Archives for posts with tag: Hong Kong Canton & Macao Steamboat Cº

Anúncio de  1920, em inglês, das carreiras marítimas, entre Hong Kong, Cantão e Macau das companhias de navegação “The Hong Kong, Canton & Macao Steamboat Company, Limited”, “China Navigation Company, Limted” e “Indo-China Steam Navigation Company Limited”, sediadas em Hong Kong., (1)

(1) A Handbook to the West River – Being a Short Description of the Chief Places of Interest between Canton & Wuchow. Published by the Hong Kong, Canton & Macao Steamboat Co., Ltd, 1920 https://digitalrepository.trincoll.edu/cgi/viewcontent.cgi?referer=https://www.google.com/&httpsredir=1&article=1029&context=moore

Anúncio em inglês de 1920, inserida numa publicação “turística” editada em Hong Kong.

O “Hotel Macao”/ “Macao Hotel” situado no Centro da Praia Grande  com entrada na Rua da Praia Grande n.º 65, tinha uma fachada de três pisos, que dava para a praça da Praia Grande, e proporcionava uma ampla vista panorâmica da zona ribeirinha e da marginal orlada de pinheiros, e uma porta lateral sque dava para  futura Avenida de Almeida Ribeiro. O luxuoso hotel era o preferido dos turistas e comerciantes  abastados e dos convidados oficiais.

Anteriormente chamado Hotel “Hing Kee” (o proprietário do hotel era o sr. Leong Hing Kee / Pedro Hing Kee, grande negociante/comerciante em Hong Kong e em Macau) (1) foi depois remodelado, passando a ser conhecido em 1903, como “Macao Hotel” e depois na década de 20 (séc. XX) “New Macao Hotel” com entrada principal na Avenida Almeida Ribeiro. Após a morte do proprietário, o hotel de novo entrou em obras, permanecendo a entrada pela Avenida Almeida Ribeiro, e reinaugurado com o nome de “Hotel Riviera” de 1928 até 1969, quando foi demolido. Em 1974 erigido no mesmo local o edifício Comercial Nam Tung e depois reconstruído, em 1998 para sede do Banco da China, em Macau.

(1) Pedro Leong Hing Kee (alias Pang Ahim) (segundo algumas fontes, além do chinês, falava francês, inglês e português?) era entre 1870 e 1880, dono de dois hotéis de luxo em Hong Kong “Hong Kong Hotel” e Victoria Hotel” e depois em 1890 fixou-se em Macau,. envolvendo-se  em vários negócios, como por exemplo, negociante de gelo neste anúncio de 1922

Pedro Hing Kee era proprietário do hotel “Hing Kee” (também chamado “Hotel Victória“) , inaugurado em 1880, e em Maio de 1903, vendeu-o por 20 mil patacas a William Farmer. (2) Há uma outra informação que refere ter o Hotel “Hing Kee”, pertencido de 1891 a 1903 a um chinês, rico comerciante do Havai (3)

(2) William M. Farmer, australiano do ramo da hotelaria, veio para Hong Kong em 1890 para trabalhar no “Victoria Hotel” e depois “New Victoria Hotel” que ele comprou, em 1898. Em 1892 associado ao negociante parse, Sr. Madar, adquiriu o “King Edward Hotel”. Nessa década, terá vindo a Macau e achou que era proveitoso investir na hotelaria em Macau e havia só dois hotéis que o satisfazia: hotel Boa Vista e o hotel Hing Kee. Quis arrendar o Hotel-sanatório Boa Vista, mas este foi cedido à Santa Casa da Misericórdia, em 1901, por 80 mil patacas. Comprou o Hotel Hing Kee, em 1903 rebatizando-o como “Macao Hotel”.

