Archives for posts with tag: Humberto F. Rodrigues

Para encerramento da época, realizaram-se, no dia 4 de Abril de 1952, no campo de Tap Seac, dois encontros de hóquei em campo entre as equipas A e B do Hockey Club de Macau e duas selecções da vizinha colónia de Hong Kong. A equipa B derrotou a selecção paquistanesa de Hong Kong por 5 a 3 e a equipa A de Macau perdeu, por 0 a 2, contra a Selecção de Kowloon (1)

As equipas paquistanesa de Hong Kong (camisola ás riscas horizontais) e a do Hockey Club de Macau B. (camisola escura). Ao fundo, a Escola Primária Ofcial Pedro Nolasco da Silva

Reconheço alguns dos jogadores macaenses: Amadeu Cordeiro, Fernando Nascimento, Dr. João dos Santos Ferreira, Eng. Humberto Rodrigues, (Rogério?) Lopes e (Mário Aureliano ?) Robarts,

A selecção de Kowloon que derrotou a equipa A do Hockey Club de Macau

O Hockey Club de Macau manteve nesta época desportiva (1951/52), vários encontros com equipas de Hong Kong (04-11-1951 com os Argonautas de HK; 6 e 7 -10-1951 com o Clube Recreio de HK; 16-12-1951 com o grupo Thunderbolts de HK; 06-01-1952 oficiais do exército britânico de HK; 14-01-1952 com “British Army” de HK. Em 28-01-1952, realizou-se o Interport (intercidades) do qual saíram vencedores as equipas de Macau. quer a equipa A que ganhou por 3 a 1 quer a equipa B que ganhou por 2 a 1. O treinador era o Dr. João dos Santos Ferreira

A Direcção do Hóckey (Oquei) Club de Macau em 1951/52: Presidente – António Emílio Rodrigues da Silva; Secretário – Engenheiro Humberto Rodrigues; Tesoureiro- Herculano Silvânio da Rocha; Vogais- FrPero Hydederico Nolasco da Silva e Pedro Hyndman Lobo

(1) Texto e fotos extraídos de «Mosaico», IV-21/22 de Maio e Junho de 1952,

“Nos dias 18 e 19 de Setembro de 1954, realizou-se, em Hong Kong, o III «Interport» de ténis entre Macau e Hong Kong, o qual foi ganho pelos tenistas macaenses que, com grande brilhantismo, alcançaram uma merecida vitória de 4 a 1.

A representação de Macau, confiada aos tenistas do velho e prestimoso Ténis Civil, portou-se à altura de honrar o desporto local, quer no campo da contenda, em que revelou a sua apreciada classe quer no convívio com os seus leais adversários de Hong Kong, tão fortes foram os seus desejos de contribuir para um estreitamento cada vez maior dos laços de amizade que unem bons desportistas e vizinhos. Foi disputada uma linda taça de prata oferecida pelo Leal Senado, a qual havia já sido ganha pela equipa de Hong Kong nos dois primeiros «Interports» e estava em riscos de ficar definitivamente em poder da mesma, dada a condição de três vitórias sucessivas previamente estabelecida, para a posse definitiva do troféu. Resolvidos a não permitir que tal acontecesse, os tenistas de Macau encheram-se de brio desta vez e foram a Hong Kong das mostras d seu valor, arrancando, por fim, uma vitória nítida e honrosa que lhes valeu regressarem juntamente coma «Taça Leal Senado». A série dos «Interports» de ténis entre Macau e Hong Kong , apesar de iniciada há apenas uns escassos meses, tem já conquistado para si um lugar de destaque na história dos intercâmbios desportivos que anualmente se realizam entre Macau e Hong Kong.

