Archives for posts with tag: Correios de Macau / C. T. T.

A Direcção dos Serviços de Correios, (1) pôs em circulação, a partir do dia 1 de Março de 2004, cumulativamente com as que estavam em vigor, uma emissão extraordinária de selos designada «I Ching, Pa Kua IV» (2) constituída por 8 selos (formato hexagonal) , todos com a taxa de 2 patacas e um bloco filatélico com a legenda “Vigor e Vitalidade) com selo de 8,00 patacas. (2)           

Folha Miniatura série de 8 selos com o n.º 212834
Bloco Filatélico, contendo 1 selo de 8 patacas, com o n.º 031017.

Dados Técnicos

(1) Despacho do Chefe de Executivo n.º 300/2003 de 23 de Dezembro de 2003, publicado no n.º 52 de 29-12-2003, Boletim Oficial da Região Administrativa Especial de Macau, Iª série-suplemento.

Despacho do Chefe do Executivo n.º 300/2003

(2) Álbum Selos de Macau: Carteira Anual 2004, p. 2.

NOTA: Os Correios de Macau lançaram, entre 2001 e 2010, sete emissões da série temática “I Ching, Pa Kua”. A oitava e última emissão desta colecção, é composta por oito selos representando os hexagramas Pi, Cui, Jin, Yu, Guan, Bi, Bo e Kun, e foi lançada em 1 de Março de 2012. Os Correios de Macau ainda lançaram no dia 9 de Outubro de 2014, uma elegante filatélica que reúniu numa colecção os produtos filatélicos da série “I Ching, Pa Kua”, da autoria do designer Chan Chi Wai.

Envelope/sobrescrito (16,3 cm x 11,5 cm) do primeiro dia de circulação, e selo com o mesmo motivo, com as obliterações de 1.º dia, alusivos à emissão extraordinária comemorativa do “ANO LUNAR DO CÃO”, (1) emitido pelos “Correios de Macau”, (2) em 3 de Fevereiro de 1994.

No canto superior direito do envelope, sobre o selo de 5,00 patacas, o carimbo temático.

(1) Ano Lunar do Cão, no ano de 1994 (CÃO/ MADEIRA), iniciou-se a 10 de Fevereiro.

(2) Portaria n.º 1/94/M, (BOM I-3 de 17-01-1994) – Emite e põe em circulação selos postais e carteiras alusivos à emissão extraordinária «Ano Lunar do Cão».

Cartão de Boas Festas (21 cm x 10 cm), dos Correios e Telecomunicações de Macau, contendo no seu interior, um selo de 2,5 Patacas da colecção “Varandas de Macau” que foi lançada em 1997. (1)

Os CTT de Macau desejam um Bom Natal e um Feliz Ano Novo

CAPA e CONTRACAPA

(1) Portaria n.º 172/97/M, de 21 de Julho – emite e põe em circulação selos postais alusivos à emissão extraordinária «Varandas de Macau». Foram emitidos seis selos: $0,50; $1,00; $1,50; “2,00; $2,50; $3,00.

Em comemoração do 5.º Aniversário do estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, os “correios de Macau”, (1) lançaram no dia 20 de Dezembro de 2004, quatro selos de formato: 40.28 x 30 mm, (1.50 ptcs, 2.00 ptcs, 2.50 ptcs, 3.00 ptcs), um bloco filatélico de formato: 138 x 90 mm (contendo 1 selo – 49,28 x 30 mm – de 10.00 patacas) e um sobrescrito de 1.º dia (163mm x 229 mm). (2) Autor: Kuan Chon Kit

Bloco Filatélico n.º 0283917

(1) Despacho do Chefe do Executivo n.º 245/2004

(2) Álbum Selos de Macau: Carteira Anual 2004, p. 11.

