trailers: https://www.youtube.com/watch?v=3lzs0brsapo https://www.youtube.com/watch?v=eH8gQdPfXtc

Bilhete de cinema (12,9 cm x 7, 3 cm) do Teatro Nam Van, fundo amarelo, letra a castanho, para a sessão da tarde (2.30 Horas) do dia 23 de Março de 1965, com o n.º 0719. Preço: $ 0.90.

Este filme “It´s a Mad, Mad, Mad, Mad World” estreou-se neste cinema a 19 de Março de 1965 – ver anterior postagem com o folheto de cinema. (1) A lápis azul, marcação de lugar “Y28”

Verso do bilhete – selo de verba (2)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/03/19/noticia-de-19-de-marco-de-1965-folheto-de-cinema-teatro-nam-van-xxii-its-a-mad-mad-mad-mad-world/

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/selo-de-verba/

Para a quadra natalícia de 1965, o Teatro Nam Vam estreou o filme “GOLFINGER”, com o famoso agente “007”, James Bond, representado pelo actor recentemente falecido, Sean Connery. (1)

“Goldfinger”, filme de 1964, o terceiro da série James Bond (baseada nas novelas do mesmo nome de Ian Fleming) produzida Albert R. Broccoli e Harry Saltzman para a produtora “Eon Productions” (britânica), com a actor Sean Connery no papel de James Bond.  É o primeiro dos quatros filmes de James Bond dirigido por Guy Hamilton. Música composta por John Barry, Canção tema cantada por Shirley Bassey. (2) Tem a actriz Honor Blackman como “Bond girl” (Pussy Galore), Gert Fröbe no papel de Auric Goldfinger e Shirley Eaton como “Bond girl”(Jill Masterson). Ganhou um “Óscar” por “Efeitos Especiais”: Norman Wanstall.

NOTA: Continuo a considerar “Goldfinger” como o melhor dos filmes “Bond”: pela presença de Sean Connery, pelas “Bong girls”, pela canção tema – inimitável Shirley Bassey  e música de John Barry .

BILHETE n.º 1944, de 2.ª classe na sessão de 7h30 (custo $1.10) marcado para o lugar R -21 (?)

Do mesmo filme, apresento um bilhete do cinema (13 cm x 9 cm) do mesmo teatro, do dia 29 de Dezembro de 1964, o que prova o êxito do filme em Macau pois numa quadra natalícia esteve pelo menos 8 dias em cartaz.

VERSO DO BILHETE – carimbo: selo de verba (3)
FOLHETO DE CINEMA verso

The Conjugal Bed” (Original italiano: L’ape regina) filme italiano de 1963, comédia realizado por Marco Ferreri, com actores Ugo Tognazzi  e Marina Vlady. No Festival de Veneza, desse ano, Marina Vlady foi considerada a melhor actriz. https://en.wikipedia.org/wiki/The_Conjugal_Bed_(1963_film)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/sean-connery/

(2) Ver e ouvir Shirley Bassey:

(3) Ver: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/selo-de-verba/

Em memória do actor Sean Connery (1) falecido no último dia do mês de Outubro passado, o eterno James Bond, o primeiro a dar vida ao icónico espião em 7 filmes: desde o “Dr No” (1962) até “You Only Live Twice”(1967) e depois “Diamonds Are Forever” (1971) e “Never Say Never Again (1983), publico o presente folheto de cinema, do Teatro Nam Van, deste dia, 3 de Novembro de 1996 que no seu verso apresenta o filme “A Fine Madness” que o actor participou em 1966 ( entre dois filmes da série Bond, o 4.º de 1965 e 5.º de 1967)

A Fine Madness” (tradução portuguesa “Malandro Encantador”) é um filme, comédia, americano de 1966 tecnicolorido, baseado numa novela de 1964  de Elliott Baker e dirigido por Irvin Kershner. (boa direcção mas fraco argumento).  Além de Sean Connery participam os actores, Joanne Woodward, Jean Seberg, Patrick O’Neal, e Clive Revill. De interesse o tema musical “ Under my thumb” do grupo “The Who”

Trailers

O folheto apresenta, a começar em 3 de Novembro de 1966, o filme “Upper-Seven, the man to Kill”, em alguns países foi apresentado como “The Spy with Ten Faces” (UK) ou “The Man of a Thousand Masks”(USA). Originalmente o filme de produção Italiana/alemã, é de 1966 com o título “Upperseven, l’uomo da uccidere”, escrito e dirigido por Alberto De Martino. O tema musical é cantado por Paola Orlandi e é dirigido pelo autor, o excelente compositor Bruno Nicolai. O filme pertence aos filmes de baixo orçamento, da fábrica italiana, aproveitando o êxito dos filmes (tipo James Bond) de “agentes secretos e espiões” muito populares na década de 60/70.  Actores: Paul Hubschmid, como Paul Finney, o “super-sete”, Karin Dor, Rosalba Neri, e Vivi Bach.

