Archives for posts with tag: 1995
CAPA + CONTRACAPA

Organizado pela 1.ª vez, por iniciativa da Direcção dos Internatos Médicos (DIM)  dos Serviços de Saúde de Macau, as “1.ªs Jornadas do Médico Interno” decorreram no Auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde, de 23 a 25 de Novembro de 1995.

 O tema escolhido por esta Direcção tendo como participantes prioritários os médicos dos internatos complementares das diferentes especialidades (carreira médica de clínica geral; carreira médica hospitalar e carreira médica de saúde pública) e do internato geral, (1) foi “Urgências Médico Cirúrgicas

PROGRAMA DIA 23
PROGRAMA DIA 24
PROGRAMA DIA 25

(1) Decreto-Lei n.º 52/85/M, de 25 de Julho (criação do internato geral); depois aperfeiçoado pelo Decreto-Lei n.º 17/88/M de 7 de Março (criação da Direcção dos Internatos Médicos – DIM); este diploma foi revogado sucessivamente pelo Decreto-Lei n.º 65/88/M; Decreto-Lei n.º 68/92/M, de 21 de Setembro e parcialmente pelo Decreto-Lei n.º 8/99/M; e depois pela: Lei n.º 10/2010. Actualmente, após criação da “Academia Médica”, em 2018, esta instituição veio substituir a Direcção dos Internatos Médicos, ficando responsável pela formação profissional médica e pela organização, coordenação e supervisão dos internatos médicos. https://bo.io.gov.mo/bo/i/92/38/declei68.asp.

Continuação da postagem anterior sobre as comemorações do 10º aniversário dos Cuidados de Saúde Primários (C. S. P.) em Macau, realizadas de 23 a 28 de Outubro de 1995.

CADERNO de resumo dos trabalhos e CONVITE
CAPA + CONTRACAPA do CADERNO (30 cm x 21 cm) DE RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS EM PÓSTERES

MENSAGEM na 1.ª página do Caderno de resumos

“Em 1995, Macau tinha uma rede de nove centros de Cuidados de Saúde Primários (sete em Macau e dois nas ilhas da Taipa e Coloane), através dos quais, nos últimos três anos, quase duplicou o número de utentes, passando de 37 mil em 1991 para mais de 68 mil em finais de 94, número que representa um aumento de 28,7 por cento relativamente a 1993. No tocante a consultas, passaram de 124 mil em 91, para cerca de 212 mil em 1994, significando que houve um aumento, em relação a 93, superior a 31 por cento. De referir também, no âmbito da prestação de serviços de saúde à população, que o Centro Hospitalar Conde de S. Januário, registou durante o ano passado mais de 4000 intervenções cirúrgicas e 4255 partos (correspondentes a 70 por cento dos nascimentos ocorridos em Macau), para além de mais de 99 mil consultas externas e cerca de 76 mil consultas de urgência.” (1)

AUTOCOLANTES DO EVENTO

(1) Informações recolhidas de «Jornal Tribuna de Macau», n.º 4862, 20 de Outubro de 2015 http://jtm.com.mo/opiniao/ha-20-anos/dez-anos-de-cuidados-primarios-de-saude/

PROGRAMA – frente
PROGRAMA – verso

Iniciaram-se a 23 e decorreram até 28 de Outubro de 1995, várias actividades e conferências médicas que assinalaram a passagem do 10º aniversário dos Cuidados de Saúde Primários (C. S. P.) em Macau.

CONVITE: frente (10 cm x 21 cm)
CONVITE: atrás (10 cm x 21 cm)
CONVITE:  interior (10 cm x 21 cm)
Chegada do governador Vasco Rocha Vieira

A sessão inaugural, com a participação de médicos de Macau, de Portugal, de Hong Kong e das Filipinas, teve lugar pelas 9:00H do dia 25 de Outubro no auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde com a presença do governador Vasco Rocha Vieira e da secretária-adjunta para a Saúde e Assuntos Sociais, Ana Perez.

