Archives for posts with tag: Aviso João de Lisboa

No dia 10 de Março de 1956, o Governador da Província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro e Sua Esposa, foram homenageados com um jantar, a bordo do aviso «João Lisboa», oferecido pelo seu comandante Capitão-de-fragata Francisco Gouveia Espínula, ao qual assistiram, além do imediato e oficiais daquele navio, o Comandante José Coutinho Garrido, Capitão dos Portos e esposa, e o Tenente Mário Lopes da Costa, oficial às ordens do Governador.

Decorreu o jantar naquele ambiente distinto e fidalgo que costuma caracterizar as reuniões dos homens da nossa Marinha de Guerra – daqueles que usam o Botão de Àncora – tendo na altura própria , sido trocados amistosos brindes entre o Comandante do «João Lisboa» e o Governador.
Reportagem e fotos de «MACAU B.I. , 1956»

Por não ter havido, no ano de 1951, as festas oficiais comemorativa da “Semana da Marinha”, o aviso de 2.ª classe “João Lisboa” nem por isso deixou passar a data festiva sem a assinalar com uma interessante reunião social a bordo a qual se realizou na tarde do dia 5 de Maio, “constituindo uma das mais encantadoras festas de quantas têm sido realizadas, num navio de guerra português, surto nas águas de Macau. (1)

Aviso Joaõ Lisboa 1951O Aviso “João Lisboa” fundeado à entrada do Porto Interior de Macau

Festa João Lisboa 5MAI1951 INa barraca chinesa, um grupo juvenil saboreia os exóticos petiscos chineses”

Festa João Lisboa 5MAI1951 IIEntre o numeroso grupo de convidados reunidos na coberta do N. R. P João Lisboa, distinguem-se no 1.º plano, da E. para a D.: o encarregado do Governo, Dr. Aires Pinto Ribeiro e esposa; o capitão-tenente, Ramalho Rosa, comandante do aviso; o coronel António Cabrita; o brigadeiro Paulo Benard Guedes, comandante militar de Macau e esposa.

Festa João Lisboa 5MAI1951 III“Um terceto musical que animou o ambiente festivo”

NOTA: Poderá ser engano meu, mas deste terceto, dois “marinheiros” e um civil (à direita, na foto) que deverá ser o Johnny Reis que nesse ano teria 23 anos. (2)

(1) Revista “Mosaico“, 1951
(2) Sobre essa personalidade tão conhecido em Macau e que faleceu em 2012, poderá consultar o artigo de Cecília Jorge na Revista Macau de Junho de 1998, reproduzido no site:
http://rpdluz.tripod.com/projectomemoriamacaense/johnny-reis.html 

ACTUALIZAÇÃO: Em 12/04/2015, recebi de Rui Alves (rui.mr.alves@gmail.com) o seguinte comentário que muito agradeço e os meus parabéns ao Primeiro Tenente Simões Alves.
Na foto sobre o Navio João de Lisboa com o titulo “Um terceto musical que animou o ambiente festivo” pode se ver a esquerda o hoje Primeiro Tenente Simões Alves na situação de reforma: Ele é meu pai e vai fazer no próximo dia 17.4 90 anos de idade.”

Confraternização entre militares do Quartel da Artilharia, estacionada na Guia e os marinheiros do Aviso «João Lisboa». Foto tirada em 1949/1950. (na foto, o 2.º a contar da direita, de pé, o soldado José Domingues Pereira, meu pai)
Recorda-se que o Aviso «João de Lisboa» esteve em comissão de  serviço, em Macau, de 9 de Maio de 1949 a 4 de Julho de 1951 (Ver post anterior – VISITA CONJUNTA DOS AVISOS «JOÃO DE LISBOA» e «PEDRO NUNES»
Na altura era Governador , o Comandante Albano Rodrigues de Oliveira  (1 de Setembro de 1947 – 23 Novembro de 1953) e  em 27 de Agosto de 1949  “assume as funções de Comandante Militar da Colónia de Macau, o Coronel Laurénio Cotta Morais dos Reis, deixando estas funções de estar atribuídas ao Governador” (1)
Os dois “primeiros” Comandantes Militares foram:
1 – 27 de Agosto 1949 a 27 de Setembro de 1950 – Coronel Laurénio Cotta Morais dos Reis
2 – 15 de Novembro de 1950 a 12 de Maio de 1952 – Brigadeiro Paulo Benard Guedes

(1) TEIXEIRA, Pe.  Manuel – Os Militares em Macau. Edição do Comando Territorial Independente  de Macau, 1975, 614 p + |1|

