Archives for posts with tag: Lorchas/Juncos/Sampanas

Extraído do «Boletim da Província de Macau e Timor», XIV-13 de 20 de Janeiro de 1868
Anteriores referências à Canhoneira Camões em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/canhoneira-camoes/

12-10-1854 – Os piratas formaram com as suas lorchas um cordão, desde Boca Tigre até Oeste. A lorcha n.º 58, que vinha do Oeste com uma valiosa carga de seda, foi atacada e roubada, no canal de Lampeão, bem perto desta cidade.” (1)
“14-10-1854 – A lorcha n.º 10 foi atacada, na sua viagem para Hong Kong, por quatro taumões, conseguindo escapar, devido à rapidez do seu andamento, sendo, porém obrigada a fazer fogo, desde 9.00 até às 12.00 horas. ” (1)
James Keenan, consul americano em Hong Kong referia, em 1854, a existência de 100.000 piratas nos mares da China (2)

Junco chinês (à esquerda) e lorcha (à direita)
De: “Tropenmuseum, part of the National Museum of World Cultures, CC BY-SA 3.0,”https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=8597415

NOTA: no ano anterior, a 10 de Maio de 1853, a corveta de guerra britânica (sloop-of-war) (3) “Rattler”, de 12 canhões, em missão na década de 50 (século XIX) no combate à pirataria marítima na costa da China, encontrou piratas ao largo de Nam Quan (perto da fronteira da China com o Vietnam). Uns dias antes, esses piratas tinham capturado um “combóio” de navios mercantes e exigiam resgate para os libertar. No combate, uma frota de 8 barcos chineses (1 lorcha capturada e 7 juncos chineses afundados) foi derrotada com a ajuda dos civis chineses em terra, e cerca de 500 chineses piratas foram mortos e feridos. Entre os britânicos além da corveta ter sofrido algum dano, morreram 3 ingleses – ficou conhecida como a “Batalha de Nam Quan”

HMS Rattler (right) and HMS Alecto in March 1845.https://en.wikipedia.org/wiki/Battle_of_Nam_Quan

(1) GOMES, Luís G. – Efemérides da História de Macau, 1954.
(2) MEAGHER, Arnold J. – The Coolie Trade: The Traffic in Chinese Laborers to Latin America 1847-1874. 2008
(3) “No século 18 e na maior parte do século XIX, um sloop-of-war na Marinha britânica era um navio de guerra com uma arma única que levava até dezoito armas. Como o sistema de classificação abrangeu todos os navios com 20 armas e acima, isso significava que o termo sloop-of-war abrangia realmente todos os navios de combate não classificados, incluindo os pequenos briguess e cortadores de armas.”
https://educalingo.com/pt/dic-en/sloop-of-war

Em anterior postagem (1) publiquei a folha lembrança n.º 43 e o sobrescrito formato C5  (229 mm x 163 mm,) com bloco filatélico contendo um selo, carimbado, de 7.50 patacas) do 1.º dia de circulação, da emissão – tema “Meios de Transporte Tradicionais – Hidroaviões” que os «Correios e Telecomunicações de Macau» emitiram em 9 de Outubro de 1989, com o design de Ng Wai Kin.
Hoje publico o bloco filatélico (105 mm x 83 mm) contendo um selo, sem carimbo, de 7.50 patacas
e o sobrescrito formato C6 (114 mm x 162 mm) com os quatro selos:
50 avos – hidroavião + igreja da Penha
70 avos – hidroavião + fortaleza da Guia
2,8 patacas – hidroavião + barraca de pesca
4 patacas –  hidroavião + junco chinês
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes/ 

Continuação da publicação de “ Description of a View of Macao in China, now Exhibiting at the Panorama, Leicester Square”, (1)

Hoje, o segundo desenho – a vista das águas do Porto Interior, com os diversos barcos ancorados.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/08/15/leitura-desenhos-de-macau-1840-description-of-a-view-of-macao-in-china-i/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/08/16/leitura-desenhos-de-macau-1840-description-of-a-view-of-macao-in-china-ii/

