Archives for posts with tag: Cine-Teatro Cheng Peng

Do livro da Professora Dra. Ana Maria Amaro,Jogos, Brinquedos e outras Diversões Populares de Macau” (1), de 1972, a propósito dos teatros de sombras, nomeadamente os “sombras das mãos – Sau Ieng Chi 手影子” (2) –  retiro este pequeno texto (p. 62)
“Hoje, em Macau as figuras mais frequentes, que as próprias crianças fazem com as mãos, projectando-as na parede, com acessórios simples, são as mais popularmente conhecidas e divulgadas, também no hemisfério ocidental.
Desde o vulgar gato, em que o indicador e o dedo mínimo duma das mãos, dobrados, formam as orelhas, o antebraço, o corpo e, o dedo mínimo da outra mão, a cauda, à pomba e à águia em voo, batendo as asas, até às figuras mitológicas, a que se aliam, aos dedos, hastilhas de bambu, e às vezes, pedaços de papel dobrados ou recortados, são conhecidas numerosíssimas figuras.
Mães e criadas organizavam sessões de sombras, às vezes acompanhadas de citações, adivinhas ou onomatopeias, e as crianças tinham de as interpretar, o que causava a maior excitação e entusiasmo, por comparticipar, assim, na brincadeira. Era um curioso processo educativo que, hoje a televisão veio substituir.
Lembram-se, ainda hoje, filhos da terra e antigos residentes, dos espectáculos de auto do pau. Estes espectáculos já não eram realizados na casa do auto, actual Teatro Cheng Peng, onde se representavam as óperas chinesas, mas nas ruas, em tendas armadas em estilo de pagode, onde alguns mestres faziam actuar figuras de pau e bambu, que possuíam, apenas, cabeças e braços móveis, e, por vezes, roupagens ricamente bordadas. Estes autos de pau, eram sobretudo, representados no terreiro defronte do templo de Kuan Tai (關帝) da chamada Associação das Três Ruas, vizinho do Mercado de S. Domingos. Desapareceram nos princípios deste século.
Os teatros de sombras, há muito que não existem em Macau, tendo-se perdido, na maioria dos macaenses, a sua própria recordação. Só alguns dos residentes mais antigos se lembram de teatrinhos deste género, montados em tendas ambulantes, que se exibiam, principalmente em noites calmosas, ao longo da Praia Grande.
Ao que consta, eram habituais os teatros de sombras na meia laranja, que restava dum antigo fortim existente defronte da actual Firma F. Rodrigues & C.º, diante do que foi, dantes, a casa do 1.º conde de Senna Fernandes, na Praia Grande.”
(1) AMARO, Ana Maria – Jogos, Brinquedos e outras Diversões Populares de Macau. Imprensa Nacional, 1972.
No verso da contracapa, refere 1976:
“Este livro acabou de se imprimir aos seis dias do mês de Agosto de Mil Novecentos e Setenta e Seis nas Oficinas Gráficas da Imprensa Nacional de Macau”
(2) 手影子mandarim pīnyīn: shǒu yǐng zǐ; cantonense jyutping: sau2 jeng2 zi2

No dia 9 de Março de 1954, os capitalistas Senhores Ho Yin e Y. C. Liang e alguns empresários mais, em conjunto com a Comissão de Senhoras Pro-construção do “Colégio D. Bosco” levaram a efeito no Teatro Cheng Peng uma noite de ópera chinesa; o espectáculo, dado por profissionais, teve a acompanhá-lo, para melhor transmissão do texto cantado, uma versão escrita em português, nos programas distribuídos.
O produto da venda dos bilhetes (Patacas $ 15 044,00) reverteu como era intenção para a continuação da construção do colégio (inaugurado em 10 de Fevereiro de 1952) que, mesmo inacabado, já alberga e educação de centenas de órfãos.” (1)

A Sr.ª. Dr.ª Laurinda Marques Esparteiro, esposa do Governador, entregando uma taça a uma das principais actrizes chinesas.

Extraído de «BGU» XXIX – 347 – MAIO DE 1954 p. 205.

A Comissão de Senhoras Pro-construção do “Colégio D. Bosco” presidida quando se constitui, pela esposa do governador Albano de Oliveira, D. Helena Cremilda de Oliveira e depois pela D. Laurinda Marques Esparteiro (tendo nessa altura como tesoureira e secretária D.ª Raimunda Faria, esposa do Director da Fazenda, e a D.ª Angelina Pacheco Borges, mãe do então Subdirector do colégio Padre Albino Pacheco Borges) (2) levaram a efeito vários espectáculos, peditórios e festas, em benefício do novo colégio que ainda estava em construção como por exemplo estas referências:
07-07-1951- Realizou-se um animado arraial, no Ténis Militar e Naval em benefício do Colégio D. Bosco de Artes e Ofícios. (3)
17 e 18-03-1954 –Nestes dias realizou-se no Teatro Oriental um espectáculo a favor do fundo da construção do «Colégio D. Bosco por iniciativa do «Sport Macau e Benfica» de que é activo presidente o Sr. Alberto Dias Ferreira (4)
14 de Abril de 1954 – Entregue ao Colégio D. Bosco, para aquisição de instrumentos para a sua oficina, a quantia de patacas $ 440,85, resultante de uma subscrição junto dos alunos do Liceu, da Escola Comercial Pedro Nolasco, dos Colégios de Santa Rosa de Lima e do sagrado Coração e das Escolas Primárias Oficiais e Luso-Chinesa (5)
20-06-1954 – Recital de Canto e Piano no Teatro D. Pedro V a favor do Colégio D. Bosco (6)
20-06-1954 – Recital no Teatro D. Pedro V, da cantora Lígia Pinto Ribeiro, acompanhada pelo Prof Harry Ore. Fins beneficentes, a favor do Colégio D. Bosco) (5).
(1) «M.B.I.», I-15, 1954.
(2) «M.B.I», II -33, 1954.
(3) «MOSAICO» II- 12,1951,
(4) «M.B.I», I-16, 1954.
(5) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Vol. 5, 1998.
(6) «M.B.I» I -21, 1954.
NOTA: Anteriores referências ao Colégio D. Bosco:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/colegio-d-bosco/

