Archives for posts with tag: João Canavarro Nolasco

“No dia 5 de Outubro de 1939, foi inaugurado o edifício do Hospital de S. Rafael que já existia desde 1569 (1) e fora reconstruído em 1640, 1747 (2) e 1766 (3), depois de devidamente restaurado e com grandes beneficiações”. (4)

Havia uma lápide à entrada:

5 de Outubro de 1939
Este hospital foi mandado reconstruir no ano de 1938 pelo Governador da Colónia
o Exmo. Sr. Artur Tamagnini  de Sousa Barbosa
Que conseguiu para a Santa Casa da Misericórdia
Os fundos necessários.
As obras iniciadas em Agosto de 1938
Sendo Provedor Manuel Beja Corte Real e Mesários
Paulino António da Silva
Mário de Barros Pereira
Pedro Nolasco da Silva
Januário Agostinho d´Almeida
e concluídas em Setembro de 1939
Sendo Provedor Alexandre dos Santos Majer e Mesários
Paulino António da Silva
Mário de Barros Pereira
Pedro Nolasco da Silva e João Tavares de Sousa.
Projecto do Engenheiro civil
João Canavarro Nolasco da Silva
Director clínico do Hospital:
Dr. Jacinto Vargas Moniz”

 Pe. TEIXEIRA A Medicina em Macau - Hospital S. Rafael 1974Hospital de S. Rafael em 1974 (5)

Nessa reconstrução de 1938-39, as casas que a Mesa da Misericórdia mandara construir (6 casas de aluguer) na esplanada do hospital foram arrasadas, restituindo-se ao hospital a sua antiga esplanada.
A «Maternidade Dr. Soares» foi mantida e renovada e ampliada (o Dr. José Caetano Soares foi o anterior director sendo substituído pelo Dr. Jacinto Vargas Moniz) , a velha consulta externa foi ampliada criando-se consultas de especialidade de gravidez e de ginecologia, olhos, rins e vias urinárias. A «Ambulância» foi completamente reformada tanto no seu material como na sua orgânica. A ala cirúrgica ficou com um  «Bloco Cirúrgico Artur Tamagnini de Sousa Barbosa» (duas salas de operações, duas salas de anestesia, dois arsenais cirúrgicos, uma sala de esterilizações). Foi criado um laboratório de análises clínicas e um gabinete de raio X com equipamentos modernizados. Foi criado o balneário para os hospitalizados e doentes da consulta externa que necessitassem banhos terapêuticos.

Pe. TEIXEIRA A Medicina em Macau - Hospital S. Rafael antigoAntigo Hospital de S. Rafael (antes da reconstrução)(5)

Em 1787, o pé do hospital civil, tinha um compartimento para os militares (hospital militar com um cirurgião e quartos pata três oficiais, para oito subalternos e uma enfermaria para 80 soldados). O médico do Hospital dos Pobres era sempre o médico do Partido Municipal e uma das cláusulas do contrato determinava que ele prestava serviço gratuito no Hospital das Misericórdia. Em 1834, o Hospital dos Pobres chamava-se hospital civil para o distinguir do militar.
Em 1855, o governo determinou que fosse extinta a enfermaria militar do Hospital mas os doentes militares só a 6 de Junho de 1857 é que passaram para o Convento de Santo Agostinho. Em 1872 começou a construção do Hospital Militar de Sam Januário.

Pe. TEIXEIRA A Medicina em Macau - Relação do pessoal Hospital S. Rafael 1938Relação do pessoal do Hospital de S. Rafael em 1938 (5)

