Archives for posts with tag: Firma F. Rodrigues

anuncio-1934-f-rodriguesOutro anúncio da firma “F. Rodrigues”, em inglês, de 1934, com a sede ainda na Avenida Almeida Ribeiro n.º 8 a 10. Anunciava, o mesmo do anúncio de 1921, (1) como
General merchant, Importer, Exporter, Insurance & Shipping Agent” embora haja alterações das empresas representadas.
De novidade era a representação de uma empresa portuguesa: “Companhia Agrícola e Comercial dos Vinhos do Pôrto” (2)
(1) Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/firma-f-rodrigues/
(2) Após a sua morte da D. Antónia Adelaide Ferreira em 1896, o património vinhateiro da família ficou reunido na «Companhia Agrícola e Comercial dos Vinhos do Porto», formada em 1898 na qual os dois ramos de herdeiros, a casa de António Bernardo Ferreira III e a condessa da Azambuja dominavam o capital mas não dispunham da maioria dos votos. Actualmente, a Ferreira não é uma empresa autónoma, apenas uma unidade de negócios no seio da Sogrape.

A propósito da comemoração dos 100 anos de actividade de firma “F. RODRIGUES LDA.” (1) e em comparação com o anúncio recentemente publicado na imprensa macaense, pela  “F. RODRIGUES  (SUC.RES) LDA.” (2)
Anúncio de 1921 (?)

anuncio-1921-f-rodriguesF. RODRIGUES
ESTABLISHED 1916
General merchant, Importer, Exporter, Insurance & Shipping Agent

A Firma «F. Rodrigues Lda.» era agente das companhias de navegação e seguros, Neste anúncio publicitava-se como agente em Macau das Companhias de Vapores:

The Ocean Steamship Co. Ltd.
Companhia Transatlantica de Barcelona.
Sun-Sin (Parte Europea)

de outras empresas estrangeiras:

T & E. Plum (Denmark) Manteiga
Clarence E. Edson & Associates (Cleveland Ohio. U.S.A.)
Underwood Typewriter Co. Ltd.
Sterling Electrical Specialities (Cleveland Ohio. U.S.A.)
“Shell Motor Spirit” The Asiatic Petroleum Company South China Limited (Hong Kong)
Vacuum Oil Company (Hong Kong)

de empresa local:

Empresa de Transporte Automóveis (Gerente geral)

e importadora de carvão da

Mitsubishi Shoji Kaisha (Hong Kong)

Anúncio de 2016

anuncio-2016-f-rodrigues-suc-res-ltdAnúncio publicado no Jornal “Tribuna de Macau” n.º 5081, 9 de Set. 2016 p.7 – PUBLICIDADE

(1) “8-12-1916 – Fundada a Firma «F. Rodrigues Lda.» que através dos sucessores, continua a operar”. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997).
Fernando de Senna Fernandes Rodrigues (1895-1945) foi o fundador e proprietário da firma «F. Rodrigues Lda.» desde 1916 até 1945, quando foi assassinado à porta da Caixa Escolar por Wong Kong Kit, a soldo da quadrilha de chineses pró japoneses.
O filho, Humberto Fernando Rodrigues (3) assumiu depois a direcção da firma tornando-se sócio – gerente da firma «F. Rodrigues Sucrs. Ltd» em 1947. (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses Vol. III, 1996).
(2) 26-12-1947 – Constituída a sociedade “F. Rodrigues, Sucessores Limitada ” com um capital social 150 000,00. (Obras e Melhoramentos efectuados em Macau, 1950. A firma tornou-se um dos principais importadores de produtos alimentares portugueses e foi agente em Macau da «British Airways».O actual presidente da companhia é Humberto Carlos Rodrigues.
Anteriores referências a esta firma:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/firma-f-rodrigues/
(3) Humberto Fernando Rodrigues (1921 –  ? ) filho de Fernando de Senna Fernandes Rodrigues e de Ângela Edmée Jorge era  engenheiro civil. Foi vice-presidente da Associação dos Exportadores e Importadores de Macau e condecorado com a Medalha de Mérito Industrial e Comercial (Portaria 353/99/M de 27 de Setembro).
Anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/humberto-f-rodrigues/
Aconselho leitura: “A ÚNICA EMPRESA PORTUGUESA COM 100 ANOS” de Liane Ferreira publicada no JTM, em 8 de Setembro de 2016
http://jtm.com.mo/local/unica-empresa-portuguesa-100-anos/

macau-garden-city-of-the-orient-pp-100101A propósito da Festa “Chong Yeong», celebrado ontem (1), transcrevo um anúncio (bem concebido) publicado num panfleto/guia turístico de 1966, editado, em inglês, pela «F. Rodrigues (sucessores)» e «Sociedade de Turismo e Diversões S. A. R. L. Macau», com publicidade à “Rodrigues Tour”.

