Archives for posts with tag: Festividades Militares

Comemorações do “5 de Outubro” em Macau, no ano de 1956 – 46.ª aniversário da implantação da República Portuguesa.

Na tribuna de honra, erguida em frente do Palácio do Governo, à Praia Grande, viam-se, à frente, o Encarregado do Governo, Brigadeiro João Carlos G. Q. de Portugal da Silveira, e o Capitão dos Portos, Comandante José Coutinho Garrido. Na segunda fila, da esquerda para a direita, o Deputado por Macau à Assembleia Nacional, Dr. Alberto Pacheco Jorge, o Bispo da Diocese, D. Policarpo da Costa Vaz e o Juiz de Direito da Comarca, Dr. Luís Sebastião Rodrigues Ribas.

Soldados africanos marcham, garbosos e em continência, perante a tribuna de honra, durante o desfile militar do dia 5 de Outubro
Após a parada militar, desfilaram também, em frente da tribuna de honra, os castelos da Mocidade Portuguesa que haviam prestado guarda de honra ao Encarregado do Governo
Nos cumprimentos ao Presidente da República, por intermédio do Encarregado do Governo, estiveram presentes, além do Deputado por Macau à Assembleia Nacional, do Bispo da Diocese e do Juiz de Direito da Comarca, os membros do Corpo Consular e do Conselho do Governo, Chefes de Serviços, funcionários, representantes de associações chinesas e da imprensa e muitas outras entidades portuguesas, chinesas e estrangeiras.
Um aspecto da recepção que se realizou, na tarde do dia 5 de Outubro, no Palácio do Governo, à Praia Grande, e a que acorreram as mais destacadas individualidades, portuguesas, chinesas e estrangeiras, da sociedade de Macau. Notou- se a presença de muitas senhoras que, em suas “toilettes” vistosas, deram ao ambiente uma nota de elegância e distinção.

Artigo não assinado e fotos extraídos de «MBI», IV-77, 15OUT1956, pp.8-10

Notícias de Macau publicadas no «BGC » (1)
Aspecto da festa militar desportiva no dia de Natal

(1)Extraído de  «BGC», XXVI-296, Fevereiro de 1950.

Os Serviços Militares de Macau organizaram o Campeonato Militar de Natação , na Piscina Municipal, nos dias 6 e 7 de Outubro de 1956 (1)
Assistiram às provas desse campeonato, o Encarregado do Governo, Brigadeiro João Carlos Guedes Quinhones de Portugal da Silveira, os oficiais superiores do Exército, comandantes e oficiais das diferentes unidades e grande número de elementos militares e civis.
O prémio da equipa melhor classificada foi atribuída ao Batalhão de Caçadores n.º 2, seguido da Formação do Quartel General e da Artilharia.

Atletas desfilando perante o Encarregado do Governo e Comandante Militar de Macau, Brigadeiro Portugal da Silveira.

Disputaram-se várias provas de que saíram vencedores os seguintes nadadores:
50 metros, livres: 1.º – 1.º cabo n.~1192, do ABA, seguido do soldado n.º 1609, do ECM, e do alferes Martins, do BC2
50 metros, costas: 1.º – 1.º cabo 1192, do ABA, seguido do alferes Costa, do BC2,  e do 1.º cabo 611, do QG.
50 Metros, bruços: 1.º – tenente Pessanha, do ABA, seguido do soldado 1836, do QG, e do 1.º cabo 310, do BC2.
100 metros, livres: 1.º-  soldado 1435, do ECM, seguido do alferes Branquinho, do BC2, e do soldado 1998, do QG.
100 metros, costas: 1.º – 1.º cabo 1192 do ABA, seguido do alferes Costa, do BC2, e do 1.º cabo 395, do QG.
100 metros, bruços: 1.º – 1.º cabo 310, do BC2, seguido do tenente Melo, também do BC2,  e do soldado 1836, do QG.
200 metros, livres: 1.º – 1.º cabo 1065, do BC2, seguido do 1.º cabo 1481, do ECM, e do soldado 1998, do QG.
200 metros, bruços: 1.º – soldado 1836, do QG, seguido do soldado 1855, também do QG, e do 1.º cabo 858, do ABA.
A estafeta 3×100 foi ganha pela equipa do ABA e a de 4×100 foi ganha pela equipa do BC2.
(1) Extraído de «MBI» IV-77, 15OUT1956