Infelizmente má impressão da foto em «MBI» (1)
Esqª p/ dta: Alexandrino Boyol, Humberto Rodrigues, Artur Canavarro, Artur de Melo e José Boyol

O primeiro «Interport» realizou-se em Macau, a 23 e 4 de Outubro de 1953, registando Hong Kong a sua primeira vitória, com o resultado de 3 a 2.. Para a realização do segundo «Interport», os tenistas de Macau deslocaram-se a Hong Kong , em 20 de Dezembro seguinte, tendo ali perdido novamente, pelo mesmo resultado 3 a 2. O sucesso alcançado agora no terceiro «Interport» pelos tenistas de Macau veio não só quebrar a sequência das sucessivas vitórias dos seus adversários como ainda salvar a má impressão deixada pelos velhos , mas ainda valorosos jogadores do Ténis Civil quando das duas primeiras competições. Eis os resultados dos jogos realizados  

Singulares-homens Artur Canavarro (Macau) venceu Roch Liang por 6-2 e 6-1; Eng.º Humberto Rodrigues (Macau) venceu Cheung Chau, por 6-0 e 6-1; Francis Ma (Hong Kong) venceu António de Melo, por 6-2 e 6-0

Pares-homens Eng.º Humberto Rodrigues e Alexandrino Boyol (Macau) venceram Joseph Hsu e Ernir Pereira, por 6-1, 1-6 e 8-6; Artur Canavarro e José Boyol (Macau) venceram Chung Wing Kuong e Cheng Tai Chi por 6-3 e 8-6.

(1) Artigo não assinado, publicado em «MBI», II. N.º 28 de 30 de Setembro de 1954, p.13/14

“ O vasto recinto da Piscina Municipal serviu de teatro, nos dias 5 e 6 de Setembro de 1953, a uma excelente exibição de esgrima, com a assistência de numeroso público. Participaram neste torneio-exibição uma equipa constituída por esgrimistas de Macau, outra de Hong Kong e outra ainda do Japão, todas elas proporcionando ao público local duas magníficas sessões.

Uma fase do torneio de esgrima

Com a cooperação dos esgrimistas de Hong Kong, os esgrimistas de Macau aproveitaram a estadia, na vizinha colónia britânica, dos ases japoneses, Sugo, Shirai e Omae, para a organização do torneio triangular que, estamos certos, muito deverá ter contribuído para o ressurgimento da esgrima em Macau. Menos treinada que as equipas de Hong Kong e do Japão, a equipa de Macau foi a que obteve menor número de vitórias. Contudo, o seu merecimento não foi menor que o das outras, porquanto todos os esgrimistas se portaram com igual desportivismo e estilo elegante.

Foram os seguintes os resultados: O Japão venceu Macau em florete, por 8 a 1 em sabre, por 7 a 2. Macau venceu o Japão em espada por 4 a 3. O Japão venceu Hong Kong em florete, por 7 a 2. Hong Kong venceu em espada por 7 a 2 e em sabre, por 5 a 4. Hong Kong venceu Macau em florete, por 8 a 1, em espada, por 5 a 4, e em sabre, por 5 a 4.

Os representantes do Japão recém as taças por eles ganhos

Os esgrimistas Sugo, Shirai e Omae representaram o Japão em todas as modalidades. Representaram Hong Kong em florete: o major Brewer; j. Osório e J. Tong; em espada Williams, Gros-Hodge e José Marçal e em sabre: o major Brewer, Grose-Hodge e J. Tong. Por Macau esgrimiram: engenheiro H. Rodrigues, capitão Pinheiro e alferes Ferreira em florete; capitão Júlio da Cruz, Fausto Branco e engenheiro H. Rodrigues, em espada; e capitão Júlio da Cruz, tenente Robin de Andrade e tenente Stone, em sabre.”

Reportagem não assinada no «MBI», I-3 de 15 de Setembro de 1953, p. 13

Realizou-se nos dias 6 e 7 de Outubro um intercâmbio desportivo entre os portugueses de Hong Kong e Macau, tendo sido disputados com grande animação e concorrência, os diversos desafios de hóquei em campo, ténis e bridge.
Macau saiu vencedora em ténis e hóquei em campo mas perdeu no bridge.
O Encarregado do Governo e esposa assistiram interessados ao desafio de hóquei em campo entre os grupos de Hong Kong e Macau, no campo do Tap Seac.
O grupo de honra do Hockey Club de Macau que derrotou o grupo visitante por 2 a 0
De pé (da esqª para dtº) Herculano da Rocha, , Augusto Jorge, César Capitulé, José Vítor do Rosário, Armando Basto, Humberto Rodrigues
1.ª fila: Luís da Cunha, Frederico Nolasco da Silva, Lourenço Ritchie, Fernando Marques Marques, Albertino Almeida
Os grupos de 2.ªs categorias do Clube de Recreio e Hockey Club de Macau
O vice-cônsul de Hong Kong, sr. Fernando Ribeiro, entregando a Taça Brazão ao Sr. António de Melo, capitão do Ténis Civil de Macau que derrotou o Club de Recreio de Hong Kong por 8 a 1.
Os numerosos convivas que participaram no jantar de confraternização
O representante do grupo de Hong Kong, Sr Jackie Noronha, agradecendo a hospitalidade de Macau.
Extraído de «Mosaico» III-15/16,1951