October : Chung Yeung time. Avoid disaster in the coming year by climbing to the highest point you can. If you can´t climb take a Rodrigues bus to Guia Lighthouse.

macau-garden-city-of-the-orient-chung-yeong(1) “Chung Yeung”  (重陽節) ou Festival do duplo nove (nono dia  do nono mês, no calendário chinês)(重九節); data auspiciosa  muito “yang” (duplo yang) e por isso potencialmente data perigosa. Para se proteger contra o perigo deverá subir ao ponto mais alto da montanha, beber chá/ou licor crisântemo (também chamada Festival do Crisântemo no Japão).
重陽節 – mandarim pīnyīn: zhòng yáng jié; cantonense jyutping: cung4 joeng4 zit3
重九節 – mandarim pīnyīn: zhòng jiǔ jié; cantonense jyutping: cung4 gau2 zit3

Outro anúncio do ano de 1950 publicado na imprensa,  pela Firma « F. Rodrigues (Suc.res) Lda» (1)promovendo material  considerado na altura como tecnologia de ponta.

Duplicadores Eléctricos e Manuais
Gestetner 77 & 77 E

anuncio-de-1950-f-rodrigues-duplicador-iO agente exclusivo em Macau era a Firma F. Rodrigues (Suc. res) Lda, na Rua da Praia Grande n.º 71; Telefone:  N.º 658 e Endereço telegráfico “RODRIGUES”.
The Gestetner, named after its inventor David Gestetner, is a type of duplicating machine, its brand name and the associated company. David Gestetner in 1879 filed his first copying patent. A later patent in 1881 was for the Cyclostyle, a stylus that was part of the Cyclograph copying device. He also established the Gestetner Cyclograph Company to produce duplicating machines, stencils, styli, ink rollers and related products the same year. In 1996 the international Gestetner Company was acquired by the Ricoh company of Japan. The company was renamed NRG Group PLC, and markets and services Ricoh products under its three main brand names, primarily in Europe, South Africa and the Middle East, but also through dealers throughout the world. The brand has been owned by Ricoh since 1995. In Europe, Gestetner Group became NRG Group which as of 1 April 2007 became Ricoh Europe.”
https://en.wikipedia.org/wiki/Gestetner

anuncio-de-1950-f-rodrigues-duplicador-iiGESTETNER BROCHURE Circa 1949
http://tottenham-summerhillroad.com/gestetner_duplicators_tottenham.htm

(1) Ver anteriores referências a esta Firma em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/firma-f-rodrigues/           

Anúncio publicado na imprensa  em 1950, pela Firma «F. Rodrigues (Suc.res) Lda.» que neste mês comemora os 100 anos da sua actividade comercial.
Este anúncio promovia o material  considerado na altura como tecnologia de ponta: a máquina de escrever