PROGRAMA: 20,5 cm x 21 cm
PROGRAMA – verso: 20,5 cm x 21 cm
A dança do leão

O programa comemorativo, iniciou-se no dia 23 de Outubro, com visitas (nos dias 23 e 24 de Outubro) a Centros de Saúde e ao Hospital Conde de S. Januário. Nos dias 25 e 26, além da sessão de abertura, tiveram uma exposição e apresentação de posters, e realizaram-se conferências e mesas redondas, e no dia 27, um “workshop” sobre “C.S.P. 3m Macau – Presente e Futuro/Present and Future in Macao”

A sessão de abertura

A sessão de encerramento para a apresentação das conclusões, teve lugar no mesmo auditório às 10:00 horas do dia 28.

Os temas em debate centraram-se no “passado, presente e futuro” dos Cuidados de Saúde Primários em Macau, e também se abordaram os sistemas do desenvolvimento dos cuidados primários mundial, avaliação dos C.S.P. na região Ásia-Pacífico, programas de educação para a saúde relacionados com rastreios, implementação de cuidados de saúde da criança, diabéticos, pessoas idosas, apoio domiciliário, saúde oral, tuberculose e outros.

 “A mesma Primavera (1934) trouxe também outro acontecimento, este, de grande importância para a vida cultural e artística de Macau – a aprovação dos estatutos da Academia dos Amadores de Teatro e Música. Daí por diante Macau tinha uma agremiação destinada especificamente para a arte musical e cénica. A Grande Tournée Teatral às Colónias, que partira em 1932, deixara raízes e havia grande entusiasmo entre certos amadores para a arte de representar. Isto, principalmente, porque ficara entre nós um dos actores, José de Arede Soveral, agora funcionário público, depois que bebera a “água do Lilau”.

1-09-1934 – Quanto à vida artística, preparava-se para a estreia das actividades da Academia de Amadores de Teatro e Música. Durante o verão, porque a agremiação ainda não possuía instalação própria, os ensaios realizavam-se na casa de Bernardino de Senna Fernandes, à Praia Grande. Em dias marcados da semana, enchiam-se as salas de sócios, em serões onde o sério se misturava com o bom humor e vontade de cumprir. Chamou-se sarau à estreia da Academia, que teve lugar no dia 1 de Setembro. Foi uma noite admirável e inesquecível de arte, contribuindo todos os participantes com o melhor do seu esforço para o êxito da empresa. Eram cerca de cinquenta os amadores. Houve uma parte cénica e outra musical. Na parte teatral apresentaram-se duas peças de um acto cada. Quanto à parte musical, houve solos de violino, canto e violoncelo, conjuntos corais e de orquestra, um trio que tocou o “Trio Opus 49” de Mendelssolm. Os amadores que se responsabilizaram pela parte cénica foram: Lucília de Campos Néry, Maria Helena de Menezes Ribeiro, José de Arede e Soveral, D. João de Vila Franca, Mário de Campos Néry, os irmãos José e Francisco de Carvalho e Rego, Henrique Teixeira Machado e Henrique de Serpa Pimentel.

A orquestra teve a seguinte composição: Regência – Bernardino de Senna Fernandes; piano – Maria de Natividade de Senna Fernandes; violinos – Joseph Pasquier, Luís Baptista, Alberto Barros Pereira, Francisco Freire Garcia, Carlos de Mello e Jorge Estorninho; violoncelos – Cipriano Bernardo e Evaristo Carvalho; flauta – Edmundo de Senna Fernandes; saxofone – Emídio Tavares; cornetins -Alberto Ângelo e Pedro Coelho; trombone – Jacinto Azinheira; contra-baixo – Lúcio Carion e bateria – Fernando de Albuquerque.

Os coros eram formados por: Arcádia Borges, Arminda Borges, Amália Rodrigues, Eduarda Amaral, Maria Helena de Menezes Ribeiro, Júlia Maria Garcia, Lília Mello, Lucília de Campos Néry, Maria Amália de Carvalho e Rego, Maria José Amaral e Renée de Senna Fernandes, Amadeu Borges, Cláudio Vaz, Eduardo da Silva, Francisco de Carvalho e Rego, José Freire Garcia, Henrique Teixeira Machado, Henrique de Serpa Pimentel, José de Arede e Soveral, José de Carvalho e Rego, D. João de Vila Franca, Luís Gonzaga Gomes, Mário de Campos Néry e Pedro Ângelo Jr.