Em Janeiro de 1954 realizou-se no Teatro Cheng Peng um espectáculo de variedades, a favor do Hospital de S. Rafael, patrocinado pela Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau tendo participado o  mágico indiano Gogia Pasha (1) e o conjunto musical INK SPOTS. (2)
Também nesse mês realizou-se um grandioso festival artístico-desportivo no recinto da Piscina Municipal, em que tomaram parte artistas e atletas de Hong Kong e Macau. O produto das entradas foi assim dividido: 40% para os sinistrados do grande incêndio havido em Hong Kong; (3) 40% para o Hospital Kiang Wu; 20% para a Associação de Beneficência «Tong Sing Tong» (4)
(1) Gogia Pasha, famoso mágico indiano (décadas de 30 a 50 – século XX; faleceu em 1976) que se autointitulava egípcio (com vestimentos compridos e brilhantes, turbante, bigode e barbicha e olhar perverso) apresentava  os seus espectáculos de magia com uma mistura de comédia – partes humorísticas nos seus truques mágicos – intercalados com danças pelas suas assistentes femininos.

Cartaz dum espectáculo incorporado num calendário de 1953
Crédito: John Zubrzycki

Para mais informações deste mágico, aconselho leitura (em inglês) de:
ZUBRZYCKI, John – Unravelling the Mysterious Gogia Pasha, the Original Gilly Gilly Man, 2017
https://thewire.in/153325/mysterious-gogia-pasha-original-gilly-gilly-man/
(2) “The Ink Spots” grupo vocal americano de renome internacional do género musical “rhythm and blues” de 1934 a 1954. O grupo original terminou em 1954, pelo que a actuação em Macau terá sido a última digressão da sua carreira.
Mais informações (em inglês) e discografia em
https://en.wikipedia.org/wiki/The_Ink_Spots
http://inkspots.ca/
Alguns vídeos disponíveis:
https://www.youtube.com/watch?v=6l6vqPUM_FE
https://www.youtube.com/watch?v=wp2Hwi9qM48
https://www.youtube.com/watch?v=xcne73hJPZc

(3) Violento incêndio no dia 25 de Dezembro de 1953 destruiu a área de Shek Kip Mei – 石硤尾, (Hong Kong) onde viviam emigrantes da China continental, deixando 53 000 pessoas sem habitação.
https://en.wikipedia.org/wiki/Shek_Kip_Mei
Vídeos referentes a este acontecimento:
https://www.youtube.com/watch?v=Dt8USmzvKbo
https://www.youtube.com/watch?v=evIwMJRVoHQ
(4) Informações de «MACAU, B. I.»  I -12, 1954.

Rua do Auto Novo (Teatro Chinês)

Extraído do “Anuário de Macau 1921”.
A foto vem legendada com indicação de Rua do Auto Novo (Teatro Chinês)
Trata-se no entanto da Travessa do Auto Novo.
Começa entre as Ruas da Caldeira e da Felicidade e termina na Travessa das Virtudes. Foi-lhe dado este nome por se representarem ali os autos chinas. Em chinês cama-se Cheng Peng Hong ou Ch´eng Sán Kai ou Ch´eng P´eng Chek Kai; tem este nome por lá existir o Cineteatro Cheng Peng que é o prédio n.º 23 dessa Travessa, construído um pouco antes de 1907. (1)
O Padre Teixeira, parece não ter razão quanto à data de início (“um pouco antes de 1907”) pois há indicações do Teatro/Auto China ter iniciado em 1875, construído por Vong Lok, um destacado comerciante de Macau (um dos fundadores do Hospital Kiang Wu) (2) e ainda uma outra referência a este teatro, de 1872, aquando da visita do Príncipe Alexis a Macau (3) pois embora não venha mencionado o nome do teatro, a menção do empresário “Eloc” muito possivelmente será o mesmo do apelido “Lok”
O Cine-Teatro Cheng Peng, no início, a maior parte dos espectáculos eram sessões de ópera chinesa (cantonense e de Beijing) mas a partir da década de 20 do século XX, com a popularidade do cinema, passava já filmes (4) predominantemente filmes chineses embora continuasse a apresentar ópera chinesa e outros tipos de espectáculos: circenses, musicais como por exemplo a do artista Xavier Cugat em 1953 (5), o “Trio Odemira” na década de 60, os chamados “pop concert” com artistas e agrupamentos de Hong Kong na década de 60s, etc. Recordo neste cine-teatro, os dois festivais de música de 1963 e 1964, concurso para eleger o melhor conjunto “ié ié” de Macau. Renovado em 1970 voltou a passar filmes (mais chineses) mas reposições e os chamados filmes “B”. Fechou no dia 21 de Agosto de 1992 quando o sistema de ar condicionado se avariou.
Foi o Cineteatro que mais tempo esteve em actividade em Macau 1875 a 1992 (117 anos).
(1) TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau Volume 1,1997, p. 493
(2) https://macaostreets.iacm.gov.mo/p/route/detail.aspx?gid=4&id=0bc7aeda-ee3d-47b8-95f7-493cdc1fc971
Anteriores referências a este Cine Teatro
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/cine-teatro-oriental/
(3) “29-09-1872 – No domingo, dia 29 de Setembro, após o almoço, a que assistiram também vários funcionários, o Príncipe Alexis visitou o Leal Senado e a Gruta de Camões. De tarde recebeu cumprimentos dos funcionários e, à noite, novo jantar de gala, após o qual assistiu num teatro a um auto-china. Não se esqueceu de galardoar o empresário do teatro, chamado Eloc, com um alfinete cravejado dum pérola e brilhantes…. “ (TEIXEIRA, Padre Manuel – Residência dos Governadores do Macau, p. 13)
(4) Em 1925, projectou-se neste teatro o célebre filme de Lilian Gish “The White Sister” –  filme mudo americano (drama; filmado em Itália) de 1923 com Lillian Gish e Ronald Colman, dirigido por Henry King para a “Metro Pictures”.
https://www.youtube.com/watch?v=0Hh3ZcAEHPY
(5) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/11/29/noticia-de-29-de-novembro-de-1953-xavier-cugat-em-macau/