A publicação “ Description of a View of Macao in China, now Exhibiting at the Panorama, Leicester Square”, de 1840, (1) apresenta dois desenhos de Robert Burford, (2) do Porto Interior de Macau.
O primeiro – uma vista do Porto Interior (da Penha à Guia), assinalando com uma numeração os principais pontos de interesse (salientando as residências dos britânicos) acompanhados depois no texto com uma pequena descrição de alguns destes pontos;
o segundo – a mesma vista mas dos barcos ancorados nas águas do Porto Interior.
Reproduzo o primeiro destes desenhos, decompondo-o em três partes, acompanhado dos textos:
………………………………………………………………………….continua
(1) “Description of a view of Macao in China now exhibiting at panorama , Leicester Square, painted by the proprietor Robert Buford, London, 1840″, 12 p. Digitalizado por “Internet Archive”/ “Google” de “The Getty Research Institute” / Cornell University
https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?d=gri.ark:/13960/t6938b464&view=1up&seq=7
https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?id=coo.31924023217676&view=1up&seq=16
(2) Robert Burford, 1791-1861. Artista conhecido pela série de “Panoramas” dos muitos sítios que visitou e que foi publicando de 1827 a 1846 – disponível na net.

Encontrei entre os meus livros um Lai Si – envelope vermelho (1) do Banco da China e no seu interior, uma nota nova (a tradição manda que no Ano Novo Chinês,as notas intoduzidas nestes envelopes sejam novas)  de “10 Patacas”, emissão do Banco Nacional Ultramarino de 1991 com a seguinte numeração: A Q 815568. Certamente, oferta de um familiar mais velho e nos princípios da década de 90 (século XX)

Banco da China, Sucursal Macau
中國銀行     澳門分行 (2)

Dimensões: 12,2 cm x 8.5 cm

FRENTE: 10 PATACAS – 拾圓 (3) – Casa Memorial Dr. Sun Yat-Sen
À esquerda a marca de água com um “junco chinês” À direita, a Casa Memorial do Dr. Sun Yat-Sen (4)
Em cima, à esquerda: “Decreto –Lei n.º 40/91/M  – Boletim Oficial de Macau n.º 27 de 08/07/1991”
Em baixo, ao centro, as assinaturas: “Presidente do Conselho de Administração” e do “Director Geral do Departamento de Macau”, e junto à moldura geral, o logótipo do Banco Nacional Ultramarino
Dimensões 138 x 69 mm
Cores: castanho, verde, azul amarelo. laranja e roxo.
VERSO:
Como ilustração principal, uma vista de Macau da década de 80, incluindo a ponte Macau-Taipa (5) e parte da Baía da Praia Grande e abertura à direita para a marca de água
Cores: castanho, verde, azul, amarelo
Quantidade emitida autorizada até à quantidade de 30 milhões de unidades.
Entrada em circulação: 1992
(1)https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/envelopes-vermelhos-%E5%88%A9%E6%98%AF-%E5%88%A9%E5%B8%82-%E5%88%A9%E4%BA%8B/
(2) 中國銀行 澳門分行 – mandarim pīnyīn: zhōng guó yín háng ào mén fēn háng ; cantonense jyutping: zung1 gwok3 ngan2 haang4 ou3 mun4 fan1 haang4
(3) 拾圓– mandarim pīnyīn: shí yuán; cantonense jyutping: sap6 jyun4
(4) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/casa-memorial-sun-yat-sen/
(5) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ponte-do-governador-nobre-de-carvalho/

Poema “Jóia do Oriente” de autoria do então jovem 2.º tenente Leonel Cardoso, de Setembro de 1950, inserido num artigo intitulado “Recordação de Macau”, publicado na «Revista da Armada» de 1986 (1)

Lorchas, tancar, tancareira – imagens de Macau (foto do sargento-ajudante L. Manuel Horta)

N. R.: Glossário: «cabaia» – vestido usado pelas chinesas; «coolie» – assalariado chinês; «fan-tan» -jogo de azaar; «lorcha» – embarcação chinesa, à vela ligeira e pequena, usada especialmente em Macau; «pataca» – moeda de Macau; «pei-pa-chai» – versão chinesa da gueixa que actualmente já não existe; «sapeca» – dinheiro; «tancar» ou «tancá» – pequeno barco chinês a remos; «tancareira» – mulher que tripula o tancá ou tancar; «tin-tin» – ferro velho

(1) «Revista da Armada» n.º 179, Agosto de 1986, ANO XVI, pp. 16-17, pp. 270-271
https://www.marinha.pt/Conteudos_Externos/Revista_Armada/1986/index.html#p=270