Archives for posts with tag: Taipa pequena

Outro postal da colecção de oito postais (seis da Ilha da Taipa e dois da Ilha de Coloane), da década de 90 (século XX), com edição da Câmara Municipal das Ilhas. Indicações em português, chinês e inglês. Fotografia de Fong Kam Kuan (1)

“Altar e estátua de Buda no Templo de Pou Tai Un, Taipa
氹仔菩提園大佛像 (2)
Altar and statue of Buda in Pou Tai Un – Taipa

Esta estátua dedicada ao Buda Saquiamuni é de bronze com a altura de 5,4 metros e um peso de 6.5 toneladas. Fica no último andar do edifício principal do Mosteiro/Templo Pou Tai Un(3) chamado de Palácio Budista (Tai Hong Pou Tin)
1)  https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/10/08/postal-da-ilha-da-taipa-da-decada-de-90-seculo-xx-i/
(2) 氹仔菩提園大佛像  – mandarim pīnyīn: dàng zǎi pú dī yuán dà fó xiàng; cantonense jyutping: tam5 zai2 pou4 tai4 jyun4 daai6 fat6 zoeng6.
(3) O Mosteiro Pou Tai situa-se entre a antiga Estrada Lou Lim Ieok (hoje, Avenida Lou Lim Ieoc 5 – 5B) e a Rua do Minho. Fica junto ao antigo sopé oriental do morro da Taipa Pequena, e tinha uma vista panorâmica sobre a zona central da vila. Era o maior e mais rico de todos os templos das Ilhas e um dos principais santuários budistas de Macau.
Nele encontra-se vários santuários dedicados às divindades budistas e da religião popular chinesa, aposentos dos bonzos, pavilhões onde se colocam as cinzas dos defuntos, salas para tabuletas dos espíritos, um jardim e um restaurante (não sei se ainda se mantém em funcionamento).

Foto de “Roteiro das Ilhas – Ilha da Taipa”, 1996 (3)

O templo chamava-se originalmente mansão (ou jardim) Pou Tai e foi construído pela família Lo em 1927.Um dos seus membros chamava-se Lo Pou San, e era então um dos pintores mais famosos da província de Guangdong, da Escola de Pintura de Lignan, morando na mansão com a sua mãe. O espaço total da mansão foi registado oficialmente em 1933 com uma área tão espaçosa que incluía ainda uma parte da terra onde ficava a Fábrica de Panchões “Him Son” e a terra onde ficava o edifício contíguo da “Wa Seng”. Depois da morte de Lo Pou San, seu filho Lo Vai Chong mudou de residência para Hong Kong e vendeu os terrenos da mansão Pou Tai, que foram comprados por cinco entidades. No dia 16 de Julho de 1964, uma destas entidades, Mestre-Monge Sik Chi Un, comprou a parte principal da mansão, que incluía um pequeno templo que se chamava Palácio Lok Chou, e a maior parte do jardim com a área de 3330 m₂.

Foto de “Roteiro das Ilhas – Ilhada Taipa”, 1996 (3)

O mestre Sik Chi Un introduziu o ramo do budismo Cheng Tou (Terra Limpa/Pura) em Macau. Nasceu na província de Zhejiang na China. Tornou-se monge no templo Chiu Heng na cidade de Hangzhou em 1928, e começou a difundir a doutrina budista, pregando no distrito de Zhongshan na província de Guangdong durante alguns anos. No período da guerra entre o Japão e a China, mudou-se para Macau e estabeleceu o ramo Budista Chi Sam. No mosteiro Pou Tai encontram-se actualmente deuses do Budismo e do taoísmo.
Extraído de: Roteiro das Ilhas – Ilha da Taipa. Câmara Municipal das Ilhas, 1996

“20-08-1851 – O Governador António Gonçalves Cardoso fez ocupar a «Taipa Quebrada», (1) uma zona da Ilha que ficava afastada da actual vila, mas também a pedido dos moradores e suas embarcações, carecidos de defesa contra os piratas e outras espécies de lanchaes (ladrões). Entretanto Coloane servia-lhes de excelente esconderijo. Em contrapartida da protecção à Taipa, foi elaborado um pequeno mas eficaz articulado legislativo” (2)

MAPA - Esboço de Adolpho Loureiro - 1882Representação esquemática do projecto Adolpho Loureiro (1882)

(1) A Taipa, que em chinês é conhecida por  Tâm Tchai (3) ou Pequeno Lago.  após assegurada a sua posse em 1845 e ocupada por ordem do governador Ferreira do Amaral  (hasteada a bandeira portuguesa pela primeira vez em 9 de Setembro de 1847), (4) estava, ainda no início do século XX, dividida em duas ilhas – a Taipa Grande ou Taipa Quebrada e a Taipa Pequena – separadas por uma estreita língua de mar. Foram, mais tarde, unificadas por assoreamentos naturais e, posteriormente, por aterros. Foi junto a uma das suas colinas – na Taipa Pequena – que se constituiu a povoação da Taipa, com um ancoradouro. Aqui, desde o século XVII, “os barcos estrangeiros que se dirigiam a Cantão, subindo o rio das Pérolas e que deviam tomar a bordo, em Macau, piloto e intérprete, apenas eram autorizados a seguir viagem depois de fundearem na Taipa, local portanto bem conhecido dos marinheiros, a ponto de algumas cartas marítimas se referirem a Macau como “porto da Taipa”.
COSTA, Maria de Lourdes Rodrigues – História da Arquitectura em Macau. Instituto Cultural de Macau, 1997.
(2) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Vol. 3, 1995.
(3) mandarim pīnyīn: dàng zǎi; cantonense jyutping: tam5 zai2