A paixão pelo cinema desde miúdo levou-me a ver, quando era possível e o dinheiro chegava, todo o tipo de cinematografia. E da minha avó herdei o gosto pelos “filmes de Hong Kong” predominantemente cantonense das décadas de 50 e 60 que passavam principalmente nos teatros que frequentava, “Oriental” e  “Cheng Peng” (menos o “Alegria”).
E sem dúvida um dos ídolos deste cinema é (era) o actor LAM KA SING
Lembrei-me dele ao ter encontrado este recorte no meu dicionário escolar.
林家聲   Lam Ka-Sing  (aliás Lam Kar-Sing, Lam Ga-Sing)
Actor/cantor de ópera chinesa (cantonense, em Macau conhecido como “Auto China“)), Lam Ka-Sing nasceu em Hong Kong, em 1933 (nome de nascimento Lam Man Shun) e faleceu em Hong Kong a 5 de Agosto de 2015. Com a família foi para Guangzhou (Cantão) durante a ocupação japonesa de Hong Kong, na II Guerra Mundial. Aí estudou ópera cantonense (canto e representação). (1) Após a Guerra, regressou a Hong Kong continuando a aperfeiçoar-se. Iniciou a carreira de actor em cinema no filme “Prostituting to Raise the Orphan”, em 1947. Fez cerca de 301 (o último em 1967). Actuou em numerosas peças teatrais (formou a sua própria companhia de ópera cantonense – a última «tournée» em Hong Kong e Estados Unidos foi em 1993, tenho fixado a sua residência em Canadá após esta data). Regressou a Hong Kong em 2009. Em 2010 foi agraciado como Doutor Honorário pela «Hong Kong Academy for Performing Arts» e em 2012 recebeu a «Silver Bauhinia Star» (2)
Alguns actores/actrizes deste tipo de ópera chinesa, de Hong Kong, eram muito populares em Macau por isso actuavam neste território, em espectáculos no Teatro Cheng Peng ou (muitas vezes) em palcos improvisados e montados para as festas por exemplo (por mim presenciados) nas comemorações anuais do Templo de Deus da Terra (na Horta da Mitra – Cheok Chai In) (3) ou em espectáculos para angariação de fundos para associações ou auxílios aos pobres. (4)
O exemplo é esta fotografia tirada no Teatro Cheng Peng e publicada no Boletim Geral do Ultramar, em 1956, onde a «estrela» Hung Sin Nói (5) e o «galã» Iam Kim Fai (6) (actriz que fazia quase sempre o papel masculino, aliás muito vulgar na ópera cantonense) estavam em Macau, numa das suas digressões que as companhias de ópera chinesa (algumas exclusivamente de actrizes)  faziam à China, e outros países com comunidades cantonenses.
(1) Ópera Cantonense (粵劇) é uma da óperas chinesas originária do Sudeste da China, na província de Guangdong , muito popular nesta província e em Guangxi nas comunidades chinesas de Hong Kong (onde tem uma escola superior desta arte), Macau e no sudeste asiático. É uma arte tradicional chinesa bastante complexa envolvendo música, canto, artes marciais, acrobacia e representação. Existe dois géneros principais da ópera cantonense: a MOU (武, “artes marciais”) focando os aspectos da guerra, com personagens guerreiras (generais e soldados), e envolvendo cenas/acções da guerra com armamento e armaduras; a MAN (文, mais clássica), envolvendo a cultura chinesa – poesia, literatura.
粵劇 – mandarim pīnyīn: yuè jù; cantonense jyutping: jyut6 kek6
(2) http://www.scmp.com/news/hong-kong/education-community/article/1846733/cantonese-opera-master-lam-ka-sing-dies-hong-kong
A Filmografia deste actor de 1947 a 1967  (301 filmes) em:
http://hkmdb.com/db/people/view.mhtml?id=1332&display_set=eng
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/02/27/noticia-de-27-de-fevereiro-de-2017-tou-tei-o-deus-da-familia/
(4) Há descrições de palcos improvisados para a ópera chinesa por exemplo um que se “montou” nos terrenos das corridas de cavalos (actual, canídromo) entre 1935-1942 e que colapsou ao fim de 5 dias. O Teatro chinês “Cheng Peng” (7) durante a guerra no Pacífico tinha frequentemente ópera chinesa com os artistas de Hong Kong e Guangdong fugidos da ocupação japonesa. Consta-se que os melhores cantores eram bem pagos (para aquele período) e a mais conhecida Tam Lan Hing –譚蘭卿 (8) que chegou a Macau em 1942 (e diziam as más línguas de Macau que “engordou” no período da guerra) ganhava “um tael de ouro por um dia de actuação
https://en.wikipedia.org/wiki/Yam_Kim-fai
Hung Sin Nui em 1956 no filme “The Peach-Blossoms Are Still in Bloom”
(5) Hung Sin Nui 紅線女 (1924-2013) aliás Hong Sin-loi, Hong Xian-nu – uma das  grandes estrelas da ópera cantonense e actriz de cinema na China e Hong Kong (106 filmes)
Filmografia e biografia em
http://www.hkmdb.com/db/people/view.mhtml?id=1365&display_set=eng

(6) Yam Kim Fai 任劍輝 – Ren Jianhui (1913-1989) actriz /cantora da chamada nova ópera cantonense. Filmes desde 1937 a 1968 num total de 300 filmes onde na maioria actuou em papéis masculinos.
Filmografia e biografia  em:
http://www.hkmdb.com/db/people/view.mhtml?id=499&display_set=eng
(7) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/

