Archives for posts with tag: Elvis Presley

Já relatei em anterior postagem,  a popularidade dos livretes com letras das músicas (1) que eram comprados nas papelarias em Macau (2), nas décadas de 50 e 60.
Este, intitulado «ROCK & ROLL “HITS”» é de 1956/57 e contem letras de 75 canções da chamada época do “Rock and Roll”, as de maiores sucessos quer na popularidade quer nas vendas, com o destaque das canções de Elvis Presley (11 canções).
São canções,  todas de 1956, mas nem todas do ritmo “rock and roll”: The Platters (14 canções); Little Richard (6 cancões); Gene Vincent´s (6 canções); La Vern Baker (5 canções); Bill Haley and the Comets (16 canções); Frankie Lymonn & the Teen-Agers (4 canções) e Fats Domino (2 canções).
O Índice e a biografia de Elvis Presley, que no final desse ano (1956), estrearia o seu primeiro filme “Love me Tender”, um dos seus maiores sucessos de bilheteira no cinema e a canção (a letra neste livrete), um dos seus maiores sucessos em disco. (3)
Na contra-capa, a  fotografia de Pat Boone, cantor popular nessa época mas por não ser do ritmo “rock and roll”, não tem nenhum dos seus “hits” nesta lista.
(1) Na época, eram letras de músicas “populares” ouvidas pela juventude, canções essas muito solicitadas no programa de disco pedidos ”REQUEST“ emitidas na Rádio Vila Verde, rádio muito ouvida entre 1950-1960.Ver anteriores referências destes livretes em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/01/31/musicas-da-decada-de-50-2/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/01/15/musicas-patti-page/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/06/19/musicas-da-decada-de-50-ii-tell-me-why-1951/
(2) As Papelaria/Livraria “SIO SIO que ficava na Rua de S. Domingos 1-C; o “POLIDOR” que estava na Travessa do Roquete n.º 5 e depois.na década de 50, mudou-se para o Largo do Senado, no rés do chão do antigo edifício “Ritz Mansion” (posteriormente após restauro, foi aí instalada a “Direcção dos Serviços de Turismo de Macau”, hoje “Centro de Turismo de Negócios de Macau”
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/04/08/leitura-dicionario-essencial-ingles-portugues/
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/elvis-presley/

‘It Happened At The World’s Fair’

Um filme de comédia romântica da MGM  rodado em Seattle, Washington, onde se realizou a Feira Mundial, de 1963. Dirigido por Norman Taurog e protagonizado por Elvis Presley., Joan O’Brian, Gary Lockwood e  Vicky Tiu.
ELVIS – 6.ª Album com músicas dos seus filmes, este do filme “It Happened at the World’s Fair” (10 músicas), da editora RCA Victor , em mono e “stereo”, gravado em 1962
Trailers em
https://www.youtube.com/watch?v=W1ojY5XLxnE
https://www.youtube.com/watch?v=KbAM3KVWmJg
https://www.dailymotion.com/video/x5l5xcl
https://www.dailymotion.com/video/x5l5x51
PRÓXIMA MUDANÇA
“Barabbas”  é um filme italiano (rodado na Cinecittà), de 1961, falado em inglês do gênero drama épico-bíblico, dirigido por Richard Fleischer e protagonizado por Anthony Quinn, Silvana Mangano, Jack Palance e Ernest Borgnine. Produção  Dino de Laurentis. Baseado no romance de Pär Lagerkvist, foi a segunda versão cinematográfica do livro, anteriormente filmado em 1953, na Suécia.
Trailers em:
https://www.youtube.com/watch?v=LYTzwBwGvdU
https://www.youtube.com/watch?v=N4Yw2W4McJs
https://www.youtube.com/watch?v=0UXc388qGCw
https://www.youtube.com/watch?v=wWgtY40JrYs

