Archives for posts with tag: José Manuel S. F. Nobre de Carvalho
O Governador Nobre de Carvalho depõe um ramo de flores junto do pedestral do busto de Luís de Camões

“Dentro da tradição que conta muitos anos, e integrada no «Dia de Portugal», realizou-se a romagem das escolas à Gruta de Camões, este ano solenizada com mais brilho, pelo facto de se celebrar o IV centenário da publicação «Os Lusíadas»…» (1)

Esteve presente o Governador, acompanhado da Esposa, e as mais destacadas autoridades da Província, sendo denotar as numerosas representações sas escolas portuguesas, cujos estudantes traziam cada um uma flor que, na devida altura, depuseram junto do pedestral onde se ergue o busto do poeta.

O Dr. Henrique de Sena Fernandes proferindo a alocução junto à Grut

Findo o discurso do Dr. Henrique de Sena Fernandes, director da Escola Comercial, o Governador Nobre de Carvalho descerrou uma lápide comemorativa do IV centenário da Publicação de «Os Lusíadas», talhada no duro granito, irmão da rocha viva que forma a gruta do poeta.

O Governador descerrando a lápide, junto à Gruta de Camões
A lápide comemorativa do acontecimento.

Entretanto, os «JOGRAIS» da Escola Comercial «Pedro Nolasco» iam recitando trechos líricos e épicos de Camões, dando ao ambiente a solenidade dos momentos de alto valor cultural.

Depois seguiu-se o desfile da juventude escolar portuguesa perante o busto.

Os «Jograis» da Escola Comercial «Pedro Nolasco» recitando trechos líricos
A assistência na homenagem a Camões.
O desfile da juventude escolar

(1) Extraído de “Macau B.I.T.», VIII, 3  e 4, Maio/Junho, 1972, pp,20-22.

Extraído de «BGU», XLV 525 Março de 1969, p. 129/130

“Na parede do Gabinete do Conservador foi a 29 de Março de 1969 inaugurada uma placa de metal amarelo, encimada com o scudo nacional, a cores , com os seguintes dizeres em português e em inglês:

A placa é de cobre, encaixilhada em teca, sendo obra de Eurico Francisco do Rosário.

José Maria da Ponte e Horta, Governador de Macau (1866-1868) determinou pela Portaria n.º 14 de 26-06-1868 que o serviço de registo predial se iniciasse a partir de 1 de Julho de 1868. A Conservatória do Registo Predial ficou instalada no edifício do Tribunal, assistindo à inauguração o Governador Ponte e Horta, o Juiz João Maria Ferreira Pinto e o presidente do Senado. Foi só a 1 de Janeiro de 1869 que se fez o 1.º registo do prédio n.º 28 da Rua dos Mercadores; em todo esse ano registaram-se apenas 5 prédios e no dia seguinte 50.

O Dr. Diamantino de Oliveira Ferreira foi nomeado em Maio de 1964.

NOTA: Um dos conservadores foi o Dr. Camilo de Almeida Pessanha, professor do liceu, nomeado Conservador a 16-02-1899. Como a lei não permitia acumulação de cargos, foi chamado ao Ministro a Lisboa, onde se apresentou a 5-10-1899; regressando a Macau, deixou o professorado, tomando posse do cargo a 23-06-1900. A 16-04-1904 foi nomeado juiz, passando a Conservadoria ao delegado do procurador da Coroa e Fazenda, Dr. Luís Gonçalves Forte (17-05-1904 – ?) . Em 1905, Pessanha caiu doente e a 13 de Agosto regressou a Portugal; chegou de novo a Macau a 18-02-1909; e agora vai acumular os cargos de Conservador e de Professor, sendo nomeado a 13-03-1909, professor de Economia Política e Direito Comercial no Instituto Comercial, anexo ao Liceu. Em Agosto de 1915 foi exonerado do cargo de Conservador, que servira durante 6 anos de 179 dias; apesar disso, ainda continuou no ofício até 12 de Maio de 1919, em que pediu exoneração, continuando no cargo de juiz. (TEIXEIRA, P. Manuel – A Voz das Pedras de Macau. 1980, pp.127-128).

Extraído de «BGU» XLV – 525 Março de 1969.

NOTA:

«Universe Portugal» – IMO 6905329
Fotografia de Jim Gallacher (1

“Universe Portugal” (2) – Petroleiro –  IMO No: 6905329.
Construído em 1969 na empresa “Mitsubishi Heavy Industries Ltd, Nagasaki, Japan” de 149, 622 ton. de arqueação
bruta; DWT (Deadweight) de 332,337 tons. Destruída em 1980 (última bandeira conhecida – Libéria)

«Universe Portugal» – IMO 6905329
Fotografia de Jim Gallacher (1)

(1) http://www.shipspotting.com/gallery/photo.php?lid=4279
(2) Pertencente a uma série de 6 petroleiros encomendados por “Bantry Transportation Co.” : “Universe Iran”; “Universe Ireland”; “Universe Japan”; “Universe Korea”¸ Universe Kuwa IT”; e  “Universe Portugal”.

