Archives for posts with tag: Associação de Futebol de Macau

Concluído o Campeonato da 1.ª divisão (1), a Comissão administrativa da A. F. M. deu início ao torneiro para a disputa da Taça «Sarmento Rodrigues», magnífico trofeu oferecido pelo então Ministro do Ultramar comandante Manuel Maria Sarmento Rodrigues quando da sua visita a Macau, em 1952.

Disputado pelo sistema de eliminatórias, numa só mão, o troféu entrará na posse definitiva do clube que ganhar a prova 3 anos consecutivos ou 5 alternados. A disputa foi iniciada na época de 1952-53, tendo-se, de então para cá, apurado os seguintes vencedores:

1952-53 – Clube «Melco»:

1953-54 – Sporting Club, no encontro final, por 1 a 0, o Grupo Desportivo da Polícia.e de Macau:

1954-55 – Grupo Desportivo da Polícia.

A prova, concluída este ano a 21 de Abril, foi ganha pelo Grupo Desportivo «Negro-Rubro», após ter derrotado, no encontro final, por 1 a 0, o Grupo Desportivo da Polícia.

(1) O Campeonato da 1.ª divisão (sob a égide da Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau) iniciou-se a 14 de Janeiro de 1956, com a participação de seis clubes, a duas voltas e ficou concluído no dia 25 de Março, com o Grupo Desportivo da Polícia merecidamente apurado campeão. Não houve, durante o decurso da prova, nenhum protesto dos clubes concorrentes, o que, de certo modo, contribuiu para valorizar a competição e facilitar a missão, aliás espinhosa, dos dirigentes associativos. No campo disciplinar, a Comissão Administrativa da A. F. M. teve de intervir, algumas vezes, aplicando as sanções adequadas adentro dos preceitos regulamentares.

Foi a seguinte a classificação final dos grupos contentores:

Extraído de «M.B.I.», ano III, n.º 66 de 30 de Abril de 1956,

“Sendo dos acontecimentos de maior vulto, os encontros de «Interport» são sempre revestidos de grande importância e de carácter oficial. Estes intercâmbios não só despertam grande interesse no público como ainda entusiasmam grandemente os jogadores, que vêem neles uma oportunidade de dar mostras do seu valor, em representação da sua terra.

Iniciada em 1937, a série destes «Interports» sofreu interrupção quando do rompimento das hostilidades no Pacífico, em 1941. Em 1948, quando já tudo estava normalizado nestas paragens do Oriente, a série dos «Interpots» foi restabelecida e nunca mais voltou a sofrer interrupção até hoje. Nos dois primeiros «Interports», a Associação de Futebol de Hong Kong apresentou, para nos defrontar, jogadores da 2.ª divisão. Das duas vezes, Macau ganhou, comprovando o seu valor.

Daí em diante, Hong Kong não mais seleccionou elementos da 2.ª divisão para nos enfrentar. Frente a selecções da 1.ª divisão, Macau tem registado derrotas e vitórias, algumas das quais bem honrosas para as nossas cores, atenta a superioridade técnica dos jogadores de Hong Kong e o número bem mais elevado dos que na vizinha colónia britânica praticam a modalidade. Dos 13 jogos realizados até 1954, Macau ganhou 6 e perdeu 7. A nosso favor 25 bolas, contra 36 de Hong Kong.” (1)

(1) Extraídos dos artigos não assinados de «MACAU B. I.» ANO II, n.º 40 de 31 de Março de 1955, p. 14 e n.º 41 de 15 de Abril de 1955, p. 10.

No dia 9 de Dezembro de 1956, o Grupo Desportivo da Polícia, com a colaboração da Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau levou a efeito um interessante encontro de futebol, revertendo o produto das entradas a favor da caixa de Auxílio da Policia. Disputaram o encontro a equipa do Grupo Desportivo da Polícia e a Associação Atlética «Eastern» de Hong Kong, que após uma luta renhida e leal, acabaram empatados com 3 bolas cada uma. A colectividade organizadora pôs à disputa uma taça, que não obstante o empate verificado, foi oferecida à equipa visitante, como homenagem do grupo policial, grato pela gentileza da sua deslocação a Macau.

