Archives for posts with tag: 1995

Em Setembro de 1995 foi aprovado o orçamento para a remodelação do Parque Infantil do Chunambeiro. (1)

Situado junto de algumas escolas, este parque infantil encontrava-se desaproveitado, apesar de ser muito procurado por crianças e jovens estudantes. Os melhoramentos introduzidos incluíram arranjo arquitectónico e paisagístico, novo equipamento de recreio e carrinhos eléctricos destinados à aprendizagem de algumas regras elementares de trânsito.(2)

Desenho de Beatriz Silva. Parque do Chunambeiro, 1997

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/chunambeiro/

(2) Fotos e informação de “Leal Senado, uma experiência Municipal  (1989-1997“), Leal Senado, 1997 p. 44

Inserido numa das zonas mais típicas da parte histórica da cidade, o Largo do Lilau sofreu obras de beneficiação ao nível das fachadas dos edifícios e das calçadas, levadas a cabo pelos Serviços Técnicos Municipais do Leal Senado em colaboração com o Instituto Cultural de Macau (ICM). Um conjunto de cerimónias organizadas pelo Leal Senado, reunindo no local velhas famílias macaenses, animou o antigo bairro em Janeiro de 1996. Música e uma palestra do escritor Henrique de Senna Fernandes sobre a história e a lenda do Lilau assinalaram igualmente a devolução daquele espaço à cidade e à sua população.

Quem bebe água do Nilau / não mais esquece Macau/ Ou casa aqui em Macau/ou etão volta a Macau. Assim reza a lenda descrita nos versos populares, que nos dão conta de um sentimento comum a todos os macaenses: a saudade.

Nilau (em cantonense, Nei-lau) significa «corrente (de água) do monte. É o nome chinês primitivo (hoje pronunciado indevidamente Lilau) da colina da Penha. O culto da água, elemento e força fundamental da vida orgânica, princípio base do «fong-soi» ou geomancia, conferiu à Fonte do Nilau foros de mito.

O Largo do Lilau, zona privilegiada do património arquitectónico, histórico e cultural de Macau, integra o circuito pedonal das igrejas que passa pela Barra, junto ao Porto Interior, e terminou nas Ruínas de S. Paulo, o ex-libris do Território. A designação Largo do Lilau, em chinês Á Pó Chéang Cai Tei, foi decidida pelo Leal Senado na sessão ordinária de 1 de Setembro de 1995.

Extraído de “Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997) ”, p.55

NOTA “Nas crónicas de S. Agostinho, lê-se: «Na cidade de Nome de Deos de Macao temos huma ermida consagrada a Nossa Senhora da Penha de França em hum dos montes da cidade, chamado Nilao, edificada pelo Padre Fr. Estevão de Vera Cruz, prior do convento da mesma cidade em o anno de 1623, em cuja fábrica muito trabalhou gastando do convento (alem das esmolas) trezentos, e tantos taéis de prata» in TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau, Volume I, 1997, p. 249

Continuação da postagem referente ao 14.º Torneio Internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, o chamado “PACIFIC RIM INTERNATIONAL MASTERS HOCKEY TOURNAMENT”, (1) que se realizou em Vancouver, B. C. (Canadá), de 17 a 25 de Agosto de 1995, organizado pelo “Vancouver Field Hockey International” (Comissão organizadora do centenário desta organização 1895.1995 – presidida por John McBryde).

29 cm x 21 cm

Capa do ”Souvenir Programme” deste torneio, editado (12 páginas) pelo “Hong Kong Hockey Association Veterans section” da “Hong Kong Hockey Association”

29,2 cm x 21 cm

Capa do ”Souvenir Programme” deste torneio, editado (68 páginas) pelo “Singapore Veterans Hockey Association” da “Singapore Hockey Federation”

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hoquei-clube-de-macau-veteranos/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/2022/08/17/noticias-de-17-25-de-agosto-de-1995-14th-international-masters-hockey-tournament-vancouver-b-c-i/

CAPA DO PROGRAMA

O 14.º Torneio Internacional de Hóquei em Campo – Veteranos, o chamado “PACIFIC RIM INTERNATIONAL MASTERS HOCKEY TOURNAMENT”, (1) realizou-se em Vancouver, B. C. (Canadá), de 17 a 25 de Agosto de 1995, organizado pelo “Vancouver Field Hockey International” (Comissão organizadora do centenário desta organização 1895.1995 – presidida por John McBryde).

