Archives for posts with tag: Hotel Bela Vista / Boa Vista

Fotografia (autor desconhecido), de 1899, retirada de (1) com as seguintes indicações:

Macau – view of Praya Grande towards Penha Hill

– “Macao. L’hotel Boa Vista, Aout 99″ (1899)
– A late 19th century view of the Praya Grande of Macau. In the distance the Bela Vista Hotel stands prominently on Penha Hill near the waterfront.” 
(1) http://www.wattis.com.hk/gallery/photographs/9/6898/macau-view-of-praya-grande-towards-penha-hill.html

Retirado (disponível na net) em:
The Directory & Chronicle for China, Japan, Corea, Indo-China, Straits … , 1904, p. 492

Referências anteriores a estes dois hóteis em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-bela-vista-boa-vista/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-riviera/

Retirado (disponível na net) de
The Directory & Chronicle for China, Japan, Corea, Indo-China, Straits ..., 1904, p. 492.
Sobre este hotel, depois «Hotel Bela Vista», ver anteriores referências em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-bela-vista-boa-vista/

Notícia curiosa referenciada em 17 de Fevereiro de 1913: (1)
Queixa apresentada por W. Farmer, (2) gerente do «Macao Hotel», (3) contra o facto de os culis se servirem de um cais fronteiro ao seu hotel, na Praia Grande para mictório. Providências tomadas pelo Governo.
(1) Processo n.º 416 – Série Q, dos Arquivos de Macau in Boletim do Arquivo Histórico de Macau, Tomo I (Jan/Jun 1985).
NOTA. Esta mesma notícia é reproduzida por Luís Gonzaga Gomes (Catálogo dos Manuscritos de Macau, 1965) com a data de 17 de Maio de 1913. Não sei qual a data exacta, confirmação essa só com uma consulta directa do Arquivo da Repartição Provincial dos Serviços de Administração Civil (documentos referentes ao ano de 1913) existente no Arquivo Histórico de Macau.
(2) Em Maio de 1903, W. Farmer comprou por 20 mil patacas o «Hotel Hin-Kee» de Macau mudando o nome para «Macao Hotel». O objectivo inicial do Sr. Farmer era conseguir o arrendamento do Hotel «Boa Vista» que os franceses pretendiam comprar para aí instalarem um sanatório mas o governo (por pressão dos ingleses que duvidavam das verdadeiras intenções dos franceses) expropriou o edifício e vendeu-o à Santa Casa da Misericórdia.
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/04/25/postais-macau-em-bilhetes-postais-antigos-vi/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-hing-kee/

anuario-de-1927-liceu-central-de-macau-iO Liceu Central de Macau (1927)

No dia 11 de Dezembro de 1923 foi nomeada Amália Alda Jorge para reger, interinamente, as disciplinas do 2.º grupo Português/Francês -do Liceu Central. Terá sido, ao que sabemos, a primeira professora do sexo feminino, no Liceu Central. (1) (2) (3)
Nesse ano de 1923, o Liceu de Macau estava instalado no edifício do antigo “Hotel Boa Vista”. Só a 12 de Julho de 1924, mudaria a instalação para o prédio n.º 89 da Rua Conselheiro Ferreira – as fotos do Liceu no ano de 1927.

anuario-de-1927-liceu-central-de-macau-ii-escadasA entrada do Liceu Central de Macau (1927)

Amália Alda Pacheco Jorge, é a filha mais velha de José Vicente Jorge, nascida em S. Lourenço a 30-08-1898 e faleceu em Lisboa a 17.03.1977. Foi professora primária e em 1923/1924 nomeada professora do 2.º grupo do Liceu. Estudou medicina (1924/1925) em Lisboa cujo curso frequentou até ao 2.º ano tendo regressado a Macau após falecimento da mãe, em 30 de Dezembro de 1926, porque, como irmã mais velha, sentiu-se responsável pelos irmãos (11), alguns deles ainda muito novos. (4)

anuario-de-1927-liceu-central-de-macau-iii-varandaA varanda do Liceu Central de Macau (1927)

(1) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997.
(2) O Liceu de Macau que foi criado pela Carta de lei de 27 de Julho de 1893, regulamentada pela Portaria Provincial de 14 de Agosto de 1894, foi elevado a Central em 8 de Outubro de 1917 pelo Decreto n.º 3.432. Quando foi criado, o Liceu de Macau ministrava em três cursos: o curso geral (4 anos), o de letras (3 anos) e o de sciências (3 anos). Era condição essencial para a matrícula ao Curso de Letra ou de Sciências, possuir os 3 primeiros anos do Curso Geral. Este regime foi alterado pala Portaria Provincial de 16 de Setembro de 1897, que mandou pôr em vigor a organização dos Liceus Nacionais da Metrópole, terminando desde então, os cursos de letras e de sciências, e ficando o Liceu apenas com o Curso Geral, que passou a ser de 5 anos.
(3) Consta no «Anuário de 1924» como professora interina do 2.º grupo (Português e Francês) D. Amália Aldo Jorge. Nomeada secretária da 1.ª e 5.º classe, e regente das seguintes disciplinas: francês 1.ª, 2.ª e 5.ª classe e Matemática da 1.ª classe. O seu pai José Vicente Jorge era professor provisório do 3.º grupo (Inglês); secretário de 6.ª e 7.ª classe e regente das seguintes disciplinas: inglês 2.ª, 3.ª, 4.ª 5.ª 6.ª e 7.ª classe
(4) FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, Vol. II.