Elvis PresleyFaria 81 anos hoje. É uma data a comemorar ou a lembrar pois em Macau durante duas  décadas – 50 e 60 do século XX – “reinou” em Macau, o rei Elvis Presley. Para além das suas canções emitidas frequentemente na rádio, muito contribuiu para a sua popularidade os filmes musicais em que participou. Entre 1956  e 1969 gravou cerca de trezentos temas musicais  para as bandas sonoras das películas.
Hal B. Wallis (1) afirmaria:
Um filme do Elvis é a única aposta segura em Hollywood
Em Abril de 1956, Elvis Presley assinou um contrato de sete anos com Hal B. Wallis que obrigava o cantor a participar anualmente num filme produzido por Wallis para a Paramount Pictures. Fez ao todo 33 filmes musicais e muitos destes filmes passaram pelos  teatros/cinemas de Macau sobretudo no Teatro Apollo.
Folhetos de Elvis - TEATRO APOLLOPassando a fase inicial (década de 50) em que participou nos filmes considerados pela crítica, os mais conseguidos quer pela interpretação quer a nível temático: “Loving You” (1957) , “Jailhouse Rock”  (1957)  e “King Creole” (1958), retomou em 1960 (após ter cumprido o serviço militar na Alemanha entre finais de 1958  e inicio de 1960) o que é considerado a segunda fase da sua carreira cinematográfica – a comédia musical – para tentar recuperar o seu público adolescente e conquistar um público mais familiar.
Sem TítuloO primeiro filme dessa segunda fase, foi “G.I. BLUES” (1960), produzido por Hal B. Wallis para a Paramount Pictures, realizado pelo veterano  Norman Taurog , (2) com Juliet Prowse (1936-1996. excelente dançarina), Robert Ivers e James Douglas e é sem dúvida um filme em que as canções nele inseridos fazem parte da uma boa música pop americana dos anos 60.
APOLLO 20JAN1961 - G. I. BluesO filme estreou-se em Macau, no Teatro Apollo, no dia 20 de Janeiro de 1961 sendo “Espectáculo para maiores de 17 anos” (“à socapa consegui entrar e ver o filme”)  com o título “Aposta entre soldados” (em Portugal “Café Europa”)
Foi um dos filmes deste cantor com mais êxito de bilheteira (segundo filme mais visto na semana em que se estreou e a banda sonora atingiu rapidamente o primeiro lugar das tabelas de vendas nos EUA).
APOLLO 20JAN1961 - G. I. Blues versoOs argumentistas Edmund Beloin e Henry Garson foram ambos nomeados em 1961, por este filme, pela associação “Writers Guild of America”, na categoria “Best Written American Musical”.
São deste filme as canções (3): “GI Blues“, (4) “Wooden Heart”, (5) “Blue Swede Shoes” (6) “Shoppin’ Around”,(7) “Doin’ the Best I Can“, (8) “Pocketful of Rainbows“,(9) “Tonight Is So Right for Love” (10)  , “Frankfort Special“, (11) “What’s She Really Like” , (12) “Big Boots” (13) e “Didja’ Ever” (14)
Hall B. Wallis(1) Hal B. Wallis, (1899-1986), um dos mais prestigiados produtores da indústria cinematográfica americana: na “Warner Brothers” nas décadas de 30 e 40 e depois como produtor independente associado a “Paramount Pictures” nos anos 50 e depois associado à “Universal Pictures” a partir da década de 60. Em  quarenta e cinco anos de actividade, produziu, co-produziu ou supervisionou mais de quatrocentas películas, muitas delas produções campeãs de bilheteira como por exemplo: “Captain Blood“, “The Adventures of Robin Hood“, “Now Voyager“, “Desperate Journey“, o clássico melodrama “Casablanca“, e muitas delas premiadas pela Academia (esteve por 16 vezes nomeado para melhor produtor e ganhou-o para a película “Casablanca” em 1943). https://pt.wikipedia.org/wiki/Hal_B._Wallis
Norman Taurog(2) Norman Taurog (1899 – 1981) – dirigiu cerca de 140 filmes de 1920 até 1968. Venceu o Óscar de melhor director em 1931 com o filme “Skippy” e até hoje é o director mais jovem que conquistou este prémio (na época com 32 anos). Dirigiu nove filmes de Elvis Presley. https://pt.wikipedia.org/wiki/Norman_Taurog

Elvis Presley disco G. I Blues(3) O album “The G.I. Blues” (11.º álbum de Elvis Presley) foi nomeado para dois “Grammy Awards” em 1960 nas categorias:  “Best Sound Track Album Or Recording Of Original Cast From A Motion Picture Or Television” e “Best Vocal Performance Album, Male”
https://en.wikipedia.org/wiki/G.I._Blues
(4) https://www.youtube.com/watch?v=JosUZjWUAkQ
(5) https://www.youtube.com/watch?v=05ZgyoZvhgI
(6) Regravação dum anterior exito de Elvis de 1956
      https://www.youtube.com/watch?v=y_VScZVwZK8
(7) https://www.youtube.com/watch?v=13riY9IU444
(8) https://www.youtube.com/watch?v=npg1FLVH4B8
(9) https://www.youtube.com/watch?v=ELaILNtgIGk
(10) https://www.youtube.com/watch?v=YGi3FMcki-o
(11) https://www.youtube.com/watch?v=tueIsDiHv8E
(12) https://www.youtube.com/watch?v=E_5mJO6QHDA
(13) https://www.youtube.com/watch?v=K89QuHQoZM4
(14) https://www.youtube.com/watch?v=-udTHfAz4Vo
Anteriores referências de Elvis Presley em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/elvis-presley/
https://nenotavaiconta.files.wordpress.com/2012/08/jailhouse-rock1.png