As equipas do «Kitchee Sports Club» e do «Grupo Desportivo da Polícia» antes do seu encontro a favor do Natal dos Pobres

Mal refeitos ainda das canseiras do primeiro jogo, os futebolistas do Grupo Desportivo da Polícia, auxiliados por alguns elementos do Grupo Desportivo «Negro-Rubro» e por um do Sporting Clube de Macau, voltaram a realizar novo encontro de beneficência, desta vez contra o famoso «Kitchee Sports Club» também de Hong Kong. O produto deste encontro, promovido pela Associação de Futebol de Macau reverteu a favor do «Natal dos Pobres de Macau», a cargo da Comissão Central de Assistência Pública, incansável na sua obra de bem-fazer. Ganhou o Grupo Desportivo da Polícia o encontro por 2 a 0. Disputou-se a «Taça Natal dos Pobres» que ficou em poder do grupo local

Extraído de «MBI», IV-81, 15 Dezembro de 1956 pp. 14-15

A Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau (1) organizou e fez disputar em Campeonato Escolar de Futebol de Macau, no ano de 1956, com a participação de sete escolas de território.
No dia 26 de Fevereiro (domingo) no Campo Desportivo «28 de Maio», após o desfile de apresentação das sete equipas perante as Autoridades e o público, realizou-se o primeiro encontro em que intervieram a equipa da Escola Comercial «Pedro Nolasco» e a equipa do Liceu nacional Infante D. Henrique. (2)

As equipas das sete escolas saúdam as Autoridades e o público após o desfile de apresentação (foto pouco nítida)

(1) Na época de 1956/57 a Associação de Futebol de Macau, fundada em 1 de Junho de 1939, foi dirigida por uma Comissão Administrativa, nomeada pela Portaria do Governo da Província, de 14 de Dezembro de 1956, publicada no Boletim Oficial n.º 50, do mesmo ano, e assim constituída:
Presidente – Dr. Carlos Augusto Correia Pais de Assunção
Vogal-secretário – José Silveira Machado
Vogal-tesoureiro – Manuel de Magalhães
(2) «MBI», III-62 de 29 de Fevereiro de 1956, p.14

Emblema de pano formato oval), bordado, com 8 cm x 11 cm de maiores dimensões, da Associação de Futebol de Macau.
Este emblema terá sido uma proposta da Associação de Futebol de Macau (AFM) aquando da sua constituição na década de 50 e possivelmente terá tido (ou não) a aprovação do Conselho (?) Desporto (1) já que no verso do emblema apresenta um carimbo.(embora muito mal visualizado)
No entanto, consultando as fotografias dos encontros de futebol entre Macau e Hong Kong dessa época, o emblema utilizado nas camisolas não foi este.
(1) O Conselho de Desportos foi extinto a 8 de Dezembro de 1956, data da publicação do  Diploma Legislativo n.º 1:368, que criou o Conselho Provincial de Educação Física (sede: 1.º andar do Edifício da Caixa Escolar)
Ver anteriores referências à Associação de Futebol de Macau em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/associacao-de-futebol-de-macau/

A Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau promoveu no dia 28 de Maio de 1956, (1) no Campo Desportivo «28 de Maio», um festival desportivo para a entrega de prémios aos vencedores das provas oficiais disputadas na época de 1955-56, o qual decorreu perante grande público.

MBI III-68 31MAI56 ENCERRAMENTO DA ÉPOCA DE FUTEBOL (I)Os grupos das seis escolas que disputaram o 1.º Campeonato Escolar de Macau

O festival integrado no programa das comemorações do 30.º Aniversário da Revolução Nacional (2) teve a colaboração do Comissariado Provincial da Mocidade Portuguesa que fez desfilar os grupos concorrentes ao 1.º Campeonato Escolar de Futebol de Macau tendo nele tomado parte os desportistas estudantes do Colégio «It Va» (3), Seminário de S. José, Escola Comercial «Pedro Nolasco», Colégio D. Bosco, Liceu Nacional Infante D. Henrique e Escola «Chi Iau».(4)
Terminado o desfile, as equipas da Escola Comercial «Pedro Nolasco» e do Colégio «It Va”, finalistas do Torneio Relâmpago  Inter-escolar (na véspera, dia 27, realizaram-se as eliminatórias) entraram em campo para a disputa da  Taça «28 de Maio».  A equipa da Escola Comercial saiu vitoriosa.