Um dos números mais aclamados pela sensibilidade dos artistas foi o trio que tocou a obra de Mendelssolm. Esse trio era composto por Maria Amália de Carvalho e Rego (piano), Bernardino de Senna Fernandes (violino) e Cipriano Bernardo. O êxito foi um impulso para que os amadores continuassem na sua obra artística e educadora. Daí que, imediatamente, se prepararam para levar à cena, a primeira peça de fôlego do seu programa “O Poço do Bispo.”

FERNANDES, Henrique de Senna  – Cinema em Macau (1932-1936). Revista de Cultura N.º 23 (II Série) Abril/ Junho 1995. Instituto Cultural de Macau, pp. 133-170.

Postal MO-75 publicado por “Ming Shun Dim Published” (Macau), impresso em Hong Kong, em chinês e inglês, com as seguintes dimensões: 17,6 cm x 12, 5 cm. Fotografia de Wong Wai Hong, (1) intitulada “Dia de Camões

Alunos das escolas portuguesas e chinesas com os respectivos professores no desfile tradicional à frente do Busto de Camões, neste caso, a delegação da Escola Pui Tou.  Foto de 1995 pois reconhece-se a presença do Governador de Macau, Vasco da Rocha Vieira e a presidir às cerimónias de 10 de Junho desse ano, o ministro da Administração Interna, Dias Loureiro,  em representação do Estado Português  (2)

Verso

Camoes Day. Luís de Camões is the greatest Portugueses poet. He came to Macao in self-exile where he completed his masterpiece “Os Lusíadas” became the national epic of Portugal. His work was composed in a rocky cave in nowadays Camoes Garden. Each 10th June, people gather in the Garden to commemorate the great poet”

(1) Referências anteriores a este fotógrafo Wong Wai Hong em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/wong-wai-hong/

(2) No dia 10 de Junho de 1995, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades além das cerimónias oficiais, teve um sarau musical no Forum com a presença de artistas portuguesas, José Cid e os Delfins de Miguel Ãngelo.

Bloco de notas em papel, com folhas descartáveis, destinado a apontamentos ou informações com linhas num dos lado. Está incompleta – só com 14 folhas (29,5 cm x 21 cm) com o logotipo do antigo Hotel New Century. (1)
O bloco de notas é de 1995 aquando da realização nesse hotel do “Workshop  1995 – Family Medicine Education in Asia Pacific – Clinical Teaching  da “Wonca Asia Pacific Working Party” e organizado em Macau,  pela Associação dos Médicos de Clínica Geral de Macau.

Lateralmente os logotipos dos vários espaços existentes neste antigo hotel.
Café Lounge; Silver Court; Scenic Veranda; Prince Galaxie; New Century Ballroom; Caesar Terrace; Solar Island e Matsuzaki
(1) Hotel “New Century / 新世纪酒店” hotel de 5 estrelas, estava / está localizado na Taipa, então na década de 90 do século XX, na Estrada Almirante Marques Esparteiro – Taipa, hoje com alteração do endereço: Av. Padre Tomas Pereira, N.º 889, Taipa, Macau. Com as complicações da gestão do hotel, a luta pelo poder pelo controle do casino “Greek Mythology” que aí estava linstalado, mudou o nome para “Beijing Imperial Palace Hotel / Beijing Wangfu Hotel”,” em 2012, e posteriormente encerrou as portas em Dezembro de 2015, para remodelação. Creio que terá sido reaberto (sem o casino) pois assim se apresenta nos “sítios” electrónicos dos hotéis em Macau.

New Century Hotel – 5-star Overview
The Hotel represents an exclusive international 5-star entertainment & leisure complex on the island of Taipa, Macau, overlooking the magnificent view of Pearl River.
Accommodation:
554 guest rooms, inclusive of 8 executive suites, 2 deluxe suites and 1 presidential suite.
Room Facilities:
Air-conditioning, IDD telephone, TV, Music and radio, Pay-movie, Mini bar, Internet Modem Line Connection
Restaurants & Bar:
Caesar Terrace, Scenic Veranda Coffee Shop, New Century Chinese Restaurant, Waterfall Garden Tea House
Recreational & Sports Facilities:
Fitness Center is well equipped with Gym facilities, Swimming Pool(Under Renovation) and New Century Sauna provide a full range of massages.
Other Facilities & Services:
Child Care Centre, Convenience Store, Hair Salon.5-star”

http://www.macauhotel.org/new_century_hotel
(1) Ver referências anteriores deste Hotel:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hotel-new-century

