Archives for posts with tag: Bella Sidney Woolf

Monografias, Art, Mapas SEVILHA 1929A Exposição Iberoamericana de Sevilha foi inaugurada a 9 de Maio de 1929 e encerrada a 21 de Junho de 1930. Foi a primeira exposição internacional envolvendo a Península Ibérica e os países da América Latina. (1)

O Governo de Macau (Governador Arthur Tamagnini), publicou um livro, em 1929, intitulado “MONOGRAFIAS, ARTIGOS, MAPAS E GRÁFICOS ESTATÍSTICOS” onde foram coligidos todos os artigos, mapas, monografias e gráficos estatísticos, que foram enviados como “Representação da Colónia de Macau” e integrados na “Exposição Portuguesa em Sevilha” de 1929. (2)

Monografias, Art, Mapas CAPA 1929

O livro com 103 p. e mais 25 folhas em anexo, de ” Gráficos e Estatística coordenadas pela Propaganda de Macau“, foi composto na Tipografia Mercantil de N. T. Fernandes & Filhos (Macau-1929) (3)

Monografias, Art, Mapas 1.ª Pág 1929INTRODUÇÃO do Governador Artur Tamagnini (como vem na folha assinada):
À generosidade de amigos, deve Macau gentís apreciações, coleccionadas no album destinado a correr mundo no intuíto de atraír a êste pequeno cantinho português as atenções dos que visitam o extrêmo-oriente.
É um louvável esfôrço de propaganda só possível com tão honroso e interessante concurso.
Como Governador da Colónia, ao escrever a primeira página, reservo-a para testemunho de intimo reconhecimento.”

Monografias, Art, Mapas Praia Grande 1928Macau – Praia Grande (1928)

Contém artigos (alguns publicados  já neste blogue) de várias personalidades sendo as mais conhecidos, Maria Anna A. Tamagnini (4), Bella Sidney Woolf (5), – texto em inglês (o mesmo texto foi traduzido e publicado no Boletim da Agência Geral das Colónias, n.º 53 – Novembro de 1929) (6) , J. da Costa Nunes (Bispo de Macau), Jayme do Inso ( um artigo sobre «Os Pagodes de Macau», escrito “a bordo da Canhoneira PATRIA, em Macau, Dezembro de 1928) (7) e o Padre A. da Silva Rego.

Monografias, Art, Mapas MAPA MACAU 1929Mapa da Colónia de Macau, numa escala de 1:80,000
estando assinalados os terrenos conquistados e os territórios em litígio com a China

(1) “Fue la primera Exposición Internacional para dar muestra del hermanamiento entre los dos países de la Península Ibérica con América; España e Hispanoamérica y Estados Unidos y Portugal con Brasil y Macao. La exposición coincidió en el tiempo con la Exposición Internacional de Barcelona de 1929. A Exposição Internacional de Barcelona decorreu de 20 de Maio de 1929 a 15 de janeiro de 1930 em Barcelona (Espanha)
http://es.wikipedia.org/wiki/Exposici%C3%B3n_Iberoamericana_de_Sevilla_(1929)
(2) sobre a participação de Macau nessa exposição ver também o “post” anterior:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/07/20/leitura-macau-na-exposicao-ibero-americana-de-sevilha-1929/
(3) sobre esta Tipografia ver anteriores “posts” em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/04/04/anuncios-tipografia-mercantil-de-n-t-fernandes-e-filhos/
(4)
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/02/06/leitura-uma-exposicao-de-arte-no-palacete-da-flora-1929/
(5) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/01/25/leitura-an-impression-of-macao/
(6) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/11/10/leitura-macau-no-boletim-da-agencia-geral-das-colonias-1929/
(7) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/07/15/o-pagode-de-macau-seac-jaime-do-inso-1929/

Boletim da Agência Geral das Colónias (Ano 5.º, Novembro de 1929, n.º 53),  dedicado a Macau, pp. 3 a 175.

Boletim AGC n.º 53 1929 CAPA

SUMÁRIO:
1. O Govêrno de Macau, por Artur Tamagnini Barbosa, Governador de Macau (1)
2. Padroado Português no Extremo Oriente, por J. da Costa Nunes. (2)
3. Vésperas do Ano Novo Chinês, por D. Maria Ana Acciaioli Tamagini. (3)
4. A aclamação del Rei D. João IV em Macau, (subsídios históricos e biográficos) por Frazão de Vasconcelos (4)
5. Aspectos e problemas de Macau, por João dos Santos Monteiro (5)
6. Climatologia de Macau, por Morais Palha (6)
7. À maneira de conto, por Félix Horta (7)
8. Uma página para a História de Macau, por Jaime do Inso (8)
9. Traços impressionistas de Macau, por Bella Sidney Woolf (9)
10. Alguns dados estatísticos sôbre a colónia portuguesa de Xangai (referidos a 31 de Março de 1918), por Francisco de Paula Brito Júnior (10)
11. A Gruta de Camões, por Humberto de Avêlar (11)
12. Alguns dados estatísticos sôbre a colónia de Macau (lista dos governadores de Macau e datas de posse, inquérito sôbre a população de Macau e suas dependências)
13. Lugares selectos da Biblioteca Colonial Portuguesa (o comércio de Macau de 1863 e o princípio de associação como base dom progresso)) – editorial do semanário macaense TA-SSY-YANG-KUO, n.º 18, de 4 de Fevereiro de 1864.
Boletim AGC n.º 53 1929 Índice

