Archives for posts with tag: 1997

O gigantesco painel (1) que o mestre David de Almeida (2) gravou no circuito de manutenção da colina da Guia. A obra insere-se no âmbito da remodelação daquele espaço de lazer e recreio, que incluiu a instalação de um teleférico, dois auditórios, uma casa de chá, um parque de merendas e a renovação do parque desportivo. O painel, com 80 m2, apresenta simbologia inspirada em motivos orientais.

(1) Texto e fotos extraídos das páginas 50 e 51 (fotos de António Falcão) do livro de CUNHA, Luís (Direcção Editorial e Texto) “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ”, edição do Leal Senado de Macau, 1997, 89 p. 

(2) Ver anteriores referências em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/landmark/

Nos dias 27 e 28 de Novembro, realizaram-se no auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde de Macau, as «3.ªs Jornadas do Médico Interno», reunião científica organizada pela Direcção dos Internatos Médicos (DIM) dos Serviços de Saúde de Macau, com um jantar de encerramento no dia 29 de Novembro.

Programa (30 cm x 21 cm) dobrável em 3 partes

Dois desenhos de Ung Vai Meng (1) extraídos do livro “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ” (2) (infelizmente com fraca digitalização)

Ung Vai Meng. Casa da Misericórdia (Largo do Senado), lápis sobre papel, 1990, p. 29
Ung Vai Meng. Rua do Almirante Sérgio, lápis sobre papel, 1994, p.75

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ung-vai-meng/

(2) CUNHA, Luís (Direcção Editorial e Texto) “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ”, edição do Leal Senado de Macau, 1997, 89 p.  

Cartão convite do Secretário-Adjunto para os Assuntos Sociais e Orçamento, para a apresentação do relatório de avaliação do Sistema de Saúde de Macau elaborado pela Escola Nacional de Saúde Pública da Universidade Nova de Lisboa no dia 22 de Outubro de 1997, no 18.º andar do Edifício World Trade Center, seguido de almoço.

Cartão convite: 15,2 cm x 10,1 cm

O Secretário-adjunto para os Assuntos Sociais e Orçamento entre 1996-1999 do governo de Vasco Rocha Vieira era José Augusto Perestrelo de Alarcão Troni.

Envelope: 16 cm x 11,3 cm

Pequeno opúsculo (8 páginas) (1) com um resumo científico da área da Dermatologia Sanitária, do Dr. M. J. de Campos Magalhães, dermato-leprólogo dos Serviços de Saúde de Macau, (2) sobre o estado da lepra em Macau no ano de 1982, intitulado: “MACAU-1982: RETRATO DA HANSENÍASE” (1)

Capa e contracapa
Capa
Página 3
Páginas 4 e 5
Páginas 6 e 7
Página 8

Conforme os dados clínicos apresentados, em 1982 estavam a ser seguidos noventa e seis pacientes com esta doença Destes 96 enfermos, quarenta e quatro (22 de cada sexo), revelavam algum grau de incapacidade, na maioria entre pacientes asilados no Sanatório de Ká-Hó. Os novos doentes já eram tratados ambulatoriamente e de acordo com a gravidade da forma clínica faziam numa fase inicial o tratamento intensivo, mais ou menos longa, no Isolamento do Hospital Central Conde de S. Januário.

(1) MAGALHÃES, M. J. de Campos – Macau-1982: Retrato da Hanseníase, Edição de autor, 1983? (sem indicação), 8 p, 21 cm x 15 cm.

(2) Manuel José de Campos Magalhães licenciado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 1952, ingressou no corpo clínico do Hospital Rovisco Pais (Leprosaria Nacional) até 1959 data em que foi contratado para Moçambique. Possuiu a especialidade de Dermatologia, e o Curso Superior de Micologia Médica do Instituto Pasteur de Paris (onde esteve como bolseiro da O.M.S. em 1964/65). De 1959 a 1972 exerceu as funções de médico leprólogo dos Serviços de Saúde de Moçambique e foi designado para a chefia do Serviço de Combate à Lepra de Moçambique em fins de 1972. No quadro dos Serviços de Saúde de Macau desde 1977 até à sua reforma.

BO n.º 21 de 26-05-1997, pp. 255/256
CAPA em português

Revista “DESPORTO 96”, editada pelo Instituto dos Desportos de Macau (IDM), publicação caracterizadora da actividade desportiva ocorrida ao longo do ano de 1996, em Macau, realçando os principais acontecimentos desportivos internos e internacionais em que o Território esteve envolvido.

CONTRACAPA , em chinês

Revista (29, 5 cm x 21 cm x 1cm; com 70 páginas em português e 70 páginas em chinês) distribuída em 1997, oferta do IDM, com os cumprimentos do presidente, Manuel Silvério que tomou posse neste cargo em Setembro de 1996 (anteriormente já desempenhava as funções de vice-presidente). A nova sede do IDM foi construída no complexo do Forum de Macau, o lançamento da primeira pedra ocorreu em fins de Outubro de 1996 e em meados de 1997 ficaria concluída.

1.ª página

Na Capa, destaco uma das modalidades desportivas mais representativas dos macaenses, o Hóquei em Campo, aqui representada pelo autor, guarda-redes duma das equipas (Hóquei Clube de Macau) que participaram em 1996 no campeonato interno (campo do Tap Seac).