(8) 譚蘭卿  Tam Lan Hing   aliás Tam Shui-Fan (1908 – 1981)
Filmografia (1935-1969 – 187 filmes) e biografia em:
http://hkmdb.com/db/people/view.mhtml?id=133&display_set=eng

Para complementar (e corrigir) a notícia postada em 28 de Setembro de 2013, a propósito da visita do Príncipe Imperial  Grão – Duque Alexis , filho do Czar de todas as Rússias (1)  que chegou a Macau no dia 28 de Setembro de 1872 (sábado), vindo de Cantão:
A comitiva após o aparato da recepção e apresentação de boas vindas ficou alojado no Palácio do Governo (Palácio da Praia Grande)  onde houve jantar de gala. No domingo, dia 29 de Setembro, após o almoço ,a  que assistiram também vários funcionários, o Príncipe Alexis visitou o Leal Senado e a Gruta de Camões. De tarde recebeu cumprimentos dos funcionários e, à noite, novo jantar de gala, após o qual assistiu num teatro a um auto-china (no Teatro Cheng Peng).  Não se esqueceu de galardoar o empresário do teatro, chamado Eloc, com um alfinete cravejado dum pérola e brilhantes.
Na segunda feira, dia 30, às 10 da manhã embarcou para Hong Kong na canhoneira china Peng-chao-hoi, que o vice-rei de Cantão pòs à sua disposição.” (2)

groao-duque-alexis-set1872-the-hk-advertiserNotícia do ” Sacramento Daily Union, Vol 44 , n.º 6747, 16 Nov 1872″:

The Hongkong Advertiser of October Ist thus refers to the visit of the Grand Duke Alexis at that port: H. I. H. the Grand Duke Alexis and suite arrived yesterday afternoon from Macao in H. I. C. M. gunboat Peng Chao Hai. His Imperial Highness was accompanied by the Russian Admiral and Brown, the Commissioner of Customs at Canton, and in the evening his Imperial Highness and suite visited tbe Sing Ping theater.” (3)

grao-duque-alexis-set1872-foto-jovemGrão- Duque Alexei Alexandrovich (jovem) (1872 ?)
Foto de Sergei Lvovitch Levitsky   (4)

O Grão-Duque Alexei Alexandrovich, em 1871 foi enviado como embaixador de boa-vontade numa viagema América e Ásia. Esteve em vários estados dos Estados Unidos da América (como por exemplo, esteve em meados de Janeiro, em Nebraska, para uma caçada de búfalos com o famoso Búfalo Bill (5); em  New Orleans, onde assistiu ao «Mardi Gras») (6), Cuba (chegou a Havana no dia 29 de Fevereiro de 1972)  e Brasil (Rio de Janeiro onde chegou a 3 de Junho de 1872). Seguiu para o Sudoeste Asiático passando por Cape Town (África), Batavia e Singapura.(7)
Chegou a  Hong Kong a 13 de Setembro de 1972 (8)
grao-duque-alexis-set1872-the-chronicle-directoryEsteve 10 dias alojado na Casa do Governador de Hong Kong, Sir Arthur Kennedy. (9)

grao-duque-alexis-set1872-navio-svetauna-em-hong-kongChegada do navio russo «Svetlana» a Hong Kong, em 1892, com o Grão-Duque Alexis (10)

Regressaria a Hong Kong em meados de Janeiro de 1873 onde esteve duas semanas na mesma Casa do Governador e seguiu depois, no dia 30 de Janeiro, para Manila (Filipinas). Mas regressaria a Hong Kong a 7 de Fevereiro  até Março para depois seguir para Shanghai. A 19 de Março 1873, o Grão Duque Alexis da Russia deixou  Shanghai rumo a Hankow. Chegou ao Japão a 15 de Outubro de 1872.
 
(1) Esta postagem de 2013, contém um erro que rectifico com uma Nota de Actualização, com  a data de hoje: “O grão duque Alexis que esteve em Macau não foi o Príncipe Imperial Grão Duque Alexander Alexandrovich Romanov (1845-1894), futuro czar Alexandre III (reinou de 1881 a 1894) mas sim, o seu irmão Alexis Alexandrovich Romanoff (1850-1908)
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/09/28/noticia-de-28-de-setembro-de-1872-visita-do-grao-duque-alexis-da-russia/
grao-duque-alexis-set1872-duke-alexis-of-russia

Alexis Alexandrovich Romanoff (São Petersburgo 1850 – Paris 1908) foi a sexta criança e quarto rapaz a nascer do czar Alexandre II da Rússia e da sua primeira esposa, Maria Alexandrovna (Maria de Hesse). Destinado a uma carreira naval, Alexis Alexandrovich começou o seu treino militar aos sete anos de idade. Com 20 anos foi nomeado Tenente da Marinha Imperial Russa e visitou todos os portos europeus pertencentes à Rússia. Em 1871 foi enviado como embaixador de boa-vontade numa viagem pelos Estados Unidos e Japão.
Em 1883 foi nomeado general almirante. Em 1905, depois da derrota na Batalha de Tsushima, reformou-se do seu posto. Morreu em Paris em 1908. (11)

grao-duque-alexis-set1872-foto-idade“Grand Duke Alexei Alexandrovich in old age” (12)

