Archives for posts with tag: Região Administrativa Especial de Macau – R.A.E.M.

Em comemoração do 5.º Aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, os “correios de Macau”, (1) lançaram no dia 20 de Dezembro de 2004, quatro selos de formato: 40.28 x 30 mm, (1.50 ptcs, 2.00 ptcs, 2.50 ptcs, 3.00 ptcs), um bloco filatélico de formato: 138 x 90 mm (contendo 1 selo – 49,28 x 30 mm – de 10.00 patacas) e um sobrescrito de 1.º dia (163mm x 229 mm). (2) Autor: Kuan Chon Kit

Bloco Filatélico n.º 0283917

(1) Despacho do Chefe do Executivo n.º 245/2004

(2) Álbum Selos de Macau: Carteira Anual 2004, p. 11.

Uma lembrança da passagem/transferência de Macau para Região Administrativa Especial de Macau (R.A.E.M) em 22 de Dezembro de 1999, pequeno relógio/despertador, de forma quadrada (exterior 6,8 cm x 6,8 cm x 2 cm).

Material metalizado, amarelado (brilho próprio de metal), tampa superior com fecho em mola na parte anterior.

Aberto, ecran/mostrador de 5,5 cm horizontal x 5 cm vertical. Na parte interna da “tampa” uma etiqueta colada: T2279G”

Brasão de armas da RAEM – com substituição do dístico superior 中華人民共和國  澳門特別行政區” por 澳門1999年回歸紀念 (1)

Na parte de trás, sem indicação de fabrico, quase certo “made in China” com o número de código N04GE937

(1) 澳門1999年回歸紀念 mandarim pīnyīn: ào mén 1999 nián huí guī jì niàn ; cantonense jyutping: ou3 mun4 1999 nin4 wui4 gwai1 gei2 nim6 – Macau 1999 recordação do retorno.

Pequena lembrança de barro, circular, de 9 m de diâmetro superior e de 10 cm na base, com uma embalagem exterior de cartolina (10,5 cm x 10,5 cm) como recordação do 20.º aniversário do estabelecimento da R.A.E.M.

Sem indicação do autor e editor. Emissão de 2019.

A 13 de Abril de 1987, na presença de Deng Xiaoping e Li Xiannian, reuniam-se no salão nobre do Palácio do Povo, em Pequim, os primeiros- ministros Aníbal Cavaco Silva e Zhao Ziyang para a assinatura da Declaração Conjunta Luso- Chinesa que ditaria os termos da transferência da soberania de Macau entre Portugal e a China. Os responsáveis pelos governos da República Portuguesa e da República Popular da China terminavam, deste modo, quase um ano de negociações entre Pequim e Lisboa.
Entre as 50 personalidades de Macau e Hong Kong convidadas pelo governo chinês para estarem presentes na cerimónia, apenas duas são macaenses_ Carlos d´Assumpção, presidente da Assembleia Legislativa e Henrique de Senna e Fernandes, advogado e escritor

Assinatura da Declaração Conjunta Luso-Chinesa, no salão nobre do Palácio do Povo, em Pequim.

Com início a 18 de Março de 1987 e terminando a 23, teve lugar em Pequim, a quarta e última reunião plenária luso-chinesa sobre Macau, sendo as delegações chefiadas por Zho Nan e Rui Medina e no dia 26 de Março é rubricado o texto da Declaração, em Pequim, pelo vice-ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhou Nan, e pelo chefe da delegação portuguesa às negociações, Rui Medina.
Na mesma data, a agência noticiosa Nova China, Xinhua She divulgava o texto do documento. Salientava os seguintes:
– Até 1999, Macau manterá o seu estatuto de Território chinês sob Administração Portuguesa.
– Em 20 de Dezembro de 1999, nascerá a Região Administrativa Especial de Macau, da República Popular da China. Será regida por uma Lei Básica que cobrirá todas as políticas e garantias fundamentais consagradas na Declaração Conjunta Luso-Chinesa, e que serão mantidas inalteráveis por um período de cinquenta anos.
De 11 a 17 de Abril, o primeiro-ministro português Cavaco Silva visita oficialmente a China, fazendo-se acompanhar pelo ministro dos Negócios estrangeiros, Pires de Miranda. No dia 12 teve um encontro com Zhao Ziyang. Em Pequim visita o Cemitério de Chala. De 15 a 17 Cavaco Silva e comitiva, acompanhados por Zheng Toubin, ministro chinês das Relações Económicas e Comerciais Externas, realizaram uma digressão pelas cidades de Xian, Shanghai, Fuzhou, Guangzhou e Zhuhai.
Após esta visita, o primeiro-ministro Cavaco Silva realizou uma visita oficial a Macau de 17 a 20 de Abril, a primeira de um chefe de Governo em exercício de funções.
Informações recolhidas de FERNANDES, Moisés Silva – Sinopse de Macau nas Relações Luso-Chinesas 1945-1995 Cronologia e Documentos, 2000. (pp. 429 e 430)

Dois postais (14,8 cm x 10 cm) emitidos em 13 de Abril de 1987 pelo Ministério dos Correios e Telecomunicações da  República Popular da China com o tema « Sino-Portuguese Joint Declaration on Macao Officially Signed  – 1987.4.13» 

POSTAL Sino-Portuguese Joint Declaration IPostal n.º JP. 10. (2-1) 1987
Selo de 4 分 (4 fen)
POSTAL Sino-Portuguese Joint Declaration IIPostal n.º JP. 10.(2-2) 1987
Selo de 90 分 (90 fen)

“13-04-1987 – Na presença de Deng Xiaoping e Li Xiannian, tem lugar no salão nobre do Palácio do Povo, em Pequim, a cerimónia formal e solene de assinatura, pelos primeiros-ministros Aníbal Cavaco Silva e Zhao Ziyang, da Delegação Conjunta Luso-Chinesa que define o processo e calendário de transferência da administração de Macau para China. Nela é garantido o futuro político de Macau que reverte para China a 20 de Dezembro de 1999, tornando-se então uma Região Administrativa Especial (RAEM) A lei Básica contendo o seu estatuto constitucional viria a ser aprovado a 31 de Março de 1991.” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Vol. 5, 1998)
分 – mandarim pinyin: fēn; cantonense jyutping: fan1
O yuan (元) é a unidade básica do renminbi mas o termo é também usado para designar a moeda chinesa em geral, especialmente em contextos internacionais. Um yuan é subdividido em 10 jiao (角) e 1 jiao é subdivididio em 10 fen (分).