Archives for posts with tag: António Luiz Pereira Crespo
Extraído do «BGPMTS» I-3 de 4 de Novembro de 1854

NOTA: O Dr. António Luíz Pereira Crespo, nascido em Marinha Grande foi nomeado cirurgião-mor de 1. ª classe da Província de Macau e Timor em 30-08-1852. Terá chegado a Macau em finais desse ano.

Extraído de «BGPMTS» VII-17 de 7-12-1852, p. 61

No Boletim Oficial de 1853, aparece este anúncio:

Extraído do «BGPMTS» VIII-25 de 28-07-1853, p. 102

Casou na Sé, a 16-01-1854, com Bárbara Joaquina da Silva. Com data de 01-08-1855, Dr. Crespo publicava o seguinte aviso no Boletim Oficial, acerca da vacinação “para prevenir o contágio das bexigas”. Este aviso foi repetido nos números seguintes bem como em anúncios de 1857.

Extraído de «BGPMTS» I- 42 de 4-08-1855, p. 168.

Dr. Crespo elaborou o Regulamento do Hospital Militar de Macau criado por portaria n.º 73, de 21-11-1855 (publicado no «Boletim do Governo da Província de Macao, Timor e Solor», Vol. II, n-º5). O Dr. Crespo regressou a Portugal em 1860, tendo sido nomeado em seu lugar o Dr. Lúcio Augusto da Silva.

No «Boletim do Governo de Macao» de  1 de Abril de 1857, o Cirurgião-mor da Província, António Luiz Pereira Crespo, (1) fez publicar um “ANNUNCIO” do “quase extincto e terrível flagelo das bexigas de péssimo caracter”
E no mesmo Boletim, manteve um “AVIZO” , datado de 25 de Março, da sua disponibilidade na vacinação anti-variólica das crianças no Hospital da Misericórdia
E porque havia vozes (há sempre quem seja do contra) sobre a eficácia dessa vacina, o mesmo cirurgião fez publicar no mesmo Boletim, de 18 de Abril, uma lista de trabalhos científicos da época em que se comprovavam da necessidade e a extrema eficácia da vacinação.
(1) O cirurgião-mór da Província António Luíz Pereira Crespo em 10 de Fevereiro desse ano tinha sido nomeado também Cirurgião-Ajudante Graduado do Batalhão de “Artilheria”
O mesmo Cirurgião-mór foi um dos que se empenharam para que fosse construído um teatro em Macau. Juntamente com Pedro Marques e Francisco Justiniano de Sousa Alvim , com uma subscrição pública em Macau e Hong Kong, conseguiram edificar no terreno do largo de Santo Agostinho, o Teatro D. Pedro V.
Ver anteriores referências:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/teatro-d-pedro-v/