Hóckey (Oquei) Club de Macau – Direcção (Anuário de Macau 1951/52)
Presidente : António Emílio Rodrigues da Silva
Secretário: Engenheiros Humberto Rodrigues
Tesoureiro : Herculano Silvânio da Rocha
Vogais: Frederico Nolasco da Silva e Pedro Hyndman Lobo

Ténis Civil – Direcção (Anuário de Macau 1951/52)
Presidente – Dr Cassiano C. de Castro Fonseca
Secretário: Eduardo Batalha da Silva
Tesoureiro Armando Rodrigues da Silva.

Existiu uma Associação de Bridge de Macau, que teve como presidente foi Frederico Nolasco da Silva, mas não consegui determinar com exactidão a data da sua existência.

No dia 4 de Maio, dia de descanso dos desportistas macaenses, foi o dia do jantar de honra oferecido pela Associação Japonesa de Hóquei. O jantar realizou-se num dos mais luxuosos restaurantes de Tóquio, reservado exclusivamente à alta sociedade.
Entre os presentes contava-se o sr. Kizo Kavai, gerente-geral da Hitachi que visitara Macau em 1936 por ocasião da digressão a Macau da equipa universitária de Waseda.
No momento dos brindes, o sr. Sakae Kubota, secretário-geral da Associação Japonesa de Hóquei, saudou os hóspedes, congratulando-se com os bons resultados já obtidos pelos hoquistas macaenses nesta primeira visita ao Japão e agradecendo a honra da nossa presença.
Falou a seguir, o sr. Engenheiro Humberto Rodrigues que por seu lado agradeceu o magnífico jantar com que se dignaram distinguir os visitantes, esperando, poder retribuir, da mesma maneira num futuro próximo, todas as amabilidades de que fora alvo a caravana de Macau.
NOTA: Informações do diário de Henrique José Manhão Jr. que relatou esta digressão para o bissemanário católico «O Clarim», reproduzido depois no Boletim de Informação e Turismo.
Anteriores referências deste diário em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hockey-club-de-macau-hoquei-clube-de-macau/

A comitiva do H. C.M. acompanhada do Sr. Kotara Miyamoto, secretário da Associação Japonesa de Hóquei, deslocou-se ao município de Tóquio para apresentar cumprimentos ao «Mayor» da cidade e entregar a mensagem do presidente do Leal Senado da Câmara de Macau. A representação macaense foi recebida pelo chefe do protocolo do município, Sr. Tsugio Fominaga que agradeceu a gentileza da visita em nome do «Mayor» Dr. Ryokichi Minobe, que se encontrava ausente na Europa.
Às 14.00 horas realizou-se no campo universitário de Keio, o segundo encontro da digressão. O campo, também de terra batida, como o de Osaka, estava lamacento, porquanto chovera copiosamente na noite anterior.
O resultado final foi de um empate a 1-1 (golo de Eduardo de Jesus)
Assistiram a este encontro, em representação da reitoria da universidade de Keio, Toshichica Totoki, Professor do Departamento de Sociologia Industrial de Ciências Políticas, Kentaro Hiro, membro executivo do «Comité Olípico Japonês» e a Senhorita Yukiko Iwakawa, guia-intérprete (1)
À noite, pelas 19,00 horas, a delegação de Macau foi obsequiada com um típico jantar japonês, oferecido pelos jogadores da Universidade de Keio que estiveram em Macau em 1961 e 1964, por muitos dos seus antigos hoquistas e os jogadores que participaram no encontro da tarde.
Durante o jantar usaram da palavra , o árbitro internacional de hóquei e antigo aluno da Universidade de Keio e o Engenheiro Humberto Rodrigues.
A festa terminou com a famosa canção «Sakura» (2)  cantada por Yukiko acompanhada por dois colegas de Keio.