Um dos lados do folheto, anuncia o lançamento da brochura sobre a “PRESENÇA PORTUGUESA NO ORIENTE” (1) baseada na História de Macau e a sua relação com Malaca, Tailândia, Goa, Japão e China, com textos originais da Dr.ª Beatriz Basto da Silva, em 50 páginas ilustradas com fotografia e produtos filatélicos, no dia 17 de Novembro de 1989., no valor de MOP $ 100,00 ou ESC. 2 340$00. Uma edição rigorosamente limitada, numerada e autenticada pelos CTT de Macau.

No verso deste folheto, O «CTT de Macau» anuncia a venda das carteiras anuais e temáticas de selos, sendo 7 as carteiras lançadas anualmente entre 1983 a 1989 e 3 as carteiras temáticas: Barcos, Arte do Museu Camões e Meios de Transporte Tradicionais.

Ver Carteira anual de 1985 em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/01/11/folheto-selos-de-macau-1985/

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/11/17/noticia-de-17-de-novembro-de-1989-filatelia-brochura-sobre-a-presenca-portuguesa-no-oriente/

CTT de Macau pôs em circulação em 7 de Novembro de 1994, selos postais alusivos à emissão extraordinária «Símbolos de Sorte» (1)

Hoje publico a pagela n.º 91 com os três selos – dimensões: 3 cm x 4 cm) (3 patacas, 3,5 patacas e 4,5 patacas) e as obliterações do 1.º dia.

Os desenhos são de Poon Kam Ling

SÍMBOLOS DE SORTE – “Para os chineses são aspirações de vida, a prosperidades e a felicidade, sendo marcantes os seus símbolos na ideologia do povo chinês ao ponto de se notar a presença desses símbolos em toda a vivência da comunidade chinesa. Originários nas tribos primitivas, os símbolos de sorte foram sendo desenvolvidos e aperfeiçoados, quer na sua forma de apresentação, quer no seu conteúdo, ao longo das dinastias “Shang” , “Zhou”, “Qin” e “Han”. Finalmente, na dinastia “Song”, os símbolos de sorte adquiriram a sua própria índole artística, graças ao desenvolvimento sócio-económico registado naquela época. Durante milhares de anos, os símbolos de sorte eram vulgarmente aproveitados para fins diferentes pelos chineses, desde a classe nobre à plebeia, tendo os mesmos sidos introduzidos, acolhidos e apreciados, na Coreia, no Japão e noutros países asiáticos.

Os símbolos de sorte, também conhecidos por “desenhos de boa sorte”, são a arte final que exprime fantasiosamente o interesse e a adoração dos Homens pela maravilha da Natureza e pelas personagens célebres da História. São representados por diagramas ou por desenhos, havendo centenas de tipos de símbolos de sorte, distinguindo-se os muito conhecidos e estimados pelos chineses, que aparecem nas gravuras das festividade s do Ano Lunar: o morcego, o pêssego, o velho da longevidade, a carpa, o nenúfar e as crianças, simbolizando a fortuna, a longevidade, a felicidade e a fecundidade”

Lap Lan Heng Fân (traduzido por Lo Weng Un)

Dados Técnicos

 (1) BO n.º 39, de 26 de Setembro, p.946 – Portaria n.º 208/94/M

No dia 25 de Agosto de 1985, os «Correios e Telecomunicações de Macau / CTT MACAU» emitiram e puseram em circulação,” os segundos selos postais alusivos ao tema “Meios de Transportes”, com a emissão de “Barcos de Carga”, (1) (na sequência da anterior “Barcos de Pesca”) (2). A pagela desta emissão já foi publicada na postagem de 25-10-2017. (3) Foram emitidos também, nesse dia, 4 postais ao preço de 60 avos cada (3)

Os desenhos são de Ng Wai Kin.

Os quatros selos (3 cm x 4 cm) desta emissão são nos valores de 50 avos (Tou de Kau-Kong ou – T´au); 70 avos (Junco a motor “Veng Seng Lei”); 1 pataca (Junco a motor “Tong Heng Long n.º 2; e 6 patacas (Cargueiro “Fong Vong San”).

