Archives for posts with tag: Serviços de Saúde

Dois porta-chaves iguais, dos Serviços de Saúde Macau, década de 90 (século XX), lembrança da campanha do tabagismo.

Dimensões: 5, 5 cm x 4 cmArgola: 2 cm de diâmetro

Não fume  不伋煙 大家好 para o nosso bem-estar

不伋煙 大家好 mandarim pīnyīn: bù jí yān dà jiā hǎo; cantonense jyutping: bat1 kap1 jin1 daai6 gaa1 hou2

Esta notícia do falecimento em Macau a 17 de Junho de 1856 do médico José Severo da Silva Telles, filho de António Gomes Teles e de Teresa de Jesus da Silva (nascido em Lisboa), devido a lesão orgânica do coração, foi anteriormente postado neste blogue – VER em (1)

Entretando encontrei a notícia deste mesmo acontecimento publicado no «BGPMTS», de 1856 na coluna “NECROLOGIA” (assinado por J.J.B.) onde traz uma nota biográfica do falecido com outras informações.

Veio para Macau em 1815 e aqui casou a 25 de Janeiro de 1817 com Ana Joaquina do Rego. Teve de Ana Joaquina, 7 filhos.

Obteve a carta de cirurgião a 2-08-1814; admitido como cirurgião do Partido em 15-02-1817 (com o ordenado de 400 taéis anuais); em 1817 nomeado Cirurgião mor do Batalhão Príncipe Regente; em 1824 alferes do Batalhão do Príncipe Regente; em 1825, tenente graduado; em 1830 capitão graduado; em 1846, nomeado Director do Hospital Militar e desde essa época até 1853, serviu interinamente de Cirurgião-mor da Província.

Também serviu como primeiro cirurgião dos Hospitais de S. Rafael e de S. Lázaro. Em 1849 foi encarregado da chefia dos Serviços da Saúde. De 1827 a 1835 foi vereador do Leal Senado. Reformou-se em Janeiro de 1855. Armado Cavaleiro da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa (3 de Fevereiro de 1848) (2)

Extraído de «BGPMTS», II-43 de 16 de Agosto de 1856, p. 172

NOTA: O 2.º filho, Joaquim Cândido da Silva Teles, nascido a 27-08-1819, também foi médico-cirurgião em Macau. Em 1842 nomeado ajudante do Batalhão do Príncipe Regente e em 1857, nomeado cirurgião ajudante graduado do mesmo Batalhão. Em 1863, foi cirurgião-mor deste Batalhão e em 1878 cirurgião-mor do Corpo da Polícia, e na ausência do Dr. Lúcio da Silva (em Sião) foi nomeado chefe interino dos Serviços de Saúde. Reformado em 1877 com a graduação de major. (2)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/06/17/noticia-de-17-de-junho-de-1856-jose-severo-da-silva-teles/

(2) Dados biográficos retirados de TEIXEIRA, Pe. Manuel – A Medicina em Macau, Volumes III-IV,1998, pp.98 a 105

O pessoal dos Serviços de Saúde, ofereceu, no dia 31 de Maio de 1952, um jantar de despedida, no Hotel Boa Vista, ao Dr. Fernando Tomás Gonçalves, médico dos referidos serviços.

O Dr. Aires Pinto Ribeiro, Chefe dos Serviços de Saúde, no uso da palavra
O Dr. Aires dos Santos Brígido enaltecendo as qualidades do homenageado Fotos extraídos de «Mosaico», IV-21-22 de Maio e Junho, 1952

Dr. Fernando Tomás Gonçalves (1915 – ?) foi nomeado médico de 2.ª classe do quadro médico comum e colocado em Mcau por portaria ministerial de 24 de Novembro de 1947. Apresentou-se na Repartição Central dos Serviços de Saúde de Macau em 26 de Junho de 1948, onde tomou posse na mesma data. Por portaria de 7 de Julho de 1948 foi nomeado adjunto do Delegado de Saúde de Macau e Ilhas e por portaria de 22 de Junho de 1949 foi nomeado Delegado de Saúde, tendo sido exonerado deste cargo a 3 de Março de 1950, por se ter apresentado o médico de 1.ª classe Dr. João Albino Cabral. Nessa data, passou a ser adjunto do Delegado de Saúde, cargo que exerceu até acabar a comissão, embora com alguns períodos noutras funções como médico analista dos Serviços de Saúde (1951-1952) aquando da ausência do titular, o Dr. Reinaldo da Silva Sousa Vieira. Foi louvado por ter exercido pela competência, dedicação e probidade as funções de director substituto do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Central Conde de S. Januário em 2 de Janeiro de 1952

Representou Macau (juntamente com os Drs. Aires Pinto Ribeiro e José Marcos Batalha) no Primeiro Congresso Nacional de Medicina Tropical, realizado em Lisboa, de 24 a 29 de Abril de 1952.