“Ocorreu em Macau, no ano de 1970, o primeiro centenário da fundação do Clube Militar de Macau, uma das instituições mais antigas do Ultramar, no seu género. Deve-se a sua existência a um grupo de oficiais do Exército e tem contado sempre, entre os seus sócios –e nos seus corpos gerentes – distintos oficiais do Exército e da Marinha. Muitos deles já eram ou vieram a ser figuras de grande destaque na vida nacional ou da Província, o mesmo se podendo dizer dos seus sócios civis, dos vários sectores de actividades desta terra.
Para celebrar este importante acontecimento na vida social desta pequena terra portuguesa, foi realizado um variado programa de comemorações, culturais, artísticas, recreativas e sociais, que tiveram início em 13 de Agosto, com uma sessão solene e terminaram com uma baile de gala, no dia 31 de Dezembro, com a participação dos sócios e das individualidades de maior destaque da vida oficial e do sector privado da Província, destacando-se a presença do Governador, General Nobre de Carvalho e esposa, D. Julieta Nobre de Carvalho.” (1)

Um aspecto do baile de gala no encerramento do I Centenário da fundação do Clube Militar

(1) Foto e reportagem de «Macau, Boletim de Informação e Turismo», VI-10 de Dezembro de 1970 p. 17
Os órgãos sociais do Clube Militar de Macau, no ano de 1970.
Assembleia Geral:
Presidente – Coronel Póvoas Janeiro
Vice-presidente – Major Eduardo César Francisco Bélico de Velasco
Direcção :
Presidente – Major Maia Gonçalves
Secretário – Guilherme Lopes da Silva
Tesoureiro – Tenente Santos Pereira
Vogais – Capitão José dos Santos Lopes e Capitão Pereira Bastos
Conselho Fiscal:
Presidente – Capitão Alberto Fernando Pereira
Vogais – Capitão Rogério Saturnino dos Santos Nunes e Reginaldo dos Remédios.
Ver anteriores referências ao Clube Militar em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/clube-militar-gremio-militar/

Extraído de «BGU» XLIV 521/522, NOV/DEZ 1968

Uma caixa de fósforos com 5.5 cm x 3,5 cm x1 cm de dimensões, distribuída durante o XV Grande Prémio de Macau, publicitando a cerveja “SAGRES” (em chinês 路士)

YES
SAGRES Comes first
Verso
MACAU XV GRAND PRIX
YES SAGRES COMES FIRST
沙路士係第一 (1)
SAGRES BEER
LARGE OR SMALL
SAGRES AT ALL TIMES
Distribuidor em Macau : KAN KAN
Tel. 6123
Fósforos de cabeça vermelha

(1) 路士係第一mandarim pīnyīn: shā lù shì xì dì yī; cantonense jyutping: saa1      lou6 si6 hai6 dai6 jat1
Referências anteriores ao Grande Prémio de Macau em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/grande-premio-de-macau/

Extraído de « BGU  XLV – 527 – MAIO 1969.
Outras comemorações relacionadas com o 75.º aniversário da fundação do Liceu em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/09/11/noticia-de-11-de-setembro-de-1969-lxxv-aniversario-do-liceu-nacional-infante-d-henrique/

Formulário oficial de medicamentos e de artigos de penso de 1969, da Província de Macau, aprovado pela Portaria Provincial n.º 9 163, de 23 de Outubro de 1969. Livro impresso na Imprensa Nacional com edição da Repartição Provincial dos Serviços de Saúde e Assistência, 166 p. , 22, 5 cm x 15, 5 cm.

«BGU» XLV -523/524, 969.
POSTAL (15 cm x 10 cm) – “ A night view of the Macau Taipa Bridge and Praia Grande Bay “(1)

A inauguração oficial da Ponte Macau-Taipa, com o nome de Ponte Governador Nobre de Carvalho foi a 5 de Outubro de 1974.
Referências anteriores em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ponte-do-governador-nobre-de-carvalho/
(1) Copyright Dept. of Tourism (D. S. T.) MACAU -5000-86-12 – Impresso na Gráfica de Macau, Lda.