 (3) “Quando Chun Afong (1825-1906), um rico comerciante do Hawaii, visitou Macau na companhia do filho no verão de 1891, tentou entrar no Hotel Victoria, mas foi impedido pelo porteiro que lhe explicou que “cães e chineses não eram admitidos”. Chun ficou irritadíssimo e pediu para falar com o gerente do hotel, a quem ofereceu 5.000 dólares americanos pela compra do Hotel. Uma vez adquirido, o hotel mudou de nome e passou a chamar-se “Sei Hoi Fong Un” (o jardim de Fong dos quatro mares).” (“As Ruas Antigas de Macau”, I.A.C.M., 2016,p. 29)

Anteriores referências a este hotel em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-new-maca

No dia 18 de Setembro de 1906, o barco da carreira diária entre Macau e Hong Kong «Heung.Shan», (1) transportando cerca de 500 passageiros foi colhido de surpresa no alto mar, quando seguia para Hong Kong, por uma violenta tempestade, às 10,30 horas, indo encalhar de encontro a uns rochedos junto da ilha de San Tchau. Durante a confusão muitos passageiros chineses, transformados em ladrões, trataram de despojar os outros passageiros de todos os seus haveres. (2) (3)

“HEUNG SHAN being salvaged following typhoon of 1906 “(ebay)

Nesse ano, a região foi atingida por dois tufões em curto intervalo de tempo, a primeira entre 16 a 18 de Setembro e a segunda entre 26 e 30 de Setembro O primeiro foi mais violento produzindo muitos estragos, naufrágios e perdas de alguns milhares de vidas nas regiões vizinhas. O jornal “The Argus” (Austrália) (4) deu a seguinte notícia:
HONG KONG TYPHOON. DAMAGE, FOUR MILLIONS.FIVE THOUSAND LIVES LOST. LONDON, Sept. 20.
Further damage has been done in Hong Kong by a second typhoon. The total amount of damage caused in Hong Kong and vicinity by the first disastrous disturbance is stated to be £4,000,000. The loss of life sustained by Chinese, principally those manning the sampans and junks which were sunk in the harbour, is estimated at 5,000. The British naval sloop «Phœnix» was totally wrecked.
The Hong Kong, Canton, and Macao Company’s steamer Heung-Shan, 1,905 tons, was overtaken by the typhoon whilst on the voyage from Macao to Hong Kong, and blown  ashore on Lantao Island. She had amongst her passengers 1,700 Chinese. The whole of her European passengers were saved, but a large proportion of the Chinese lost their lives, despite heroic attempts for their rescue, made by the European passengers and ship’s  officers…(…)”
(1) O barco de aço a vapor “HEUNG-SHAN” de dois hélices, lançado a 22 de Fevereiro de 1890, era um transporte de carga e passageiros, de 1985 grt (em inglês) ou Tab (tonelagem de arqueação bruta  Construído para a companhia de transporte “Hong Kong, Canton & Macao Steamboat Co. Ltd”  (5) sediada em Hong Kong. Em 29/02/1924 encalhou nas rochas perto de Whampoa,. Foi vendido e posto de novo a flutuar sendo reparado em 12/1924. Em 1926 sofreu reparações, aumentando a capacidade para 3412 grt /tab.  Em 1927 vendido e posteriormente,  revendido com sucessivas  alterações de nome: 1927 – CHANG-HSING ; 1938 – APRILIA; 1945 –  CHANG-HSING
Afundou-se em 09/05/1948, a 40 milhas de Woosung em Tungchow , numa viagem de Hankow para Tungchow e Shanghai
http://www.clydeships.co.uk/view.php?of=&a1Order=Sorter_ship_list_bld_ref&a1Dir=ASC&a1Page=2811&ref=51036&vessel=HEUNG-SHAN
Anteriores referências a este barco
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/heung-shan/
(2) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Vol 4, 1997)
(3) No capítulo 7 do livro “Pirates and the Garrisoning of Taipa and Coloane” de Minnie Leola Crawford, uma jovem viajante, escrevia em 1914:
We made the forty mile trip on the British river-boat “Heung-shan” in company with two other English steamers, since upon these piratical waters vessels must travel in small fleets equipped to combat with the buccaneers who make this the most dangerous water route in the world. It was with a strange sensation that we stepped about this miniature war vessel bristlong with guns and policed by armed Sikhs. Who patrolled the barred hatchaways… (…)”
(4) «The Argus» (Melbourne, Vic.: 1848 – 1957)  Sat 22 Set 1906  Page 15 – HONG KONG TYPHOON.
https://trove.nla.gov.au/newspaper/article/9638352
(5) Sobre esta companhia de navegação, aconselho leitura (em inglês):
“Illustrated Fleet lists of Steamship Companies of the China Coast and Canton and Yangtze Rivers “ de Howard W. Dick  e  Stephen A. Kentwell, disponível para leitura em:
https://docs.wixstatic.com/ugd/45c03c_05b3119890ae4b1fa482644905ba138e.pdf