Comemorando o 1.º aniversário da sua chegada a Macau, (1) o Destacamento Expedicionário realizou em 13 de Setembro de 1950 um festival no antigo hipódromo (2) sob o lema: “Nós todos não somos demais para defender Portugal”
As fotos (com as legendas retiradas da origem) foram tiradas por Chun Kwong (3)

Um exercício de ginástica com traves
Rebentamento de fornilhos (4) de trotil
A Classe Europeia de ginástica desfilando
Uma demonstração com soldados indígenas de Angola

(1) O Destacamento Mixto Expedicionário formado em Lisboa, em 1949, a fim de seguir para Macau, embarcou em 15 de Julho de 1949. Chegou a Macau em 24 de Agosto de 1949. O Comandante era o coronel Laurénio Cotta Morais dos Reis que no dia 27 de Agosto desse ano assumiria as funções de Comandante Militar da colónia de Macau.
CAÇÃO, Armando A. A. – Unidades Militares de Macau, 1999.
Ver anteriores postagens em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/09/13/noticia-de-13-de-setembro-de-1950-festival-militar/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/laurenio-cotta-morais-do
(2) O antigo hipódromo que, parte dele, foi depois campo de treinos militares do quartel de Mong Há, ficava num terreno junto à Porta do Cerco.
”09-06-1925 – Pedido de Lou Lim Ioc, Presidente da Companhia «Clube Internacional de Recreio e Corridas de Macau, Limitada» para que lhe seja arrendado um terreno junto à Porta do Cerco” (A.H.M. – F. A.C. P. n.º 134 -S-C).AGOSTO
(3) Publicadas em «MOSAICO», I-2, 1950.
(4) Cavidade enchida com explosivo, em obra ou local que se quer fazer explodir.

Ceia de Natal dos polícias de Macau
O Governador de Macau procedendo à distribuição do bodo (distribuição de alimentos, dinheiro e vestuário aos pobres, em dias festivos) às famílias dos bombeiros falecidos.
Festas desportivas nas escolas, realizadas no dia de Natal
Distribuição de merenda e prendas às crianças no Jardim de Camões
Aspecto da festa militar desportiva no dia de Natal

Extraído de «BGC» XXVI-296, 1950.

 

Festival militar comemorativo do 1.º aniversário da chegada (13-09-1949) da expedição a Macau. A foto (campo de treinos militares do quartel de Mong Há) mostra o rebentar de fornilhas de trotil durante o exercício de uma patrulha de contacto que em entraram em acção canhões anti-carros e trens.

Retirado de «BGC» XXVI-305, 1950.

A cerimónia do Juramento de Bandeira da incorporação de recruta do ano de 1954, realizou-se, pelas 10.00 horas do dia 5 de Dezembro, no Campo Desportivo «28 de Maio» (ao contrário dos anos anteriores) (1), pois o Campo Desportivo reunia melhores condições de espaço e de terreno para a realização destas festas militares.
O Governador da Província passou revista à Guarda de Honra constituída pelo Esquadrão Motorizado. Deu-se, início em seguida, à solene Festa Militar com um desfile das Forças em Parada, em continência à Bandeira, no qual tomaram parte representações de todas as Unidades e Estabelecimentos militares, num total de cerca de 1 000 homens.
MBI II-33 15DEZ54 JURAMENTO DE BANDEIRA IO campo estava literalmente cheio e a assistência era constituída por militares de todas as graduações e categorias e funcionários civis. Na tribuna de honra, o Governador Almirante Joaquim Marques Esparteiro e família, o Bispo da Diocese, o Meritíssimo Juiz da Comarca, o deputado pelo círculo de Macau à Assembleia Nacional, o Comandante Militar e esposa  e os membros do Corpo Diplomático e Consular.
MBI II-33 15DEZ54 JURAMENTO DE BANDEIRA IIFoi feito a leitura dos Deveres Militares pelo Tenente José Maria Mendonça Jr. ao qual se seguiu (na foto) o Comandante Militar , Coronel Rui Pereira da Cunha que proferiu uma alocução aludindo ao significado daquela cerimónia e exortando os novos soldados ao cumprimento dos seus deveres militares.
A 1.ª parte do programa terminou com a cerimónia solene do Juramento de Bandeira, durante a qual 45 jovens portugueses manifestaram lealdade e fidelidade à sua Pátria, jurando defendê-la com sacrifício das próprias vidas.