恭喜發財
Kung Hei Fat Choi
Gōng Xǐ Fā Cái

新春快樂
FELIZ ANO NOVO CHINÊS
HAPPY LUNAR NEW YEAR

LAI SI PARA ESTE ANO DO PORCO

Este novo ano chinês, que se inicia hoje 5 de Fevereiro, ANO DO PORCO / TERRA / CASTANHO / FEMININO é o último do ciclo lunar de doze animais que compareceram ao chamamento do Buda.
O PORCO foi o último a chegar.
Apresento o Bloco Filatélico (formato: 18 cm x 21,7 cm; custo: 18 patacas) que o “CTT MACAU” lançou em 1995, contendo doze selos do CICLO LUNAR, todos com a mesma franquia (1,50 patacas), cada um representando os doze animais do signo zodíaco chinês, que foram lançados anualmente, iniciando-se com o RATO em 1984 (1) e terminando com o PORCO em 1995.
Por detrás, a presença do DRAGÃO – o animal do ano 1988. (2)
NOTA: Um anúncio desta edição foi já postada em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/07/03/anuncio-selos-de-macau-presenca-universal-de-valor-cultural/
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/01/25/noticia-de-25-de-janeiro-de-1984-filatelia-1-o-dia-de-circulacao-ano-lunar-do-rato-i/
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2013/05/15/macau-e-o-dragao-xx-selo-de-1988/

A 8 de Dezembro de 1989, o Governador Carlos Melancia provocou uma verdadeira explosão no território ao carregar no botão que fez deflagrar duas toneladas de explosivos para desmontar o morro da Ponta da Cabrita, assinalando assim o início formal das obras do aeroporto internacional de Macau (1)
O acontecimento foi presenciado por muitos curiosos (eu assisti da Estrada de Cacilhas, a perda de parte de uma “paisagem” diária da minha infância e adolescência)
A inauguração do aeroporto oficial (2) foi a 8 de Dezembro de 1995 (seis anos depois deste acontecimento) embora os voos tenham iniciado a 9 de Novembro de 1995.
Pormenor de um Mapa de 1934 onde se assinala a localização da Ponta Cabrita na ilha da Taipa Grande
Actualmente , embora inexistente a Ponta da Cabrita, permanece na Toponímia da Ilha da Taipa nas proximidades do Aeroporto,  a Estrada da Ponta da Cabrita – 雞頸馬路
Um trecho da estrada para a Ponta da Cabrita de autor não identificado, (data:?) do espólio do  IICT/Cartografia; Centro de Documentação e Informação.(3)
(1) Extraído do “Baú de recordações” do JTM.
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/aeroporto-internacional-de-macau/
(3) https://actd.iict.pt/view/actd:AHUD5114

“O provérbio diz: “Soffrei por um momento e conservareis o vosso corpo”.
É por isso que deveis aplacar a cólera e o odio para conservar o corpo e proteger a família.
Cultivae a brandura e evitae a violência, e não tereis precisão de esperar por mediadores para aplanar difficuldades e para desfiar a meada;o habito de insultar e de fazer questões há de desaparecer naturalmente.
Quão puros não serão então os costumes. 

