Archives for posts with tag: Aviso João Lisboa

Extraído de «BGC», XXVI – 295, Janeiro de 1950, pp. 183-1888

O governador, o prelado de Macau e o comandante militar da colónia à chegada ao campo
Aspecto da missa campal
Os novos barcos alinhados, antes da bênção
O prelado de Macau no acto da bênção dos novos barcos do Centro Náutico da Mocidade Portuguesa
A menina Norma Ruth de Oliveira «baptiza» duas embarcações

NOTA – Ver anterior referência ao clube náutico em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/12/01/noticia-de-1-de-dezembro-de-1949-inaugura-cao-do-centro-nautico/

Extraído do BGC XXVI-299, Maio de 1950 p. 173
Retirado do blogue http://naviosenavegadores.blogspot.com (1)

NOTA: O Aviso «João de Lisboa» largou de Lisboa a 7 de Março de 1949 para uma comissão de serviço a Macau (chegou a 9 de Maio) e Timor e regressou a 4 de Julho de 1951.
Anteriores referências ao Aviso «João Lisboa» em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/aviso-joao-lisboa/
(1) http://naviosenavegadores.blogspot.com/2016/05/memorias-de-um-passado-recente-4.html

Extraído de «BGC» XXVI – 307-Janeiro de 1951, p. 175.
Um centenário que passou GUERRA JUNQUEIRO:  um génio que viveu a transição para a nova Poesia mas que não soube “pressenti-la”.
… Tendenciosamente romântico, essencialmente lírico e estruturalmente simples e bom, tudo pareceria indicar – ou nos parece agora – que Junqueiro seria um poeta de forte psiquismo e acentuada interiorização. Mas o ambiente cultural que veio encontrar não foi propício a esta orientação no seu desenvolvimento…
LEITÃO, Álvaro – Guerra Junqueiro in MOSAICO, Vol. I-2, Outubro de 1950, pp. 141-145.
Abílio Manuel Guerra Junqueiro (15-09-1850/ 7-07-1923), bacharel em Direito,  escritor, poeta, jornalista, deputado, político, embaixador de Portugal na Suíça (1911-1914). Poeta representante da chamada “Escola Nova”
Mais informações, ver em:
http://www.arqnet.pt/dicionario/guerrajunqueiro.html

Parasitas
No meio duma feira, uns poucos de palhaços
Andavam a mostrar, em cima dum jumento
Um aborto infeliz, sem mãos, sem pés, sem braços,
Aborto que lhes dava um grande rendimento.

Os magros histriões, hipócritas, devassos,
Exploravam assim a flor do sentimento,
E o monstro arregalava os grandes olhos baços,
Uns olhos sem calor e sem entendimento.

E toda a gente deu esmola aos tais ciganos:
Deram esmola até mendigos quase nus.
E eu, ao ver este quadro, apóstolos romanos,

Eu lembrei-me de vós, funâmbulos da Cruz,
Que andais pelo universo há mil e tantos anos,
Exibindo, explorando o corpo de Jesus.

 Notícias de Macau do dia 5 de Maio de 1950, publicado na imprensa portuguesa (BGC), em Julho desse ano, acerca da «Semana da Marinha» iniciada a 1 de Maio com uma missa de sufrágio pelos antigos mareantes, na Ermida de Nossa Senhora da Penha.

Os avisos «Pedro Nunes» e «João de Lisboa» iluminados em arco
Macau à noite,  vista da colina da Penha
Desfile dos marinheiros

A tribuna de honra durante o desafio entre as selecções do Exército e Marinha, vendo-se o governador da Colónia
O tenente Dr. Ruben Lavoura proferindo a alocução junto da memória às vítimas da explosão da fragata «D. Maria II»

Ceia de Natal dos polícias de Macau
O Governador de Macau procedendo à distribuição do bodo (distribuição de alimentos, dinheiro e vestuário aos pobres, em dias festivos) às famílias dos bombeiros falecidos.
Festas desportivas nas escolas, realizadas no dia de Natal
Distribuição de merenda e prendas às crianças no Jardim de Camões
Aspecto da festa militar desportiva no dia de Natal

Extraído de «BGC» XXVI-296, 1950.

Conferência do Comandante Gabriel Teixeira ( governador de Macau de 5-10-1940 a 23-06-1947)  com os representantes da Imprensa em Lisboa,  realizada no dia 3 de Setembro de 1946, na antiga sala do Conselho do Império, do Ministério das Colónias. Primeira deslocação do Governador a Lisboa após os anos conturbados da Guerra do Pacífico.
Extraído de «BGC» XXII –, n.º 254/255, 1946.

