Archives for posts with tag: Escola Infantil D. José da Costa Nunes
Autor não identificado, sem data, do  Instituto de Investigação Científica Tropical, Agência Geral de Ultramar, Copyright Arquivo Histórico Ultramarino
https://actd.iict.pt/view/actd:AHUD21581

A escola infantil (1) que estava na Rua Central até 1933, (2) começou a funcionar no novo edifício construído no Jardim da Flora, no dia 2 de Outubro de 1933, segunda-feira. O projecto foi delineado pelo engenheiro Luís Miranda, (3) que tomou a direcção das obras, sendo estas confiadas ao empreiteiro Choi Lok. Porém a 5 de Maio de 1933, o engenheiro Luís Miranda oficiou à Câmara, dizendo que não sabia a quem entregar a direcção e fiscalização das obras, visto Gastão Borges não querer assumir essa fiscalização e não pretender ele, Miranda, continuar à testa das mesmas, pois estava desligado desse serviço desde 8 de Abril. A Câmara, a 17 de Maio, incumbiu o Dr. José Pereira, (4) da direcção e fiscalização dessas obras com a remuneração mensal de $100,00. Foi este que fez o projecto do muro da vedação.

Após a II Guerra Mundial, foi-lhe dado o nome de Escola Infantil “D. José da Costa Nunes”. Em 1946 (Diploma Legislativo n.º 925 de 1946) torou obrigatório o ensino infantil e primário para todas as crianças desde os 5 aos 14 anos. Em 1997, a Escola sofreu remodelação e ampliação com o projecto de arquitectura de Mário Duque, com o nome de «Jardim de Infância D. José da Costa Nunes», instituição de educação pré-escolar privada sob a tutela da antiga e prestigiada “Associação Promotora da Instrução dos Macaenses”.

A Escola Infantil e o Parque Infantil em 1940

 (1) O 1.º Regulamento do ensino Primário das Escolas de Macau (B.O. n.º 27 de 06-07-1918) estabeleceu no seu art.º 2, duas categorias do ensino; infantil e primário. As classes infantis, eram destinadas à educação e ensino das crianças de 5 a 7 anos.

Extraído de «BOGPM», XVIII, n.º 27 de 6 de Julho de 1918, p. 487

Há uma mesma informação, datada de 27-07-1918 (5) e outra de 1 -11-1923 (6) em que o Leal Senado solicitava ao Governador a cedência temporária do Palacete da Flora e Jardim da Flora para nele se instalar a Escola Infantil até que o Senado mandasse construir um edifício próprio. Mas o Governador Rodrigo Rodrigues em 1923, respondeu não ser possível prever quando o edifício poderia ter aplicação, em virtude de não terem ainda principiado as obras de adaptação do mesmo a Jardim de Infância (criado em Macau – Boletim Oficial n.º 6 de 10-02-1923) que seria instalado no Palácio e Jardim da Flora.

NOTA I – A 26 de Abril de 1923, foi aprovada com 15 valores D. Laura Castelo Branco da Costa Mesquitela no exame de concurso para a vaga de professora da Escola Infantil a cargo do Leal Senado, que instalou a escola na Rua Central.

Extraído de BOGPM XXVIII-n.º 18 de 5 de Maio de 1923, p. 298

Chamo a atenção para este digníssimo júri: Manuel da Silva Mendes, Camilo de Almeida Pessanha, Alfredo Rodrigues dos Santos, Constâncio José da Silva e Carlos Borges Delgado

Extraído de »ANUÁRIO DE MACAU DE 1924», p. 409

No ano lectivo de 1923 a 1924 matricularam-se nesta escola 63 crianças e em 1924-25, 105, sendo o ensino ministrado por 3 professoras. (6)

(2) Padre Teixeira refere que a Escola Infantil funcionava em 1923 provisoriamente na Escola de S. Rosa de Lima, esperando que se realizasse a transferência das escolas centrais (5)

(3) Luís Xavier Correia da Graça e Miranda era engenheiro Adjunto da Direcção dos Serviços das Obras Públicas

Extraído de «Directório De Macau», 1932, p. 513: 1933, p. 506; 1934 p. 447

(4) Extraído de «B. O. C.M»,  n.º 21 de 27 de Maio de 1933, p. 547

(5) A.H.M. – F.A. C. P. n.º 247 – S-E in SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997)