Convívio social com a Senhorita Yukiko Iwakawa, guia-intérprete

NOTA: Informações do diário de Henrique José Manhão Jr. que relatou esta digressão para o bissemanário católico «O Clarim», reproduzido depois no Boletim de Informação e Turismo.
Anteriores referências deste diário em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/05/06/noticia-de-6-de-maio-de-1972-o-primeiro-portugal-japao-em-hoquei-em-campo/ 
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/04/29/noticias-de-26-de-abril-a-9-de-maio-de-1972-diario-do-hoquei-clube-de-macau-por-terras-do-japao-ii-chegada-ao-japao-e-primeiro-jogo-no-dia-29-de-abril/ 
(1) Senhorita Yukiko Iwakawa, aluna do «Junior College» de Keio, escolhida para servir de elo de ligação entre os portugueses e japoneses pois dominava perfeitamente a língua inglesa.
(2) «Sakura» é o nome dado em japonês à cerejeira em flor, considerada a flor nacional do Japão. Também o nome de canção tradicional japonesa “Sakura, Sakura” (hoje considerada a canção representativa do Japão)  de origem no período Edo e  que descreve a primavera , a estação das cerejeiras em flor.
https://en.wikipedia.org/wiki/Sakura_Sakura
Poderá ouvi-la em
http://mattluxmusic.com/tracklist/id/163060

No dia 26 de Abril de 1972, a equipa de honra do Hóquei Clube de Macau (H. C. M.) acompanhados do presidente do Conselho Provincial de Educação Física, José Silveira Machado, do presidente da Comissão Administrativa do Hóquei Clube de Macau, Humberto Rodrigues, e de outros dirigentes, esteve pelas 16,00 horas, no Palácio da Praia Grande, para apresentar cumprimentos de despedida ao Governador.
A digressão desportiva ao Japão no período de 29 de Abril a 6 de Maio, compreendeu 4 encontros de hóquei em campo. Os jogadores macaenses actuaram em Osaka, no dia 29 de Abril como Selecção de Macau contra a Selecção de Osaka; em Tóquio, no dia 1 de Maio, como Hóquei Clube de Macau contra a Universidade de Keio e em Tóquio, no dia 3 de Maio como Selecção de Macau contra a Selecção de Tóquio. O último jogo que se realizou no campo desportivo de Kemigawa (Tóquio), os hoquistas macaenses representaram Portugal no primeiro encontro oficial de hóquei em campo entre Portugal e o Japão (já relatado numa anterior postagem) (1)

Os dirigentes do H.C.M. mostram ao Governador as lembranças que iam oferecer aos grupos japoneses a enfrentar na sua digressão desportiva.
Da esq p/ dta.: José Silveira Machado, Governador José Nobre de Carvalho, Humberto Fernando Rodrigues, Mário Aureliano Robarts (de costas) e António Lagariça..

Os hoquistas e dirigentes do H.C.M com o governador no Palácio da Praia Grande
(peço uma ajuda dos amigos para uma correcta identificação de todos os que estão nesta fotografia)

O Engenheiro Humberto Rodrigues, em nome dos hoquistas presentes agradeceu ao Governador o subsídio concedido, permitindo assim que um velho sonho acalentado durante tantos anos pelas diversas equipas do H. C. M. se visse transformado numa flagantre realidade. Acentuou, no entanto, que essa deslocação ao Japão não visava unicamente efeitos desportivos; pretendia-se que ela fosse também uma oportunidade para a publicidade turística de Macau, não esquecendo os aspectos culturais.

O Presidente do Leal Senado no acto da entrega de galhardetes e mensagens para os municípios de Osaka e Tóquio.
Da esq p/ dta: Joaquim Morais Alves, Humberto Fernando Rodrigues, Pedro Xavier, Amadeu Cordeiro,  António Almeida e ?