Embarcou em 5 de Junho de 1952 com destino a Moçambique, para onde foi transferido. (referências biográficas recolhidas de TEIXEIRA, Pe. Manuel – A Medicina em Macau, Volumes III-IV, 1998, pp. 380-381).

D. Lígia Pinto Ribeiro cantando no Teatro D. Pedro V

Realizou-se na noite de 14 de Abril de 1952, um concerto, no Teatro D. Pedro V, em benefício do Colégio D. Bosco de Artes e Ofícios, promovido pela senhora Lígia Pinto Ribeiro, (1) esposa do Dr. Aires Pinto Ribeiro, ilustre Chefe de Serviços de Saúde. (2) Acompanhou-a ao piano, o professor Harry Ore. (3)

O professor Harry Ore, na execução de um dos números do seu programa

A Sra. D. Lígia Pinto Ribeiro recebendo cestos e ramalhetes de flores das mãos dos alunos do Colégio D. Bosco

Os lugares de honra, no Teatro D. Pedro V, ocupados pelas altas individualidades da província

Fotos extraídos de «MOSAICO», IV-21/22 de Maio e Junho de 1952

(1) Lígia Edmunda de Morais Correia de Sá Pinto Ribeiro – ver anteriores referências em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ligia-pinto-ribeiro/

(2) Dr. Aires Pinto Ribeiro (1899) – Formado em Medicina pela Universidade do Porto, praticou nos hospitais do Porto, nomeado em 1925 médico do Quadro de Saúde Moçambique, onde esteve em diversas funções médicas até 1948, quando foi transferido para Macau para exercer o lugar de Chefe da Repartição Central dos Serviços de Saúde (4 de Maio de 1948). Em 1950 nomeado vice-presidente do Conselho do Governo e em 1951, tomou posse do cargo de Encarregado do Governo (18 de Abril até 23 de Novembro de 1951, data da chegada do Governador Almirante Joaquim Marques Esparteiro (1951-1957). Em 15 de Abril de 1955, nomeado Inspector Superior da Saúde do Ultramar pelo que deixou a chefia da Repartição Provincial dos Serviços de Saúde e Higiene de Macau, em 31 de Julho, seguindo para Portugal a 1 de Agosto. Ver anteriores referências em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/aires-pinto-ribeiro/

(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/harry-ore/

Neste momento em que se fala tanto de vacinas, encontrei este pequeno opúsculo de Maio de 1989 sobre as alterações às normas de vacinação até então regulamentadas: “PLANO TERRITORIAL DE NORMAS DE VACINAÇÂO – DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÙDE” (1)

As novas «Normas de Vacinação» entraram em vigor a 1 de Junho de 1989.

(1) PLANO TERRITORIAL DE NORMAS DE VACINAÇÂO – DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE, edição em português e chinês, 1989, 30 páginas, 20 cm x 14 cm

CAPA + CONTRACAPA

Organizado pela 1.ª vez, por iniciativa da Direcção dos Internatos Médicos (DIM)  dos Serviços de Saúde de Macau, as “1.ªs Jornadas do Médico Interno” decorreram no Auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde, de 23 a 25 de Novembro de 1995.

 O tema escolhido por esta Direcção tendo como participantes prioritários os médicos dos internatos complementares das diferentes especialidades (carreira médica de clínica geral; carreira médica hospitalar e carreira médica de saúde pública) e do internato geral, (1) foi “Urgências Médico Cirúrgicas

PROGRAMA DIA 23
PROGRAMA DIA 24
PROGRAMA DIA 25

(1) Decreto-Lei n.º 52/85/M, de 25 de Julho (criação do internato geral); depois aperfeiçoado pelo Decreto-Lei n.º 17/88/M de 7 de Março (criação da Direcção dos Internatos Médicos – DIM); este diploma foi revogado sucessivamente pelo Decreto-Lei n.º 65/88/M; Decreto-Lei n.º 68/92/M, de 21 de Setembro e parcialmente pelo Decreto-Lei n.º 8/99/M; e depois pela: Lei n.º 10/2010. Actualmente, após criação da “Academia Médica”, em 2018, esta instituição veio substituir a Direcção dos Internatos Médicos, ficando responsável pela formação profissional médica e pela organização, coordenação e supervisão dos internatos médicos. https://bo.io.gov.mo/bo/i/92/38/declei68.asp.