MBI II-33 15DEZ54 JURAMENTO DE BANDEIRA IIIAs tropas que tomaram parte na Festa Militar do Juramento de bandeira, vendo-se à frente os 45 recrutas.

A 2.ª parte do programa consistiu na distribuição de medalhas de Comportamento Exemplar e taças das Aulas Regimentais e dos Campeonatos Desportivos.. Foram assim entregues pelo Governador 190 medalhas de Comportamento Exemplar a 186 praças europeias e 4 africanas (a inferioridade numérica destas últimas é devida ao facto de a maioria delas não terem ainda o tempo de serviço exigido para tal distinção: 3 anos de serviço sem faltas ou castigo).
MBI II-33 15DEZ54 JURAMENTO DE BANDEIRA IVProcedeu-se depois à distribuição dos prémios aos alunos que mais se distinguiram durante as Aulas Regimentais e obtiveram maiores classificações nos exames realizados nesse ano.
Foram ainda distribuídas as taças aos vencedores dos Campeonatos Desportivos, assim classificados:
Futebol em miniatura – Batalhão de Caçadores n.º 1
Voleibol – Agrupamento de Baterias de Artilharia
Ping-Pong – Esquadrão Motorizado
Campeonato Militar de Tiro: 1)Espingarda de guerra:
Prova individual – Tenente Manuel Inácio de Melo
Equipa de europeus – Esquadrão Motorizado
Equipa de africanos – Companhia Anticarro do Batalhão de Caçadores n.º 2
2) Pistola de guerra
Prova individual: 1.º – Cap. Carlos Mota Cerveira; 2.º – Major João Carlos de Sousa; 3.º -Ten. Virgílio Guimarães.
Terminada a distribuição das respectivas taças, foi apresentado o pelotão de recrutas, auto-comandado (preparado pelo Alferes Luís Maria Casquilho)  que executou varias evoluções e manejos de arma. A seguir, apresentou-se uma classe de ginástica educativa com traves, comandada pelo Capitão Sirgado Maia e constituída por praças macaenses do Esquadrão Motorizado e europeias do Agrupamento de Batarias de Artilharia. Seguiu-se outro número de ginástica educativa apresentada pelo tenente Luís Ataíde Banazol e executada por cerca de 400 praças africanas.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/12/06/noticia-de-6-de-dezembro-de-1953-juramento-de-bandeira/
Informações retiradas de «MACAU B. I., 1954»