A partir de 1945 quando a Grande Guerra terminou, a Marinha Portuguesa retomou a tradição de manter regularmente uma unidade naval em Macau e normalmente, o aviso cumpria uma comissão de serviço de dois anos sendo depois substituído por outro navio.
O Aviso «João de Lisboa» largou de Lisboa a 7 de Março de 1949 para uma comissão de serviço a Macau (chegou a 9 de Maio) e Timor e regressou a 4 de Julho de 1951, pelo que não sei o motivo pelo qualo aviso «Pedro Nunes» se encontrava em Macau no dia 3 de Maio de 1950, Nessa data estavam ambos fundeados no Porto Interior (1)

Os avisos João de Lisboa e Pedro Nunes fundeados no Porto Interior (à noite, iluminados)

Os avisos, comemorando o dia 3 de Maio de 1950, com a salva de tiros.

Marinheiros dos avisos prestando homenagem a Vasco da Gama em 3 de Maio de 1950

Sobre o aviso de 2.ª classe «João de Lisboa» (1936-1966)

“A encerrar a extensa actividade daquele que foi o mais importante pólo de construção naval do país, surge o Aviso de 2.ª Classe “João de Lisboa” que, em 1936, foi o último navio a ser construído no Arsenal da Marinha. O “João de Lisboa”, que navegou entre 1937 e 1961, marca a sua presença nesta sala com um conjunto de fotografias e, ainda, um sino que se encontrava a bordo.” (2)

e ainda sobre o mesmo aviso (A 5200) (1961-1966)
 “Construído em Lisboa em 1936, foi reclassificado como navio hidrográfico em 1961, passando a ter o número A 5200, depois de vinte e quatro anos de serviços como aviso de 2.° classe. Esteve ao serviço da Missão Hidrográfica do Continente e Ilhas Adjacentes. (3). Mais tarde abatido e transformado em batelão do Tejo, conservando o nome (4)

Sobre o aviso de 2.ª classe «Pedro Nunes»  (1934/35-1976)
Construído no Arsenal de Marinha em Lisboa, inserida no Programa Naval Português da década de 30. Como todos os navios coloniais, o navio desta classe foi projectado para operar nos territórios do Império Colonial Português com a missão de defesa da soberania de Portugal. Em 1959 foi transformado em navio hidrográfico com o número de amura A 528 , tendo sido retirado algum do seu armamento. O «Pedro  Nunes» mesmo como navio hidrográfico (com uma guarnição de 105 homens e estava equipado com uma peça de 120 mm e por isso  realizou algumas missões de combate na Guiné Portuguesa.(4) (5) (6)

NOTA: 1 – Um aviso é um tipo de navio de guerra com diversas caraterísticas e funções, que variaram ao longo do tempo e conforme o operador. O termo “aviso” resulta da abreviação de barco de aviso.(7)
2 – Não consegui saber o que se comemorava nesse dia, 3 de Maio. Relacionada com a Marinha e Vasco da Gama , uma data aproximada foi a da chegada de Vasco da Gama a Kappakadavu, próximo de Calecute (actual estado de Kerala), no dia 20 de Maio de 1498.

Sobre o mesmo tema,  três artigos sobre a Marinha em Macau – canhoneiras, cruzadores e avisos de Jorge A. H. Rangel no http://www.jtm.com.mo/view.asp?dT=384002004 JTM 5 SET 2011

e do blog macau antigo: http://macauantigo.blogspot.pt/2009/05/avisos-joao-lisboa-e-pedro-nunes.html

(1) Fotos retiradas do Anuário de Macau, 10.º Ano de publicação, 1950, 271 p. + 26 p. Anúncios + XV Índice + CVIII Classificados (Comerciantes, Industrias e Profissionais)
(2) http://museu.marinha.pt/Museu/Site/PT/Extra/Popups/Oavisode2classeJo%C3%A3odeLisboa.htm
(3) http://www.hidrografico.pt/n.r.p.-joao-de-lisboa-a-5200-1961-1966.php
(4) http://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_Pedro_Nunes
(5)http://www.google.com/search?q=aviso+pedro+nunes&start=10&hl=pt-PT&sa=N&prmd=imvnso&tbm=isch&tbo=u&source =univ&ei=oCATT66CGciP4gSrtISNBA&ved=0CCYQsAQ4Cg&biw=810&bih=614#q=aviso+pedro+nunes&start=10&hl=pt-PT&sa= N&tbm=isch&prmd=imvnso&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.,cf.osb&fp=d5d45f213ff7b5c7&biw=810&bih=614
(6) http://www.hidrografico.pt/navios_missao_geo_hidrografica_guine.php
(7) http://pt.wikipedia.org/wiki/Aviso