Archives for posts with tag: Ponte cais do Porto Exterior

Continuação da publicação dos postais constantes da Colecção intitulada “澳門老照片 / Fotografias Antigas de Macau / Old Photographs of Macao”, emitida em Setembro de 2009 pelo Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau/Museu de Macau (1)

Aspecto do Porto Interior na década de 10 do século XX, (2) – uma ponte-cais de passageiros, muito possivelmente da empresa “The Hong Kong, Canton and Macao Steamboat Company, Ld.” (agente em Macau: A. A. de Mello – Praça Lobo de Ávila (Praia Grande) n.ºs 22-24.
Reparar nos anúncios (lado esquerdo da foto) aos hotéis: “THE MACAO HOTEL” – situated in the centre of praya grande facing the sea”,(3), “ORIENTAL HOTEL” (4) e “HOTEL DE BOA VISTA” (5) e ao cinema: “ VICTÓRIA CINEMATÓGRAFO”. (2)
(1) Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/postais/
(2) Pelo anúncio afixado na fotografia: “VICTORIA CINEMATOGRAFO”, a foto deverá ter sido tirada após 08-01-1910, dia da inauguração desse cinematógrafo (o primeiro em Macau), situado na Calçada Oriental (hoje, Calçada do Tronco Velho)
Ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/
(3) Proprietário W.M. Farmer (Rua da Praia Grande n. º 65). Também proprietário do “Victoria Hotel” (em Cantão) e agente em Macau de casas comerciais de Cantão e Hong Kong.

Anúncio de 1912

Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/12/06/leitura-macau-ha-cem-anos-a-chegada-iii/
(4) O “Oriental Hotel” ficava na Rua da Praia Grande. Em 1912 era gerido por M. A. Conceição
東方酒店 mandarim pīnyīn: dōng fāng jiǔ diàn; cantonense jyutping:  dung1 fong1 zau2 dim3
(5)  Hotel de Boa Vista – 海鏡酒店 (“Hou Kiang Tsau Tim” ) , propriedade da Santa Casa da Misericórdia, estava alugada a A. A. Vernon. O Gerente era A. Naris.
Publicitado como “The Sanitarium of South China” na Rua do Tanque do Mainato n.º 1.
Ver anterior referência em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/04/24/anuncio-de-1904-boa-vista-hotel-sanitarium-of-south-china-macao/
海鏡酒店 mandarim pīnyīn: jiǔ jìng diàn hǎi ; cantonense jyutping: hoi2  geng3 zau2 dim3

Notícia publicada no «Boletim Geral do Ultramar» de 1964 (1)

Uma foto tirada do Quartel da Guia em 09-12-1964, a ponte cais do Porto Exterior e o P/V Macau» (2)

Quando a “Sociedade de Turismo e Diversões de Macau – S.T.D.M.” ganhou a concessão exclusiva de exploração de jogo em Macau nos anos 60 do século XX, assumiu também a gestão da Ponte-cais n°16 para dinamizar o transporte marítimo no Porto Interior principalmente as ligações com Hong Kong. Mas o rápido desenvolvimento do território com a introdução dos “hidroplanadores”e a modernização dos navios até então existentes ( a STDM possuía o “Fat Shan”) exigiu que as ligações marítimas com Hong Kong passassem a ser no Porto Exterior onde se construiu uma Ponte-Cais, precisamente onde havia a rampa de subida dos primeiros hidro-aviões de Macau e sensivelmente na mesma direcção do Hangar Militar.

