Archives for posts with tag: Estrada da Vitória

MBI III-62 1956 CAPA Instituto SalesianoUma das fachadas principais do Instituto Salesiano da Imaculada Conceição, casa-mãe dos filhos de D. Bosco no Extremo Oriente em 1956 (1)

 A 13 de Maio de 1942, os Salesianos assinaram o contrato para a posse do Colégio «Yuet Wah”, com todos os edifícios e material didáctico, escola essa comprada aos protestantes americanos (fundada em 1925 em Cantão e depois transferido para Macau)  O sítio deste Colégio era então em frente do Colégio D. Bosco, propriedade que os Salesianos venderam depois para transferirem a Escola para o edifício que actualmente ocupa, na Estrada da Vitória.
Em 1956 (1) “Este Colégio tem, actualmente, 800 alunos do curso chinês e 200 do curso inglês. Esta frequência deve-se ao prestígio alcançado por este Colégio e sólida formação obtida pelos seus alunos, graças a mestres competentes que têm elevado o nível cultural deste estabelecimento superior de ensino. Muitos são os rapazes que, com o curso geral do Colégio «Yuet Wah», frequentam hoje a Universidade de Hong-Kong, tendo sempre dado absolutas da solidez do ensino ali ministrado.”

2015 YUET WAH COLLEGE IEntrada do Colégio pela Estrada da Vitória n.º 18 (foto de 2015)

O Colégio Yuet Wah College ( 粵華中學 – mandarim pinyin: Yuè Huá Zhōngxué;) foi fundado em Cantão, em 1925 por duas senhoras cristãs, Liu Fong Kei e Tam Kai Man; a 1.ª era a directora e a 2.º sua assistente.
“A 12 de Setembro de 1927, foi registado no Serviço Provincial da Educação de Cantão, que lhe deu a sua aprovação. Nesse ano deram-se distúrbios políticos nessa cidade e Miss Liu transferiu a sua escola para Macau em 1928, para um prédio da Estrada da Vitória. Miss Liu tratou de construir ali um novo edifício para a educação da juventude de ambos os sexos. O Governo Português cedeu gratuitamente o terreno e ela promoveu uma subscrição na China e no Estrangeiro, sobretudo Estados Unidos, conseguindo inaugurar o novo edifício em 1935.
Em 1937,  deu-se a invasão da China pelos japoneses; em 1939, estendeu-se à China do Sul e milhares de refugiados vieram em maré enchente para Macau. Para atender a essa pobre gente, Miss Liu estabeleceu uma escola gratuita, onde além da literatura e aritmética, se ministravam as regras de boa educação e se ensinava a fazer sabão e outras artes domésticas para os pobres ganharem o seu sustento. 300 pobrezinhos beneficiaram desta escola. Para cobrir as despesas Miss Liu e as professoras promoviam representações teatrais, subscrições, etc.
Quando em 1941 Hong Kong caiu nas mãos dos japoneses, novas ondas de refugiados se precipitaram sobre Macau, atingindo a população a elevada cifra de meio milhão.
A crise económica era tremenda e as dificuldades financeiras insolúveis; a escola viu-se privada de todo o auxílio estrangeiro e não poderia continuar a viver. Nessa altura os Salesianos planeavam fundar uma Escola Secundária para a juventude chinesa.
Ao saber disto, Miss Liu dirigiu-se apo P. Mário Acquistapace, director do orfanato Salesiano da Imaculada Conceição, pedindo-lhe que tomasse conta da sua escola.
YUET WAH COLLEGE II MonoramaTendo recebido a aprovação do P. Carlos Braga, Inspector Salesiano residente e Xangai, o P. Mário fechou um contrato com Miss Liu a 4 de Janeiro de 1942.O primeiro inspector foi o P. Miguel Suppo, S. D. B. que tomou oficialmente conta da escola a 7 de Julho de 1942.” (2)

2015 YUET WAH COLLEGE IIEstrada da Vitória (foto de 2015)

Em 1948, foi aberta no Colégio Yuet Wah a Secção Inglesa por iniciativa dos padres Lapin e Robert Vech. (2)

Colégio D. Bosco Yuet WahSalienta-se que o Colégio situado na Estrada da Vitória n.º 18 é exclusivamente masculino, e em 2001, o antigo Colégio D. Bosco (encerrado em 1999) na Estrada Ferreira do Amaral n.º 6, passou a designar-se Colégio D. Bosco (Yuet Wah), tendo aí sido concentrado a primária (secção inglesa e secção Chinesa) do Colégio Yuet Wah e posteriormente a secundária.

2015 YUET WAH COLLEGE IIIEstrada da Vitória (foto de 2015)

(1) MACAU Boletim Informativo ANO III, 1952.
(2) TEIXEIRA, Padre Manuel – A Educação em Macau. Direcção dos Serviços de Educação e Cultura, 1981, 423 p.
História do Colégio Yuet Wah, em cantonense:
https://www.youtube.com/watch?v=07KK3i7f4SY

Foi nesta data inaugurado o busto de Vasco da Gama (1), projecto do escultor Tomás da Costa que se serviu de um retrato existente no Museu Nacional de Arte Antiga (2).