Em honra do Senhor Ministro do Ultramar, Comandante Sarmento Rodrigues, na sua visita a Macau em Junho de 1952, realizou-se no dia 20 de Junho um grandioso desfile militar, na qual participaram todas as forças de terra e mar que desfilaram perante a tribuna de honra (colocada à frente do Palácio do Governo), com grande variedade de viaturas, material pesado e outros engenhos bélicos. (1)
À esquerda da tribuna ministerial estava formada a guarda de honra, uma companhia do Batalhão de Caçadores n.º 1, sob o comando do capitão Marques de Carvalho e a banda de música da Polícia de Segurança Pública.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 IÀ chegada do Ministro do Ultramar, a um toque de clarim, a guarda de honra apresentou armas e a banda musical tocou “A Portuguesa”.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 IIO Comandante Sarmento Rodrigues acompanhado pelo Comandante Militar , tenente-coronel António Cyrne Pacheco.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 III                                              … passou revista à guarda de honra.
Às 9,30 horas começou o desfile.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 IVA um toque de clarim começou a marcha pela Rua da Praia Grande, abrindo com dois castelos da Mocidade Portuguesa com os respectivos estandartes.
Seguia depois um carro militar com o comandante das forças em parada, que parrou em frente à tribuna.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 XIO comandante das forças em parada, o tenente-coronel de artilharia, Acácio V. Neves e Castro e adjunto tenente-miliciano de artilharia, Francisco F. Novo, prestaram a continência pedindo autorização para o desfile, após o que se colocaram à esquerda da Tribuna Ministerial juntamente com o ordenança, clarim e estafeta.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 XIIDesfilou então a parte apeada com uma companhia da Marinha de Guerra com bandeira, sob o comando do 2.º tenente Caldeira Saraiva.
Depois vinha a Banda de Corneteiros composta por pessoal indígena dos batalhões de Caçadores 1 e 2. Seguidamente a Bandeira Militar tendo como porta-bandeira o tenente de artilharia Álvaro Manuel V. Cepeda e a respectiva escolta constituída por um sargento, um furriel e um 1.º cabo; um Batalhão de Caçadores sob o comando do major de infantaria, Mário dos Santos Anino, tendo como adjunto um capitão, um sargento (como porta-guião do batalhão) e uma ordenança. Depois, a 1.ª Companhia de Atiradores sob o comando do capitão Carlos Eduardo Campelo de Andrade Bandeira de Lima; a 2.ª Companhia de Atiradores a quatro pelotões, sob o comando do capitão de infantaria, Pedro de Barcelos; a 3.ª Companhia de Atiradores, a quatro pelotões, sob o comando do capitão de infantaria, Miguel Ângelo Cambraia Duarte e a 4.ª Companhia de Atiradores a quatro pelotões, sob o comando do capitão de infantaria Carlos da Costa Campos de Oliveira.
Seguiu-se a Polícia Marítima, a um pelotão sob o comando do chefe Joaquim Baptista e a Polícia de Segurança Pública, a uma companhia a três pelotões , com bandeira sob o comando do tenente José da Conceição Miguel.
Seguiu-se depois a parte motorizada.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 VIIUma coluna sob o comando do capitão de infantaria, Mário Gustavo de Araújo Barata da Cruz, tendo como adjunto um capitão de infantaria com ordenança-estafeta; Companhia Anti-Carro, do Batalhão de Caçadores sob o comando do capitão de infantaria João Melo de Oliveira, um corneteiro e um estafeta;
DESFILE MILITAR 20JUN1952 VIII1.º Pelotão Anti-Carro a quatro secções, sob o comando do tenente miliciano de infantaria Carlos Fernandes Camacho, o 2.º pelotão Anti-Carro, a quatro secções, sob o comando do alferes miliciano de infantaria, José F. Lino.
Seguia-se o Agrupamento de Baterias de Artilharia, sob o comando do capitão de artilharia Eduardo Afonso S. Salaviza, com um 1.º sargento, porta guião e um estafeta-moto;
Bateria de Artilharia Ligeira 8,8 n.º 1, sob o comando do capitão de artilharia Adriano Vítor Hugo Landercet Cadima, a duas divisões e quatro secções;
Bateria de Artilharia Ligeira 8,8 n.º 2, sob o comando do tenente de artilharia, Joaquim Humberto da Silva Porto Oneto, a duas divisões e quatro secções;
Bateria de Artilharia Anti-Aérea de 4 cm, sob o comando do tenente de artilharia, Domingos Sebastião Gama de Câmara Stone, a duas divisões e quatro sessões.
Bateria de Artilharia Anti-Aérea de 7,5 cm, sob o comando do capitão de artilharia, Maurício Martins Lopes, a duas divisões e quatro secções.
DESFILE MILITAR 20JUN1952 IXDesfilou a seguir o Esquadrão Motorizado sob o comando do capitão de cavalaria, José Carlos Sirgado Maia, com um 1.º sargento porta-guião, clarim e estafeta-miliciano.
Depois, o Pelotão de Auto-Metralhadoras, sob o comando do alferes miliciano de cavalaria, Mário António de P. Valente;
DESFILE MILITAR 20JUN1952 XIIIo Pelotão de Metralhadoras-Auto (Brens), sob o comando do alferes miliciano de cavalaria, Rui Ferreira, pelotão auto T. T., sob o comando do alferes miliciano de cavalaria, Jácome Saavedra de O. Bruges;
Desfilou depois a Companhia de Engenharia, sob o comando do capitão de engenharia, Henrique Pedro Daniel e Aranda, com um 1.º sargento porta-guião, clarim e um estafeta -moto; Pelotão de Sapadores sob o comando do tenente de engenharia Manuel Mesquita Borges e um Pelotão de Transmissões, sob o comando do alferes miliciano de engenharia, Fernando José Brochado de Miranda;
Um pelotão de Motociclistas da Polícia de Segurança Pública e seis “jeeps”, sob o comando do tenente Francisco Maria Candeias, e uma Companhia de Bombeiros Municipais sob o comando de chefe Manuel Dimas Pina, fecharam a parada.
Dirigiu a parada o capitão Alberty Correia, subchefe do Estado Maior.
(1) Segundo testemunhos dos militares radicados em Macau, terá sido o maior desfile militar até então e nunca mais repetido nessa grandeza, quer em termos humanos quer em meios utilizados. As tropas tinham a testa da formação, junto do antigo Palácio das Repartições (depois Tribunal); as forças motorizadas e corporações militarizadas estendiam-se até ao Porto Exterior, ao longo da Avenida então chamada Dr. Oliveira Salazar.
Informações de BARROTE, David (coordenação) – A Visita do Ministro do Ultramar a Macau em Junho de 1952. Editado pela Repartição Central dos Serviços Económicos, Secção de Propaganda, 328 p.
Referências anteriores ao comandante Sarmento Rodrigues e à sua visita a Macau em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/manuel-m-sarmento-rodrigues/