(2) TEIXEIRA – Padre Manuel – Residência dos Governadores de Macau, 1982. Ver  p. 13
(3) “Sacramento Daily Union, Vol 44 , n.º 6747, 16 Nov 1872″
http://cdnc.ucr.edu/cgi-bin/cdnc?a=d&d=SDU18721116.2.66
(4) https://en.wikipedia.org/wiki/File:Grand_Duke_Alexei_Alexandrovich_in_his_youth.jpg
(5) “By mid-January the Grand Duke had made his way to central Nebraska for his much anticipated participation in a buffalo hunt that would take place on his twenty-second birthday. Buffalo Bill Cody was to be his guide. The hunting party also included General Philip Sheridan and Colonel George Custer.”
http://www.eyewitnesstohistory.com/buffalobill.htm
(6) GÓES, Fred – Mardi Gras: carnaval americano na visão de um brasileiro
http://www.scielo.br/pdf/alea/v7n2/a09v7n2.pdf
grao-duque-alexis-set1872-the-straits-times-31ago1872(7) “THE GRAND DUKE ALEXIS – At about 2o´clock Wednesday afternoon, the Russian frigate Svetlana was sighted coming in from the Eastward, having on board H. R. H.. Prince Alexis Alexandrovitoh, third son of H. I. M. the Emperor of Russia. As  soon as this was  positively ascertained, a gun was fired from Fort Cunning, and the Russian naval ensign run up the masthead….”
«The Straits Times, August 31st, 1872.»
(8)  The  Chronicle &Directory for China, Corea, Japan,, The Philippines, Cochin-China, Annam, Tonquim, Siam, Borneo Straits  Settlements, Malay States, &C. for the year 1888″.
https://books.google.pt/books?id=zYpEAQAAMAAJ&pg=PA14&lpg=PA14&dq=Alexis+of+Russia+in+Hong+Kong
(9) SHARE, Michael – Where Empires Collided Russian and Soviet Relations with Hong Kong, Taiwan, and Macao. The Chinese University Press , 2007, p. 22
https://books.google.pt/books?id=hG6j9NH6x8AC&pg=PA22&dq=Alexis+of+Russia+in+Hong+Kong
(10) http://www.terapeak.com/worth/1872-hong-kong-arrival-svetlauna-flag-ship-russia-grand-duke-alexis-print/201567941916/
(11) https://pt.wikipedia.org/wiki/Aleixo_Alexandrovich_da_R%C3%BAssia
(12) https://en.wikipedia.org/wiki/File:Grand_Duke_Alexei_Alexandrovich_in_old_age.jpg

ANÚNCIO de 1922 ANIMATÓGRAFO MACAUUm dos primeiros anúncios do “ANIMATÓGRAFO MACAU”  que começou em 1922.
O mais confortável salão cinematografico“, na Rua do Hospital (1) e pertencia ao empresário Filipe Hung
A 1.ª classe custava 20 avos (1.ª sessão) e 30 avos (2.ª sessão)
A 2.ª classe custava 10 avos (1.ª sessão e 2.ª sessão )
Para os “Praças sem graduação e crianças“: 20 avos só para a 2.ª sessão
Não sei em que mês foi a inauguração do “Animatógrafo Macau” mas há referência que em Maio desse ano, exibiu-se aí uma fita sobre Macau, destinada à Exposição do Rio de Janeiro. Apesar de algumas passagens escuras, era muito interessante e foi inteiramente feita por um amador, Sr. Antunes Amor (2).
Embora desde 1915  se passavam filmes no Teatro «D. Pedro V» (não regularmente) (3) e nos teatros então existentes em 1922 – o “Cheng Peng” construído em  1875, mas somente a partir de 1915 foi-lhe passada licença para exibições cinematográficas,  o “Teatro Vitória”  desde 1910 na Rua da Cadeia ( hoje Rua Dr. Soares)  (4) e o chamado “Cinematógrafo Chip Seng” (5) no Largo da Caldeira em 1912 (uma barraca onde se exibia fitas cinematográficas ), o primeiro cinema de Macau instalado para esse fim terá sido o “Teatro Yo Duo“, em 1921.(6)
(1) Em 22-04-1942 a Rua do Hospital passou a designar-se por Rua de Pedro Nolasco da Silva
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/rua-pedro-nolasco-da-silvarua-do-hospital
(2) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4,, 1997)
Ver também em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/04/19/leitura-macau-a-cidade-mais-pitoresca-do-nosso-dominio-ultramari-no-i/
(3) “Esta empresa cinematográfica, instalada no edifício do Teatro Dom Pedro V desta cidade, tem, sem exagero, procurado meios para agradar ao público, com ricos dramas e variadíssimas fitas cómicas, belas ventoinhas e toda a espécie de acomodações; ultimamente, contratou um trio que diariamente executará variado e escolhido reportório”. Do programa deste cinema, constavam matinés especialmente dirigidas às crianças, todas as quintas-feiras e aos domingos, das 16h00 às 18h00, com filmes apropriados. Os preços variavam entre os dez e os 40 avos, dependendo se fosse um bilhete para a galeria e plateia, para a plateia 1.ª classe ou plateia 2.ª classe. Crianças e soldados pagavam apenas metade do preço de um bilhete normal”. (Jornal «O Progresso» de 13 de Setembro de 1914)
http://www.revistamacau.com/2015/02/09/os-loucos-anos-do-cinema/
(4) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/
(5) O escritor Senna Fernandes além de mencionar o “Cinematógrafo Chip Seng” nomeia outro com o nome de “Olympia”, na Rua do Hospital. Será o mesmo “Animatógrafo Macau” ?
 “o mais remoto cinematógrafo da altura era o Chip Seng, na Rua da Caldeira, com bilhetes cujos preços variavam entre os oito e os 35 avos (de pataca), dependendo do assento. Havia também o Tin Lin, no Largo de Hong Kong Mio, com preços entre os dez e os 50 avos. Entre os outros, contava-se também o Olympia, na Rua do Hospital (hoje, Rua Pedro Nolasco da Silva). Seja como for, eram apenas “sórdidos barracões, nada convidativos para os tai-pans (indivíduos ilustres) e os elegantes da época”.
http://www.revistamacau.com/2015/02/09/os-loucos-anos-do-cinema/
(6) “1921Neste ano foi instalado o primeiro cinema de Macau no Teatro «YO DUO». Estava-se no tempo do cinema mudo. Ao lado da pantalha sentava-se um indivíduo que, inspirado nos gestos dos actores principais, narrava vivamente uma história. Os lugares em frente da pantalha eram caros mas por detrás, onde as imagens apareciam do avesso, eram bastante acessíveis. Deve dizer-se que mesmo sem equipamento adequado, já se passavam filmes desde 1915 no Teatro «D. Pedro V» do Clube de Macau.”  (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997).