No dia 12 de Maio de 1973, foi assinada a escritura da compra e venda do jardim de Lou Lim Ioc, também conhecido por jardim de Lu Cau, o único jardim de estilo chinês em Macau. Por Iniciativa do governador José Manuel Nobre de Carvalho, foi adquirido pelo governo, com todas as benfeitorias existentes pela quantia de 2, 7 milhões de patacas, (1) ao seu mais recente proprietário, «Sociedade de Fomento Predial Sei Iek Lda.», cujo gerente geral era o Ho Yin. Depois de muitos anos de abandono, a obra de renovação foi grande, englobando ajardinamento, construções, arruamentos, etc. Recuperado foi entregue ao Leal Senado para gestão e abriu ao público no dia 28 de Dezembro de 1974.
(1) Após a assinatura da escritura foi feito o pagamento de $ 1 000 000,00, o restante foi feito no prazo de 18 meses a contar da data da celebração do contrato. Para o pagamento da primeira prestação foi utilizada importância de $ 1 000 000,00, referida no parágrafo segundo da 16.ª cláusula do contrato com a S. T. D. M. e destinada a obras de fomento. Dado que a despesa total excedia a importância fixada na regra 23.ª do artigo 15.º do E. P. A. da província foi necessário obter a autorização ministerial. (Macau B.I.T., 1973)
Foto histórica à entrada do palacete do jardim Lou Lim Ioc de algumas individualidades portuguesas e o proprietário do jardim, com o general Gomes da Costa  (2)
(2) O General  Gomes da Costa chegou a Macau no dia 8 de Outubro de 1922, para inspeccionar os serviços militares de Macau. Ver esta notícia em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/manuel-gomes-da-costa/
Anteriores referências  do jardim em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jardim-lou-lim-ioc/

No dia 26 de Abril de 1972, a equipa de honra do Hóquei Clube de Macau (H. C. M.) acompanhados do presidente do Conselho Provincial de Educação Física, José Silveira Machado, do presidente da Comissão Administrativa do Hóquei Clube de Macau, Humberto Rodrigues, e de outros dirigentes, esteve pelas 16,00 horas, no Palácio da Praia Grande, para apresentar cumprimentos de despedida ao Governador.
A digressão desportiva ao Japão no período de 29 de Abril a 6 de Maio, compreendeu 4 encontros de hóquei em campo. Os jogadores macaenses actuaram em Osaka, no dia 29 de Abril como Selecção de Macau contra a Selecção de Osaka; em Tóquio, no dia 1 de Maio, como Hóquei Clube de Macau contra a Universidade de Keio e em Tóquio, no dia 3 de Maio como Selecção de Macau contra a Selecção de Tóquio. O último jogo que se realizou no campo desportivo de Kemigawa (Tóquio), os hoquistas macaenses representaram Portugal no primeiro encontro oficial de hóquei em campo entre Portugal e o Japão (já relatado numa anterior postagem) (1)

Os dirigentes do H.C.M. mostram ao Governador as lembranças que iam oferecer aos grupos japoneses a enfrentar na sua digressão desportiva.
Da esq p/ dta.: José Silveira Machado, Governador José Nobre de Carvalho, Humberto Fernando Rodrigues, Mário Aureliano Robarts (de costas) e António Lagariça..

Os hoquistas e dirigentes do H.C.M com o governador no Palácio da Praia Grande
(peço uma ajuda dos amigos para uma correcta identificação de todos os que estão nesta fotografia)

O Engenheiro Humberto Rodrigues, em nome dos hoquistas presentes agradeceu ao Governador o subsídio concedido, permitindo assim que um velho sonho acalentado durante tantos anos pelas diversas equipas do H. C. M. se visse transformado numa flagantre realidade. Acentuou, no entanto, que essa deslocação ao Japão não visava unicamente efeitos desportivos; pretendia-se que ela fosse também uma oportunidade para a publicidade turística de Macau, não esquecendo os aspectos culturais.

O Presidente do Leal Senado no acto da entrega de galhardetes e mensagens para os municípios de Osaka e Tóquio.
Da esq p/ dta: Joaquim Morais Alves, Humberto Fernando Rodrigues, Pedro Xavier, Amadeu Cordeiro,  António Almeida e ?

Os hoquistas de Macau também estiveram no gabinete do Presidente do Leal Senado, Joaquim Morais Alves para lhe apresentarem cumprimentos de despedida e receberam dele os galhardetes e mensagens para serem entregues aos presidentes dos municípios de Osaka e Tóquio. A embaixada não ia ao Japão apenas para jogar. Levava também a incumbência de estreitar os laços de amizade entre a cidade de Macau e as referidas cidades japonesas.
Os jogadores e dirigentes do Hóquei Clube de Macau partiram no dia 27 de Abril, pelas 11,00 horas. À partida da caravana assistiram numerosas pessoas. Entre os presentes, o Presidente do Leal Senado, Joaquim Morais Alves e o Presidente do Conselho Provincial de Educação Física, José Silveira Machado, representando os munícipes e o sector desportivo local. E lá partiram…
NOTA: Informações de Henrique José Manhão Jr. que relatou em diário esta digressão para o bissemanário católico «O Clarim», reproduzido depois no Boletim de Informação e Turismo.
(1) NOTÍCIA DE 6 DE MAIO DE 1972 – O PRIMEIRO PORTUGAL-JAPÃO EM HÓQUEI EM CAMPO:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/05/06/noticia-de-6-de-maio-de-1972-o-primeiro-portugal-japao-em-hoquei-em-campo/