Archives for posts with tag: Rotunda Ferreira do Amaral

Retirado do BGU, Abril de 1962.

A estátua equestre do governador Ferreira do Amaral foi retirada a 28 de Outubro de 1992, da Rotunda com o mesmo nome. O apeamento da estátua do pedestal, que foi demolido irá dar lugar à remodelação da Rotunda Ferreira do Amaral que inclui a construção de um parque automóvel subterrâneo. A estátua foi levada para o cais de contentores do porto de águas profundas de Ka Hó, em Coloane, a aguardar embarque para Portugal. (1)
revista-macau-n-o-8-dez-92-estatua-ferreira-do-amaralA estátua erigido na esplanada dos aterros da Praia Grande, à entrada da baía do mesmo nome, por subscrição pública e auxílio do Governo da Colónia, foi inaugurada em 24 de Junho de 1940, por ocasião das Festas Comemorativas do Duplo Centenário (Oferta do Leal Senado) A estátua é da autoria do escultor Maximiliano Alves.

un-de-macau-no-ano-xiv-da-revolucao-estatua-ferreira-do-amaralO monumento no dia da sua inauguração, em 1940

Além do monumento foi dado o nome do governador Ferreira do Amaral a uma via pública de Macau (rua), à Rotunda onde estava a estátua e ao istmo da ligação da península ao continente. Também o arco das Portas do Cerco, inaugurado a 31 de Outubro de 1871, foi dedicado à memória do Governador João Maria Ferreira do Amaral.
Apresento cinco diapositivos meus (“SLIDES” depois digitalizados) tiradas no Ano Novo Chinês, de 1992.
slide-estatua-ferreira-do-amaral-1992Por detrás, o edifício sede da sucursal de Macau do banco da China inaugurado em 1991, na altura um dos mais altos edifícios em Macau.
slide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-iislide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-iiislide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-ivslide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-v(1) Revista «MacaU», II série N.º 8, Dezembro 92, pp. 199.
(2) Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/estatua-ferreira-do-amaral/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/joao-m-ferreira-do-amaral/

A data «28 de Maio» – 30.º Aniversário da Revolução Nacional,  foi assinalada em Macau com as seguintes comemorações:
1.º – Às 8.00 horas – Hastear da bandeira Nacional nos edifícios das Repartições Públicas, Quartéis e Fortalezas.
2.º – Às 9.00 horas – “Te-Deum” de acção de graças pela paz e benefícios concedidos pela providência à Nação Portuguesa, celebrado pelo Bispo da Diocese, D. Policarpo da Costa Vaz, na Sé Catedral.
3.º – Às 10.00 horas – Parada Militar com desfile das forças diante da tribuna colocada em frente do palácio do Governo da Praia Grande, no qual tomaram parte contingentes das forças do Exército, da Polícia de Segurança, da Polícia Marítima e Fiscal, do Corpo de Bombeiros Municipais, sendo a guarda de honra o Governador prestada pela Milícia da Mocidade Portuguesa.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (I)O Governador Almirante Marques Esparteiro passando revista à guarda de honra constituída por um grupo de castelos da Mocidade Portuguesa, com terno de clarins, banda e bandeira.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (II)Às 10.00 precisas, o Comandante das Forças em Parada, major Mário Barata da Cruz dirigindo-se à tribuna pediu licença ao Governador para começar o desfile. Este foi   constituído apenas por forças apeadas que incluíram unidades europeias e indígenas em formatura de três, com banda de corneteiros e bandeira da guarnição da Província, um pelotão da Polícia Marítima e Fiscal, uma Companhia da Polícia de Segurança Pública e um pelotão do Corpo de Bombeiros Municipais. Desfilou por último a guarda de honra e a banda da P.S.P. que, diante da tribuna, tocara durante o desfile.
4.º – Às 10.45 horas – Lançamento da primeira pedra do novo edifício destinado ao Liceu Nacional Infante D. Henrique.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (III)Lançamento da primeira pedra do novo Liceu de Macau

Na presença do Governador e principais autoridades civis, militares e eclesiástica foi colocada, cerca das 11.00 horas, a primeira pedra do novo edifício destinado ao Liceu Nacional Infante D. Henrique. assinalando o acto, discursou o Engenheiro José dos Santos Baptista, Chefe de Repartição Provincial dos Serviços de Obras Públicas.
O terreno para o novo Licei  ficava situado nos aterros da Praia Grande e compreendia os talhões limitados pela Rotunda Ferreira do Amaral, Avenida Dr. Oliveira Salazar (hoje Avenida Mário Soares) Avenida D. João IV e Avenida Infante D. Henrique . O talhão que confinava com a Rotunda Ferreira do Amaral foi destinado ao edifício (área coberta de 2 465.16 metros quadrados) e o outro , a campo de jogos dos alunos (uma superfície de 4 950.00 metros quadrados).
5.º – Às 11.45 horas – Inauguração de diversos melhoramentos públicos na Ilha da Taipa
6.º – Às 16.45 – Sessão solene promovida pela União Nacional no Salão Nobre do Leal Senado. Usou da palavra o Governador, o Dr. Henrique de Sena Fernandes e o Presidente da Comissão Provincial da União Nacional.
7.º – Às 18.15 – Final do Torneio Relâmpago Escolar no Campo Desportivo «28 de Maio», promovido pela Associação de Futebol de Macau com a colaboração da Mocidade Portuguesa.
8.º – Das 21- às 24.00 horas – Iluminação de gala nos edifícios públicos e quartéis que o puderam fazer.