Extraído de “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ”, p. 45

O parque urbano municipal de Mong Há conhecido oficialmente como parque municipal da colina de Mong Há (1), na Avenida do Coronel Mesquita, foi inaugurado em Junho de 1997, após uma primeira fase da recuperação daquele espaço com projecto da arquitecta Maria José de Freitas. Era a concretização de um velho projecto do Leal Senado que remontava de 1991 e que viria a ser recuperado em 1994.

A primeira fase da recuperação daquele espaço (cerca de 60 mil metros quadrados) ficou com circuitos de manutenção, uma praça central com fontanário, uma estufa, um largo artificial, escadarias, parque infantil e uma casa de chá. Destaque ainda para a recuperação do antigo forte militar de Mong Há. (2)

ttps://www.iam.gov.mo/p/facility/content/garden

Posteriormente estariam programadas as segunda e terceira fases do projecto com a  colocação de uma escada rolante, uma galeria de arte na zona dos antigos estábulos e um elevador panorâmico.

(1) O Forte de Mong Há, situado na colina do mesmo nome, no lado norte de Macau, é uma fortaleza mais moderna, construída por precaução contra uma possível invasão chinesa na sequência da guerra Sino-Inglesa em 1841. Foi concluída em 1866 e manteve-se ao serviço activo até à década de 1960 quando foi desactivada. Hoje em dia toda a área foi transformada num parque com canteiros floridos, rampas relvadas e caminhos pedonais que contornam as velhas muralhas. É um agradável refúgio para os habitantes da vizinhança, com uma bela vista sobre a cidade. https://www.macaotourism.gov.mo/pt/sightseeing/gardens/mong-ha-hill-municipal-park

Anteriores referências a esta fortaleza em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/fortaleza-de-mong-ha/

(2) “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ”, p. 45

Exposição “Artistas no Hospital” no átrio do Centro Hospitalar Conde de S. Januário no mês de Junho de 1997, obras de 18 artistas plásticos de Macau – tema dominante do Búfalo – com a coordenação de Isabel Pyrrait

CAPA DO CATÁLOGO (24 cm x 21 cm)

Apresento o catálogo dessa exposição, de 40 páginas com texto de introdução do Dr. A. Gomes da Silva (Director do Centro Hospitalar, nessa data), design gráfico de Luís Mendonça, executado na “Tipografia Martinho” em Junho de 1997.

Carlos Duarte – “1997: Búfalo” – tinta da china e aguarela sobre papel

Apresentaram trabalhos, os artistas: Adalberto Tenreiro; Ana Jacinto Nunes; Anabela Canas; Carlos Duarte; Dennis Murrell; Emílio Remelhe; Fernanda Dias; Joana Ling; Joaquim Branco; Jorge Costa; José Maças de Carvalho; Konstantin Bessmertnyi; Kwok Woon; Luís Mendonça; Manuela Sousa; Paula Vieira; Sou Pui Kun e Ung Vai Meng;
Retiro deste catálogo duas fotos dos quadros, que nessa altura mais apreciei: de Carlos Duarte (médico do Centro Hospitalar Conde de São Januário) e de Ung Vai Meng.

Ung Vai Meng – “Búfalo da Primavera” – acrílico sobre tela

A inauguração do novo Estádio de Macau, presidida pelo Presidente da República Dr. Jorge Sampaio, realizou-se a 22 de Fevereiro de 1997. A inauguração do Estádio limitou-se, no dia 22 de Fevereiro, a uma simples cerimónia devido ao luto oficial pelo falecimento de Deng Xiaoping. No dia 2 de Março decorreu a festa da inauguração que contou com uma dança envolvendo 60 leões e dois dragões gigantes, uma exibição de Taijikuan, modalidade desportiva tradicional, por um milhar de participantes, uma coreografia de dança e ginástica envolvendo igualmente um milhar de jovens das escolas de Macau e uma exibição de paraquedismo, culminando a exibição com um espectáculo de luz e som.

“Com uma capacidade para quinze mil espectadores sentados, tem englobado um campo de treinos em piso sintético, permitindo a prática do futebol, uma série de infraestruturas de apoio a um leque variado de actividades desportivas. No primeiro nível situar-se-ão, para além dos balneários amplos e bem equipados, salas de hido-massagem para o tratamento e recuperação de atletas e dois ginásios, sendo um para musculação e outro para desportos colectivos, como por exemplo, basquetebol, voleibol e ginástica desportiva. Nos níveis superiores estão previstos gabinetes e salas de reuniões.”(2)

“Desporto 96”, 1997, p. 69

(1) Ver anteriores referências a este Estádio em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/estadio-de-macau/

(2) Artigo não assinado retirado da página 69 da revista “DESPORTO 96”do Instituto dos Desportos de Macau, 1997, bilingue, 70 p. em português e 70 p. em chinês.

Cartão de Boas Festas (21 cm x 10 cm), dos Correios e Telecomunicações de Macau, contendo no seu interior, um selo de 2,5 Patacas da colecção “Varandas de Macau” que foi lançada em 1997. (1)

Os CTT de Macau desejam um Bom Natal e um Feliz Ano Novo

CAPA e CONTRACAPA

(1) Portaria n.º 172/97/M, de 21 de Julho – emite e põe em circulação selos postais alusivos à emissão extraordinária «Varandas de Macau». Foram emitidos seis selos: $0,50; $1,00; $1,50; “2,00; $2,50; $3,00.