O Comodoro Brownfiel passando revista à guarda de honra

Aspecto do banquete no Palácio do Governo

Notícia extraída de BGC XXVI-301, 1950.

No dia 10 de Março de 1956, o Governador da Província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro e Sua Esposa, foram homenageados com um jantar, a bordo do aviso «João Lisboa», oferecido pelo seu comandante Capitão-de-fragata Francisco Gouveia Espínula, ao qual assistiram, além do imediato e oficiais daquele navio, o Comandante José Coutinho Garrido, Capitão dos Portos e esposa, e o Tenente Mário Lopes da Costa, oficial às ordens do Governador.

Decorreu o jantar naquele ambiente distinto e fidalgo que costuma caracterizar as reuniões dos homens da nossa Marinha de Guerra – daqueles que usam o Botão de Àncora – tendo na altura própria , sido trocados amistosos brindes entre o Comandante do «João Lisboa» e o Governador.
Reportagem e fotos de «MACAU B.I. , 1956»

Por não ter havido, no ano de 1951, as festas oficiais comemorativa da “Semana da Marinha”, o aviso de 2.ª classe “João Lisboa” nem por isso deixou passar a data festiva sem a assinalar com uma interessante reunião social a bordo a qual se realizou na tarde do dia 5 de Maio, “constituindo uma das mais encantadoras festas de quantas têm sido realizadas, num navio de guerra português, surto nas águas de Macau. (1)

Aviso Joaõ Lisboa 1951O Aviso “João Lisboa” fundeado à entrada do Porto Interior de Macau

Festa João Lisboa 5MAI1951 INa barraca chinesa, um grupo juvenil saboreia os exóticos petiscos chineses”

Festa João Lisboa 5MAI1951 IIEntre o numeroso grupo de convidados reunidos na coberta do N. R. P João Lisboa, distinguem-se no 1.º plano, da E. para a D.: o encarregado do Governo, Dr. Aires Pinto Ribeiro e esposa; o capitão-tenente, Ramalho Rosa, comandante do aviso; o coronel António Cabrita; o brigadeiro Paulo Benard Guedes, comandante militar de Macau e esposa.

Festa João Lisboa 5MAI1951 III“Um terceto musical que animou o ambiente festivo”

NOTA: Poderá ser engano meu, mas deste terceto, dois “marinheiros” e um civil (à direita, na foto) que deverá ser o Johnny Reis que nesse ano teria 23 anos. (2)

(1) Revista “Mosaico“, 1951
(2) Sobre essa personalidade tão conhecido em Macau e que faleceu em 2012, poderá consultar o artigo de Cecília Jorge na Revista Macau de Junho de 1998, reproduzido no site:
http://rpdluz.tripod.com/projectomemoriamacaense/johnny-reis.html 

ACTUALIZAÇÃO: Em 12/04/2015, recebi de Rui Alves (rui.mr.alves@gmail.com) o seguinte comentário que muito agradeço e os meus parabéns ao Primeiro Tenente Simões Alves.
Na foto sobre o Navio João de Lisboa com o titulo “Um terceto musical que animou o ambiente festivo” pode se ver a esquerda o hoje Primeiro Tenente Simões Alves na situação de reforma: Ele é meu pai e vai fazer no próximo dia 17.4 90 anos de idade.”

Confraternização entre militares do Quartel da Artilharia, estacionada na Guia e os marinheiros do Aviso «João Lisboa». Foto tirada em 1949/1950. (na foto, o 2.º a contar da direita, de pé, o soldado José Domingues Pereira, meu pai)
Recorda-se que o Aviso «João de Lisboa» esteve em comissão de  serviço, em Macau, de 9 de Maio de 1949 a 4 de Julho de 1951 (Ver post anterior – VISITA CONJUNTA DOS AVISOS «JOÃO DE LISBOA» e «PEDRO NUNES»
Na altura era Governador , o Comandante Albano Rodrigues de Oliveira  (1 de Setembro de 1947 – 23 Novembro de 1953) e  em 27 de Agosto de 1949  “assume as funções de Comandante Militar da Colónia de Macau, o Coronel Laurénio Cotta Morais dos Reis, deixando estas funções de estar atribuídas ao Governador” (1)
Os dois “primeiros” Comandantes Militares foram:
1 – 27 de Agosto 1949 a 27 de Setembro de 1950 – Coronel Laurénio Cotta Morais dos Reis
2 – 15 de Novembro de 1950 a 12 de Maio de 1952 – Brigadeiro Paulo Benard Guedes

(1) TEIXEIRA, Pe.  Manuel – Os Militares em Macau. Edição do Comando Territorial Independente  de Macau, 1975, 614 p + |1|