Archives for posts with tag: 2005

Caixas de fósforos do Hotel Beverly Plaza. Dimensões: 5,5 cm x 3,5 cm x 0,7 cm
Os dois lados da caixa com o mesmo design. O logótipo, o nome do hotel em chinês e em português

富豪酒店
HOTEL BEVERLY PLAZA

Num dos lados menores,  o endereço em chinês e o número de telefone.

澳門羅理基博士大馬路富豪酒店
337755

Cabeças dos fósforos de cor vermelhas.

O Beverly Plaza, situado na Avenida do Dr. Rodrigo Rodrigues, n.º 70-100,é um hotel de 4 estrelas, com 294 quartos e 6 suites (actualmente).
Tem 19 andares e foi inaugurado em 1989. Teve uma renovação em 2005.

A revista «MACAU B. I. T.» em Março de 1976 (1) chamava a atenção para a necessidade da criação de um Museu de Arte Religiosa, em Macau, aproveitando os artigos religiosos, estátuas  e outros artigos relacionadas com as Missões em Macau e que se encontravam acumuladas na Igreja de S. Domingos.

MACAU B.I.T. XI, n.º1 e 2 MAR-ABR 1976 ~Igreja de S. DomingosIGREJA DE S. DOMINGOS, 1976

É natural que numa cidade de tão acentuadas tradições religiosas muito tenha ficado a testemunhar esta vivência, aqui às portas da China. Muitos que demandam esta nossa terra, sentem-se, sem dúvida, curiosos em verificar o que neste campo temos para lhes oferecer, levando-os a percorrer, através dos testemunhos presentes, etapas tão dilatadas como sugestivas.
Se não estamos em erro, muitos dos artigos, estátuas e outros, encontram-se acumulados na vestuta igreja de S. Domingos, um templo que fica num lugar muito acessível e para o qual poderiam ser conduzidos, com mais frequência, grupos de turistas. Nada perderiam, porque a sua arquitectura, se bem que bastante simples, não deixa de revelar certo recorte artístico…(…)
Supomos que nas dependências daquela veneranda igreja, que testemunhou a intensa actividade missionária de tantos religiosos dominicanos, se encontra lugar muito apropriado para a montagem dum museu, enquadrando-o num ambiente de certa religiosidade, em harmonia com o carácter dos objectos expostos…” (1) 

MACAU B.I.T. XI, n.º1 e 2 MAR-ABR 1976 ~Tesouros de Arte SacraSra. da Boa Viagem, 1976

NOTA: Hoje os artigos religiosos, estátuas  e outros artigos relacionadas com as Missões em Macau, encontram-se, desde 1997 (após restauro da Igreja e seus anexos)  no Tesouro de Arte Sacra, localizado no campanário e torre sineira da Igreja de S. Domingos ocupando três andares, desde 1997. ÁLBUM 2005 - TESOUROS DA ARTE SACRA II

Tesouro de Arte Sacra, Igreja de S. Domingos, 2005

O Tesouro de Arte Sacra é um espólio constituído por cerca de 300 artefactos religiosos, dos séculos XVII a XIX. O acesso a esta torre faz-se através de um corredor situado do lado direito da nave da igreja. Na década de 90 do século XX, o Instituto Cultural financiou a recuperação e o restauro da Igreja para permitir a instalação deste Tesouro, num espaço que foi aberto ao público em 23 de Novembro de 1997.
ÁLBUM 2005 - TESOUROS DA ARTE SACRA III

Tesouro de Arte Sacra, Igreja de S. Domingos, 2005

Fazem parte deste espólio, objectos sacramentais em prata, bronze e ouro, estátuas em madeira, gesso e marfim, pinturas a óleo, entre as quais uma do século XVII retratando Santo Agostinho, gravuras com cenas bíblicas, vestimentas litúrgicas, etc. Em exposição estão dois sinos do século XIX.
ÁLBUM 2005 - TESOUROS DA ARTE SACRA I

Tesouro de Arte Sacra, Igreja de S. Domingos, 2005

A Igreja de São Domingos está  incluído na Lista dos monumentos históricos do “Centro Histórico de Macau”, e incluído na Lista do Património Mundial da Humanidade da UNESCO.
Existe ainda presentemente outro espaço em Macau, dedicado à Arte Sacra: o  Museu de Arte Sacra localizado  nas traseiras (cripta/capela) das Ruínas de S. Paulo, após a sua recuperação e musealização entre 1990 e 1995. Aqui encontra-se uma selecção de pintura, escultura e alfaias litúrgicas representativas das igrejas e conventos da cidade.
(1) Artigo não assinado e fotos (a preto e branco) retirados de «MACAU B. I. T.»de 1976.

COM PALAVRAS AMO – livro (1) com poesias de Eugénio de Andrade (2), traduzidas para chinês por Yao Jingming, editado pelo Instituto Cultural de Macau, em  1990.

