Archives for posts with tag: Forte de Nossa Senhora de Bomparto/Bomporto

A publicação “ Description of a View of Macao in China, now Exhibiting at the Panorama, Leicester Square”, de 1840, (1) apresenta dois desenhos de Robert Burford, (2) do Porto Interior de Macau.
O primeiro – uma vista do Porto Interior (da Penha à Guia), assinalando com uma numeração os principais pontos de interesse (salientando as residências dos britânicos) acompanhados depois no texto com uma pequena descrição de alguns destes pontos;
o segundo – a mesma vista mas dos barcos ancorados nas águas do Porto Interior.
Reproduzo o primeiro destes desenhos, decompondo-o em três partes, acompanhado dos textos:
………………………………………………………………………….continua
(1) “Description of a view of Macao in China now exhibiting at panorama , Leicester Square, painted by the proprietor Robert Buford, London, 1840″, 12 p. Digitalizado por “Internet Archive”/ “Google” de “The Getty Research Institute” / Cornell University
https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?d=gri.ark:/13960/t6938b464&view=1up&seq=7
https://babel.hathitrust.org/cgi/pt?id=coo.31924023217676&view=1up&seq=16
(2) Robert Burford, 1791-1861. Artista conhecido pela série de “Panoramas” dos muitos sítios que visitou e que foi publicando de 1827 a 1846 – disponível na net.

Ta-Ssi Yang-Kuo MAPA Macau sec. XVII »1638Macau no seculo XVII (depois de 1638)
(Margem do porto interior, vista da Lapa – Fac-simile (reduzido) d´uma antiga gravura hollandeza) (1)

Apezar de não ser não ser desenhada com as devidas proporções, é curiosa porquie é das mais antiga s que conheço. Representa a margem que deita para o porto interior, vista da ilha da Lapa. Para mais facil comprehensão colloquei diversos números que indicam:
1- Fortaleza do Monte; 2 – Ermida e fortaleza da Guia; 4- Ermida e fortaleza (?) da Penha; 5 – Forte do Bom parto ?  ou bateria no alto do monte imminente à fortaleza da Barra ?; 6 – Fortaleza de S. Thiago da Barra; 7 – Pagode da Barra; 8 – Convento de S. Paulo; 9 – Porta do cerco.
É curioso notar n´esta gravura: os torreões da fortaleza do Monte; a Guia já com fortaleza, o que mostra ser a gravura posterior ao anno de 1638 (2);  as ameias e canhoneiras que se notam no muro que circumda a ermida da Penha; e a indicação d´um reducto ou bateria na altura sobranceira à Barra, de que hoje não restam vestígios. E a que vae indicado com o n.º 5, que não parece seja a fortaleza de Bom  porto, (ou Bom parto) que está na outra margem da cidade e não podia ser vista do ponto da Lapa d´onde foi tirada a estampa.” (1)

(1) PEREIRA, J. F. Marques – Ta-Ssi-Yang-Kuo, 1899-1900. Edição da Direcção dos serviços de Educação e Cultura / Arquivo Histórico de Macau, 1984.
(2) A fortaleza de N.ª Senhora da Guia teve princípio em setembro de 1637 e terminou em março de 1638. (1)

“No topo da colina da Penha existia outrora um forte que é anterior a 1623, (1) como se prova dum documento relativo a D. Francisco Mascarenhas, governador de Macau (1623-1626). A 1 de Fevereiro de 1625, este governador requereu ao ouvidor António Camelo Serrão que fizesse um inquérito judicial sobre os seguintes pontos:

«que vindo a esta cidade para Capitão geral com gente nella e ordem para a por em toda a boa defenção e desciplina, ordenou três Companhias na melhor forma que lhe foy possível. E tanto que o teve feito loguo os seus soldados occuparão os postos e forão fazer vegia na barra, no forte de São Francisco e no de Penha de França» (2)

 Não há dúvida da existência deste forte em Macau. Montalto de Jesus (3), cita um velho manuscrito francês un petit lieu ao bord de la mer au pied d´une  montagneoù autrefois les Portugais ont eu une forteresse mesmes qu´il y en a beaucoup  qui y habitente”.
Este forte estava ligado à fortaleza de Nossa Senhora de Bomparto/Bomporto  por uma muralha “Do Bomporto estendia-se uma muralha que ultrapassava a elevação da Penha”.  (3)

