Archives for posts with tag: Archivo Pittoresco
Extraído de «BGM», IX- 29 de 21 de Junho de 1863, p. 115

Francisco António Volong era filho de Job Volong e de Inês Volong. “Bom cristão, gozava do privilégio de ter em sua casa oratório particular“. Francisco António Volong casou com Ana Rosa das Chagas, filha de Francisco das Chagas e de Paula das Chagas, de quem teve os seguintes filhos: 1. Francisco António que casou com Rosa Maria 2. Vicente de Paulo que casou com Maria Madalena 3. José Joaquim, nascido a 18-09-1853 o qual faleceu a 29-08-1971

Ana Rosa Volong, viúva de Francisco António Volong, faleceu a 16 de Maio de 1868, com 45 anos de idade. Seu filho Francisco António Volong, natural de Cantão, faleceu a 15-08-1873, com 22 anos de idade…. (…). Volong deu o nome a um bairro de Macau, sito em S. Lázaro. O bairro de Volong era uma aglomeração chiqueiro, um perigosíssimo foco de infecção….Outrora era um bambual… (TEIXEIRA, P Manuel – Toponímia de Macau, Volume II, 1997, pp.315-316)

1894 – A Horta de Volong, um dos focos de infecção nas epidemias da peste e cólera, é por sua vez expropriada por utilidade pública em 1894 e saneada; é o local com uma área de 200 hectares, limitado ao norte pela Estrada do Cemitério, ao sul pela Rua Ferreira do Amaral, a leste pela Estrada da Flora e a oeste pela Rua de S. Lázaro. Entregue, em 1897, ao Senado, depois de a Repartição de Obras Públicas ter ali procedido a importantes obras tais como a abertura das ruas, à construção da canalização de esgoto e até dos alicerces das casas particulares. O bairro contíguo de S. Lázaro que fora um dos focos de epidemia da peste, de 1896, é por seu turno, saneado em 1900. Uma vez saneado nunca mais ali entrou a peste. (TEIXEIRA, P Manuel, – Toponímia de Macau, Volume I, 1997, pp.468/469)

Anteriores referências: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/horta-de-volong/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/rua-volong/

NOTA : A propósito dum artigo sobre a Catedral de Macau, a revista “Archivo Pittoresco” (n.º 35 de Fevereiro de 1858, p. 276)  traz a seguinte informação sobre Francisco Volong:

Extraído de «Boletim do Governo de Macao», IX-26 de 30 de Maio de 1863.
Um Aviso de 3 de Fevereiro de 1863 onde João Miguel da Roza (Calçada de Santo Agostinho, n.º 12), (1) se encarregava, em Macau,  de receber assinaturas para os jornais portugueses nomeadamente:
Correspondência de Portugal” (bimensal) – ????
A Nação” – diário editado por A. M. C. Lacerda de 1847 a 1928, Lisboa

Cabeçalho de «A NAÇÃO» no dia 3 de Fevereiro de 1863

“Archivo Pittoresco” – semanário ilustrado dos editores e proprietários: Castro e Irmão & C.ª de 1857 a 1868.)
“Atalaia Catholica” – jornal religioso de 1854 a 1864 (396 números publicados), com sede em Braga e dirigida sempre por José Maria e Sousa. Continuado depois pela «Revista Ecclesiástica do Arcebispado de Braga»
ARCHIVO PITTORESCO – o primeiro número do ano 1863 (6.º Ano)
O Bem Público” – jornal católico, científico e literário, dirigido por J. M. de Sousa Monteiro. Publicado de 1857 a 1877 (50 números) pela Tipografia Portuguesa em Lisboa.
Fé Catholica”- Jornal religioso, dirigido por António Joaquim Ribeiro Gomes de Abreu de 1861 a 1867 (119 números) em Lisboa.
Amigo da Religião” – revista eclesiástica, religiosa, política e científica., dirigida por A. G. C. Silva, de 1858 a 1861, em Lisboa. (2)
O «AVIZO», anunciava também a venda de “Obras de Nicolau Tolentino”, em brochura ou encadernadas
Nicolau Tolentino de Almeida (1740 – 1811) foi professor, jurista, escritor e poeta português. Pertenceu ao movimento da Nova Arcádia (1790-1794).
Nesse ano (1863) estariam certamente já disponíveis as edições de:
«Obras Poéticas de Nicolao Tolentino de Almeida» – Tomo I e II (1801) (3) e
«Obras Posthumas de Nicolao Tolentino de Almeida» – 1828 (4)
(1) Consultando o livro de Jorge Forjaz, com esse nome: João Miguel da Roza, existem dois; o pai, João Miguel do Espírito Santo Rosa, nascido a 15-05-1829 e falecido a 28-05-1879 e seu filho: João Miguel da Rosa, nascido em 30-4-1846 e falecido a 24-03-1933 e que era escrivão do Colégio de S. José. (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, III vol, p. 355.)
2) “Inventário da Imprensa Católica entre 1820 e 1910“. Acessível em:
https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/4890/1/LS_S2_03_JoaquimAzevedoeJoseRamos.pdf
(3) Acessível em:
http://purl.pt/133/4/
(4) Acessível em:
http://www.gutenberg.org/files/36608/36608-h/36608-h.htm