Com Palavras Amo - Eugénio de Andrade1990 CAPACAPA

IGNORO O QUE SEJA A FLOR DA ÁGUA

Ignoro o que seja a flor da água
mas conheço o seu aroma:
depois das primeiras chuvas
sobe ao terraço

entra nu pela varanda,
o corpo inda molhado
procura o nosso corpo e começa a tremer:
então é como se na sua boca

um resto de imortalidade
nos fosse dado a beber,
e toda a música da terra,
toda a música do céu fosse nossa,

até ao fim do mundo
até amanhecer (3)

Com Palavras Amo - Eugénio de Andrade1990 CONTRACAPACONTRACAPA

Eugénio de Andrade(1) ANDRADE, Eugénio – Com Palavras Amo. Antologia Bilingue Português-Chinês. Tradução para chinês: Yao Jingming. Instituto Cultural de Macau, 1990, 113p., ISBN 972-35-0091-1. (23 cm x 15, 8 cm).
(2) Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, (1923 – 2005), esteve em Macau, em Outubro de 1990, tendo escrito 12 pequenos poemas, apontamentos e textos em prosa poética, publicados em “Pequeno Caderno do Oriente”.
Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/eugenio-de-andrade/
(3) Página 67 do livro citado em (1)

Catálogo (1) duma exposição  de rótulos de caixas de fósforos antigas realizada na Casa de Exposições , Casas Museu – Taipa de 30 de Dezembro de 2005 a 26 de Fevereiro de 2006.

Catálogo Esplendor Centenário CAPACAPA

Trata-se de um excelente catálogo produzido pelos Serviços Culturais  e Recreativos do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, em Dezembro de 2005. A exposição apresentava mais de 1000 exemplares de rótulos de caixas de fósforos produzidos na China,  uma variedade de desenhos e padrões que iam desde o período do final da Dinastia Qing até ao advento da República, e rótulos completos e temáticos do Período Republicano. Apresentava também, os rótulos das caixas de fósforos produzidos em Macau  das décadas de 20 à 50  (no período áureo desta indústria, décadas de 20 e 30, Macau possuía diversas fábricas e marcas próprias e empregavam mais de mil operários), das conhecidas fábricas, Cheong Ming, Tung Hing, Tai Kwong e Man Koc.

Catálogo Esplendor Centenário 1.ª páginaNa ” Mensagem”  (p. 13) do Presidente do Conselho Administração do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais, Lau Si Io , retiro o seguinte trecho:
… Uma pequena caixa de fósforos é um objecto encantador. A parte de cima apresenta normalmente a marca e a parte de baixo o anúncio, designado por “rótulo traseiro” . As caixas que têm uma etiqueta a toda a volta, incluindo a faixa da lixa, são conhecidas por caixas de “rótulo completo”, É extraordinária, a forma como podemos ver o mundo projectado num pedaço de papel de poucos centímetros...”
(1) Esplendor Centenário – Rótulos de Caixas de Fósforos Antigas / Centennial Glamour – Matchbox Labels. Edição do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais da Região Administrativa Especial de Macau. 2005, 63 p., ISBN 99937-54-66-8, 26 cm x 22 cm.

Da colecção dos postais emitida em 16 de Julho de 2005  com o tema “Macau Património Mundial” (1) apresento hoje o postal (15 cm x 10,5 cm) emitido nesse dia com o mesmo tema  e dedicado à CASA DO MANDARIM – um dos edifícios patrimoniais do Centro Histórico de Macau e inscrito na Lista do Património Mundial da Unesco em 2005.

澳門 世界 遺 產
MACAU PATRIMÓNIO MUNDIAL
MACAO WORLD HERITAGE

POSTAL - CASA DO MANDARIMConstruído antes de 1869, este foi o lar de arquitectura tradicional chinesa da proeminente figura literária chinês Zheng Guanying, cujos trabalhos sobre mercados económicos influenciaram tanto o Dr. Sun Yat Sen e Mao Tse Tung e que foram utilizados por eles promovendo grandes mudanças históricas na China. Este complexo residencial de estilo tradicional chinês que tem uma área de cerca de 4.000 metros quadrados também com espaços abertos, integra vários estilos arquitectónicos e  constitui o maior complexo residencial Chinês existente em Macau. Está localizado junto ao Largo do Lilau, um dos primeiros da cidade ao estilo das praças Portuguesas.
POSTAL - CASA DO MANDARIM verso(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/04/18/dia-internacio-nal-dos-monumentos-e-sitios-postal-macau-patrimonio-mundial/
Anterior referência à Casa do Mandarim em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/casa-do-mandarim/

EXP. Plantas de Edifícios Históricos CARTAZContinuação da minha colecção de marcadores de livro referentes à Exposição de Plantas de Edifícios Históricos”, realizada entre 22 de Agosto e 22 de Outubro de 2005  e organizada pelo Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau no Arquivo Histórico. (1) (2)

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Bairro de S. LázaroMarcador: Bairro de São Lázaro

“Na sequência da sua demolição em finais do século XIX devido às deficientes condições higiénicas, surgiu um novo bairro de malha regular que albergou a vivência urbana e peculiar de Macau dos anos 20 do século passado.”