MBI III-68 31MAI56 ENCERRAMENTO DA ÉPOCA DE FUTEBOL (II)O governador Marques Esparteiro entregando aos vencedores os vários troféus ganhos durante a época.

Receberam  prémios de vencedores das provas oficiais, entregues pelo  governador Almirante Marques Esparteiro, os seguintes agrupamentos:
Grupo Desportivo da Polícia, campeão de Macau da 1.ª Divisão
Grupo Desportivo «Negro-Rubro», vencedor dos Torneios da Taça «Sarmento Rodrigues e da «Taça de Macau» .
Colégio D. Bosco, campeão escolar de Macau.
Escola Comercial «Pedro Nolasco», vencedor do Torneio Relâmpago
Grupo Desportivo «Lusitano»,  “Prémio de bom comportamento”
Escola «Chi Iau» , “Prémio de bom comportamento”.
De cada escola concorrente ao Campeonato Escolar  foi escolhido para receber o prémio de desportista exemplar, cabendo assim as seis medalhas a:
Felisberto de Carvalho, do Colégio D. Bosco,
Vong Chi King, do Colégio «It Va»,(2)
Chin Chun, da Escola « Chi Iau»,
Rui Aires da Silva, da Escola Comercial,
José Miranda Vieira, do Liceu e
José Ribeiro do Seminário S. José.
Houve ainda uma medalha de honra destinada a premiar o desportista exemplar da 1.ª divisão, a qual foi ganha por Luís Anísio da Cunha, capitão do Grupo Desportivo da Polícia.
Foram ainda entregues pelo governador os prémios do concurso promovido pelo diário «Notícias de Macau», para a eleição do «Melhor Futebolista do Ano».
(1) Na época 1955/56 a Associação de Futebol de Macau era dirigida por uma Comissão Administrativa, nomeada por Portaria n.º 5:740, de 5 de Novembro de 1955 (Boletim Oficial n. 45 do mesmo ano):
Presidente – Mário Vieira da Costa
Vogal-secretário – José dos Santos Ferreira
Vogal-tesoureiro – Joaquim Morais Alves
(2) Ver: “Comemorações do «28 de Maio»” em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/05/28/noticia-de-28-de-maio-de-1956-comemora-coes-do-28-de-maio/
(3) Trata-se do Colégio «Yuet Wah», com referências anteriores em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/colegio-yuet-wah/
(4) Consultando o “Anuário de Macau de 1956-57″, não encontrei listado a Escola”Chi Iau”; com nome parecido estão duas escolas: Escola «Chi Hang» e Escola «Chi Iông».
Fotos e reportagem retirados de «MACAU B. I., 1956».

A data «28 de Maio» – 30.º Aniversário da Revolução Nacional,  foi assinalada em Macau com as seguintes comemorações:
1.º – Às 8.00 horas – Hastear da bandeira Nacional nos edifícios das Repartições Públicas, Quartéis e Fortalezas.
2.º – Às 9.00 horas – “Te-Deum” de acção de graças pela paz e benefícios concedidos pela providência à Nação Portuguesa, celebrado pelo Bispo da Diocese, D. Policarpo da Costa Vaz, na Sé Catedral.
3.º – Às 10.00 horas – Parada Militar com desfile das forças diante da tribuna colocada em frente do palácio do Governo da Praia Grande, no qual tomaram parte contingentes das forças do Exército, da Polícia de Segurança, da Polícia Marítima e Fiscal, do Corpo de Bombeiros Municipais, sendo a guarda de honra o Governador prestada pela Milícia da Mocidade Portuguesa.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (I)O Governador Almirante Marques Esparteiro passando revista à guarda de honra constituída por um grupo de castelos da Mocidade Portuguesa, com terno de clarins, banda e bandeira.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (II)Às 10.00 precisas, o Comandante das Forças em Parada, major Mário Barata da Cruz dirigindo-se à tribuna pediu licença ao Governador para começar o desfile. Este foi   constituído apenas por forças apeadas que incluíram unidades europeias e indígenas em formatura de três, com banda de corneteiros e bandeira da guarnição da Província, um pelotão da Polícia Marítima e Fiscal, uma Companhia da Polícia de Segurança Pública e um pelotão do Corpo de Bombeiros Municipais. Desfilou por último a guarda de honra e a banda da P.S.P. que, diante da tribuna, tocara durante o desfile.
4.º – Às 10.45 horas – Lançamento da primeira pedra do novo edifício destinado ao Liceu Nacional Infante D. Henrique.

