Archives for posts with tag: Largo do Pagode do Bazar

Ainda a propósito do temporal / ciclone que se abateu sobre Macau no dia 12 de Julho de 1883 (1) apresento o último relatório sobre este assunto enviado pelo Administrador do Concelho China, Leôncio Alfredo Ferreira ao governador, em 16 de Julho de 1883.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/07/12/noticia-de-12-de-julho-de-1883-temporal-ciclone-sobre-macau-i/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/07/14/noticia-de-14-de-julho-de-1883-ainda-sobre-o-temporal-ciclone-sobre-macau-ii/.
(2) Publicado no «Boletim da Província de Macau e Timor», no suplemento n.º 28 (Vol. XXIX), de 19-07-1883.

No dia 7 de Novembro de 1987, as instalações provisórias (o Edifício Verde) do Museu Marítimo de Macau  e o Centro de Estudos Marítimos de Macau eram   inauguradas pelo Governador de Macau, Eng. Carlos Melancia e pelo Chefe do Estado Maior da Armada, Almirante Sousa Leitão.
Museu Marítimo de Macau - Edifício VerdeO Edifício Verde que fica no Largo do pagode da Barra foram no passado, residências para oficiais da Marinha e familiares e após a inauguração do novo (actual) edifício do Museu passou a ser utilizado como a parte administrativa do mesmo Museu.

Museu Marítimo de Macau - MUSEU MARÍTIMO

Em 1986, o Capitão dos Portos de Macau, Comandante António Martins Soares, propunha à Administração a criação de um Museu Marítimo no Território. Os Serviços da Marinha foram dotados de verbas que permitiram desencadear acções prioritárias, de entre as quais se salientavam as obras de adaptação do Edifico Verde, onde seria provisoriamente instalado o Museu, segundo projecto do Arquitecto Carlos Bonina Moreno.
O Museu Marítimo de Macau e o “Centro de Estudos Marítimos de Macau” foram  “criados” em 1987, por Despacho Conjunto n.º 5/87, publicado no Boletim Oficial de 16 de Março. (1)

Museu Marítimo de Macau - MUSEU MARÍTIMO 2002

O novo edifício do Museu Marítimo de Macau que está também no Largo do Pagode da Barra  da autoria do arquitecto Carlos Bonina Moreno (início das obras em Janeiro de 1989) seria inaugurado em 24 de Julho de 1990 pelo Governador de Macau, Eng.Carlos Melancia e pelo Chefe do Estado Maior da Armada Almirante Andrade e Silva. O 1.º Director do Museu, nomeado em Outubro de 1987, foi  o Contra Almirante Manuel Vilarinho que cessou funções em Março de 1991.

FOLHETO DST 2002 Maritime Museum LorchaNo mesmo dia da inauguração, fez-se o lançamento à água da Lorcha “Macau”, tendo sido Madrinha a Esposa do Governador, Senhora D. Maria do Rosário Botelho.
Museu Marítimo - Modelo Porto Interior 2005Um dos modelos expostos no Museu, mostrando a actividade portuária no Porto Interior, no princípio do século XX (foto tirada a 3-8-2005).
FOLHETO DST 2002 Maritime Museum 1.ª página

Um folheto da  Direcção dos Serviços de Turismo de Macau  sobre o Museu Marítimo de Macau, em inglês, impresso em 2002, com  50 cm x 21 cm no total, dobrável em 5 partes (10 cm x 21 cm).
FOLHETO DST 2002 Maritime Museum 2.ª páginaFOLHETO DST 2002 Maritime Museum 3.ª páginaFOLHETO DST 2002 Maritime Museum 4.ª página(1) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 5., 1998.

Referências anteriores a este Museu em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/museu-maritimo-de-macau/

Continuação da apresentação da colecção de 10 marcadores de livro, emitidos por “Comissão Territorial de Macau para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses”, sob o lema

“TEMPLOS 廟宇” (1)

MARCADOR TEMPLOS logotipoHoje outro marcador com dois: “Templos de Macau/ 澳門廟宇”(2)
Dum lado do marcador
Marcador de livro Kun Iam Tong
Marcador de livro Kun Iam Tong IKUN IAM TONG /觀音堂 (3)
“Situado na Avda. Coronel Mesquita, este templo budista é dedicado à deusa da Misericórdia Kun Iam, construído na dinastia Ming (1368-1644 DC). É o templo maior e mais rico de Macau com pavilhões muito decorados e o principal ponto de encontro no Ano Novo Chinês. Lugar de cheiro característico a fumo e incenso muito agradável aos deuses e às finanças do pagode! À entrada, está uma bela trípode ou “fogareiro” que se destinava a manter a comida quente. O templo está dedicada a Kun Iam, jovem mártir que curou o pai de uma doença de pele com medicamentos feitos com a sua própria pele! Pelos pavilhões encontram-se várias divindades e símbolos budistas que tornam obrigatória a visita a este templo.”

Doutro lado:
Marcador de livro Hong Kong
Marcador de livro Hong Kong IHONG KONG / 康公廟 (4)
“Misterioso este templo no Largo do Pagode do Bazar! No pórtico encontram-se dois morcegos que seguram dísticos de caracteres chineses e no seu interior, está à direita, um cavalo branco que veio da guerra! Reza a história que Hong Kong, quando simples mortal, saíu vitorioso de muitas batalhas. Numa delas, a sorte foi-lhe adversa e cairia certamente nas mãos do inimigo se não surgisse um bando de patos que, com os bicos apagaram as pegadas do fugitivo. Grato aos seus salvadores proibiu que no dia da sua festa os devotos comessem carne de pato. Vale a pena uma visita para ver o que resta dos altares no seu interior, lindos retábulos em talha lavrada.”
(1) Ver: https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/templos-chineses/
(2) 澳門廟宇 –mandarim pinyin: Ào men miào yù; cantonense jyutping: Ou3 mun4 miu6 jyu5.
(3) 觀音堂 – mandarim pinyin: guàn yin táng ; cantonense jyutping: gun1 jam1 tong4.
(4) 康公廟  mandarim pinyin:  kang gong miào;  cantonense jyutping:  hong1 gung1 miu6. Tradução literal: templo público pacífico (calmo).