Anúncio de 1966

O navio P/V «Macau» foi construído em 1931 (inicialmente movido “a carvão”) com o nome de «Princess Margaret» para operar nos portos do Reino Unido. Tinha um peso de 2523 toneladas, 99m de comprimento, velocidade de 20,5 nós e podia transportar cerca de 1250 passageiros. Em 1952 passou a usar “óleo” e foi vendido em 1962 à «Shun Tak Shipping Co. Ltd.», pertencente a Stanley Ho, passando a chamar-se «P/V Macau».
Terá terminado em meados a final dos anos 80s (ainda viajei numa viagem nocturna com partida às 23h00 e chegada a Hong Kong às 6H00, numa “camarata” com camas de beliche, em 1984)
Sobre o transporte marítimo dos anos 60s para Hong Kong, recomendo a leitura dos artigos escritos pelo meu colega do liceu, Jorge Bastos: “Os antigos «ferries» Macau-Hong Kong, dos anos 60s”, disponível em:
https://cronicasmacaenses.com/2013/04/03/os-antigos-ferries-macau-hong-kong-dos-anos-60s-por-jorge-basto/
(1) «BGU»  – XL 473/474, 1964.
(2) Repetição duma fotografia do meu álbum, já publicada em anterior postagem:
https//nenotavaiconta.wordpress.com/2014/12/09/noticia-de-9-de-dezembro-de-1964-fotos-do-porto-exterior/

MACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO IVéspera do Novo Ano Lunar, no ano de 1973 – Ano do Boi, a Sociedade de Turismo e Diversões de Macau ofereceu um lauto jantar a numerosos convidados, portugueses e chineses no dia 2 de Fevereiro de 1973, no restaurante «Portas do Sol» do Hotel Lisboa.
MACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO IIO Governador e Esposa dão entrada no Restaurante «Portas do Sol», do Hotel Lisboa,acompanhados pelos anfitriões, Henry Fok, Stanley Ho e Teddy Ip,

MACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO IIIMesa de honra do  jantar

MACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO IVMACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO VNa altura dos brindes falaram os Comendador Henry Fok, Presidente do Conselho de Administração da Empresa e Comendador Stanley Ho, Administrador delegado, o primeiro em chinês e o segundo em português tendo apresentado à consideração dos presentes os planos e as realizações da Sociedade de Turismo e Diversões de Macau,relacionados com o desenvolvimento turístico da e Macau.
Do discurso de Stanley Ho:
Os meios marítimos entre esta Província e Hong Kong  continuam na agenda dasnossas preocupações. Com a chegada do vapor «Nam Shan», e, Agosto do ano findo, e dos «hydrofoils» «Balsa», «Cacilhas» e «Barca», a frota que esta sociedade traz ao serviço das carreiras diárias passou a ser de 7 «hydrofoils» e 5 barcos do tipo clássico.
Contudo, ainda antes do próximo Ano Novo Lunar teremos mais um vapor, o «Lou Shan» , e dois novos «hydrofoils» do tipo PT75, encomendados da Itália e Inglaterra.
Ordenamos também dos Estados Unidos,, ao preço de 24 milhões de patacas, um «jetfoil» Boeing, o qual, a partir de Junho de 1974, cobrirá a distância entre Macau e Hong Kong em apenas 45 minutos. A lotação deste «jet-foil» é de 284 lugares.
Dado ao aumento da frota, a ponte-cais do Porto Exterior terá de ser beneficiada em extensão, com um acréscimo de cerca de 116 metros, para permitir a atracção simultânea de 4 «ferries».
Os trabalhos com o saneamento e urbanização dos aterros do Porto Exterior vão iniciar-se em ritmo acelerado, tudo indicando que muito em breve disporá Macau de novos terrenos para construção, ao mesmo tempo que receberá nessa zona tão importante a fisionomia própria dos modernos centros urbanos.
O Hotel Lisboa foi aumentado em 55 quartos, ficando agora com um total de 400 quartos, enquanto outros 200 estão em construção. Assim em meados de 1974, este moderno e luxuoso hotel que continua a ser umas das atracções de Macau funcionará com 600 quartos.
O nosso  edifício «Tudima» está a ser adaptado a estabelecimento hoteleiro de nível turístico. Chamar-se-á «Hotel Sintra» e terá 200 quartos, além de 70 apartamentos residenciais…. (…)
MACAU B.I.T. VIII-11-12 1973 VÉSPERA DO ANO NOVO VINo fim , o Governador General José Manuel Nobre de Carvalho proferiu o discurso de agradecimento.
Reportagem não assinada e fotos retirados de «MACAU Boletim de Informação e Turismo, 1973».