ROYAL
A Campea de Velocidade Mundial

anuncio-de-1950-f-rodrigues-maquina-de-escrever-royalO agente em Macau era a Firma F. Rodrigues (Suc. res) Lda, na Rua da Praia Grande n.º 71; Endereço telegráfico “RODRIGUES”; Caixa Postal n.º 2 e Telefones: Escritório  N.º 658 e  Residência N.º 636.
As primeiras máquinas de escrever (ou máquina dactilográfica – equipamento mecânico ou electromecânico e depois electrónico) produzidas foram as manuais, com accionamento mecânico das teclas. Posteriormente, surgiram as electromecânicas, com base de funcionamento mecânico, auxiliado por um motor eléctrico para diminuir o esforço e dar maior agilidade na escrita. Finalmente, surgiram as electrónicas, com accionamento dos tipos em margaridas ou esferas, capazes de alcançar melhor velocidade e qualidade de impressão, além da possibilidade de correcção dos erros, com fitas correctivas (1)
As máquinas de escrever «Royal» foram fabricadas (2) originalmente no início do século XX por E.B. Hess. A primeira máquina de escrever «Royal» foi, posteriormente, substituídas por dois outros modelos, as máquinas de escrever «Royal 5» e «Royal 10». Mais tarde, foram criados vários modelos da «Royal» e, mesmo sendo populares, não são muito valorizados como peças para coleccionadores. A identificação de uma máquina de escrever «Royal» não é difícil, pois existem várias características que as distinguem de outras máquinas de escrever. (3) A «Royal» no início dos anos 50  redesenhou suas máquinas pós 2.ª Guerra Mundial, incluindo a inserção da tecla “shift”,  tornando a máquina com estilo mais moderno e mais competitiva com uma linha apresentadas pelos concorrentes.(4)
(1) http://www.fedesigner.com.br/site/lorene/layoutv2.swf
(2) “The Royal Typewriter Company was founded in January 1904 in a machine shop in Brooklyn, New York, by Edward B. Hess and Lewis C. Myers. In March 1906 the first Royal typewriter, the Royal Standard, was sold. World War II brought tremendous change to Royal. In order to aid the war effort, Royal converted its manufacturing to war work exclusively. Royal would manufacture machine guns, rifles, bullets, propellers, and spare parts for airplane engines. It wouldn’t be until September 1945 that Royal would start typewriter production full-time again and not until December 1948 that Royal would catch up on its pre-war backlog. Em 1949 saiu a Royal KMG com extra long carriage, manual (não portátil). In February 1950, Royal introduced its first electric typewriter.
https://en.wikipedia.org/wiki/Royal_Typewriter_Company
(3) As «Royal» clássicas são totalmente pretas, excepto pelas letras. Todas as máquinas de escrever «Royal» fabricadas antes de 1950 eram pretas. A única excepção é o modelo «Royal Quiet De Luxe Gold», que era dourado e brilhante nas laterais, com as outras partes na cor preta. Depois de 1950, a cor da máquina mudou várias vezes e podia ser marrom, azul, cinza ou verde-oliva.
http://www.ehow.com.br/identificar-maquina-escrever-royal-como_4910/
(4) http://www.typewritermuseum.org/

FIAT Firma F. RodriguesAnúncio de 1922 do “FIAT Touring car 505“.

Anunciava ainda a venda de  outros modelos da “FIAT” nomeadamente:
MODELO 501 – «Spyder»
MODELO 501 – Limousine «Torpedo» – 10 a 15 cavalos, 4 cilindros
MODELO 505 – Torpedo de Luxo, e Landaulette de Luxe –  15 a 20 cavalos, 4 cilindros
MODELO 501 – Torpedo de Luxo,  Landaulette de Luxe, Berline e Sport – 20 a 30 cavalos, 6 cilindros.

A empresa, “Únicos Agentes no Sul da China” era a F. Rodrigues.(1)

A firma também vendia Motores Marítimos da marca “FIAT” de
MODELO 53 A – 25 cavalos, 4 cilindros e
MODELO 51 A – 10 a 12 cavalos, 4 cilindros.

NOTA: Em 1922, os automóveis “particulares” a circularem em Macau, seriam poucos pois um dos primeiros a surgir em Macau foi em 1911 do Henrique Nolasco da Silva (2) e em 1916 havia, 15 condutores profissionais de automóveis e 7 condutores «amadores». (2) O primeiro Regulamento da Circulação de Automóveis e Motocicletas é aprovado, por acórdão do Conselho de Província em 21-10-1915 (Boletim Oficial n.º 46, de 13 de Novembro). (2)
(1) Sobre Fernando Rodrigues ver anterior “post”
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/05/12/noticia-de-12-de-maio-de-1921-2/
(2) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 4. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 454 p (ISBN 972-8091-11-7)

Como curiosidade, uma notícia deste dia, do ano de 1921:

Pedido de Fernando de Senna Fernandes Rodrigues para lhe serem concedidos o diploma e a medalha de filantropia e generosidade, por ter auxiliado a salvar, como risco da própria vida, 10 pessoas que ficaram sob os escombros de um prédio da Avenida Almeida Ribeiro, em 29 de Março de 1917.” (1) 

NOTA: Fernando de Senna Fernandes Rodrigues (Macau, 1895-1945), filho de Fernando José Rodrigues (Funchal, 1863 – Macau, 1926) e de Alina Clarissa de Senna Fernandes (Macau, 1868-1941) foi o fundador e proprietário da «Firma F. Rodrigues» (1916), agente de companhias de navegação e seguros. Faleceu assassinado à porta da Caixa Escolar por Wong Kong Kit, a soldo de uma quadrilha de chineses pró-japoneses,  a 10 de Julho de 1945 (2) . Outra estória para um próximo “post”.

(1) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 4. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 454 p., ISBN 972-8091-11-7
(2) FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses. Vol III. Fundação Oriente/Instituto Cultural de Macau, 1996. 1085 p. (pp. 256-257)