Trailers:

1) Sir Thomas Sean Connery (25-08-1930 – 31-10-2020) actor (desde o primeiro filme creditado em 1957: “Time in Locke” até o último, em 2003: “The League of Extraordinary Gentlemen”) e produtor escocês. O primeiro actor a dar vida ao célebre agente secreto 007, James Bond em sete filmes. Outros filmes mais conhecidos: “Marnie” (1964), “Murder on the Orient Express” (1974), “The Man Who Would Be King” (1975), “A Bridge Too Far” (1977), “Highlander” (1986), “The Name of the Rose” (1986), “The Untouchables” (1988), “Indiana Jones and the Last Crusade” (1989), “The Hunt for Red October “(1990), “Dragonheart” (1996), “The Rock” (1996) e “Finding Forrester” (2000).

 “The Jungle Book” ( Livro da Selva) é um filme de animação norte-americano de 1967, (1) (relançado em 1978, 1984 e 1990) uma aventura fantástico-musical, dirigido por Wolfgang Reitherman para a «Walt Disney Productions», com argumento baseado no romance homônimo de Rudyard Kipling. Foi a última longa metragem, animado, produzido por Walt Disney, que morreu durante a produção. A música instrumental foi escrita por George Bruns e orquestrada por Walter Sheets. https://en.wikipedia.org/wiki/The_Jungle_Book_(1967_film)

VERSO DO FOLHETO- ARGUMENTO EM CHINÊS

Trailer em: https://www.youtube.com/watch?v=kxJlYHxm9CM&list=PLD1kTXLQcJjZmmG5zwFNLNZ3Sc_oItBmA&index=101

(1) «The Jungle Book» tem uma continuação «The Jungle Book 2» (2003) e posteriormente duas refilmagens com actores reais e computações gráficas para os animais e cenários, em 1994 e 2016. https://pt.wikipedia.org/wiki/The_Jungle_Book_2

A começar em 30 de Dezembro de 1967, no Teatro Nam Van, o espectáculo para maiores de 17 anos, o filme “The Beautiful Angelica. O folheto (em letras vermelhas) não apresenta o título em português mas mantém a descrição do argumento em português e no verso, o argumento em chinês que não é a tradução do português.
Os folhetos do Teatro Nam Van a partir de Dezembro de 1966, passaram a ter no verso o argumento em chinês, e a partir de Dezembro de 1967, já não traziam o título do filme em português.
A  série cinematográfica “ANGÉLIQUE” é constituída por 5 filmes (aventuras, intrigas e paixão) baseada nas novelas francesas de Anne and Serge Golon de 1957 (13 livros publicados) sobre as aventuras da heroína Angélique no tempo do rei Luís XIV,) na corte francesa (Palácio de Versailles), sempre com os actores principais, a bela Michele Mercier (como Angélique Sancé de Monteloup) e Robert Hossein (como marido, Jeoffrey de Peyrac). Os cinco filmes são:
Angélique, Marquise des Anges (1964)
Marvelous Angelique (1965)
Angelique and the King (1966)
Untamable Angelique (1967)
Angelique and the Sultan (1968)
Embora o folheto não tenha indicação de que filme se trata, pelo argumento, creio tratar-se do 2.º filme “Marvelous Angélique”, de 1965, (adaptado do 2.º livro traduzido para inglês “Angélique: The Road to Versailles “ de 1958), dirigido por  Bernard Borderie, interpretado por Michèle Mercier, Robert Hossein e Giuliano Gemma. Produção conjunta, francesa, italiana e Alemanha Ocidental e filmado nos estúdios de Roma
https://en.wikipedia.org/wiki/Marvelous_Angelique

A Shot in the Dark”, filme britânico/americano de 1964, comédia em “Color by de Luxe” e filmado em Panavision, dirigido, produzido e com argumento (baseado numa peça teatral) de Blake Edwards, 2º filme da série “ The Pink Panther” – A Pantera cor de rosa” (1) com o actor Peter Sellers no papel do “famoso e desastrado” inspector francês Jacques Clouseau. Com os actores Elke Sommer e George Sanders.
Neste filme aparecem pela primeira vez duas personagens que irão também, marcar os outros filmes da série: Herbert Lom no papel do comissário Dreyfus e Burt Kwouk no papel de Cato, o criado do inspector.
(1) O 1.º filme desta série foi “The Pink Panther”, de 1963. Foram 12 filmes com esta personagem. O filme “A Shot in the Dark” é considerado pela crítica, o melhor de todos eles.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=v8K1e2hxqs4
https://www.dailymotion.com/video/x1vtzyt