Foram inauguradas em Outubro de 1992, as novas instalações em edifício para isso construído junto ao Complexo Hospitalar, a Escola Técnica dos Serviços de Saúde com uma capacidade para 200 alunos, possuindo ainda biblioteca, vídeoteca, laboratórios e dois auditórios com um capacidade para 270 pessoas, dotados dos mais modernos meios audiovisuais.

Criada em 1964, a Escola Técnica tinha como objectivos a formação profissional básica de enfermeiros e de técnicos de diagnóstico e terapêutica, a formação pós-básica naquelas áreas e o aperfeiçoamento profissional dos mesmos técnicos através de acções de formação contínua e actualização.

Formando técnicos de saúde essencialmente destinados a satisfazer as necessidades dos serviços oficiais, a sua actividade articulava-se intimamente com o desenvolvimento daqueles. Assim, dado a grande expansão operada quer aos cuidados primários, quer nos cuidados hospitalares, a Escola viu grandemente aumentadas as necessidades de formação, particularmente em especializações em enfermagem

Além dos cursos de enfermagem geral e de técnicos de diagnóstico e terapêutica, a Escola ministrava cursos de especialização de enfermagem: saúde materna e obstétrica, saúde comunitária, Saúde infantil e pediátrica, médico-cirúrgica e reabilitação.

Estava já criado nesse ano o Curso de Administração de Serviços de Enfermagem e em 1994 iniciava-se o curso de Pedagogia Aplicada ao Ensino de Enfermagem

Informações das páginas 56-57 de «Serviços de Saúde de Macau», edição de Planeamento e Gestão de Recursos Humanos dos Serviços de Saúde de Macau, 1993, 57 p.

Saco de pano, de cor azul, (36 cm x 29 cm) dos Serviços de Saúde de Macau, da década de 90 (século XX) com o lema, em letras brancas (design num só lado)

CIDADES SAUDÁVEIS 健康的城市 (1)

Serviços de Saúde de Macau 澳 門 衛 生 司

 (1) 健康的城市 – mandarim pīnyīn: jiàn kāng de chéng shì; cantonense jyutping: gin6 hong1 di1 seng4 si5

Anteriores referências ao programa “cidades saudáveis”, ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/02/14/capa-macau-cidade-saudavel-ii/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/12/12/lembranca-gravata-macau-cidade-saudavel/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/07/25/porta-chaves-cidade-saudavel-vida-melhor/

Conclusão do relatório da descrição do temporal e dos estragos – ver anteriores extractos em (1) e (2) – do violento tufão de 27 de Julho de 1862 , que retirei do «Boletim do Governo de Macau».

“27-07-1862 – Perderam-se 40.000 vidas em Cantão, Hong Kong, e Macau, devido a um horrível tufão”(GOMES, Luís G. –  Efemérides da História de Macau, 1954)

Boletim do Governo de Macau, VIII-35 de 2 de Agosto de 1862, pp. 140-141

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/07/27/noticia-27-de-julho-de-1862-tufao/

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/07/27/noticia-de-27-de-julho-de-1862-violento-temporal-ii/

Saco de pano. 36.5 cm x 30 cm, de cor verde com alças para ser usado à tiracolo. Lembrança dos Cuidados de Saúde Primários dos SSM – Serviços de Saúde de Macau, da década de 90 (século XX). Design  num só lado do saco, em letras brancas , com o lema:

COM SAÚDE, ALEGRIA DE VIVER! 活得健康 ,  活出姿彩 !(1)

S. S. M. Serviços de Saúde de Macau 澳 門 衛 生 司

No canto inferior direito, o logotipo dos Cuidados de Saúde Primários

(1) 活得健康活出姿彩 ! – mandarim pīnyīn: guō dé jiàn kāng , guō chū zī cǎi !; cantonense jyutping: wut6 dak1 gin6 hong1 ; wut6 ceot1 zi1 coi2 !