Os hoquistas de Macau também estiveram no gabinete do Presidente do Leal Senado, Joaquim Morais Alves para lhe apresentarem cumprimentos de despedida e receberam dele os galhardetes e mensagens para serem entregues aos presidentes dos municípios de Osaka e Tóquio. A embaixada não ia ao Japão apenas para jogar. Levava também a incumbência de estreitar os laços de amizade entre a cidade de Macau e as referidas cidades japonesas.
Os jogadores e dirigentes do Hóquei Clube de Macau partiram no dia 27 de Abril, pelas 11,00 horas. À partida da caravana assistiram numerosas pessoas. Entre os presentes, o Presidente do Leal Senado, Joaquim Morais Alves e o Presidente do Conselho Provincial de Educação Física, José Silveira Machado, representando os munícipes e o sector desportivo local. E lá partiram…
NOTA: Informações de Henrique José Manhão Jr. que relatou em diário esta digressão para o bissemanário católico «O Clarim», reproduzido depois no Boletim de Informação e Turismo.
(1) NOTÍCIA DE 6 DE MAIO DE 1972 – O PRIMEIRO PORTUGAL-JAPÃO EM HÓQUEI EM CAMPO:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/05/06/noticia-de-6-de-maio-de-1972-o-primeiro-portugal-japao-em-hoquei-em-campo/

macau-b-i-i-15-15mar1954-jacob-jebsen-iDa esqª p/dta.:Governador, Joaquim Marques Esparteiro, Sr. G. R. Hansen, D. Maria de Lurdes Leitão Rodrigues, D. Laurinda Marques Esparteiro e Primeiro-tenente Horácio de Oliveira.

O Comandante do barco «Jacob Jebsen», Sr. G. R. Hansen, e o agente em Macau, Sr. Engenheiro Humberto Rodrigues e sua esposa, Sra. D. Maria de Lurdes Leitão Rodrigues, ofereceram a bordo daquele barco, um jantar ao Governador, Almirante Joaquim Marques Esparteiro, a sua Esposa, Sra. Dra. D. Laurinda Marques Esparteiro, à filha Sra. Maria Helena, ao seu secretário Tenente Lopes da Costa, ao Capitão dos Portos, Capitão-tenente José de Freitas Ribeiro e esposa, Sra. D. Vera de Sena Fernandes Freitas Ribeiro e ao Comandante da Polícia Marítima, Primeiro-tenente Horácio de Oliveira.

macau-b-i-i-15-15mar1954-jacob-jebsen-iiDa esqª p/dta.: Tenente Lopes da Costa, Sra. Maria Helena Marques Esparteiro, Eng.º Humberto Rodrigues, Capitão-tenente José de Freitas Ribeiro e D. Vera de Sena Fernandes Freitas Ribeiro.

macau-b-i-i-15-15mar1954-jacob-jebsen-iiiO «Jacob Jebsen», barco de carga, de nacionalidade dinamarquesa, construído em 1952, de 3674 toneladas, atracou na “moderna gare marítima” (1) e foi até à data o maior barco a entrar nas águas do Porto Interior de Macau.
Foi especialmente fretado para trazer, de Bangkok para esta Província, 33.346 sacos de arroz para abastecimento da sua população.

jacob-jebsen-1952JACOB JEBSEN – 1952 – IMO 5167255

jacob-jebsen-dados-tecnicos
jacob-jebsen-bangsbo-museumCopyright BANGSBO MUSEUM

(1) Notícias da imprensa escrita da época.

Várias fotografias do navio “atracado” em Hong Kong na década de 60/70, descarregando arroz de Bangkok em:
M/S “Jacob Jebsen”- China Trader from Aabenraa, Denmark –em>http://globalariner.com/index111JacobJebsen.html
Ver “história” deste barco em:
http://www.jjsea.com/doc/ourhistory
http://www.jebsenlogistics.com/pagedisplay.aspx?did=f2f7fdc1-8630-49ab-825a-587c77d99fbd

No dia 14 de Janeiro de 1952, realizou-se um encontro de hóquei em campo, no campo desportivo do Tap Seac, caracterizadas por jogadas estonteantemente rápidas entre o Macau Hockey Club e o Army de Hong Kong que foi derrotado por 2 a 1.