A fim de realizarem um Espectáculo de Variedades no Teatro Cheng Peng, (1) estiveram em Macau, no dia 29 de Novembro de 1953, o conhecido cantor, director de orquestra, compositor Xavier  Cugat (2) e os seus famosos artistas.
Não se limitaram à realização do espectáculo, acompanhados dos organizadores do Espectáculo de Variedades e dum grupo de funcionários da Secção de Propaganda e Turismo, Xavier Cugat e esposa Abbe Lane (3) e os seus artistas passaram a manhã inteira a visitar a cidade. Percorreram-na, visitando os monumentos e lugares históricos, entraram no Asilo da Santa Infância, e apresentaram cumprimentos ao Governador.

MBI I-9 15DEZ53 Xavier Cugat em MacauO Governador, Almirante Joaquim Marques Esparteiro, esposa, Xavier Cugat ( com o seu Chiwawa – imagem de marca) e a esposa (cantora) Abbe Lane

Por fim Xavier Cugat declarou: «E eu, que temia aqui vir encontrar gangsters de revolver em punho, covis de piratas e promiscuidade, afinal fiquei sabendo que Macau é das cidades mais lindas, atraentes e hospitaleiras de quantas tenho visitado. O passei irrepreensível das ruas, o sossego que aqui se verifica e a beleza inconfundível dos seu lugares pitoresco só nos levam a não perdoarmos a nós mesmos se não tivéssemos querido vir até Macau»
Abbe Lane remataria «Eis o lugar onde, com o maior prazer, eu passaria uma semana inteira»
O espectáculo foi presenciado por cerca de duas mil pessoas (incluindo o Governador, esposa e as duas filhas) que encheram o Teatro «Cheng Peng». (4)

Retirado do «Mundo Gráfico»de 1948

(1) Segundo testemunho de Rigoberto Rosário Jr (publicado na «Revista Macau» Junho 1998), o espectáculo em Macau deveu-se ao empresário macaense, Alberto Dias Ferreira (por alcunha “Ministro”), que viria mais tarde a fundar um grande grupo empresarial “Aldifera Grupo Empresarial“, com ligações aos meios, comercial (” Agência Comercial Aldifera“), industrial (“Aldifera Têxteis, Limitada“, uma unidade inovadora, na altura, pela tecnologia moderna aplicada) e financeiro (“Aldifera, Casa de Câmbios, Limtada”). Membro de muitas associações de carácter cívico e desportivo (creio que está ligado ao início -1953 – e depois foi seu presidente, da Associação de Futebol em Miniatura de Macau, vulgo bolinha). Foi deputado à Assembleia Legislativa, curador da Fundação Macau e  nomeado Comendador.
Xavier Cugat(2) Francesc d’Asís Xavier Cugat Mingall de Bru i Deulofe (1900 — 1990), natural da Catalunha (aos 3 anos a sua família mudou-se para Havana – Cuba), cantor, compositor, actor, director de orquestra, argumentista, foi um dos pioneiros na popularização da música latina nos Estados Unidos (rumbas, mambos, tangos, congas, cha-cha-chas, boleros, sambas). Nos anos 30 e 40, ele foi apelidado de O Rei da Rumba devido à popularização dessa dança.
Violinista da Orquestra do Teatro Nacional de Havana, em 1915, emigrou com a sua família para Los Angeles – E. U.A. Aí trabalhou como cartoonista  no jornal Los Angeles Times durante o dia e como maestro de noite. Formou a sua própria orquestra em 1928 e começou a sua popularidade tanto tocando em hóteis e espectáculos como de na venda dos discos (5) e aparição em filmes.
Foi casado/divorciado 5 vezes sendo a penúltima mulher Abbi Lane (1952 a 1963) a mais afamada . A última foi a cantora espanhola Charo (1966 a 1978).
Após sofrer um derrame em 1971, Xavier aposentou-se e morreu Barcelona em 1990.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Xavier_Cugat
Abbe Lane(3) Abbe Lane (1932-) cantora e actriz americana. Começou a cantar na rádio e  nos clubes nocturnos mas só começou a ter êxito quando casou com Xavier Cugat em 1952 (divórcio em 1964). Em 1963 foi considerada “the swingingest sexpot in show business.”. Após o divórcio apostou numa carreria em musicais da Broadway.
https://en.wikipedia.org/wiki/Abbe_Lane
http://www.imdb.com/name/nm0485219/
(4) Informações recolhidas de “Macau B. I., 1953″.
(5) Dos discos gravados para as várias editoras que passou desde 1940 até à década de 60, a canção “Perfídia” foi a que teve maior êxito embora outras também tiveram entre elas: “El Cumbanchero“, “Jungle Drums“, “Brazil”, “Miami Beach Rhumba”.
Na net circula alguns desses êxitos bem como dos filmes em que participou. como por exemplo:
“Xavier Cugat Siboney” – https://www.youtube.com/watch?v=1zraRqOr1Do
“Xavier Cugat Maria Elena” –  https://www.youtube.com/watch?v=C2XZVLP_K3g
“Xavier Cugat – Cherry Pink & Apple Blossom White” –
https://www.youtube.com/watch?v=EhuNqGhQBGM
Xavier Cugat e a sua orquestra interpretando “bim bam bum” do compositor porto riquenho Noro Morales e cantada por Lina Romay –
https://www.youtube.com/watch?v=gT04xzKCDus
Xavier Cugat e a sua orquestra interpretando “Tea for two Cha Cha Cha”, em 1961 –
https://www.youtube.com/watch?v=jbo_0R8mpbU
“Xavier Cugat Special – Latin-flavoured Cocktails and Light Swing” –
https://www.youtube.com/watch?v=EQ_wDvQX5JA
“Abbe Lane – Me lo dijo Adela – Susana y yo” – (1957) –
https://www.youtube.com/watch?v=5JdZW_LpUEY
“Xavier Cugat , El Negro Zumbon” com Abbe Lane –
https://www.youtube.com/watch?v=-kr5WYEnU9E
“La malagueña / Orq. Xavier Cugat”. Canta Abbe Lane –
https://www.youtube.com/watch?v=5JdZW_LpUEY&list=RD5JdZW_LpUEY#t=1
Xavier Cugat e Abbe Lane no filme “Donatella” (1956) –
https://www.youtube.com/watch?v=X8gYH3b9Cpk
“Abbe Lane & Orq Xavier Cugat – Eso es el amor” –
https://www.youtube.com/watch?v=Lfff9T3vFUU
NOTA: Xavier Cugat tem um disco gravado, instrumental, de “April in Portugal” (original: “Coimbra”) de 1957.