MBI III-68 31MAI56 COMEMORAÇÕES DE 28 DE MAIO (III)Lançamento da primeira pedra do novo Liceu de Macau

Na presença do Governador e principais autoridades civis, militares e eclesiástica foi colocada, cerca das 11.00 horas, a primeira pedra do novo edifício destinado ao Liceu Nacional Infante D. Henrique. assinalando o acto, discursou o Engenheiro José dos Santos Baptista, Chefe de Repartição Provincial dos Serviços de Obras Públicas.
O terreno para o novo Licei  ficava situado nos aterros da Praia Grande e compreendia os talhões limitados pela Rotunda Ferreira do Amaral, Avenida Dr. Oliveira Salazar (hoje Avenida Mário Soares) Avenida D. João IV e Avenida Infante D. Henrique . O talhão que confinava com a Rotunda Ferreira do Amaral foi destinado ao edifício (área coberta de 2 465.16 metros quadrados) e o outro , a campo de jogos dos alunos (uma superfície de 4 950.00 metros quadrados).
5.º – Às 11.45 horas – Inauguração de diversos melhoramentos públicos na Ilha da Taipa
6.º – Às 16.45 – Sessão solene promovida pela União Nacional no Salão Nobre do Leal Senado. Usou da palavra o Governador, o Dr. Henrique de Sena Fernandes e o Presidente da Comissão Provincial da União Nacional.
7.º – Às 18.15 – Final do Torneio Relâmpago Escolar no Campo Desportivo «28 de Maio», promovido pela Associação de Futebol de Macau com a colaboração da Mocidade Portuguesa.
8.º – Das 21- às 24.00 horas – Iluminação de gala nos edifícios públicos e quartéis que o puderam fazer.

Cerca de cinco mil pessoas presenciaram o XII «Interport” de futebol, contra Hong Kong, no Campo Desportivo «28 de Maio», em Macau, no dia 4 de Abril de 1954. A selecção local alcançou uma brilhante e merecida vitória, por 3 a 2, resultado justo, porquanto deu a vitória à selecção  que bem mereceu ganhar não só pela maior genica dos seus componentes, como ainda pela maior quinhão no domínio do jogo que os mesmos exerceram durante a partida.

MBI I-17 15ABR1954 Interport Futebol IOs componentes da selecção de Hong Kong são apresentados, antes do jogo, ao Governador da Província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro.

A técnica patenteada pelos seleccionados de Hong Kong foi, indubitàvelmente, superior à dos jogadores locais, mas estes souberam superar essa desvantagem, valendo-se para isso dum entusiasmo a toda a prova e duma vontade férrea de triunfar dificilmente dominada por aqueles que tinham por adversários.
Na equipa de Macau, houve, no entanto, um elemento que jogou mais que os restantes, que jogou mesmo mais que todos os outros jogadores em campo, pois que se salientou duma forma extraordinária. Este jogador foi o Augusto Rocha, jovem extremo-direito do «Sporting Clube de Macau», de qualidades notáveis que mereceu da crítica os maiores elogios e a observação de ter sido «o melhor jogador do XII «Interport» de futebol.. Foi ele quem marcou duas das três bolas de Macau, quem fez jogar os seus companheiros se equipa, que mais entusiasmou a assistência e contribuiu para o brilhantismo do encontro.

