Archives for posts with tag: Fórum de Macau

Continuação da divulgação dos bilhetes postais emitidos pelos Correios de Macau, em 1999, aquando da comemoração do estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China (1) (2)
BPL 005 – FORUM DE MACAU com selo de 3.50 patacas e carimbo comemorativo
Festejar: dragões coloridos dançam alegremente em frente do Fórum.
BPL 006 – CENTRO CULTURAL DE MACAU com selo de 2.50 patacas e carimbo comemorativo.
Festival de Música: ouve-se música em crescendo no Centro Cultural de Macau.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/01/02/bilhetes-postais-comemorativos-de-1999-i/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/01/05/bilhetes-postais-comemorativos-de-1999-ii/

Liceu Macau - Pe. Teixeira IInauguração do complexo Escolar denominado Liceu de Macau que era constituída por duas escolas: a Escola Secundária do Infante D. Henrique  e a Escola Preparatória do Dr. José Gomes da Silva.
Ocupava uma área de 18000 m2 numa zona de aterros do Porto Exterior, vizinha ao então Forum do Território.
NAM VAN n.º 21 - 1986 Liceu de Macau IEste edifício (1) foi projectado em 1978, com início das obras  2 de  Setembro de 1982 e foi inaugurado pelo governador Contra-Almirante Almeida e Costa a 4 de Janeiro de 1986. O autor do projecto foi o arquitecto Tomás Taveira.

Liceu Macau - Pe. Teixeira IIPlaca comemorativa de inauguração do Complexo Escolar, denominado Liceu de Macau

O Liceu ocupa uma área de 18.000 m2, dos quais 8.000 m2 foram destinados à construção do edifício. Uma ampla zona de espaços exteriores permitiu a criação de vários campos desportivos, de zonas para convívio e pátios interiores para os alunos utilizarem no dias de mau tempo.
NAM VAN n.º 21 - 1986 Liceu de Macau IINo último piso funciona o Centro Pedagógico-Didáctico (C.A.P.D.), cujo objectivo principal é, como a sua própria designação indica, o apoio pedagógico e didáctico aos docentes do Liceu e aos das escolas particulares do Território. A televisão educativa é também um das sua principais componentes.
Do Liceu de Macau faz parte um Auditório com capacidade para 450 lugares, concebido para a realização de seminários, encontros, palestras, peças teatrais, etc. A Biblioteca, cujo espólio documental é, na sua maior parte, composto por documentos que idos das antigas instalações, foi devidamente equipada, quer em meios humanos, quer em meios materiais para permitir o seu cabal funcionamento.
Possuiu, também, o Liceu de Macau salas específicas apetrechadas com material moderno, havendo a destacar a sala de informática, que conta com 24 terminais, laboratórios de línguas, laboratório de ciências naturais, laboratórios de física e de química, sala de música, sala de audiovisuais, etc. . Para a prática da natação dotou-se o Liceu de uma magnífica piscina, cujas águas podem ser aquecidas no Inverno.” (2)

Liceu Macau - Pe. Teixeira VO primeiro edifício – Convento de St.º Agostinho que albergou o Liceu de Macau aquando da sua inauguração em 1894

“O projecto regulando a instrução secundária em Macau foi aprovado  a 30 de Junho de 1893, com a criação do Liceu Nacional de Macau. Foi inaugurado com 31 alunos a 28 de Setembro de 1894, ficando instalado no convento St.º Agostinho, antigo quartel da extinta Guarda Policial, ficando reitor o dr. José Gomes da Silva.

Liceu Macau - Pe. Teixeira IIIColégio dos Órfãos, depois Asilo das Inválidas, onde funcionou o Liceu de 1924 a 1956

Certo dia ruiu o convento, passando o liceu para um casarão entre a Praia Grande e o Leal Senado; dali passou para o hotel Bela Vista, daqui para o edifício da Avenida Conselheiro de Almeida (antigo Colégio dos Órfãos e depois Asilo das Inválidas) –  actualmente designado Edifício do Instituto Cultural – donde foi transferido para edifício próprio do Porto Exterior, entre as Avenidas Dr. Oliveira Salazar (hoje, Avenida da Amizade) e Infante D. Henrique

Liceu Macau - Pe. Teixeira IVO edifício do Liceu Nacional Infante D. Henrique na Avenida da Amizade (1956-1986)

e em 1986 para novo edifício do Porto Exterior (2)
(1)  Actualmente o edifício está integrado no conjunto de construções que  constituem o chamado Campus do Instituto Politécnico de Macau, (澳門理工學院) – instituição pública de ensino superior – cuja entrada principal é na Rua de Luís Gonzaga Gomes.
(2) TEIXEIRA, Monsenhor Manuel – Liceu de Macau. Direcção dos Serviços de Educação, 1983, 578 p.+ anexos.
Sobre o Liceu, anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/liceu-de-macau/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/liceu-nacional-infante-d-henrique/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/liceu-centralnacional-de-macau/
Fotos retirados de (2) e revista «Nam Van», 1986.