mosaico-iii-17-18-1952-equipa-do-hockey-clube-de-macauA equipa do Hockey Clube de Macau

Da esquerda para a direita:
1.ª fila: José Vitor do Rosário, César Capitulé (guarda-redes) e Armando Basto
2.ª fila: Herculano da Rocha (capitão), Alexandre Airosa e Humberto Rodrigues
3.ª fila: Henrique Nolasco da Silva, Fernando Marques, Lourenço Ritchie, Augusto Jorge e Albertino Almeida.

mosaico-iii-17-18-1952-equipa-do-army-de-hong-kongA equipa do Exército (“Army”) de Hong Kong

FOTOS  em «MOSAICO, 1952»

A propósito da comemoração dos 100 anos de actividade de firma “F. RODRIGUES LDA.” (1) e em comparação com o anúncio recentemente publicado na imprensa macaense, pela  “F. RODRIGUES  (SUC.RES) LDA.” (2)
Anúncio de 1921 (?)

anuncio-1921-f-rodriguesF. RODRIGUES
ESTABLISHED 1916
General merchant, Importer, Exporter, Insurance & Shipping Agent

A Firma «F. Rodrigues Lda.» era agente das companhias de navegação e seguros, Neste anúncio publicitava-se como agente em Macau das Companhias de Vapores:

The Ocean Steamship Co. Ltd.
Companhia Transatlantica de Barcelona.
Sun-Sin (Parte Europea)

de outras empresas estrangeiras:

T & E. Plum (Denmark) Manteiga
Clarence E. Edson & Associates (Cleveland Ohio. U.S.A.)
Underwood Typewriter Co. Ltd.
Sterling Electrical Specialities (Cleveland Ohio. U.S.A.)
“Shell Motor Spirit” The Asiatic Petroleum Company South China Limited (Hong Kong)
Vacuum Oil Company (Hong Kong)

de empresa local:

Empresa de Transporte Automóveis (Gerente geral)

e importadora de carvão da

Mitsubishi Shoji Kaisha (Hong Kong)

Anúncio de 2016

anuncio-2016-f-rodrigues-suc-res-ltdAnúncio publicado no Jornal “Tribuna de Macau” n.º 5081, 9 de Set. 2016 p.7 – PUBLICIDADE

(1) “8-12-1916 – Fundada a Firma «F. Rodrigues Lda.» que através dos sucessores, continua a operar”. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997).
Fernando de Senna Fernandes Rodrigues (1895-1945) foi o fundador e proprietário da firma «F. Rodrigues Lda.» desde 1916 até 1945, quando foi assassinado à porta da Caixa Escolar por Wong Kong Kit, a soldo da quadrilha de chineses pró japoneses.
O filho, Humberto Fernando Rodrigues (3) assumiu depois a direcção da firma tornando-se sócio – gerente da firma «F. Rodrigues Sucrs. Ltd» em 1947. (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses Vol. III, 1996).
(2) 26-12-1947 – Constituída a sociedade “F. Rodrigues, Sucessores Limitada ” com um capital social 150 000,00. (Obras e Melhoramentos efectuados em Macau, 1950. A firma tornou-se um dos principais importadores de produtos alimentares portugueses e foi agente em Macau da «British Airways».O actual presidente da companhia é Humberto Carlos Rodrigues.
Anteriores referências a esta firma:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/firma-f-rodrigues/
(3) Humberto Fernando Rodrigues (1921 –  ? ) filho de Fernando de Senna Fernandes Rodrigues e de Ângela Edmée Jorge era  engenheiro civil. Foi vice-presidente da Associação dos Exportadores e Importadores de Macau e condecorado com a Medalha de Mérito Industrial e Comercial (Portaria 353/99/M de 27 de Setembro).
Anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/humberto-f-rodrigues/
Aconselho leitura: “A ÚNICA EMPRESA PORTUGUESA COM 100 ANOS” de Liane Ferreira publicada no JTM, em 8 de Setembro de 2016
http://jtm.com.mo/local/unica-empresa-portuguesa-100-anos/