MBI I-17 15ABR1954 Interport Futebol IIA selecção de Macau, vendo-se à direita o major Barata da Cruz, Presidente da Associação de Futebol de Macau, e à esquerda o capitão Carlos Palmela, seleccionador.

Alinharam, no encontro, os seguintes jogadores:
Por Macau: A. Teixeira; Ho Seng e F. da Rocha; F. da Cunha, O. Baptista (cap.) e Luís da Cunha: Augusto da Rocha, C. Paulo, A. Chung, J. da Rocha e A. Cotrim.
Por Hong Kong: Granger; Armstrong e Wells; Chan Fai Hung, Fraers (cap.) e Tong Sheung; Ho Ying Fan, Reeves, bennett, Yu Cheok Yin e Mok Chan Wa.
A Associação de Futebol de Macau, antes do encontro do «Interport» prestou pública homenagem ao Governador, no campo Desportivo «28 de Maio». Em nome da colectividade, o Presidente da Direcção, Major Mário Gustavo de Araújo Barata da Cruz colocou na lapela do casaco do Governador um distintivo d eoiro, da A. F. M. como símbolo da hoemnagem e gratidão da entidade máxima do futebol local, pelo estímulo, apoio moral e auxílio financeiro tem vindo a merecer do Governador.

MBI I-17 15ABR1954 Interport Futebol IIIOs capitães da duas selecções, O. Baptista (Macau) e Fraser (Hong Kong) após a troca de galhardetes.

MBI I-17 15ABR1954 Interport Futebol IVUm aspecto do jantar, vendo-se na mesa da Presidência, o Intendente de Distrito, José Peile da Costa Pereira.

Na noite desse mesmo dia, os desportistas de Macau e Hong kong reuniram-se no Restaurante da Piscina Muncipal, onde se efectuou uma jantar de confraternização oferecido pela Associação de Futebol de Macau em honra da sua congénere de Hong Kong, ao qual assistiram, além dos desportistas das duas cidades vizinhas, cerca de cem pessoas convidadas entre os quais o representante do Governador, O Intendente José Peile da Costa Pereira.

MBI I-17 15ABR1954 Interport Futebol VOutro aspecto do jantarem que vêem os jogadores de Hong Kong confraternizando com os de Macau

Findo o jantar, o director da representação de Hong Kong, Capitão A. George brindou pelo Presidente da República Portuguesa,  tendo o Presidente da A F. M., por sua vez, brindado pela sua Majestade a Rainha Isabel II da Inglaterra.
Reportagem e fotos de «MACAU B. I.,1954».

Teve lugar no dia 1 de Abril de 1956, o 15.º encontro de «Interport» de futebol entre as selecções de honra de Macau e Hong Kong, que terminou pela vitória da equipa visitante por 5 a 3.
O encontro foi em Macau, no Campo Desportivo «28 de Maio», com a presença do Governador da Província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro e Esposa, Dra. Laurinda Marques Esparteiro.
MBI III-65 15ABR1956 INTERPORT FUTEBOL (I)Antes do encontro, os jogadores de ambas as selecções e a equipa de arbitragem foram apresentados ao Governador, tendo a banda do Corpo de Polícia de Segurança Pública executado os primeiro acordes de A Portuguesa e God Save the Queen. (na foto, a selecção de Hong Kong)
O resultado de 5 a 3 não foi desonroso para Macau, nem tão-pouco desprestigiou aqueles que envergaram a camisola desta cidade, porquanto souberam lutar com denodo, energia e desportivismo.
A Associação de Futebol de Hong Kong apresentou, nesse ano, para enfrentar a selecção de Macau, uma equipa fortíssima, que podia ser considerada a melhor da vizinha colónia desses últimos anos – formada com «ases» chineses. A selecção visitante deu o máximo do seu esforço para conseguir a vitória e, consequentemente, entrar na posse definitiva da Taça «Gellion» (1)
As equipas apresentaram a seguinte constituição:
MBI III-65 15ABR1956 INTERPORT FUTEBOL (II)Macau: Francisco da Nova (Benfica); Chi Fu (Polícia) e Vítor Rodrigues (Atlético); Francisco da Cunha (Negro-Rubro), Luís da Cunha – cap. – (Polícia) e Alfredo Cotrim (Negro-Rubro); Vong Heng (Polícia), João da Rocha (Negro-Rubro), Rogério de Assis (Negro-Rubro), Luís Madeira (Polícia) e Mário Alberto (Polícia).
Hong Kong: Wai Fat Kim; Szeto Yiu e Lau Yee; Tang Sam -cap. -, Ko Po Keong e Chau Man Chi; Szeto Man, Ho Cheung Yau, Chi Wing Keong, Yu Cheok Yn e Mok Chan Va.
Nesse mesmo dia, da parte da manhã, no mesmo Campo Desportivo, realizou-se o 1.º encontro de «Interport» escolar de futebol, entre as selecções dos estudantes das duas cidades, organizado pela Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau (2) com a colaboração da sua congénere de Hong Kong.