Monumento da Vasco da Gama I“INAUGURADO EM 31 DE JANEIRO DE 1911

EM HOMENAGEM OA GRANDE NAVEGADOR

PORTUGUÊS VASCO DA GAMA QUE EM 1498

DESCOBRIU O CAMINHO PARA A ÍNDIA”

Foto do autor (2011), com má qualidade.

O pedestal de granito ergue-se no centro da Alameda Vasco da Gama (3), encimado pelo busto de bronze de Vasco da Gama. Este foi projectado em 1898, (4) por ocasião da celebração do IV Centenário do descobrimento do caminho marítimo para a Índia. No entanto, as obras só começaram em 1907.
Eis a acta da cerimónia:
Aos trinta e um dias do mês de Janeiro do ano de 1911, nesta cidade do Santo Nome de Deus de Macau e Avenida Vasco da Gama, sendo o Governador interino o segundo-tenente da Armada Álvaro Cardoso de Melo Machado, presente a este acto, bem como os Conselhos do Governo e da Província, o Leal Senado da Câmara, corpo consular estrangeiro, oficialidade da Estação Naval, oficialidade, os membros das antigas comissões e subcomissão dos festejos do 4.º centenário de Índia, todo o funcionalismo civil, militar, eclesiástico e cidadãos, residentes neste cidade, formada a guarda de honra por uma força da guarnição da Canhoneira Pátria, se procedeu à inauguração do monumento por iniciativa e proposta da comissão executiva local do 4.º centenário do descobrimento do caminho marítimo para a Índia, em sua sessão de 3 de Fevereiro de 1893 (1) (5)

Monumento da Vasco da Gama 1929FOTO DE 1929

Monumento da Vasco da Gama IIJardim de Vasco da Gama  (2011 – Foto do autor)

O projecto do monumento mais ambicioso do que a realidade actual, era constituído por dois corpos de mármore sobrepostos, encimados por um busto em bronze. O conjunto elevava-se sobre uma escadaria de granito em forma hexagonal. Mas pela escassez de meios, e polémica nos “media” sobre o melhor meio de gastar o dinheiro (6), a execução do projecto foi alterado.
Monumento da Vasco da Gama IIINa face anterior do pinto está embutido um baixo-relevo de mármore representando o Adamastor, as naus agitadas por uma tempestade, e Vénus empunhando uma trombeta a dirigir-se a Júpiter para interceder pelos lusitanos. No segundo corpo, aparecem os baixos relevos dos instrumentos náuticos.(1)

Monumento da Vasco da Gama IVJardim de Vasco da Gama  (2011 – Foto do autor)

(1) TEIXEIRA, P. Manuel – A Voz das Pedras de Macau. Macau, Imprensa Nacional, 1980, 324 p.
(2) Tomás de Costa (Tomás de Figueiredo Araújo Costa , 1861-1932) escultor da Academia Portuense de Belas Artes da Universidade do Porto, planeou para Macau um “Monumento a Vasco da Gama” (inaugurado em 1911). É co-autor  com o arquitecto  Ventura Terra, do Monumento ao Duque de Saldanha. Em 1894 disputou o concurso para o “Monumento ao Infante D. Henrique” lançado pela Sociedade de Instrução do Porto, com o projecto “Invicta” executado em Paris Por volta de 1910 produziu para o Palácio de S. Bento um busto da República, hoje pertença do Museu da Assembleia da República.
http://sigarra.up.pt/up/web_base.gera_pagina?P_pagina=1004307
(3) A Avenida Vasco da Gama. inaugurada em 20 de Maio de 1898 , projectada pelo engenheiro Augusto César d´Abreu Nunes, situava-se entre o actual Avenida Sidónio Pais e a Estrada da Vitória. Com 500 metros de extensão, ligava a Calçada do Gaio à Rua da Inveja. O busto do grande navegador foi projectado para ser erguido no centro da extinta avenida, hoje reduzida a um jardim com o mesmo o nome.
ARAÚJO, Amadeu Gomes – Diálogos em Bronze, memórias de Macau. Livros do Oriente, 2001, 168 p + |6|, ISBN 972-9418-88-8
(4) Em 18 de Janeiro de 1898, o Governador Eduardo Augusto Rodrigues Galhardo (1897-1900), nomeado governador de Macau em 1987 (chegou a Macau em 12 de Maio) realizou uma reunião alargada a algumas personalidades que convidara, para apreciar o programa das celebrações. Foram escolhidas 8 sub-comissões especializadas, uma das quais ” para tratar da inauguração da Avenida Vasco da Gama e lançamento da pedra fundamental do pedestal em que aer´cllocado o busto do grande navegador (4)

Monumento da Vasco da Gama POSTAL 1984POSTAL de 1965 – Jardim de Vasco da Gama

(5) Segundo Beatriz Basto da Silva in (2), a data da proposta do monumento foi feita a 29-12-1909.
SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau Século XX, Volume 4. Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, 2.ª Edição, Macau, 1997, 454 p (ISBN 972-8091-11-7)
(6) No dia 8 de Maio de 1898, o jornal “O Independente” pugnava para que não se realizassem festejos e para que o dinheiro que se previa gastar em fogo, coretos e iluminação, fosse aplicado em saneamento: ” A cidade não está para festas, pouco é o tempo para as desinfecções” (4). Nessa data, Macau enfrentava a epidemia da peste bubónica.