Archives for posts with tag: Bairro de 28 de Maio/FaiChi Kei

No dia 25 de Fevereiro de 1945, efectuou-se o segundo bombardeamento aéreo americano a Macau. Pela 11h05, um quadrimotor americano bombardeia a área perto do hipódromo, onde um avião japonês tinha feito uma aterragem de urgência e sido detido, uns dias antes.
Embora o bombardeamento não atinja os alvos, abre fogo sobre o navio mercante a vapor «SS Masbate» (1) registado com a bandeira panamiana (país neutral) e um navio desmantelado «Tung wei» que servia de alojamento para refugiados. Atingiram ainda  outras embarcações atracadas no Porto Interior, o Bairro Tamagnini Barbosa/Toi SanBairro Nossa, a casa dos pobres de Nossa Senhora de Fátima, o estádio e a esquadra da PSP, situados nas imediações da Porta do Cerco, e o Bairro 28 de Maio/Fai Chi Kei, resultando na destruição dos pavimentos das ruas e na rede de distribuição de electricidade. Quatro pessoas morreram  e várias ficaram feridas, entre as quais um súbdito norueguês, Tygve Jorgensen, comandante do «SS Masbate». (2)
Recorda-se que o primeiro bombardeamento aéreo de Macau por esquadrilhas da Força Aérea dos EUA foi a 16 de Janeiro de 1945. (3)
(1) Devido á falta de alimentos em Macau durante a guerra, o navio «Masbate» de742 ton de bandeira panamiana, propriedade dum chinês que estava ancorado no Porto Interior, foi utilizado por ordem de Salazar após auscultar a diplomacia nipónica, para efectuar uma viagem à Indochina. Em 23 de Dezembro de 1943, por pressão dos japoneses, o navio «Masbate» foi rebaptizado «SS Portugal» e assim, em 1944 (Março-Abril), o «SS Portugal/Masbate» efectuou a viagem e regressou da Indochina com carvão e alimentos (favas/feijões). Segundo a “Cronologia” publicado no livro ”Wartime Macau”, o segundo bombardeamento danificou uma escola católica e atingiu o «Masbate». O «Masbate» foi novamente atingido pelas bombas americanas em 11 de Junho de 1945 e ainda, em 5 de Julho de 1945, novo «raid» aéreo à ilha de Coloane embora sem estragos. A 6 de Agosto, deste ano, foi a destruição de Hiroshima pela bomba atómica.
GUNN, Geoffrey C. – Wartime Macau in the Wider Diplomatic Sphere, in Wartime Macau, under the Japanese Shadow”,HKU Press 2016, pp. 36 e 166-67
(2) FERNANDES, Moisés Silva – Sinopse de Macau nas Relações Luso-Chinesas 1945-1995 Cronologia e Documentos, 2000, p. 28/29.
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/01/18/noticias-de-16-e-20-janeiro-de-1945-bombardeamento-aereo-de-macau/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2019/02/26/noticias-na-imprensa-em-portugal-dos-dias-26-de-fevereiro-e-6-de-marco-de-1945-novo-bombardeamento-aereo-de-macau/

UN Publicação ANO XIV Revolução Bairro 28 de MaioIBairro 28 de Maio / Bairro Fai Chi Kei

O bairro «28 de Maio», concluído em 1936, era constituído por 14 blocos, numa área de 20.394 metros quadrados. Em 1940, já era residência de cerca 3000 pessoas. (1)  Estava situado no Patane, a oeste da Avenida do General Castelo Branco, entre a Bacia Norte e a Bacia Sul do Patane. Era atravessado, no sentido leste-oeste, pelas Ruas do General Ivens Ferraz, ao sul do Marechal Gomes da Costa, no centro, e do Comandante João Belo, ao norte.Ao fundo deste bairro ficava situado o depósito de material e oficinas da Repartição das Obras Públicas, Portos e Transportes e uma doca seca.

A Câmara de Macau após o 25 de Abril de 1974, trocou o nome de Bairro de 28 de Maio por Bairro Fai Chi Kei. (筷子基) (2)

UN Publicação ANO XIV Revolução Bairro Tamagnini BarbosaEntrada do Bairro Tamagnini Barbosa / Bairro Tói Sán

O bairro «Tamagnini Barbosa» (construído nos terrenos onde anteriormente estava o bairro chinês do grande incêndio em 1928) (3) era constituído por 21 blocos, distribuídos numa área de cerca 92 000 metros quadrados (ao longo da década de 30 e 40 do século XX à custa de aterros de alguns pântanos existentes nas suas proximidades) e albergava cerca de 5.500 pessoas. (1)
Este bairro compreendia a área conquistada ao mar, ao norte da cidade, perto da ilha verde. Além do aglomerado populacional, achavam-se ali hortas e arruamentos.
Confinava ao norte com o Canal dos Patos e o território chinês, ao sul com a Avenida do Conselheiro Borja e a Estrada do Arco, a leste com o Istmo Ferreira do Amaral e a oeste com a Rua do Dr. Ricardo de Sousa e parte do Bairro da ilha Verde.
Em chinês,  o Bairro chama-se Tói Sán (台山) e esta designação é anterior ao bairro; o nome T´oi-Sán deriva duma grande fábrica de panchões ali situada, cujos donos eram naturais do distrito chinês de T´oi-Sán. As 100 casas que constituíram o novo bairro foram concluídas em 1931 (2)
NOTA: 筷子基 Fai Chi Kei porque os edifícios eram de dois andares e estavam alinhadas em duas filas, como a forma dos pauzinhos chineses (筷子), daí o nome em cantonense. O bairro foi depois demolido e no mesmo lugar, construído o Bairro Social do Fai Chi Kei (concluído em 1981), com 0 projecto de habitação social do arquitecto Manuel Vicente. (4) Por sua vez, foi demolido em 2010, para se construir um complexo residencial.

(1) UN de Macau, 1940.
(2) TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau.
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/11/27/leitura-o-bairro-chines-ao-norte-da-ilha-verde-em-1929/
(4) O projecto, premiado em 1995, está disponível em:
http://simpleyarchitecture.blogspot.ca/2013/02/manuel-vicente-fai-chi-kei.html.