No passado dia 16 de Agosto (1), passaram 35 anos do falecimento de Elvis Presley. Em Macau (2), o fenómeno “Elvis” também se verificou, finais de 50 e toda a década 60, perdendo progressivamente “popularidade” com o aparecimento dos Beatles (1962).
Antes da era televisiva mundial, e da difusão maciça dos telediscos, não tenho dúvidas que os filmes de Elvis (3) (especialmente os da década de 60) foram, o melhor (e maior) meio de difusão para que o “rei” se tornasse conhecido à escala mundial. Mas antes dos filmes musicais (comédia musical/comédia romântica) (4), sem dúvida foram os três filmes da chamada “triologia rebelde” ( “Love Me Tender” (1956); “Loving You” (1957) e “King Creole” (1958));  e sobretudo, “Jailhouse Rock” (1957), que mais marcaram a geração nessas décadas.
Este último, estreou-se em Macau no 19 de Abril de 1958, no Teatro Vitória e como os seus discos já eram muito populares, o título escolhido foi “PRESLEY, O ÍDOLO DOS JÓVENS“.
O espectáculo foi para maiores de 13 anos.
A cena, que é considerada antológica, onde se mostra um número de dança na prisão, apresentando a canção título do filme, foi coreografada pelo próprio Elvis; muitos a consideram um dos primeiros video-clipes da história do rock.
Embora no folheto anunciasse 7 novas canções, no verso e antes do argumento, enumera somente seis:  “Jailhouse rock” (canção de Jerry Leiber e Mike Stoller, considerada pela revista Rollig Stone como uma das mais importantes composições da história do rock) (5); “Treat me nice“; Baby I don´t care“; “I want to be free“; “Don´t leave me now“; “Young and beautiful“. A cançaõ que falta é “One more day
(1) Elvis Aaron Presley (1935-1977).
(2) Interessante reportagem sobre o Rodolfo Souza, o Elvis Macau em
http://musica.sapo.pt/noticias/especiais/lusodescendente-em-macau-veste-a-pele-de-elvis-presley-ha-mais-de-uma-decada
(3) 33 filmes musicais que representam o maior sucesso comercial em filmes musicais,  produzidos em Hollywood, + 2 filmes não musicais: “Flaming Star” (1960) (boa interpretação)  e “Wild in the Country” (1961) (fraco). Após ter cumprido o serviço militar (Alemanha) entre finais de 1958  e inicio de 1960, o primeiro filme da segunda fase da carreira cinematográfica foi “GI BLUES” (1960), realizado por Norman Taurog.
Não se pode esquecer que a maioria dos grandes estúdios de Hollywood controlavam e participavam no capital das principais editoras discográficas, LP  com as bandas sonoras pelo que estavam interessados no êxito dos filmes “musicais”.
Hal B. Wallis, um dos produtores mais importantes de Hollywood daquela época,  afirmou ” Um filme do Elvis é a única aposta segura em Hollywood
(4) Não se pode incluir os filmes de Elvis no conceito estricto do que é um filme musical. “No musical integrado, as letras das canções cumprem a função de diálogo, enquanto no musical semi-integrado as letras e as melodias, apesar de coerentes com o tema da cena em que se integram, não cumprem a função de diálogo….(…)… Na comédia  musical as canções não cumprem a função de diálogo musicado e a sua integração na narrativa é bastante flexível, uma vez que estes  números funcionam frequentemente como mera diversões. Deste modo, estas películas eram basicamente comédias românticas que incluíam momentos musicais.” (5)
(5) CARREGA, Jorge – Elvis Presley e o cinema musical de Hollywood. Hugo Mota Editora, 2009, 132 p, ISBN 978-989-95991-4-7.
NOTA: Pode-se ver: “Jailhouse Rock” (music video)
               http://www.youtube.com/watch?v=gj0Rz-uP4Mk
               http://www.youtube.com/watch?v=tpzV_0l5ILI