Mensagem do presidente do “Centenary Celebrations Committee”

Participaram neste torneio as seguintes selecções: Australia, Brunei Darussalam, Canada, Hong Kong, Korea, Macau, Malaysia (SAS), Nova Zelândia e Singapura

Informações
MAPA
Horários I
Horários II
Delegação de Macau
Resultados dos jogos

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/hoquei-clube-de-macau-veteranos/

Em 28 de Junho de 1966, o Observatório Meteorológico de Macau (1) instalou-se -se na Fortaleza do Monte que nesse dia abriu as portas ao público/turistas. O anterior observatório de dimensões reduzidas esteve desde 1901 no morro do Bispo, depois ao lado do Hospital Central Conde de S. Januário no antigo forte de S Jerónimo. (2) (3)

POSTAL – 18 cm x 12,3 cm – Serviço Meteorológico
Fotografia de Ho Kuok Man (4)

(1) Em 1976, a Fortaleza do Monte foi desmilitarizada e em Abril de 1995, neste sítio, teve início o planeamento do museu de Macau. A construção do Museu iniciou-se em Setembro de 1996 e foi inaugurado a 18 de abril de 1998.

(2) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Vol. III, 2015, pp. 63, 229 e 357. https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/01/16/leitura-o-servico-meteoro-logico-de-macau/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/observatorio-meteorologicoservicos-meteorologicos-e-geofisicos/

(3) 1912 – Mapa de Macau editado pelo Leal Senado nesta data assinala o Observatório Meteorológico no local do antigo Fortim de S. Jerónimo, o qual ali começou a funcionar em 1905 (2.º suplemento do B. O. n.º 28 de 1910) (2)

1931 – Faz 50 anos o serviço de observação meteorológica de Macau, tão necessário em terra de tufões. Foi instalado nos finais do séc. XIX, quando este ramo de saber se desenvolveu graças a Verrier, director do Observatório de Paris; para tanto contribuíram os Padres Dechevrens, Faura, Froc e Algué, o observatório de Manila, em geral, e o de Zicawei. Antes disto, as observações meteorológicas socorriam-se em Macau, apenas, de um barómetro da Capitania dos Portos. (2)

(4) Da colecção “Macau Life Postcards” – fotografias de Ho Kuok Man. Edição: Mercearia Tin Fu, Rua de Mercadores 5, Macau. Impresso em Macau, 1994.

“Todos anos se repete, constituindo uma das mais curiosas tradições da cidade. No dia 13 de Junho os representantes do Leal Senado cumprem um velho ritual iniciado em 1783: o pagamento do soldo a Santo António na Igreja com o mesmo nome.

É que o padroeiro de Lisboa (e de Pádua) presta serviço militar em Macau desde 1725, ano em que foi alistado com a patente de soldado. Seis décadas mais tarde, em 1783, foi promovido a capitão. O pagamento do soldo remonta a essa época e era então de 240 taiés, o equivalente ao soldo de um capitão do exército português.

O pagamento sofreria prolongadas interrupções, desde o início do século XIX até meados do século XX. Anteriormente, o pagamento do soldo só havia sido interrompido por três anos, contra a vontade dos fiéis. No presente século, o soldo é pago sem interrupção desde os anos 50. Até à década de 70 a entrega do soldo à igreja era feito com todo o lustro dos grandes momentos. Não faltavam as autoridades da guarnição local e uma pequena força do exército a prestar as honras de ordenança ao Santo no adro da Igreja. Os sinos tocavam a repique quando o pároco recebia os representantes da edilidade.(2)

Actualmente o soldo pago pelo Leal Senado cifra-se em 45 mil patacas. Metade do contributo anual do Leal Senado reverte para o «pão dos pobres» (3) e o restante para gastos paroquiais. Em 1975 as forças militares portuguesas retiravam de Macau. Mas o Capitão da Cidade continuou no activo (1) (4)

(1) Leal Senado, Uma Experiência Municipal (1989-1997), p. 69.

(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/06/18/festa-do-taumaturgo-portugues-santo-antonio-de-lisboa-em-18-de-junho-de-1955-capitao-da-cidade-de-macau/

(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/09/13/noticia-de-13-de-setembro-de-1903-1953-pao-dos-pobres-de-santo-antonio-em-macau/

(4) Esta tradição foi mantida até 1999 (ano da transferência da soberania de Macau para a R.P. da China).

Nos dias 14 e 15 de Dezembro de 1995, realizaram em Macau, as “Jornadas Interdisciplinares da Sociedade Portuguesa de Pneumologia” organizado pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia (Presidente: Professor Agostinho Marques).

