Archives for posts with tag: Hóquei em Campo
Extraído de «MBI», IV- 80, 30 de Novembro de 1956, p. 16

NOVEMBRO DE 1956 – Um grupo de amigos homenageou com um jantar à chinesa, que se realizou no restaurante do Hotel «Ng Chau», Filipe do Ó Costa, que nesta Província esteve alguns meses como treinador das equipas do «Hóquei Clube de Macau». («MBI», IV- 80, 30 de Novembro de 1956, pp. 13-14.)

Sobre esta personalidade, ver anteriores referências em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/filipe-o-costa/

Revista “DESPORTO”, n.º 28 de Maio de 1991 ($10.00)

CAPA: O FUTURO COMEÇA AQUI

Desta revista “DESPORTO” (28,5 cm x 21 cm; 22 páginas) de que somente tenho este número (desconheço quantos números foram publicados) tinha como editores, Carlos Prieto, José Babaroca e Lei Chi Kan; com fotografias de Joaquim A. G. Monteiro e o correspondente em Portugal, Luciano Canha

Este número dedica algumas páginas ao hóquei em campo (pp. 11-14)

CONTRACAPA: Anúncio do Instituto dos Desportos de Macau : TRATE DA SUA CONDIÇÃO FÍSICA
p. 12
p. 13

Continuação da postagem referente ao 14.º Torneio Internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, o chamado “PACIFIC RIM INTERNATIONAL MASTERS HOCKEY TOURNAMENT”, (1) que se realizou em Vancouver, B. C. (Canadá), de 17 a 25 de Agosto de 1995, organizado pelo “Vancouver Field Hockey International” (Comissão organizadora do centenário desta organização 1895.1995 – presidida por John McBryde).

29 cm x 21 cm

Capa do ”Souvenir Programme” deste torneio, editado (12 páginas) pelo “Hong Kong Hockey Association Veterans section” da “Hong Kong Hockey Association”

29,2 cm x 21 cm

Capa do ”Souvenir Programme” deste torneio, editado (68 páginas) pelo “Singapore Veterans Hockey Association” da “Singapore Hockey Federation”

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hoquei-clube-de-macau-veteranos/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2022/08/17/noticias-de-17-25-de-agosto-de-1995-14th-international-masters-hockey-tournament-vancouver-b-c-i/

Outra camisola desportiva (1) do “MACAU SPORT CLUBE DESPORTIVO”, clube participante do campeonato de hóquei em campo na década de 90 (século XX), no relvado sintético do campo de Tap Seac.

Peça de roupa, usada para desporto, de mangas curtas, de cor branca, com o logotipo do clube a preto e do patrocinador “Techdeco Interior design” a cor.

Frente
Logotipo do Clube
Dorsal com logotipo do patrocinador
Logotipo

(1) Anterior postagem em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2022/07/23/vestuario-desportivo-camisola-macau-sport-clube-desportivo-i/

CAPA DO PROGRAMA

O 14.º Torneio Internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, o chamado “PACIFIC RIM INTERNATIONAL MASTERS HOCKEY TOURNAMENT”, (1) realizou-se em Vancouver, B. C. (Canadá), de 17 a 25 de Agosto de 1995, organizado pelo “Vancouver Field Hockey International” (Comissão organizadora do centenário desta organização 1895.1995 – presidida por John McBryde).

Mensagem do presidente do “Centenary Celebrations Committee”

Participaram neste torneio as seguintes selecções: Australia, Brunei Darussalam, Canada, Hong Kong, Korea, Macau, Malaysia (SAS), Nova Zelândia e Singapura

Informações
MAPA
Horários I
Horários II
Delegação de Macau
Resultados dos jogos

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hoquei-clube-de-macau-veteranos/

Camisola desportiva do “MACAU SPORT CLUBE DESPORTIVO”, clube participante do campeonato de hóquei em campo na década de 90 (século XX), no relvado sintético do campo de Tap Seac.

Peça de roupa, usada para desporto, de mangas curtas, de cor branca, com o logotipo do clube e dos patrocinadores a vermelho. .

Frente da camisola
Logotipo do clube
Logotipo de um dos patrocinadores, na manga direita
Logotipo de outro patrocinador, na manga esquerda

Apresento 4 pins/pinos relacionados com o Hóquei em Campo de Macau.

O primeiro (á esquerda na 1.ª foto), é a dos “VETERANOS”, já divulgado em anterior postagem.(1) O segundo (meio na foto) era o emblema oficial do Hóquei Clube de Macau. O terceiro (à direita na foto) é o mesmo emblema mas com uma legenda inferior “Associação de Hóquei de Macau

Pin/pino com cerca de 2,7 cm por 2,5 cm – maiores dimensões: vertical e horizontal
Pin/pino com cerca de 2 cm por 2,3 cm – maiores dimensões: vertical e horizontal
Pin/pino de forma triangular (lado 1,5 cm )

O 4º pino tem o formato triangular (lado 1,5 cm) com o mesmo emblema e a legenda inferior “MACAU

Dentro dum saco de plástico, feito pela empresa “Perfect” em Kowloon (Hong Kong)

(1)https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/11/27/lembranca-pin-hoquei-clube-de-macau-veteranos/

No Campo da Caixa Escolar, realizou-se, no dia 28 de Janeiro de 1956, o «Interport» lusitano de Hóquei entre as equipas de honra do Hóquei Clube de Macau e do Clube de Recreios de Hong Kong, que terminou por 4 a 0, a favor da equipa local.