Parte da à 16.ª MÁXIMA do Imperador Kangxi, –康熙帝 (1654-1722) (1) (2)
(1) Esta máxima encontra-se na p. 138, com tradução na p.142 da Edição Fac-similada da “Amplificação do Santo Decreto” do Imperador Yongzheng, Versão Portuguesa e Organização de Pedro Nolasco da Silva publicada por Fundação Macau em 1995, 145 p.
(2) Imperador Kangxi, –康熙帝  (mandarim pinyin: Kāngxīdì; cantonense Jyutping: hong1 hei1 dai3)  é considerado um dos maiores imperadores da China. Ele suprimiu a revolta dos Três Feudos, forçou o Reino de Tungning em Taiwan para submeter-se aos Qing, bloqueou a Rússia czarista no rio Amur e expandiu o império no noroeste. O reinado Kangxi foi um período de esplendor no âmbito da cultura chinesa, graças em grande medida ao intenso trabalho de mecenato artístico desenvolvido pelo próprio imperador (compilação do Dicionário Kangxi). O seu reinado trouxe estabilidade a longo prazo e riqueza relativa depois de anos de guerra e caos. Ele iniciou o período conhecido como a “Era Próspera de Kangxi e Qianlong”, que durou gerações depois de sua própria vida. Até o final de seu reinado, a dinastia Qing controlava toda a China propriamente dita, Taiwan, Manchúria, parte do actual Extremo Oriente russo, ambos Mongólia Interior e Exterior, e Tibete.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Kangxi

Edição Fac-similada da “Amplificação do Santo Decreto” (1) do Imperador Yongzheng, (2) versão portuguesa e compilação de  Pedro Nolasco da Silva ( Chefe da Repartição Técnica do Expediente Sínico de 1885 a 1892) inserido no 2.º volume do seu livro (edição de Autor, 1903, Tipografia Mercantil, Macau) “Manual da Língua Sinica Escripta e Fallada. Primeira Parte – Língua Sínica Escripta”
Do “PREFÁCIO” assinado por António Aresta, transcrevo:
Sob a capa de um manual escolar de língua sínica escrita, anódino e igual a tantos outros, podem encontrar-se inesperadas surpresas.
É o que sucede com a “Amplificação do Santo Decreto”, onde a para de um didactismo exemplar se empreende a pedagogia de uma ideologia, a pedagogia do neo-confucionismo, cujo remoçado fascínio permanece até à actualidade.
A “Amplificação do Santo Decreto” é um verdadeiro manual de instrução cívica, ética e política, obedecendo aos parâmetros da mais pura ortodoxia confuciana, destinado ao povo chinês (…)
O “ Santo Decreto”, santo com o significado de sábio, foi originalmente redigido prelo imperador Shunzhi, (3) o fundador da dinastia Qing, tendo sido sucessivamente amplificado ou desenvolvido por seu filho Kangxi (4) e por seu neto Yongzheng . Assim, o mesmo corpo doutrinal, o “Santo Decreto”, manteve-se em vigor durante dois séculos. (…)”
Da “INTRODUCÇÃO” de Pedro Nolasco da Silva, retiro o seguinte:
Em 1671, KANG-HSI, segundo imperador da actual dynastia tartara-manchú, publicou um decreto contendo 16 máximas, sendo cada uma escripta com 7 carateres chinezes; e em 1724, YUNG-CHÂNG, filho e sucessor de KANG-HSI, publicou um comentario d´essas 16 máximas, sob o título de Amplificação do Santo Decreto (Xâng-Iu Kuang-hsun).
É este o livro que escolhemos para exercício de traducção, não só porque está escripto em estylo moderno, elegante e claro, mas também porque n´elle se contém um esboço interessante e instructivo dos princípios da moral chineza. (…) “
(1) Amplificação do Santo Decreto do Imperador Yongzh:eng, edição fac-similada da versão portuguesa e organização de Pedro Nolasco da Silva. Prefácio de António Aresta, Fundação Macau, 1995, 145 p., 26,5 cm x 18,5 cm x 1 cm, ISBN: 972-8147-47-3
(2) Imperador Yongzheng (1678-1735) Imperador de 1723 a 1735 – 雍正帝mandarim pinyin: yōngzhèngdì; cantonense jyutping: jung1 zeng3 dai3.

(3) Imperador Shunzhi (1638-1661) Imperador de 1644 a 1661. 治帝mandarim pinyin: shùn chí dì; cantonense jyutping: seon6 ci4 dai3.

4) Imperador Kangxi, (1654-1722) – Imperador de 1661 a 1722. 熙帝帝– mandarim pinyin: Kāngxīdì; cantonense jyutping: hong1 hei1 dai3.

Ver anteriores postagens com as “Máximas do Imperador Kangxi” extraídas deste livro em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/imperador-kangxi/
NOTA: sobre Pedro Nolasco da Silva ver:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/pedro-nolasco-da-silva/