Folheto C.M.D. CAPAFolheto de 29,5 cm x 21 cm, desdobrável (duas dobras), editado pelo Instituto dos Desportos de Macau, divulgando e promovendo o Centro de Medicina Desportiva, aquando do sua inauguração, na década de 80. Em português e chinês.

O Centro de Medicina Desportiva (C. M. D.)quando foi inaugurado,  estava localizado no Forum de Macau, na Avenida de Marciano Baptista, no quarto andar. (1)

Folheto C.M.D. CAPA+CONTRACAPAOBJECTIVOS DO CENTRO DE MEDICINA DESPORTIVA:

  1. Realizar a avaliação clínica e funcional dos atletas.
  2. Promover estudos de natureza científica e médico-desportiva.
  3. Contribuir para a prevenção das lesões e doenças resultantes da prática desportiva.
  4. Assegurar o apoio médico às competições desportivas.
  5. Controlo anti-doping.

Folheto C.M.D. InteriorFolheto C.M.D. IO QUE PODE OFERECER O C.M.D.

  1. Exames de aptidão médico-desportiva.
  2. Consultas de traumatologia desportiva para diagnóstico e tratamento das lesões resultantes da prática desportiva. Estas consultas são apoiadas por uma unidade de fisioterapia e reabilitação funcional.
  3. Apoio científico aos agentes desportivos através de colóquios e prelecções a fim de elevar o nível e conhecimentos, proporcionando-lhes novos horizontes e tecnologias científicas mais avançadas

Folheto C.M.D. IIFolheto C.M.D. IIIA QUEM SE DIRIGE O C.M.D.
O C. M. D. dirige-se a todos os desportistas, treinadores, árbitros e, de uma forma geral, a todos os agentes desportivos, filiados em organizações do desporto associativo.

Folheto C.M.D. V

Folheto C.M.D. IV

Numa folha separada (21 cm x 9,8 cm), a publicação do “Regulamento dos Exames Médico-Desportivos” (constituído por 10 artigos), num lado em português e no verso, em chinês.

Folheto C.M.D. Regulamento português

Folheto C.M.D. Regulamento chinês(1)  O C.M.D. actualmente serviço do Instituto do Desporto, está situado na Avenida dos Jardins de Oceano da Taipa, n.º 220 (2 andares).

NOTA: um grande abraço ao Dr. Humberto Évora, dinamizador do Centro e seu primeiro director.

Começou neste dia de 1987, o Simpósio Internacional sobre Factores de Risco para Doenças Cardiovasculares / International Symposia on Risk Factors for Cardiovascular Diseases, com uma cerimónia inaugural, no Fórum de Macau.(1)
Este Simpósio foi organizado pelos Serviços de Medicina do Hospital Conde S. Januário e a Sociedade de Cardiologia de Hong Kong.
Os trabalhos científicos decorreram de 16 a 20 de Setembro, no Fórum II, tendo no dia 18, os congressistas deslocados a Hong Kong onde tiveram uma parte dos trabalhos, no Hotel Sheraton em Kowloon.
A fim de assinalar este simpósio os Correios de Macau, emitiram envelope (22 cm x 11cm) e carimbo próprios para o 1º dia de circulação em 16 de Setembro. Estes puderam ser adquiridos, nesse dia, no Edifício dos Correios de Macau ou no secretariado do simpósio no Fórum.

1987 Simpósio Int Factores Risco CV Inst musicais

Os selos colocados no envelope eram das séries existentes na altura, e  escolhidos pelos compradores.
Este envelope contém seis selos da série (emissão extraordinária) “Instrumentos Musicais Regionais” que foi emitida em 22-05-1986. (2) Os selos postais têm os seguintes valores (com as denominações dos instrumentos):
0,20  patacas – SUO-NA;
0,50 patacas – SHENG;
0,60 patacas – ER-HU;
0,70 patacas – RUAN;
5.00 patacas – CHENG;
8.00 patacas – PI-PA

(1) O Fórum de Macau era na altura o maior pavilhão polidesportivo em Macau. Tinha no seu interior dois pavilhões, o maior, mais vocacionado para as actividades desportivas (capacidade para 4000 pessoas) e o menor (Fórum II, onde se realizou este Simpósio) que tinha (tem ?) uma capacidade para cerca de 300 pessoas, mais utilizado para espectáculos (teatro, musica, etc.), reuniões científicas e outras.
(2) Boletim Oficial de Macau n.º 17 de 26 de Abril de 1986 – Portaria n.º 69/86/M
Emite e põe em circulação selos postais e respectivos blocos especiais alusivos aos “Instrumentos Musicais Regionais” (emissão extraordinária)

BO 69-1986 Emissão Inst Musicais