Os grupos contendores disputaram a Taça «Governador Esparteiro», lindo troféu oferecido pelo Governador da província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro, há três anos. A Taça começou a ser disputada na época de 1952-53, tendo a equipa de Macau ganho nessa época, assim como nas duas seguintes.(1)

NOTA- desconheço a data do fim destes encontros desportivos anuais entre o Clube de Recreios de Hong Kong e o Hóquei Clube de Macau. Recorda-se que o governador Marques Esparteiro que iniciou seu governo em 23 de Novembro de 1951, terminou-o em 27 de Novembro de 1956.

(1) Extraído de «MBI», III, n.º 60 – Janeiro de 1956) p. 14

Mais uma crónica de Henrique de Sena Fernandes, este referente aos jogos de hóquei em campo , da equipa de Hóquei Clube de Macau no período do dia 29 de Dezembro de 1934, a 4 de Janeiro de 1935. (1)

“Em Dezembro, as atenções de Macau desviam-se para a visita a Malaia do Macau Hóquei Clube, para uma série de jogos. Aparecem de toda a parte boas vontades para ajudar os “rapazes”. O Governo e o Leal Senado subsidiam, o mesmo procedendo entidades particulares, como Júlio Eugénio da Silva e António Maria da Silva. A Academia de Amadores do Teatro e Música leva a efeito a peça “As Alegrias do Lar”, entregando todo o produto da receita àquele clube desportivo. Na venda dos bilhetes distinguem-se Celeste Vidigal, Celsa Rodrigues e Guidinha Nolasco, que mereceu um agradecimento público do referido clube. Em 24 de Dezembro, os representantes do hóquei partiram de Hong-Kong no “Tilawa”, a caminho de Singapura. Macau ficou aguardando, com grandes expectativas, o triunfo deles. Foram quatro os jogos entre 29 de Dezembro e 4 de Janeiro de 1935. O primeiro jogo realizou-se entre Macau e a selecção de europeus de Singapura, com o resultado a nosso favor de 2-1. O segundo desafio, no último dia do ano, com resto de Singapura, isto é, uma selecção de jogadores não europeus, em que perdemos por 4-2. Para Macau foi um banho de água fria. No dia 2 de Janeiro de 1935, realizou-se em Kuala Lumpur o jogo principal: Macau-Malaia. A nossa linha era a mesma que no ano anterior enfrentara a Malaia:

Almada; Pinto Cardoso e Jacinto Rodrigues; Lino Ferreira, João dos Santos Ferreira e Alexandre Airosa; Frederico Nolasco da Silva, Laertes da Costa, Fernando Ramalho, Rui Hugo do Rosário e Amílcar Ângelo. Reservas – Pedro Ângelo Jr., João Nolasco da Silva e Leonel de Oliveira Rodrigues.

Era o jogo principal. O resultado foi duro para nós: perdemos por 3 bolas a zero; os goals metidos no primeiro quarto de hora da primeira parte. Ouçamos Filipe O’Costa: Antes do jogo, chuva. E assistimos novamente ao descalçar dos sapatos, como em Singapura. Mas houve pior. No primeiro quarto de hora, o nosso grupo, por nervosismo, por cansaço ou pelas duas causas reunidas, jogou mal como raras vezes o tenho visto jogar e os goals vieram, inexoravelmente. Eu, a arbitrar, quási que arranquei os cabelos. Mas honra lhes seja, não desanimaram e começaram a mostrar o que sabem; daí por diante o jogo foi igual e até com notável domínio nosso no final da segunda parte.Passado esse quarto de hora negro, todos jogaram bem, especialmente Ferreira, Rosário e Jacinto, embora o último não tivesse sido tão brilhante como em Singapura”. O último jogo, em 4 de Janeiro, realizou-se em Malaca, em que Macau venceu por 2-0, num “jogo agradável e regular” com “grande assistência, a maior, segundo nos disseram, que ainda presenciou um desafio de hóquei em Malaca”.

O telegrama recebido no dia 3 de Janeiro, anunciando a derrota com a Malaia, causou enorme consternação. A cidade portuguesa pareceu enlutada. No entanto, a actuação do nosso grupo em todos os desafios mereceu grandes encómios da imprensa de Singapura e de Kuala Lumpur. Macau Hóquei Clube não saiu desprestigiado e foi considerado um dos melhores grupos da Ásia. À chegada, o grupo foi recebido por uma grande massa de aficionados. A Sociedade da União Recreativa deu em honra dele, no dia 13 de Janeiro, uma “soirée dançante”, que decorreu muito animada até alta madrugada, interrompida apenas para um fino “copo de água” e para o discurso entusiástico do Presidente da Agremiação, António F. Batalha.(1)

(1) FERNANDES, Henrique de Senna – Cinema em Macau III (1932-1936). Revista de Cultura, N.º 23 (II Série), Abril/ Junho 1995. Instituto Cultural de Macau, pp. 133-170. http://www.icm.gov.mo/rc/viewer/30018/1706

Continuação das postagens anteriores sobre o 15.º Torneio internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, (1) (2) realizado em Hong Kong, de 21 a 29 de Novembro de 1996, no  campo central do hipódromo de “Happy Valley”

Lembrança oferecida pelo capitão da equipa australiana após o encontro Austrália-Macau ao melhor jogador macaense em campo, apesar de “sofrer” cinco bolas nas suas redes.

Dimensões: 9,5 cm topo; 11,5 cm vertical

Da esqªp/dtª – de pé: Ernesto Silva, José dos Santos Ferreira Jr, Osório Cordeiro, António Almeida, Frederico de Sousa, Eduardo de Jesus, Gaspar Conceição, Filomeno Jorge, Filomeno Airosa, Fernando Silva, Rui Izidro, Manuel Assis, Jorge Silva.

1.ª Fila: António Cordeiro, Aniceto Gabriel, Vítor Pereira, Diógenes Dias, João Colaço, João Fazenda, J. Leitão Pereira, Rodolfo Dias, Paulo S. Fernandes (árbitro)