Os selos apresentam o logotipo da exibição mundial filatélica que decorreu em Roma (Itália) de 25 de Outubro a 3 de Novembro de 1985: “Esposizione Mondiale di Filatelia

 

TOU de KAU-KONG ou SA-T´AU

Conhecido antigamente pelo Tou das sedas. Tinham uma grande vela e serviam o distrito da seda do delta do rio Oeste. Sobre a cobertura permanente encontrava-se montada uma importante bateria de peças de artilharia para defesa da sua valiosa carga e protecção dos ricos negociantes que a acompanhavam. Actualmente ainda existem alguns TOUS, embora desarmados, que se dedicam ao transporte de materiais para a construção civil.

JUNCO A MOTOR “VENG SENG LEI”

Junco de madeira construído em Macau, utilizado no transporte de carga geral, cujo modelo foi introduzido na Província de Kuangtung há cerca de 40 anos, tendo-lhe sido introduzidas algumas alterações na forma de casco e no castelo de proa, que foi elevado, dando-lhe assim possibilidade de enfrentar ondulação mais alterosa. Desloca 229 toneladas brutas com um comprimento fora a fora de 109 pés, 22,6 pés de boca máxima e 11 pés de calado máximo, e uma tripulação que oscila entre 7 e 10 homens.

JUNCO A MOTOR “TONG HENG LONG N. º 2”

Junco de madeira construído em Macau, utilizado no transporte de carga geral, do mesmo modelo que o “VENG SENG LEI”, mas com dimensões ligeiramente superiores. Desloca 306 toneladas brutas, com um comprimento fora a fora de 115 pés, 25,6 pés de boca máxima e 9 pés de calado máximo, tendo uma tripulação entre 7 e 10 homens.

CARGUEIRO “FONG VONG SAN”

Pequeno cargueiro de casco de ferro, destinado ao transporte de carga geral e também de contentores. Com um deslocamento de 337 toneladas brutas, 129 pés de boca máxima e 8 pés de calado máximo, dispõe de um motor principal de 425HP, sendo a tripulação e 13 homens.

Comandante João Manuel Nobre de Carvalho (3) – Director dos Serviços de Marinha de Macau in pagela n.º 18 de «CTT» de 25 de Outubro de 1985

(1) “Meios de Transporte Tradicionais – Barcos de carga” (emissão extraordinária) (B.O. n.º 42 de 19 de Outubro, p. 3078; Portaria n.º 205/85/M

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/10/22/noticia-de-22-de-outubro-de-1984-filatelia-barcos-de-pesca/

(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/10/25/noticia-de-25-de-outubro-de-1985-filatelia-barcos-de-carga/  https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/01/22/postais-barcos-de-carga-i/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/01/26/postais-barcos-de-carga-ii/

Em comemoração do 55.º aniversário da Implantação da República Popular da China, em 1 de Outubro de 2004, (1) os Correios de Macau (C.T.T.) emitiram 4 selos, dois sobrescritos de 1.º dia (114 mm x 162 mm e 163 mm x 229 mm) e um bloco filatélico (138mm x 90mm) contendo um selo de 7 patacas (60 mm x 40 mm) subordinado ao significado dessa data. (2)

O autor dos desenhos é Wang Huming

Os valores dos selos são 1.00 ptc; 1.50 ptc; 2.00 ptc; 3.50 ptc. Formato dos selos: 40 mm x 30 mm

Bloco Filatélico n.º 132584
Dados Técnicos (2)

(1) A fundação da República Populr da China (RPC) foi formalmente proclamada por Mao Tsé-Tung, presidente do Partido Comunista da China, a 1 de outubro de 1949 às 15:00 horas na Praça Tiananmen em Beijing, a nova capital da China.