“Fortemente impressionada com a notícia da trágica morte do Governador de Macau (1), a Rainha de Portugal, D. Maria II (1819; rainha de 1834 a 1853) deixou patente a sua sensibilidade ao acontecimento na própria correspondência particular que mantinha com a Rainha Vitória, de Inglaterra (1819; rainha de 1837 a 1901). Eis o comentário que emocionadamente escreveu na sua carta de 28 de Novembro de 1849, generalizando o opróbrio, desde o pecador ao justo:
«Que te dirai-je de l´horrible assassinât de notre pauvre gouverneur à macao en verité ces chinois cést un peuple de la plus mauvaise por vos autres Anglais vous les connaissez bien on ne peut jamais compter sur leur parole c´est une grande perte que la mort de ce pauvre Amaral car c´était un homme très courageux et avant tout Portugais …» (in Novos Documentos dos Arquivos de Windsor)  (pp. 76-77)” (2)

Rotunda Ferreira do Amaral -1951 FOTO Lei Iok TinRotunda com a Estátua do Governador Ferreira do Amaral
Fotografia de Lei Iok Tin de 1951

(1) Assassinato do Governador João Maria Ferreira do Amaral, próximo da Porta do Cerco, no dia 22 de Agosto de 1849. Ver referências anteriores em:https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/joao-m-ferreira-do-amaral/

(2) MACHADO, Herlander – Macau de ontem e de hoje. Lisboa, 1981, 173 p.

Feira Popular 1955 I

Na comemoração do “5 de Outubro”, em 1955, além das cerimónias oficiais descritas em anterior “post”, foi inaugurado a «FEIRA POPULAR». 

Feira Popular 1955 II“Nesse dia 5 de Outubro foi inaugurado, nos aterros da Praia Grande, na Rotunda Ferreira do Amaral, a «Feira Popular», que por iniciativa da Exma. Esposa do Governador, Sra. Dra. D. Laurinda Marques Esparteiro, e da Repartição Técnica e Obras Públicas, Portos e Transportes, organiza todos os anos, com o fim de angariar fundos para o Natal dos Pobres.

Feira Popular 1955 III

Muitas pessoas encheram, logo depois, do corte da fita simbólica, o recinto da feira dispersando-se pelas diversas barracas onde são muitos e variados os divertimentos e passatempos proporcionados ao público.

Feira Popular 1955 IVSua Exa. O Governador e Família percorreram também os diversos sectores da feira, tendo jantado no Restaurante Fat Siu Lau, que serve além de comida apetitosa, bons petiscos que têm atraído numerosa freguesia” (1)

Informações e fotografias de um artigo não assinado de MACAU, Boletim Informativo, n.º 53, 1955.
NOTA: Anualmente e durante a vigência do Governador Marques Esparteiro, realizavam-se também, no Clube Militar, um jantar dançante (com orquestra privativa do mesmo clube) com o mesmo fim: angariar fundos para o Natal dos Pobres.

Nesta data, depois de entregues pelas autoridades de Cantão, foram recebidas em Macau a cabeça e a mão do Governador João Maria Ferreira do Amaral, barbaramente trucidado pelos chineses, em 22 de Agosto de 1849 (1)

O Governador, Conselheiro Capitão de Mar-e-Guerra João Maria Ferreira do Amaral (até aí conhecido como «o herói de Itaparica») (2) que tinha chegado no dia 19 de Abril a Macau, tomou posse do Governo da Província de Macau, Timor e Solor no dia 21 de Abril de 1846.
Foi assassinado em 22-08-1849 por sete chineses que o acometeram repentinamente, e à traição, próximo das Portas o Cerco. Sucedeu-lhe, na administração da Colónia, o Conselho do Governo, composto pelo Bispo Jerónimo José da Mata, Juíz Joaquim António de Morais Carneiro, Ludgero Joaquim de Faria Neves, Miguel Pereira Simões, José Bernardo Goularte e Manuel Pereira. (1)
A transladação do corpo do Governador, do palácio do Governo para a capela de Nossa Senhora do Carmo da Igreja de S. Francisco onde foi sepultado, foi efectuada a 2 de Janeiro de 1851. (1)

Rotunda Ferreira do Amaral 1951 -Lei Iok Tin UNESCORotunda de Ferreira do Amaral (1951)

 Postal emitido pela Fundação Macau / Centro Unesco de Macau

Foto de Lei Iok Tin

 (1) GOMES, Luís Goonzaga – Efemérides da História de Macau. Notícias de Macau, 1954, 267 p.
(2) João Maria Ferreira do Amaral (1803-1849) distingiu-se pela sua bravura em combate, no dia 24 de Fevereiro de 1823, em Itaparica (Brasil) onde, na altura, ainda guarda- marinha, ferido no braço direito continuou a comandar os seus homens na carga, até ser recolhido ao hospital, onde lhe foi amputado o braço.

Sobre este Governador ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/joao-m-ferreira-do-amaral/
Sobre o fotógrafo Lei Iok Tin (Lee Yuk Tin) ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/lei-iok-tin/