Mais dois anúncios da Companhia de navegação «HONG KONG, CANTON, & MACAO STEAMBOAT COMPANY, LIMITED», publicados pelo jornal « The Directory & Chronicle for China, Japan, Corea, Indo-China, Straits…»,  nos anos de 1873 e 1889. (1)

ANÚNCIO DE 1873

Neste anúncio consta como Presidente do Conselho dos Directores, o Visconde do Cercal.
O agente em Macau era a firma “A. A. de Mello & Co”, na “Praya Grande”, que tinha como dirigente, o Barão do Cercal na ausência do Visconde do Cercal  e os funcionários F. A. da Cruz e R. Pereira.
Ao serviço estavam três barcos, o «White Cloud» que fazia a ligação Hong Kong – Macau – Hong Kong e os «Kiukiang» e «Kinshan» que faziam a carreira de e para Cantão O capitão do navio a vapor “White Cloud” tinha como capitão G. Brady, o engenheiro das máquinas era W. Low e o comissário de bordo, F. Lopez.

ANÚNCIO DE 1889

O agente em Macau era F. A. da Cruz e em Cantão a «Deacon & Co»
A carreira para e de Macau eram feitas pelos navios «White Cloud», «Kiungchow» e «Chunkiang»
Anteriores referências sobre este tema:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/06/14/postal-de-1890-navio-heung-shan-atracado-em-macau/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/a-a-de-melo-co/
(1) https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?id=uc1.$b581037;view=1up;seq=834

Fotografia (autor desconhecido), cerca 1890, retirada de (1) com as seguintes indicações:

Hong Kong Ferry Heung-Shan, moored at Macao

An early photograph  of the Hong Kong ferry Heung-Shan moored at Macao. On the river in the foreground there is a lot of activity with people on sampans.
– At the time pirates in the Pearl River would have made this a risky journey between Hong Kong and Macau, even on a large steam boat. A contrast to the modern day high speed Turbocat which gets you there in one hour.
Não consegui dados referentes a este navio em 1890 mas em 1892,  (2) o “Heung Shan” era propriedade da “Hong Kong, Canton & Macau Steam-Boat Company, Ld”, (3) empresa sediada em Hong Kong que tinha como seu agente em Macau, A. A. de Cruz.
O “Heung Shan” com pavilhão britânico, que fazia a carreira entre Hong Kong e Macau era um navio de 1055 toneladas, capitaneado por W. E. Clarke e entre a tripulação tinha como comissário de bordo (oficial encarregado do serviço de passageiros) o macaense C. M. d´Eça. (4)
(1) http://www.wattis.com.hk/gallery/photographs/9/6007/hong-kong-ferry-heung-shan-moored-at-macao.html
(2) The Directory & Chronicle for China, Japan, Corea, Indo-China, Straits Settlements, Malay States, Sian, Netherlands India, Borneo, the Philippines, &c. 1892
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/06/13/anuncio-de-1904-canton-macao-and-west-river-steamers/
(4) Celidónio Maria de Eça nasceu em Hong Kong (1862) e faleceu em Macau (1909). Primeiro filho de António de Eça Vaz Bernardes (1826-1888) que foi comissário de bordo do vapor «White Cloud»,um dos primeiros barcos da empresa «Hong Kong, Canton and Macao Steamboat Co» (de que era director o seu amigo Barão do Cercal) que fazia a ligação Hong Kong –Macau. (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaense Volume I, 1996).