(2) Despacho do Chefe do Executivo n.º 210/2004 (BO N.º: 33/2004) publicado em 16-08- 2004, p. 1513 – Emite e põe em circulação uma emissão extraordinária de selos designada «55.º Aniversário da Implantação da República Popular da China»

Usando da faculdade conferida pelo artigo 50.º da Lei Básica da Região Administrativa Especial de Macau, e nos termos do n.º 2 do artigo 19.º do Decreto-Lei n.º 88/99/M, de 29 de Novembro, o Chefe do Executivo manda: 1. Considerando o proposto pela Direcção dos Serviços de Correios, é emitida e posta em circulação, a partir do dia 1 de Outubro de 2004, cumulativamente com as que estão em vigor, uma emissão extraordinária de selos designada «55.º Aniversário da Implantação da República Popular da China», nas taxas de  1,00 pataca, 1,50 patacas,  2,00 patacas, 3,00 patacas e Bloco com selo de 7,00 patacas e todas nas quantidadesde 325 000. 2. Os selos são impressos em 81 250 folhas miniatura, das quais 20 312 serão mantidas completas para fins filatélicos. 3. O presente despacho entra em vigor no dia da sua publicação. 9 de Agosto de 2004. O Chefe do Executivo, Ho Hau Wah.

(2) Extraído de   “ Álbum Selos de Macau: Carteira Anual”, Correios de Macau , 2004, p. 8

Sobrescrito de 1.º dia -11,4 cm x 16,2 cm (C6). Preço: 1, 5 pataca

No dia 28 de Agosto de 1986, os «Correios e Telecomunicações de Macau / CTT MACAU» emitiram e puseram em circulação selos postais alusivos à emissão “ Meios de Transportes”. (1) Trata-se de uma continuação da emissão de selos sob o tema “Meios de Transporte “ iniciado em 1984 com os “Barcos de Pesca” e terminado com os “Hidroaviões” (já publicados em anteriores postagens) (2)

As embarcações tradicionais chinesas utilizadas no transporte de passageiros entre Macau e os portos vizinhos, designavam-se genericamente por “TOU”, como qualquer embarcação de carreira, e eram construídas em madeira e de propulsão à vela. Algumas  dispunham também de uma roda da pás à popa , accionada pelos tripulantes por meio  de pedais. Os barcos de passageiros que demandam actualmente (1986) Macau são todos de propulsão a motor, e na sua maior parte fazem uso das mais modernas técnicas de sustentação dinâmica, que lhes permite reduzir do casco na água, e alcançar velocidades de cruzeiro muito elevada, com economia de combustível.” (3)

Os quatros selos desta emissão são nos valores de 10 avos (hidrofoil), 40 avos (hovermarine), 3,00 patacas (jetfoil) e 7,50 patacas (high speed ferry). Os desenhos são de  Ng Wai Kin

HYDROFOIL – é uma embarcação rápida propulsionada poe hélice, que utiliza uma técnica moderna de sustentação dinâmica. Navega à velocidade de cruzeiro de 33 nós, apoiando-se em estruturas rígidas, de formas finas, que mantêm o casco numa posição elevada em relação à superfície da água, quando em movimento rápido. O modelo em uso nas carreiras de Macau tem 30,4 m de comprimento, 5,8 m de boca e um calado que varia entre 4 m, quando parado, e 1,96m, quando em cruzeiro, e tem uma lotação de 126 passageiros, fazendo o percurso entre as duas cidades em aproximadamente 1 hora e 15 minutos. (3)

HOVERMARINE – é uma embarcação rápida, propulsionada por hélice, que navega sobre uma almofada de ar gerada pela moderna técnica de insuflação de ar no casco, especialmente adaptado, elevando-o acima da superfície da água. O modelo em uso nas carreiras de Macau é constituído em fibra de vidro reforçada, tem uma lotação de 200 passageiros e dispõe de dois motores diesel propulsores que lhe dão velocidade de cruzeiro de 36 nós, com autonomia para 200 milhas. Tem 27,2 m de comprimento, 10,2 m de boca e 1,4 m de calado quando em elevação. Faz o mesmo percurso em cerca de 1 hora. (3)