(1) “O estabelecimento devia então ser o «Hospital dos Pobres» e embora  a referência mais antiga seja só de 1591 (nas notas de lançamentos das verbas testamentarias do  escrivão da Misericórdia, António Garcez), o Hospital é anterior a 1591 e para a fundação pertencer a D. Melchior Carneiro haveria que datá-la, o mais tarde, de 1583, que, sem dúvida, sabe-se foi o ano em que ele morreu(SOARES, José Caetano – Macau e a Assistência,1950).
Segundo o Padre Teixeira, o Hospital dos Pobres foi fundado por D. Melchior Carneiro (o hospital dos cristãos) em 1568 baseado em dois testemunhos coevos e irrefragáveis. ( TEIXEIRA, Pe. Manuel – A Medicina em Macau, Vol. I-II, 1974).
(2) Acta  de 1747: «Sendo provedor Luiz Coelho, diz este, que o hospital dos enfermos que esta Santa Casa tem se acha totalmente arruinado principalmente a capela… e também, a enfermaria, onde os enfermos existem por ser logar imundo e incapaz de poder ficar criatura humana» Existia uma lápide4 à entrada do hospital em que se lia “Este hospital da Santa Caza de Misericórdia Mandou fazer Luis Coelho sendom provedor no anno de 1747”
(3) Em 1766, sofreu nova reconstrução e posteriormente em 1840, (fizeram-se obras, aumentando-se um andar, ficando concluídas em 1842), sendo provedor Filipe José de Freitas. Foi nessa altura que sobre o portão principal se colocou um nicho coma  estátua de S. Rafael e as palavras MEDICINA DEI. Foi portanto desde então que passou a ser conhecido por Hospital S. Rafael.
(4) GOMES, Luís G. – Efemérides da História de Macau, 1954.
(5) TEIXEIRA, Pe. Manuel – A Medicina em Macau, Vol. I, 1974

HOTEL Kuok Chai 1941O HOTEL KUOK CHAI EM 1941, finais da construção.

 É inaugurado neste dia, em Macau, um «arranha céus», o primeiro hotel de características contemporâneas a ser erguido no território: o Grande Hotel, também conhecido como Hotel Kuok Chai, com 9 andares, (1) situado no início da Avenida Almeida Ribeiro (do lado do Porto Interior). O Hotel Central também tinha altura imponente, mas foi crescendo progressivamente enquanto o Grande Hotel teve logo os nove andares de raiz (e teria mais dois em fase posterior se não fosse a Guerra do Pacífico). Tinha noventa e sete quartos, com salão de chá no último andar  onde podia usufruir de uma magnífica vista sobre a cidade de Macau, a Ilha de Lapa e outras ilhas da China.
Foi um acontecimento tão importante que o Governador de Macau, em pessoa, e Sir Robert Ho Tung, deram a honra de ir cortar a fita. Sir Robert veio de Hong Kong num barco alugado expressamente para o efeito. (2)
Foi promovido pela família Fu, que detinha na altura o monopólio do jogo. Projectado pelo engenheiro civil macaense João Canavarro Nolasco em 1937, foi construído pelo empreiteiro Tai Man Hou. Destinava‐se preferencialmente à clientela chinesa, em alternativa aos hotéis de luxo que atraíam os ocidentais.(3)
“…Com linhas modernas e uma decoração filiada na expressão parisiense das arts déco, foi lugar de sofisticação e movimentação da elite endinheirada. O edifício articula‐se a partir de um corpo central, constituído pela torre com cerca de doze pisos que marca o eixo de simetria e se eleva do conjunto, marcada por três feixes de linhas verticais com expressão saliente que se desenvolvem a partir do enorme arco de perfil reto que marca a entrada aberta quase até ao terceiro piso. De cada lado, o corpo dos quartos surge suspenso da fachada, suportado por uma arcaria reta que vence os dois primeiros pisos e confere um aspecto de suspensão ao conjunto.” (3)

HOTEL Kuok Chai 1964O HOTEL KUOK CHAI EM 1964

O Grande Hotel encontra-se encerrado desde os anos 1990. O edifício de nove andares encontra-se abandonado, devoluto e com acesso bloqueado por painéis de madeira. Não tenho informação sobre qualquer plano para a reabilitação ou demolição do prédio.

(1) Aquando da sua inauguração, foi considerado o prédio mais alto de todo o império colonial português.
(2) O Governador era Gabriel Maurício Teixeira (governo de 5-10-1940 a 23-06-1947)
BASTO DA SILVA, Beatriz – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 4, Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 454 p (ISBN 972-8091-11-7)
(3) HPIP – Património de Influência Portuguesa –  Hotel Kuok Chai ou Grande Hotel
http://www.hpip.org/def/pt/Homepage/Obra?a=495