(1) 2.º mandato como Governador de Macau (1926 -1930). Sobre este Governador ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/artur-tamagnini-barbosa/
(2) D. José da Costa Nunes foi bispo de Macau de 1920 a 1940.
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/d-jose-da-costa-nunes/
(3) Maria Ana Acciaioli Tamagnini, escritora e poetisa, casada com o governador de Macau, Artur Tamagnini Barbosa. Ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/maria-anna-tamagnini/
(4) José Frazão de Vasconcelos, (1889-1970), arqueólogo, historiador, autor de vários livros e artigos relacionados com Macau. Nesse ano, secretário da Secção de Diplomática da Associação dos Arqueólogos Portugueses, correspondente do Instituto de Coimbra, da Arcádia de Roma.
(5) João dos Santos Monteiro, advogado, Sub-Director Geral das Colónias do Oriente, nessa data.
(6) J. António Filipe de Moraes Palha, coronel médico, cirurgião pela Escola de Lisboa, “facultativo” de 1.ª classe do ultramar, chefe dos Serviços de Saúde de Macau. Autor do “Esboço Crítico sobre a Civilização Chinesa”, publicado em 1912, com prefácio de Camilo Pessanha.
(7) Félix Horta, advogado, delegado da colónia de Macau à Exposição de Sevilha, cônsul de Portugal em Cantão.
(8) Sobre Jaime do Inso ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jaime-do-inso/
(9) Bella Sidney Woolf (1877-1960), escritora inglesa, secretária do Governo de Hong Kong e esposa de W. T. Southorn que foi secretário colonial do Governo de Hong Kong. Ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/bella-sidney-woolf/
(10) Francisco de Paula Brito Júnior, cônsul geral de Portugal em Xangai.
(11) Humberto Severino de Avêlar, advogado, professor do Liceu de Macau do 1.º grupo (Português e Latim), reitor do Liceu Central (após exoneração de Camilo de Almeida Pessanha, em 4 de Setembro de 1925), fundador do Instituto de Macau.

Extracto dum artigo da escritora Bella Sidney Woolf (Mrs W. T. Southorn) (1) de 1929

“Macao has this exotic attraction…(..)
In thid peaceful sunny spot the Portuguese founded a little replica of their homeland. There is a fascination in travelling a few hours and finding a foreign atmosphere. The names of the streets – the tree-shaded Praia Grande, Estrada da Flora, Rua de S. Lourenço – how they carry one cross thousands of miles. How sonorously ring the Portuguese words, Escola de Artes, Orfanato da Imaculada Conceição, Santa Casa da Misericórdia…(…)
Then in the swift run round the town in a car, the dream continues, for we wind in and out among those green-shuttered, white-washed houses, and we read more street names in Portuguese, and we swoop down upon the the Praia Grande, peopling its tree-shaded allée with bearded dons and dark-eyed damsels. The noble ruin of St. Paul´s looks  down upon the town, a memento mori in the midst of so much smiling beauty. The fine hotels rise up in worldly pride – schools, hospitals, shops flash past us.
And then we find ourselves in a peaceful garden under age-old trees with guarled roots and far-reaching boughs. Before us is the bust of Camoens, the sweet singer od the Lusiad, who in this spot. far from home and kindred, composed his world-famed verses…(…)
To me it stands for Macao, the Loyal City, glowing through the ages – vigorous and undaunted as the spirit of the men who founded her”

(1) Bella Sidney Woolf  (1877 – 1960), escritora inglesa, irmã de Leonard Woolf (escritor) e esposa (segundo casamento) de W. T. Southorn (2) que foi secretário Colonial do Governo de Hong Kong. Visitou Macau a convite do Governador Artur Tamagnini Barbosa (2º mandato) possivelmente entre 1926 e 1929.
É autora de 13 livros (referenciados na wikipédia (3)) entre ficção ( a maior parte são contos baseados na experiência da sua vida pessoal e relacionados com a sua estadia nas colónias britânicas) e histórias infantis.
(2) W. T. Southorn (Wilfrid Thomas Southorn 1879 – 1957) foi Secretário Colonial do Governo de Hong Kong (e substituto do Governador de Hong Kong, Sir Cecil Clementi em muitas ocasiões, de 1925 a 1930). Antes foi durante muitos anos Administrador Colonial em Ceilão (onde conheceu Bella Sidney Woolf) e depois,  Governador da Gâmbia.
(3) http://en.wikipedia.org/wiki/Bella_Sidney_Woolf