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Bairro de S. Lázaro versoNOTA: “Em 10 de Setembro de 1808 o Pe. Agostinho espanhol, José Segui requereu ao Senado um terreno baldio, defronte uma povoação que estava fora das portas de S. Lázaro onde estavam 300 a 400 novos cristãos chineses. Estes foram perseguidos por ordem dos Mandarins mas muitos deles voltaram, registando-se em 1818, nada menos de 98 casas de cristãos chineses. O jornal “Echo Macaense”, de 21.02-1897 dizia: «Até 1871 as freguesias da Sé, S. Lourenço, e Santo António eram as únicas onde estavam estabelecidas as residências de portuguezes: em 1878, estenderam-se elas já para S. Lázaro, e em 1896 disseminaram-se pelos bairros chinas: ora sendo em geral os rendimentos dos prédios das três primeiras freguesias, pela natureza da construção e pela sua situação, superior ao dos prédios da freguesia de S. Lázaro e dos bairros, a dispersão encontra natural explicação no presente estado financeiro dos filhos desta terra, como também a este estado se pode atribuir a sucessiva diminuição d´esta parte da comunidade portugueza, e, como consequência, a sua emigração»” (3)

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Igreja N.S.CarmoMarcador: Igreja de Nossa Senhora do Carmo

“A construção desta igreja foi proposta em 1882 e concluído em 1885, sob o motivo de promover a missão católica junto dos três mil habitantes da Taipa”

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Igreja N.S.Carmo versoNOTA: “Dado o constante aumento da população que se entregava à pesca, construiu-se em 1876 na Taipa para atender às suas necessidades espirituais uma ermida  e com tão bom sucesso que em breve foi necessário um edifício mais vasto, levantando-se em 1883 uma igreja; a actual igreja dedicada a Nossa Senhora do Carmo foi levantada em 1885, ficando ali como pároco o P. José V. da Costa, antigo missionário e superior de Hainan”. (4)

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/02/17/marcadores-de-livro-i-exposicao-de-plantas-de-edificios-historicos/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/02/28/marcadores-de-livro-ii-exposicao-de-plantas-de-edificios-historicos/
(3) TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau, Volume I.
(4) TEIXEIRA, P. Manuel – Macau e a sua Diocese I, 1940

EXP. Plantas de Edifícios Históricos CARTAZContinuação da minha colecção de marcadores de livro referentes à Exposição de Plantas de Edifícios Históricos”, realizada entre 22 de Agosto e 22 de Outubro de 2005 organizado pelo Instituto Cultural do Governo da R. A. E. de Macau no Arquivo Histórico. (1)

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Leal SenadoMarcador: Edifício do Leal Senado

“Construído originalmente em 1784, albergou a primeira câmara municipal de Macau. De estilo neoclássico, tem mantido ao longo do tempo todas as suas paredes-mestras e o seu traçado arquitectónico original, incluindo o jardim situado no pátio posterior.”

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Leal Senado verso

NOTA: 1584 – O primitivo edifício parece datar de 1584, tinha anexo o tronco ou cadeia. Daí a denominação de Calçada do Tronco Velho e Rua da Cadeia às vias públicas junto ao mesmo. Foi reconstruído em 1874, pois o edifício ficou muito danificado pelo tufão de 1874.
30-12-1876 – B.O. desta data, p. 215 informava : «Acham-se concluídas as obras da reconstrução do edifício do Leal Senado da Câmara, para onde já se mudaram algumas das repartições públicas que antes o ocupavam». Nesta reconstrução notam-se «não só os melhoramentos materiais empregados, mas a simplicidade e o bom gosto da architectura moderna, que a fachada principal representa» Finalmente por ocasião do Duplo Centenário da Independência e da Restauração de Portugal foi o velho edifício completamente restaurado e inaugurado a 2 de Junho de 1940, data em que foi benzida a Capela da sua Padroeira, N. Sra. da Conceição; está, ainda nessa Capela, a estátua de S. João Baptista, que também é padroeiro da Cidade.” (2)

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Teatro D. Pedro VMarcador: Teatro D. Pedro V

Construído em 1860, foi o primeiro teatro de estilo ocidental na China e um dos mais importantes pontos de referência no contexto da comunidade macaense.”

EXP. Plantas de Edifícios Históricos Teatro D. Pedro V verso

NOTA: Ler em (3), a «história» inicial do Teatro.
“Em Março de 1858, o edifício podia já dizer-se concluído no principal, graças especialmente à diligência do cirurgião-mor da província, António Luís Pereira Crespo, de Pedro Marques e de Francisco Justino de Sousa Alvim. Do cidadão macaense Pedro Marques é todo o risco e a direcção das obras, mas a actual fachada foi delineada pelo Barão do Cercal em 1873 e restaurada em 1918 por José Francisco da Silva.”(2)
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/02/17/marcadores-de-livro-i-exposicao-de-plantas-de-edificios-historicos/
(2) TEIXEIRA; P. Manuel – Toponímia de Macau, Volume I,
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/03/07/noticias-de-7-de-marco-de-1857-teatro-d-pedro-v-i/