JETFOIL – é uma embarcação muito rápida que utiliza as modernas técnicas de propulsão por jacto de água e de sustentação dinâmica. Navega à velocidade de cruzeiro de42 nós, apoiando-se em estruturas rígidas, de formas finas que, quando em deslocamento rápido, mantém o casco numa posição elevada acima da superfície da água, a uma altura regulável, come estabilização automática. Tem uma lotação de 260 passageiros, cobrindo a distância entre Macau e Hong Kong em cerca de 50 minutos. As suas dimensões são: 27, 4 m de comprimento, 9,14 m de boca e 5,18 m de calado imobilizado que se reduz a 1,52 m à velocidade de cruzeiro. (3)

HIGH SPEED FERRY – é um navio convencional que atinge altas velocidades de cruzeiro para o seu tipo, devido à grande potência instalada: 12000BHP para uma tonelagem bruta de 1136 ton, atingindo uma velocidade de cruzeiro de 27 nós., fazendo o percurso entre Macau e Hong Kong em cerca 1 hora e 30 minutos. Tem uma lotação de 660 passageiros e as suas dimensões são: 57,79 m de comprimento, 10,20 m de boca e 2,66 m de calado (3)

Da folha lembrança n.º 22, sobrescrito do 1.º dia de circulação, com o seu motivo e a reprodução dos selos e da obliteração de 1.º dia.
Dados Técnicos

(1) Foram emitidos nesse dia, 4 postais com o mesmo motivo, ao preço de 60 avos.

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes-ii/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2020/07/15/noticia-de-15-de-julho-de-1988-filatelia-meios-de-transportes-tradicionais-2o-grupo/

(3) SOARES, Comandante António Martins  ( Director dos Serviços da Marinha) in folha lembrança n.º 22 do C.T.T.

No dia 15 de Julho de 1988, os «Correios e Telecomunicações de Macau / CTT MACAU» emitiram e puseram em circulação selos postais alusivos à emissão extraordinária Meios de Transportes Tradicionais – 2. º Grupo“ e um bloco filatélico. Trata-se de uma continuação da emissão de selos sob o tema “Meios de Transporte “ iniciado em 1984 com os “Barcos de Pesca” e terminado com os “Hidroaviões” (estes já publicados em anteriores postagens (1) (2)

Os quatros selos desta emissão são nos valores de 20 avos (bicicletas), 50 avos (motociclos) 3,30 patacas (automóvel) e 5 patacas (automóvel) (3)

Os desenhos são de  Ng Wai Kin

“Os primeiros automóveis começaram a circular em Macau nos anos 20. Decorridos dez anos não haveria no Território, mais do que uma escassa dezena de carros; o carro do Governador e os de algumas famílias mais abastadas. Com o decorrer do tempo, porém, o automóvel começou a generalizar-se e, em cada ano que passava, a sua expansão ia sendo cada vez maior. De facto, após os anos 50, o automóvel começa a ser uma presença efectiva no ambiente da cidade. Contudo, a sua circulação permitiu ainda, até finais da década de 70, a circulação regular de meios de transporte tradicionais, nomeadamente o triciclo e a bicicleta.

Nos anos 80, acompanhando o rápido crescimento económico e populacional do Território, o automóvel acabou por conquistar todo o espaço disponível da cidade. Hoje o transporte motorizado automóveis, motociclos e ciclomotores, é um hábito generalizado numa população que ronda o meio milhão de habitantes, vivendo, a maior parte, num espaço exíguo, a península de Macau, ocupada inteiramente pela cidade do mesmo nome, com uma área de pouco mais de 6 km2! “ (4)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes/

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/10/09/noticia-de-9-de-outubro-de-1989-1-o-dia-de-circulacao-meios-de-transpor-tes-tradiconais-hidroavioes-ii/

(3) Portaria n.º 115/88/M – Emite e põe em circulação selos postais alusivos à emissão extraordinária «Meios de transporte terrestres».

(4) Texto de Jorge Cavalheiro in “Da Sampana ao Jactoplanador, Da Cadeirinha ao Automóvel”. Edição da Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicações de Macau, 1990, 114 p.