(6) TEIXEIRA, Padre Manuel – A Educação em Macau, 1982,p.66

Anteriores referências em https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/01/27/leitura-a-educacao-em-macau-em-1940

Sobre este mesmo tema, aconselho leitura de: SOUSA, Ivo Carneiro de – Jardim de Infância D. José da Costa Nunes 2010-1020 Um Projecto educativo https://www.academia.edu/25549352/Jardim_de_Inf%C3%A2ncia_D_Jos%C3%A9_da_Costa_Nunes_Projecto_Educativo_uma_escola_inclusiva_cooperativa_e_multicultural

Artigo do jornal “ A Voz de Macau” republicado no «Boletim Geral das Colónias», de Novembro de 1936, (1)
(1) Extraído de «Boletim Geral das Colónias» Ano XII, Novembro de 1936, n.º 137

Do Boletim Geral das Colónias extraí estas duas informações (1) (2)
(1) BGC XXVI–297, Março de 1950.
(2) BGC XXVI-298, Abril de 1950.

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino INo dia 23 de Maio de 1952, o Governador de Macau, Comandante Joaquim Marques Esparteiro, homenageou o Director Geral do Ensino do Ultramar, Dr. Vítor Manuel Braga Paixão com um jantar no Palácio de Santa Sancha, para o qual foram convidadas as mais altas individualidades civis e militares da Província

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino IIO Dr. Braga Paixão agradecendo o convite

 O Director Geral do Ensino do Ultramar que veio a Macau, em serviço de inspecção, visitou durante a sua estadia em Macau, numerosas escolas, a fim de tomar contacto directo com a forma como estão funcionando os serviços de instrução em Macau.

Na Escola Primária Oficial:

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino IIIO Inspetor do Ensino Primário de Macau Dr. Adelino da Conceição, apresentando as boas vindas ao Director Geral do Ensino do Ultramar, na Escola Primária Oficial
MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino IVO Sr. Dr. Braga Paixão agradecendo a recepção que lhe foi feita pelos professores e alunos das Escolas Oficiais Primárias.

Na Escola Primária Oficial Luso Chinesa Sir Robert Ho Tung:

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino VO Inspector Geral do Ensino do Ultramar entre os professores daEscola Primária Luso- Chinesa Sir Robert Hó Tung

Na Escola Infantil “D. José da Costa Nunes”:

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino VIO Sr. Dr. Braga Paixão no meio de professores e criancinhas da Escola Infantil “D. José da Costa Nunes”.

Na escola da Casa da Beneficência:

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino VIIO Sr. Dr. Braga Paixão falando aos pequenos estudantes da Casa de Beneficência

No Colégio do Sagrado Coração de Jesus:

MOSAICO IV 21-22 1952 Director Gral do Ensino VIIIO Director Geral do Ensino do Ultramar dirigindo-se às alunas do Colégio do Sagrado Coração de Jesus.

NOTA: Foi durante a visita do Director Geral a Macau, mais precisamente a “21 de Maio de 1952 que se registaram os confrontos armados junto à Porta do Cerco envolvendo, por erro, uma canhoneira do Exército Popular de Libertação da China comunista e uma lancha da Polícia Marítima e Fiscal de Macau. O Incidente teve inicio quando soldados chineses, situados junto à Porta do Cerco, abriram fogo sobre um barco de pesca que, alegadamente, tinha entrado em águas territoriais chinesas. Por outro lado, a tripulação de uma canhoneira chinesa, que se deslocou rapidamente para perto do incidente, pensou que estava a ser atacada por uma lancha da Polícia Marítima e Fiscal de Macau, que navegava nas imediações. A situação confusa resulta na troca de fogo entre ambas as partes” (FERNANDES, M. S. – Sinopse….p. 106) (1)

Reportagem e fotos de “MOSAICO”, VOL IV, n.º 21/22, 1952.
(1) FERNANDES, Moisés Silva – Sinopse de Macau nas Relações Luso-Chinesas, 1945-1995: cronologia e documentos. Lisboa: Fundação Oriente, 2000, 850 p.