A começar em 19 de Março de 1965, no Teatro Nam Van com as sessões habituais, o filme “It´s a Mad, Mad, Mad World” (espectáculo para maiores de 6 anos)
Filme norte-americano de 1963, produzido e dirigido por Stanley Kramer. Apresenta um grande elenco de estrelas de Hollywood, populares nessa época, nomeadamente na área da comédia: além do núcleo principal, protagonizado por: Spencer Tracy, Milton Berle, Sid Caesar, Buddy Hackett,  Ethel Merman, Mickey Rooney, Dick Shawn, Phil Silvers, Terry-Thomas e Jonathan Winters,  tem aparições ao longo do filme, cerca 50 artistas uns  mais conhecidos que outros. Entre eles: Buster Keaton, Jerry Lewis, Peter falk, Jimmy Durante e os três Pacóvios (The Three Stooges)
It’s a Mad, Mad, Mad, Mad World” comédia (boa comédia) em que oito motoristas em férias testemunham um acidente de carro numa rodovia e que, ao socorrer o acidentado acabam sabendo de um tesouro (US$ 350.000 em dinheiro) escondido, num local próximo do lado oeste da fronteira entre os Estados Unidos e México, levando o grupo numa corrida desenfreada e caótica até ao local.

Cena onde os personagens param num local na estrada para discutirem sobre o dinheiro.Da esquerda para a direita: Edie Adams, Sid Caesar,Jonathan Winters, Ethel Merman, MIlton Berle, Mickey Rooney e Buddy Hackett

O filme foi sucesso comercial e com boa aceitação da crítica, em 1963, chegando a ser indicado em seis categorias do Óscar, vencendo a estatueta de Melhor Edição de Som.

Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=00LN9EI6XSk
https://www.youtube.com/watch?v=Hln19l9RtWg
https://www.youtube.com/watch?v=Sla845GW9YM
https://www.youtube.com/watch?v=j-7pVks8avo
BREVEMENTE: Dark Purpose  (título original “L´ Intrigo“ –  em Portugal  “A Intriga”), filme de 1964 dirigido por  George Marshall (em conjunto com Vittorio Sala),  filmado nos estúdios em Itália; estreou primeiro em Nova Iorque em 1964  (distribuído pela Universal Pictures)e depois em  Itália (Roma), com os actores Shirley Jones, Rossano Brazzi e George Sanders.
Música do filme em:
https://www.youtube.com/watch?v=FR9ErRpOHjw

Filme de 1961 com duas versões (italiana: “La Spada dell Islam” (também conhecida como “Love and Faith”) dirigida por Enrico Bomba e árabe/egípcia “Wa Islamah” dirigido por Andrew Marton). Filmado no Cairo (Egipto).
A versão projectada em Macau foi a italiana com argumento, produção e direcção de Enrico Bomba. Dos actores, de maioria egípcia, a mais conhecida é a actriz italiana Silvana Pampanini (1)  (no papel derainha Shagret El Dor).
Informações retiradas de
https://www.imdb.com/title/tt0370051/mediaviewer/rm1242555648
(1) Silvana Pampanini (1926-2016), artista italiana, popular na década de 50 (século XX) em mais de 50 filmes na maioria italiana.

The Good, the Bad and the Ugly (em italiano: Il buono, il brutto, il cattivo; em Portugal: O Bom, o Mau e o Vilão), de 1966, é um filme épico de «spaghetti western» (hoje considerado um clássico neste género) dirigido por Sergio Leone com os actores Clint Eastwood, Lee Van Cleef e Eli Wallach (1)
Ennio Morricone (2) compôs a trilha sonora, incluindo o seu tema principal. O filme foi co-produzido entre companhias da Itália, da Espanha, da Alemanha Ocidental e dos Estados Unidos.
The Good, the Bad and the Ugly é o último da chamada Trilogia dos Dólares, dirigido por Sergio Leone que inclui «A Fistful of Dollars » (Por um Punhado de Dólares) (1964) e «For a Few Dollars More» (Por Mais Alguns Dólares)(1965).
Filme de baixo orçamento $1.2 milhões dólares; rendeu 25,1 milhões (só nos E.U.A) até 2014. Há uma nova cópia, restaurada em 2015.

Verso do folheto: argumento do filme em chinês

(1) https://pt.wikipedia.org/wiki/The_Good,_the_Bad_and_the_Ugly
(2) A trilha sonora foi composta pelo colaborador frequente de Sergio Leone, Ennio Morricone, cujas composições originais características, contendo disparos de armas, assovios (por John O’Neill) e iodelei permeiam o filme. O tema principal, que se assemelha ao uivo de um coiote (que se mistura ao uivo de um coiote real na primeira cena após os créditos de abertura), é uma melodia de duas notas que é um motivo frequente, e é usada para os três personagens principais. (1)
https://www.youtube.com/watch?v=KkM71JPHfjk
Música pela orquestra sinfónica nacional dinamarquesa em:
https://www.youtube.com/watch?v=h1PfrmCGFnk
Trailers do filme em:
https://www.youtube.com/watch?v=h1PfrmCGFnk
https://www.imdb.com/title/tt0060196/videoplayer/vi2789278233?ref_=tt_ov_vi