Forte da Penha LJUNGSTETNesta velha estampa, vê-se a muralha que ligava a Fortaleza de
Nossa Senhora da Penha à Fortaleza de Bomparto, s/ data (4)

O forte foi demolido devido às suspeições chinesas que receavam a fortificação e a construção de muralhas à volta da “cidadela”. A sua reconstrução foi depois do ataque holandês de 1622,  (5) atribuído a D. Francisco de Mascarenhas, o primeiro Governador de Macau. A fortificação de Macau, a “cidadela” foi completada em 1626. Este forte foi demolido em 1892.(6)

Forte da Penha Chinnery 1837

“Vista da Igreja da Penha”, Chinnery . c. 1837
A Ermida da Penha dentro do forte e a muralha que ligava à Fortaleza de Bomparto.

O Forte de Nossa Senhora da Penha de França estava situado no cimo da colina da Penha, onde se encontra presentemente a Ermida da Penha.

O seu objectivo principal era a defesa contra as invasões navais e por isso, apesar de não estar próximo do litoral, era considerado uma fortificação costeira. Além disso, as suas armas podiam ser apontadas formando um arco completo sobre toda a cidade. Infelizmente não há conhecimento de desenho, plantas ou descrições deste forte que tenham sobrevivido. (4)

Forte da Penha BORGET 1838“O Forte da Penha de França”, Auguste Borget – c. 1838
O Forte da Penha está à esquerda e a Fortaleza de Bomparto
no sopé da colina e ligando as duas fortificações, a muralha

(1) Não se sabe a data de construção do forte mas foi um dos primeiros de Macau. Por esta notícia, já existia o forte da Penha aquando da chegada de D. Francisco, a 7 de Julho de 1623.
(2) TEIXEIRA, Pe. Manuel – Os Militares em Macau.1976
(3) JESUS, C. A. Montalto de – Macau Histórico. Livros do Oriente, 1990
(4) “Fort Bomparto –“baluarte de Nossa Senhora de Bomparto” – anciently denominated with greater propriety Baluarte do Bomporto. From this fort a Wall ascends south-west the Hill, on the top of wich is seated the hermitage of Penha de França”
LJUNGSTEDT, Andrew – An Historial Sketch of the Portuguese Settlements in China ando of the Roman Catholic Chirch and Mission in China”. Boston, 1836.Ver em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/23/noticia-de-23-de-marco-de-1759-nascimento-de-andrew-ljungstedt/
Poderá ler este livro em:
http://books.google.pt/books/about/An_Historical_Sketch_of_the_Portuguese_S.html?id=Q7gNAAAAIAAJ&redir_esc=y
(5) Ou-Mun Kei-Leok relata que, para protecção contra os ataques holandeses, os portugueses construíram um forte semelhante a um antigo que tinha sido demolido.
Tcheong-U-Lâm; Ian-Kuong-Iâm- Ou-Mun Kei-Leok, Monografia de Macau, 1751, traduzida por Luís Gonzaga Gomes. Quinzena de Macau, 1979.
(6) GRAÇA, Jorge – Fortificações de Macau; concepção e história. Instituto Cultural de Macau.

Duas fotos retiradas de SERÕES (1) , panoramas de Macau, tirados em 189.., a primeira do Alto da Montanha da Penha e a segunda, do Alto do Monte de S. Januário

“À direita do leitor: a «Bahia da Praia Grande»; no primeiro plano o « Matto do Bom Jesus»; à esquerda o «porto interior» com a «Ilha Verde». Ao fundo e à esquerda as alturas de «Chin-san», de «Passaleão» e de «Pac-Seac»; à direitas fortalezas do «Monte», da «Guia» e de «S. Francisco», na ponta da Praia Grande – As duas igrejas ao centro da estampa são as de «S. Lourenço» e de «S. José»”

“À esquerda do leitor a bahia da «Praia Grande», tendo na ponta da respectiva margem o forte do «Bom Parto» e a montanha da «Penha». Ao fundo, as montanhas da ilha da «Lapa»; a fortaleza de «S. Paulo do Monte» e o porto interior com a «Ilha Verde». No primeiro plano o edifício de «Santa Clara», os bairros de «S. Lourenço», do «Campo», etc.”

(1) SERÕES, Março de 1902, Vol. II, N.º 10