Esboço das Ilhas da Taipa 1912Esboço das Ilhas da Taipa (1912)

(4) “1847 – O Governador João Maria Ferreira do Amaral, na sequência de conversações diplomáticas encetadas com a China pelo seu antecessor resolve ocupar a Ilha da Taipa. De resto são mesmo os comerciantes que ali habitam que pedem protecção portuguesa contra os frequentes ataques de piratas que não só atacam do mar como se açoitam em grutas do litoral, de onde organizam investidas e roubos à população. O tenente Pedro José da Silva Loureiro constrói, no actual espaço da esquadra das Forças de Segurança, uma fortaleza, tendo em vista maior eficiência da defesa. Ali se ergue pela primeira vez a bandeira portuguesa, em Setembro deste ano. Pedro Loureiro (1792-1855) natural de S. Miguel (Açores), Oficial da Marinha de Goa foi também proprietário do brigue Genoneva e Capitão do Porto de Macau” (2)
Anterior referência à Taipa Quebrada:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ilha-da-taipa/page/2/

TAIPA Mapa Turístico 1991 CAPATAIPA 氹仔, MAPA TURÍSTICO 旅遊地圖, (1)

 A frente do folheto de 19 cm por 11 cm, editado pela Câmara Municipal das Ilhas, sem indicação da data (provavelmente 1991).

TAIPA Mapa Turístico 1991 VERSOO verso do folheto, com um mapa “miniatura” da ilha.

No interior, desdobrável, um mapa da Ilha da Taipa (45 cm x 35,5 cm).

TAIPA Mapa Turístico 1991 Planta da Ilha

Estão sinalizados (em português e chinês) além dos Templos e Mosteiros, do Largo do Carmo com a Igreja de Nossa Sr.ª do Carmo, do Jardim do Cais na Fortaleza da Taipa, do Jardim do Monumento, da sede da Câmara Municipal das Ilhas e da Biblioteca, as construções mais modernas como os solares da Avenida da Praia (vivendas construídas em 1921), o istmo Taipa-Coloane (construído em 1968), a ponte Governador Nobre de Carvalho (construção de 1970 a 74), o conjunto escultórico e miradouro da Montanha da Taipa Pequena (concluído em 1985). a Universidade de Macau (com esta denominação, em 1991, substituindo a Universidade da Àsia Oriental) e o hipódromo (reorganizado pela S.T.D.M em 1991),

Não sinalizados, mas já aparecem no mapa, os aterros de Pac On, à frente do cemitério chinês da Taipa, com a indicação do lugar da futura Central de Incineração dos Resíduos Sólidos de Macau (inaugurado em 1992) e os aterros para a construção do Aeroporto Internacional de Macau (inaugurado em 1995), junto à ponta Cabrita.

TAIPA Mapa Turístico 1991 Resenha históricaPor detrás do mapa, uma pequena resenha histórica da ilha de que retiro:
Oficialmente estabelecidos na península de Macau desde 1557, os portugueses a pedido das populações locais, no sentido de as protegerem de ataques de malfeitores que constantemente ameaçavam as suas embarcações, vidas e negócios, ocuparam em 1847, no tempo do Governador Ferreira do Amaral, a Taipa Pequena construindo-se nesse mesmo ano, uma fortaleza na parte ocidental da ilha.
Em 1851, o Governador António Gonçalves Cardoso mandou, pelas mesmas razões ocupar a outra parte da ilha, a Taipa Grande, que se encontrava então separada daquela. Recorde-se que até aos primeiros anos deste século a Taipa era formada por duas ilhas, a Taipa Grande e a Taipa Pequena

(1) 旅遊地圖 – mandarim pinyin: lu yóu di  tú ; cantonense jyutping: leoi5 jau4 dei6 tou4.

Pequeno livro (15 cm x 18,5 cm) de divulgação turística, de 1996, editado pela Câmara Municipal das Ilhas, em português e chinês, sem numeração das páginas. (1)

Roteiro das Ilhas -Ilda da Taipa CAPACAPA com a foto do conjunto escultório e miradouro na Montanha da Taipa Pequena, projectado pela escultura portuguesa Dorita Castel-Branco, concluído em 1985 e inaugurado em 23 de Dezembro de 1985 pelo Governador Vasco Leote de Almeida e Costa.

Roteiro das Ilhas -Ilda da Taipa CONTRACAPAA Contra-capa com o Brasão da Câmara Municipal das Ilhas (2)

Roteiro das Ilhas -Ilda da Taipa ÍNDICENa página 2, apresenta o Índice dos locais abordados da Ilha da Taipa, com interesse turístico, com um pequeno resumo sobre a história e descrição do local, acompanhado de fotografias.

Roteiro das Ilhas -Ilda da Taipa Mapa do TerritórioEntre as primeiras páginas, um desdobrável apresenta o  mapa do Mar da China, com incidência no Território de Macau e Regiões Adjacentes, numa escala de 1:250.000.

Roteiro das Ilhas -Ilda da Taipa Mapa da TaipaNo verso do desdobrável, outro mapa, o da Ilha da Taipa, do ano de 1996, (escala de 1:15 000) com as duas ligações a Macau (ponte do Governador Nobre de Carvalho e ponte da Amizade), o aeroporto, a Estrada do Istmo e os terrenos da futura COTAI.

(1) Roteiro das Ilhas, Ilha da Taipa. Edição da Câmara Municipal das Ilhas, 1996, 107 p. + 1 desdobrável, ISBN 972-8279-10-8.
(2) Pela Portaria n.º 468/74, de 10 de Julho, foi atribuído ao Concelho das Ilhas o privilégio de usar escudo de armas e bandeira próprios.