O XXIV Grande Prémio de Macau realizou-se nos dias 19 e 20 de Novembro em 1977.
Uns dias antes do acontecimento realizou-se a conferência, no Hotel Bela Vista, onde se reuniram os órgãos de comunicação social de Macau e Hong Kong para tomarem conhecimento da tarefa dos organizadores e dos pormenores do certame. Além da deslocação de equipas de reportagem de vária ordem a fazer a cobertura, nesse ano uma das estações de televisão de Hong Kong fez a transmissão directa das principais provas do circuito.

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-iConferência de Imprensa da Comissão Organizadora presidida pelo Presidente do Leal Senado, Rogério Artur dos Santos (1)

Nos dias 17 a 20 de Novembro, verificou-se o desembarque em Macau de 29 393 passageiros provenientes de Hong Kong, contra 29 514 no ano de 1976, o que dá um saldo negativo de 121 passageiros. O grosso dos treinos e provas confinou-se aos três dias do fim da semana que nesse ano ocupou os dias 18, 19 e 20 de Novembro.

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-iiNos intervalos das provas, exibição de acrobacias numa motocicleta

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-iiiProva do Grande Prémio de Motociclismo: o 1.º classificado (n.º 4) e o segundo (n.º 13), num momento da corrida.

1 – Mick Grant (GBR) – Kawasaki 750
2 – Stan Woods (GBR) – Suzuki RG 500
3 – Akira Terui ( Japão) – Yamaha

Peter Chow de Hong Kong que já vencera a mesma prova em 1973 e viria a ganhar no ano seguinte, em 1978, ao volante de um Toyota Celica foi o primeiro nos carros de Turismo (Corrida da Guia)
1 – Peter Chow (Hong Kong)  – Toyota Celica, n.º. 33 – 1h29m00,82s
2 – Ahmed Khan ( Hong Kong)  – Toyota Celica, n.º. 30 – 1h50m04,58s
3 – Junichi Isobe ( Japão) – Toyota Celica, n.º. 32 – 2h02m00,57s

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-ivPartida para o XXIV Grande Prémio de Macau em automobilismo (fórmula “Pacific”)

O vencedor do 24.º Grande Prémio de Macau foi Ricardo Patrese (2) ao volante dum Chevron C. (N.º 1) com o tempo de 1h 40m e 14,48 s. (40 voltas ao circuito).

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-vmacau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-viO pódio em frente às bancadas (na recta da Avenida da Amizade) no final da prova com os primeiros classificados.

1.º  – Riccardo Patrese (Itália) – Chevron com o tempo de 1h 40m e 14,48 s.
2.º  – Steve Millen (Nova Zelândia) – Chevron C com o tempo de 1h 41m e 48,23 s.
3.º – Andrew Medicke (Austrália) – March C, com o tempo de 1 h 42m e 17,77s.

macau-b-i-t-xii-9-10nov-dez1977-xxiv-gpm-viiNa sessão de entrega dos troféus do XXIV Grande Prémio de Macau pelo Governador, José Garcia Leandro

Pode ver imagens desse ano, 1977, em cantonense, no Youtube
https://www.youtube.com/watch?v=-BZQYSMtEmw
https://www.youtube.com/watch?v=cnLT6b-cqG4
(1) Nesta fotografia, vê-se por trás da mesa, um trabalho artístico de Leonel Barros – quadro de mosaicos com o desenho da Torre de Belém (Lisboa).
(2) Riccardo Patrese, piloto italiano , em 1977, campeão europeu de F3 e vencedor da F2 no Japão, iniciou nesse ano a sua participação na Fórmula Um (até 1993) , e  foi vencedor do Grande Prémio de Macau nos anos 1977 e 1978 com o mesmo carro, Chevron B40-Ford. Voltaria ainda em 1979 com um March Ford mas ficou em 2.º atrás do inglês Geoff Lees
Para os amantes das velocidades, o carro de 1977, n.º 1,  foi restaurado e pode-se vê-lo em
http://riccardopatrese.net/weblog/?p=4208
Fotos e Reportagem in «MACAU B.I.T.», 1977.