O Juramento de bandeira dos novos soldados em Macau no ano de 1960, ano das “Comemorações do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique”, foi realizado com um festival militar, no Campo Desportivo «28 de Maio», no dia 11 de Dezembro de 1960

 11DEZ1960 Festa da Guarnição Militar IO recinto do festival estava profusamente engalanado, sobressaindo a tribuna de honra, em que predominavam motivos henriquinos

 A festa militar anual da guarnição teve como primeiro objectivo, dar ao acto do Juramento de Bandeira dos soldados portugueses, recrutados em Macau, a solenidade e o luzimento que a transparência do mesmo merecia.
À festa assistiram o Governador, bem como individualidades civis e militares e numeroso público.

Às 10.00 horas o Governador, Tenente-coronel do C. E. M. Jaime Silvério Marques foi recebido à entrada pelo Coronel Artur Ferrão Pimentel da Costa, comandante militar da Província e outros oficiais, tendo passado revista à guarda de honra, prestada pelo Esquadrão de Reconhecimento, sob o comando do Capitão Baracho.
Dentro do campo desportivo um batalhão de seiscentos homens, sob o comando geral do Major Mota Cerveira (1) prestou a Sua Ex.ª o Governador as honras militares da ordenança.

11DEZ1960 Festa da Guarnição Militar IIA seguir, as forças em parada prestaram continência e procedeu-se à recepção da Bandeira Nacional.

11DEZ1960 Festa da Guarnição Militar IIIO Tenente Estorninho leu os Deveres Militares e em seguida, o Alferes Araújo fez uma alocução aos jovens que a seguir fizeram o Juramento de Bandeira.

A segunda parte do programa foi preenchia com a distribuição de condecorações (Medalha Militar de Comportamento Exemplar ou Medalha de Bons Serviços no Ultramar) a vários sargentos, cabos e soldados.

Após a entrega de condecorações, as forças em parada desfilaram com garbo perante a tribuna de honra.

11DEZ1960 Festa da Guarnição Militar IVPatrulha – Competição

 A terceira e última parte do festival foi preenchida por demonstrações de caracter militar e ginástico: um serviço de patrulha em campanha, efectuado pelo Esquadrão de Reconhecimento; a luta de tracção entre as equipas das várias unidades, classificando-se em primeiro e segundo lugar respectivamente o Esquadrão de Reconhecimento e a C. I. C. n.º1; uma classe de saltos, apresentada pelo Tenente Bastos Machado; e uma classe de ginástica educativa efectuada por praças africanas, sob a direcção do Tenente Milton Borges.