MBI III-65 15ABR1956 INTERPORT FUTEBOL (III)As selecções de estudantes de Hong Kong e Macau

A selecção escolar de Macau, constituída por estudantes com menos de 18 anos de idade, derrotou a de Hong Kong por 2 a 1, após um encontro movimentado, cheio de fases de bom jogo e de entusiasmo.
Ambas as selecções, antes do encontro, foram apresentadas ao Dr. Adelino Barbosa da Conceição (Inspector da Instrução Pública), em representação do Comissário Provincial da Mocidade Portuguesa (em 1956, era o Inspector Administrativo José Peile da Costa Pereira).

MBI III-65 15ABR1956 INTERPORT FUTEBOL (IV)O Governador entregando, no final, taças aos vencedores

À esq. do Governador está o Dr. Adelino Barbosa da Conceição e José dos Santos Ferreira (vogal – secretário da Comissão Administrativa da Associação de Futebol de Macau) (2)
De noite, a Associação de Futebol de Macau obsequiou as selecções visitantes e seus dirigentes com jantar de confraternização, a que assistiram também representantes de imprensa e dirigentes de clubes locais. (3)
(1) A Taça «Gellion», oferta de  Frederik Johnson Gellion (gerente de “The Macao Electric Lighting Co. Ltd.” desde 1916) ficava na posse definitiva da equipa que ganhasse dois anos consecutivos ou à terceira vitória. A selecção de Hong Kong ganhou em 1955, pelo resultado de 7 a 3.
(2) Na época de 1955/56, foi a Associação de Futebol de Macau dirigida por uma Comissão Administrativa, nomeada pela Portaria n.º 5740, de 5 de Novembro de 1955, publicada no Boletim Oficial n.º 45, do mesmo ano e assim constituída:
Presidente – Mário Vieira da Costa
Vogal – secretário – José dos Santos Ferreira
Vogal – tesoureiro – Joaquim Morais Alves
(3) Informações retiradas de «Macau B. I., 1956»

Findo o torneio para a disputa da Taça «Sarmento Rodrigues» que foi, merecidamente, ganho pelo Grupo Desportivo da Polícia, começou a disputar-se o campeonato da 1.ª divisão, com o concurso dos seis seguintes grupos: Polícia, Sporting, Benfica, Negro-Rubro, Lusitano e Atlético.
Os primeiros jogos desta prova oficial da época realizaram-se no dia 9 de Janeiro, com os seguintes resultados:
Negro – Rubro venceu Lusitano por 4 a 2;
Polícia venceu o Atlético por 2 a 1.
O Atlético protestou o jogo, alegando erros técnicos do árbitro, estando, por conseguinte, o resultado do seu encontro com o Grupo Desportivo da Polícia ainda dependente da homologação da Associação de Futebol de Macau.
No dia 15 de Janeiro, a equipa da Polícia venceu a do Sporting por 4 a 1.

Notícia retirada de MACAU, B. I., 1955.