Extraído de «O Portuguez na China», Vol. 2, n.º 51 de 3 de Setembro de 1840, n.º 1

José de Arriaga Brum da Silveira (21-07-1810/29-08–1840), capitão da Infantaria do Batalhão Príncipe Regente, (1) faleceu aos 30 anos, um mês e 4 dias de idade, deixando a viúva de 18 anos de idade, Maria Antónia Joaquina de Abreu e Silva (1822-1891) casamento em 03-05-1836 (2) e um filho de 2 anos de idade, António José de Arriaga Brum da Silveira. (3) “Recebeu o foro de fidalgo cavaleiro da Casa Real e a comenda da Ordem de Cristo, quando tinha 2 anos de idade, em atenção aos relevantes serviços prestados por seu pai; foi também cavaleiro da Ordem de N.ª Sr.ª da Conceição de Vila Viçosa” (4)

José de Arriaga é filho (2.º do casamento) do ouvidor Miguel José de Arriaga Brum da Silveira (1776-1824) (5) e de Ana Joaquina de Almeida (filha de Januário Agostinho de Almeida, um dos maiores armadores macaenses, no seu tempo, com vastos interesses no comércio do ópio e futuro Barão de São José de Porto Alegre).

(1) José de Arriaga Brum da Silveira, primeiro tenente da Companhia de Artilheria, foi promovido a Capitão em 02-05-1838. (Ordem do Exército n.º 21 do QG em Paguim)

Arquivos de Macau 3.ª série VOL XVIII n.º 4 de OUT1972, p. 199

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/02/17/noticia-de-17-de-fevereiro-de-1867-casamento-na-igreja-de-s-lourenco/

(3) António José de Arriaga Brum da Silveira, nasceu na freguesia de Santo António em 29 de Julho de 1838. Casou com Carolina Antónia de Arriaga e Silva (1846-1930) e tiveram 8 filhos. Faleceu a 1 de Abril de 1922 na freguesia da Sé. “ Era funcionário público e «pensionista do estado em terceira vida» (pensão concedida , em três vidas, ao seu avô)” (5)  

(4) FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses Volume I, p. 280

(5) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/miguel-de-arriaga-brum-da-silveira/