11DEZ1960 Festa da Guarnição Militar VUm aspecto da classe de saltos

 A banda da música da P. S. P. tocou, nos intervalos, alguns números do seu vasto reportório.
Os números foram executados com agrado geral da assistência, que por várias vezes se exteriorizou em manifestações de muito apreço.

Informações retiradas de “Comemorações, em Macau, do V Centenário da Morte do Infante D. Henrique”,  ver em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/01/16/leitura-comemora-coes-em-macau-do-v-centenario-da-morte-do-infante-d-henrique-ii/
(1) Carlos Armando da Mota Cerveira, futuro comandante do Corpo de Polícia de Segurança Pública de Macau e depois comandante militar , nos acontecimentos do “1-2-3# de 1966.

O Campo Desportivo «28 de Maio» foi na manhã do dia 4 de Dezembro de 1955, teatro dum festival desportivo-militar, a que assistiram milhares de pessoas.
Naquele recinto realizou-se a cerimónia do Juramento de Bandeira de novos soldados macaenses,  recrutados em Setembro de 1955.
Por toda a extensão do campo, viam-se dispostas armas militares e aos cantos, bivaques de acampamento e viaturas. Bandeiras portuguesas decoravam a bancada e a tribuna de honra.

MBI III-57 1955 Festa Militar IÀs 10.00 horas, aquando da chegada do Governador Joaquim Marques Esparteiro, prestou guarda de honra, uma força militar, postada à entrada do recinto.

O festival constou de três partes distintas.
Na primeira parte, as forças em parada prestaram continência a Sua Ex.ª o Governador seguindo-se a recepção da Bandeira Nacional.
Antes da cerimónia do Juramento pelos novos soldados macaenses, o Tenente José Mendonça procedeu à leitura dos deveres militares e o Comandante Militar, Coronel Rui Pereira da Cunha, dirigiu aos novos soldados uma patriótica e vibrante alocução alusiva ao acto que se ia realizar.

MBI III-57 1955 Festa Militar IIA segunda parte do programa constou da entrega a vários soldados e graduados de condecorações, prémios de aulas regimentais e de troféus de campeonatos desportivos militares. Fechou esta segunda parte o desfile das forças em parada.

A terceira e última parte foi apresentada pelo Capitão Silva Pereira: um programa de exibições de ginástica com arma, por praças europeias e macaenses e pelo tenente António Vinhas, e um programa de exibições de ginástica com traves, executadas por praças africanas.

MBI III-57 1955 Festa Militar IIIExibições de ginástica com traves, executadas por praças africanas.

No final o Tenente José de Mendonça dirigiu, orientou e comentou um conjunto de exercícios tácticos, pelos recrutas do Esquadrão de Cavalaria Motorizado, (1) tendo este último espectáculo constado do desenvolvimento gradual dum tema de combate, entre as forças azuis e as verdes, na terra de ninguém, em que entraram, no combate, armas pesadas, com estrondosos tiros e explosões de granadas, lançadas por hipotéticos aviões, na colina fronteira.
O festival terminou com nova guarda de honra e continência final ao Governador.
NOTA: deste festival militar, apesar dos meus 4 anos, tenho uma vaga ideia, principalmente da exibição das praças africanas.
Informações e fotos retiradas de MBI, 1955.

(1) “Em virtude do Decreto 39027 de 06Dez52 a designação passa a ser: Esquadrão de Cavalaria Motorizado. No 2.º Suplemento do BO 52/1952 o Dec-Lei 39.027 refere que a Companhia de Metralhadoras é transformada em Esquadrão de Cavalaria Motorizado. Até 1958, esteve sediado no Quartel S. Francisco. O comandante foi o Capitão de Cavalaria José Carlos Sirgado Maia, durante mais de 3 anos , até 11 de Janeiro de 1956.” (CAÇÃO, Armando – Unidades Militares de Macau, Gabinete das Forças de Segurança de Macau, 1999, 329 p.)