Encontrei, entre os livros “herdados”, um pequeno “livrete” com 19 páginas, intitulada “BEST SONGS” n.º 1. (13 cm x 19 cm, de capa acinzentada).  Não traz mais nenhuma informação nem da editora/impressora nem do ano de publicação. (1)
Contém 57 letras de cancões que muito provavelmente, eram as “mais populares”, na década de 50. Analisando os títulos de algumas canções que conheci através de versões mais recentes. pressuponho ter sido publicado em 1952-1953.
Na época, eram músicas “populares”, emitidas na Rádio Vila Verde (2) (3) (綠邨738台 – luk6 cyun1 toi4), rádio que era muito ouvida entre 1950-1960 (mais popular que o Rádio Clube de Macau, fundado em 1941, canal oficial). E muito provavelmente, terão sido “tocadas” no programa muito popular durante anos, o famoso”REQUEST” – música a pedidos.
Segundo informações da minha prima, eram adquiridas na “Papelaria SIO SIO” que ficava na Rua de S. Domingos 1-C (no Anuário de Macau de 1938, o “SIO SIO” estava referenciada como “livraria portuguesa e chinesa” e não como “papelaria e artigos de escritório” que na verdade o era, ao longo de muitos anos de funcionamento)
Pode-se ler em (5), a propósito de um artigo sobre Johnny Reis:
” E apresentou programas como os “Hit Parade”, “Yours for the Asking” (em inglês) e os “Request”, de grande audiência, porque dias havia em que o carteiro despejava na emissora quilos de cartas com pedidos de discos e se preenchiam 5 folhas A4 com dedicatórias de cada canção. Eram tantas e tão fiéis as radiouvintes que chegou a ser necessário apaziguar pais que julgaram atentatório do bom nome das filhas a frequência alarmante de dedicatórias públicas dos (múltiplos) enamorados. Alegavam forte “distracção em horas de estudo”. E o meio-termo foi a proibição de inclusão de apelidos.”
Analisarei algumas das músicas desse “livrete”, em futuros postagens.
(1) Este livro terá sido o precursor de outras pequenas revistas que foram aparecendo e  que continham letras das músicas. Eram muito populares  em Macau no final da década de 50 (lembro-me dos “Hit Parade“, “Songs“)  e toda a década de 60, (“OK HIT SONGS), publicadas em Hong Kong. “Aprendíamos”, as letras das canções do Elvis Presley, Paul Anka, Neil Sedaka, Ricky Nelson, Connie Francis e depois na década  seguinte dos Beatles, Rolling Stones, etc. Enquanto que as revistas antigas  continham somente as letras, (para serem “cantaroladas” ao ouvir o “request” por exemplo),  as mais recentes (década de 60), vinham já acompanhadas com a pauta e o acorde de viola/ guitarra.
(2) http://pt.wikipedia.org/wiki/R%C3%A1dio_Vila_Verde
A rádio Vila Verde iniciou emissão em 1948 (ou em 1952 segundo outras versões) fundada por Pedro José Lobo. Emitia em cantonense (principalmente ao longo do dia, programas e anúncios publicitários) e à noite ( a partir das 21H00 até à meia noite), programas em língua portuguesa e inglesa (a música era quase exclusivamente em língua inglesa). A partir de 1965, após a morte de Pedro José Lobo passou a transmitir somente em cantonense. Adquirida em 1994 pela STDM suspendeu funções. Já na fase terminal passou a transmitir somente relatos das corridas de galgos e cavalos. Terá reiniciado actividade 2000 ou 2002, emissão em cantonense
(3) http://macao.communications.museum/por/exhibition/secondfloor/moreinfo/2_9_3_RadioMacau.html
(4) em cantonense jyutping
(5) JORGE , Cecília -Revista Macau Junho 1998
Pode-se ler mais sobre esta rádio em “Rádio Vila Verde e outras rádios
http://macauantigo.blogspot.com/2010/11/radio-vila-verde-e-outras-radios.html
e “Rádio Vila Verde” em
cronicasmacaenses.wordpress.com/tag/radio-vila-verde
e fotos dessa rádio  em
http://macauantigo.blogspot.com/2009/04/radio-e-televisao-em-macau.html
http://rpdluz.tripod.com/projectomemoriamacaense/johnny-reis.html