Dessa reunião científica somente tenho um panfleto de inscrição da agência de viagens “Top tours” com o programa das viagens de Portugal a Macau (Programa A – 12 dias e Programa B – 16dias)

Capa (21 cm x 10 cm) + contracapa

No dia 30 de Setembro de 1963, teve início o periódico semanário «Gazeta Macaense». Director Damião Rodrigues; proprietário e administrador – Leonel Borralho. Saia à 2.ª Feira. No primeiro número, dava notícia da inauguração das instalações do canídromo de Macau, e de que até ao fim do ano, deveria chegar a Macau o primeiro hidroplanador para carreira entre Macau e Hong Kong. A Gazeta Macaense foi semanário de 1963 a 1966; bissemanário de 1966 a 1971; diário a partir de 1971, ano em que passa a dispor de versão em língua inglesa. Interrompido entre 1979- 1981. Renovado. Interrompido em 1995. (1)

José dos Santos Ferreira deu as boas vindas ao Neco Borralho, dedicando-lhe o poéma “Gazeta Macaense”, que foi publicado no jornal «O Clarim» de 7 de Outubro de 1963. (2)

   . . .  continua

(1) “10-07-1979 – Início do periódico «Diário de Macau», que substitui temporariamente a Gazeta Macaense e que tem um suplemento em língua inglesa (houve outra publicação periódica com este nome no ano de 1925). Este jornal editou o seu último número em 12 de Setembro de 1981.” (3)

(2) FERREIRA, José dos Santos – Macau Sã Assi, 1967, pp. 67.

(3) SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume III, 2015, pp 412 e  347

CAPA + CONTRACAPA

Organizado pela 1.ª vez, por iniciativa da Direcção dos Internatos Médicos (DIM)  dos Serviços de Saúde de Macau, as “1.ªs Jornadas do Médico Interno” decorreram no Auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde, de 23 a 25 de Novembro de 1995.

 O tema escolhido por esta Direcção tendo como participantes prioritários os médicos dos internatos complementares das diferentes especialidades (carreira médica de clínica geral; carreira médica hospitalar e carreira médica de saúde pública) e do internato geral, (1) foi “Urgências Médico Cirúrgicas

PROGRAMA DIA 23
PROGRAMA DIA 24
PROGRAMA DIA 25

(1) Decreto-Lei n.º 52/85/M, de 25 de Julho (criação do internato geral); depois aperfeiçoado pelo Decreto-Lei n.º 17/88/M de 7 de Março (criação da Direcção dos Internatos Médicos – DIM); este diploma foi revogado sucessivamente pelo Decreto-Lei n.º 65/88/M; Decreto-Lei n.º 68/92/M, de 21 de Setembro e parcialmente pelo Decreto-Lei n.º 8/99/M; e depois pela: Lei n.º 10/2010. Actualmente, após criação da “Academia Médica”, em 2018, esta instituição veio substituir a Direcção dos Internatos Médicos, ficando responsável pela formação profissional médica e pela organização, coordenação e supervisão dos internatos médicos. https://bo.io.gov.mo/bo/i/92/38/declei68.asp.

Continuação da postagem anterior sobre as comemorações do 10º aniversário dos Cuidados de Saúde Primários (C. S. P.) em Macau, realizadas de 23 a 28 de Outubro de 1995.

CADERNO de resumo dos trabalhos e CONVITE
CAPA + CONTRACAPA do CADERNO (30 cm x 21 cm) DE RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS EM PÓSTERES

MENSAGEM na 1.ª página do Caderno de resumos

“Em 1995, Macau tinha uma rede de nove centros de Cuidados de Saúde Primários (sete em Macau e dois nas ilhas da Taipa e Coloane), através dos quais, nos últimos três anos, quase duplicou o número de utentes, passando de 37 mil em 1991 para mais de 68 mil em finais de 94, número que representa um aumento de 28,7 por cento relativamente a 1993. No tocante a consultas, passaram de 124 mil em 91, para cerca de 212 mil em 1994, significando que houve um aumento, em relação a 93, superior a 31 por cento. De referir também, no âmbito da prestação de serviços de saúde à população, que o Centro Hospitalar Conde de S. Januário, registou durante o ano passado mais de 4000 intervenções cirúrgicas e 4255 partos (correspondentes a 70 por cento dos nascimentos ocorridos em Macau), para além de mais de 99 mil consultas externas e cerca de 76 mil consultas de urgência.” (1)

AUTOCOLANTES DO EVENTO

(1) Informações recolhidas de «Jornal Tribuna de Macau», n.º 4862, 20 de Outubro de 2015 http://jtm.com.mo/opiniao/ha-20-anos/dez-anos-de-cuidados-primarios-de-saude/