Muito antes do aparecimento de Bruce Lee (1) e dos filmes de Kung Fu (o chamado filme “Wuxia”) (2), já se via em Macau nas décadas de 50  e 60, filmes de artes marciais. Filmes que a população chinesa gostava e a rapaziada que percebia o cantonense, também. E sem duvida, para todos,  o mais popular era os filmes em que a figura chave tinha como herói,  Wong Fei Hung (3). Os primeiros filmes “a preto e branco” passavam sobretudo no Teatro Cheng Peng (4) e  depois já “coloridos” no mesmo Teatro e no Teatro Oriental (5).

Consta no “Guinness”, ser a mais longa série de filmes (85 no total) acerca deste  herói  (também conhecido como Huang Fei-Hong) iniciando em 1940 – 1.º filme: “The True Story of Huang Fei-Hong” (6) e continuando até ao ano de  1979:  “Magnificient Butcher” (7). Do total, 77 foram protagonizados por Kwan Tak Hing (8), todos em cantonense excepto 5, em Mandarim Este actor, durante a década de 70, fez somente um filme com esta personagem, mas manteve esse papel numa série que foi realizada para a TV.

  Kwan Tak Hing

Não esquecer que o sucesso dos primeiros 25 filmes (1949 – 1956) deveu-se não só ao carisma do actor, Kwan Tak Hing mas também ao actor Shih Kien (9), que se celebrizou posteriormente (não só nos filmes de Hong Kong mas internacionalmente), sempre como “vilão”, aliás em toda a sua carreira, a maioria dos papéis interpretados foram sempre de “vilão/mau”, “cínico”, “tirano”, “traidor”, “ganancioso”, etc. Ambos os actores eram praticantes de artes marciais (embora de escolas diferentes) o que dava uma certa autenticidade às cenas de “luta”. Nesse tempo ainda não havia grandes “efeitos especiais” nem montagens acrobáticas. Os primitivos “truques” eram imprimidos na película.

Shih Kien

Posteriormente outros actores interpretaram Wong Fei Hong. O mais celebre foi o actor Jet Li (10) numa série de seis filmes: “Onde Upon a Time in China” (1991) em que os dois últimos foram já protagonizados por Vicent Zhao (este actor também interpretou o herói numa série televisiva de 1996).

(1) Bruce Lee (1940-1973) 李小龍  mandarim pinyin Lǐ Xiǎlóng; cantonense jytping Lei5 Siu2 Lung4
http://en.wikipedia.org/wiki/Bruce_Lee
(2) Wuxia (武俠); wu (), significa “marcial”, “militar” ou “armado”, e xia (), significa “herói”, “honrado” “bravo. Wuxia é o termo genérico que se dá aos filmes de ficção de artes marciais.
http://en.wikipedia.org/wiki/Wuxia
“Typically, the heroes in Chinese wuxia fiction do not serve a lord, wield military power or belong to the aristocratic class. They are often from the lower social classes of ancient Chinese society. Wuxia heroes are usually bound by a code of chivalry that requires them to right wrongs, especially when the helpless or the poor are oppressed. The wuxia hero fights for righteousness and seeks to remove an oppressor, redress wrongs, or to bring retribution for past misdeeds. The Chinese xia traditions can be contrasted with martial codes from other countries, such as the Japanese  samurai´s bushido tradition, the chivalry of medieval European knights and the gunslingers of America´s Westerns.”
ROBERTSON, Patrick – The Guiness Book of Movie Facts & Feats. Guiness Books, 236 p. ISBN 0-85112-899-8
                            Possível foto do “verdadeiro” Wong Fei Hung

(3) Wong Fei Hung  黃飛鴻 (mandarim pinyin: huáng fei-hông; cantonense jyutping: wong4 fei1 hung4)) nasceu em 1847 e faleceu em Guangzhou (Guangdong) em 1924 (76 anos). Foi mestre das artes marciais chinesas (estilo «Hung Gar», também conhecida como «Hung Fist»). Era médico/acupunturista (Medicina Tradicional Chinesa). Trabalhou na sua clínica em Po Chi Lam (寶芝林 mandarim pinyin: bǎozhīlín; cantonense jyutping: bou2 zi1 lam4) em Foshan (Guangdong). Foi um revolucionário nacionalista contra o invasor japonês em 1895 (instrutor  do exército e das milícias), tendo-se tornado um herói popular gerando histórias patrióticas, sempre defendendo os oprimidos.
http://en.wikipedia.org/wiki/Wong_Fei-hung
(4)Teatro Cheng Peng  em funcionamento de 1875 a 1992. Ver meu anterior post:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2011/12/28/cinemas-de-macau-i/
(5) Teatro Oriental em funcionamento de 1950 a 1973. Ver meu anterior post:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/cine-teatro-oriental/          
(6) “Huang Fei-hong Chuan” – “The Story of Huang Fei Hung: part1 (Whiplash Snuffs the Candle Flame)”, (em cantonense) o primeiro filme como Wong Fei Hung  é de 1949. Dirigido por Wu Peng e produzido por “Yong Yao Film Company”. O filme incluía o actor Shih Kien como vilão e Li Laan (a primeira vencedora do concurso de “Miss Hong Kong Pageant”) O sucesso deste filme prolongou-se pelas sequelas posteriores com a mesma equipa num total de 25 filmes até 1956.
http://hkmdb.com/db/movies/view.mhtml?id=1036&display_set=eng
Pode-se ver duas sequências deste filme – episódio da dança do leão e outra de demonstração de várias posições de «Hung Gar» em:
http://www.youtube.com/watch?v=fpv46KQBxso
http://www.youtube.com/watch?v=rw6bE80ajYQ
(7) “Magnificent Butcher” –林世榮Lin Shì Róng” (em cantonense jyutping: lam4 sai3 wing4) – 1979. Dirigido por Yuen Woo-ping com Kwan Tak-hing e Sammo Hung. Falado em cantonense.
(8) Kwan Tak-hing (1905 – 1996) 關德興 (mandarim pinyin Guān Déxīng; cantonense jyutping Gwaan1 Dak1 Hing1). Terá feito um total de 130 filmes.
http://en.wikipedia.org/wiki/Kwan_Tak-hing
Pode-se ver uma homenagem a este actor em:
http://www.youtube.com/watch?v=7VTfpwqLB3Y
(9)Shih Kien  (1913-2009) 石堅 (mandarim pinyin: Shǐ Jián; cantonense jyutping: Sek6 Gin1). Praticante do Kung Fu (Shaolin). Um dos últimos grandes papeis foi no filme de Bruce Lee em 1973 “Enter the Dragon“.
Pode-se ver um resumo da sua vida em:
http://www.youtube.com/watch?v=7y2yAtpwnQM
http://www.youtube.com/watch?v=aFHlIYU2wTg
(10) Jet Li 李連杰 (mandarim pinyin: Lǐ Liánjié; cantonense jytping: Lei5 Lin4 Git6).

Um dos poucos discos que conservo de Macau, é o do  conjunto de Hong Kong “THE MYSTICS“, um dos  primeiros discos do grupo.

ESPECIFICAÇÕES DO DISCO: DIAMOND 260 (1)
LADO A – D.260×45  M-45-5 Redwal – Time, BMI Time 4:32
SWEET SOUL MUSIC (Otis Redding – Arthur Conley)
Produced by Norman Cheng
LADO B –  D. 260×45 M-45-6 South Mountain Music Corp. BMI Time 2:38
GOING´OUT OF MY HEAD  (Randazzo – Weinstein)
Produced by Norman Cheng

Conjunto formado em 1965 (2), composto por descendentes de macaenses radicados em Hong Kong; foi uma das “bandas” mais populares na década de 60 (1964-1969) em Hong Kong e por influência, em Macau. Nesses anos, como em todo o mundo, apareceram conjuntos musicais imitando os Beatles (3), Rolling Stones, Hollies, Yarbirds, etc e em Hong Kong surgiu o chamado “música pop inglesa – Hong Kong English Pop“, 英文歌 (4); numa primeira fase com “imitações” cantadas em inglês e numa segunda fase, com autorias das próprias músicas (em inglês ou em cantonense” (5)
A “banda” era formada por: Michael Remedios (voz), Tony Tavares (bateria), Francis da Costa (guitarra) Vasco de Costa (guitarra baixo) e Clifford Yim (piano).
O que sobressaía do grupo era o vocalista, Michael Remedios, possuidor de uma excelente voz para a música soul.
Actuavam em chás dançantes (“Tea Dance”) (6), nos shows da TV e em concertos (alguns realizados em Macau) (7)
(1) A Diamond Music foi uma dos impulsionadores, em Hong Kong, na produção das novas bandas locais. Os discos eram muito apoiadas pela difusão da Radio Hong Kong (quem não se lembra de “Uncle Ray Cordero” com a sua classificação semanal dos discos: “Pop Charts”)  e na TV.
(2) Creio que  o grupo terminou em 1971
(3) Os “Beatles” passaram por Hong Kong em 1964.
(4) 英文歌: ying wén gê; en cantonense jyutping: jing1 man4 go1
(5)  Na década 60 poderemos dizer que, em Hong Kong, havia dum lado as bandas musicais  tipo “The Mystics”, “Joe Junior and The Side-Effects”, “Teddy Robin and the Playboys” “The Lotus” que cantavam em inglês, imitando as canções inglesas. Por outro lado havia versões chineses de canções de sucesso internacional cantadas pelas populares Chan Po Chu e  Rita Chao
(6) “Tea Dance” – “It was a weekend afternoon dance party with a live band playing. The venue would be night club or Chinese restaurant. The whole package would include a drink as well as snacks. After paying an entry fee, the fans would be able to see their favorite band playing live and they could dance and scream the whole afternoon. Some even would find their chosen one and start an affair. Tea dances were held everywhere in Hong Kong and Kowloon in those few frantic years. All the night clubs and restaurants needed to book bands to appear in their venues. In return, more bands formed and had a chance to earn income to carry on with their musical  adventures.”
               http://60spunk.m78.com/hongkong.html
(7)  http://blog.roodo.com/macaenese5354/archives/3602327.html
                    O autor deste site recorda, a propósito da história do sucesso do grupo musical “The Thunders” , a vinda do “The Mystics” a Macau, a convite da “Escola Comercial”        
“…on November 5 th., 1966, the Thunders, Silveira Machado and other members of the school board (Escola Comercial) went to greet the guest artists and journalists at the pier of the “SS Macau” in the Outer Harbour. The guest were lodged in a “villa” on Avenida Sidónio Pais …(…)…On two shows staged at the Cheng Peng Theatre that were performances by Michael Remedios and the Mystics (which included other luso-descendents from Hong Kong), the Skippers…”
 
Músicas do “The Mystics” no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=rlPbNYP8tZI – Send her back
http://www.youtube.com/watch?v=pmS4Jx723u0&feature=related – Going Out of My head
http://www.youtube.com/watch?v=mdqow2rtkqo&feature=related – Sweet Soul Music
http://www.youtube.com/watch?v=SG6vk5uhKwc&feature=related – The Song of the Wind
http://www.youtube.com/watch?v=_wiF6hl5wfo&feature=related – One Day
http://www.youtube.com/watch?v=c2aVgPBu6xQ&feature=related – Soul Time