Archives for posts with tag: 1992.

Rua do Auto Novo (Teatro Chinês)

Extraído do “Anuário de Macau 1921”.
A foto vem legendada com indicação de Rua do Auto Novo (Teatro Chinês)
Trata-se no entanto da Travessa do Auto Novo.
Começa entre as Ruas da Caldeira e da Felicidade e termina na Travessa das Virtudes. Foi-lhe dado este nome por se representarem ali os autos chinas. Em chinês cama-se Cheng Peng Hong ou Ch´eng Sán Kai ou Ch´eng P´eng Chek Kai; tem este nome por lá existir o Cineteatro Cheng Peng que é o prédio n.º 23 dessa Travessa, construído um pouco antes de 1907. (1)
O Padre Teixeira, parece não ter razão quanto à data de início (“um pouco antes de 1907”) pois há indicações do Teatro/Auto China ter iniciado em 1875, construído por Vong Lok, um destacado comerciante de Macau (um dos fundadores do Hospital Kiang Wu) (2) e ainda uma outra referência a este teatro, de 1872, aquando da visita do Príncipe Alexis a Macau (3) pois embora não venha mencionado o nome do teatro, a menção do empresário “Eloc” muito possivelmente será o mesmo do apelido “Lok”
O Cine-Teatro Cheng Peng, no início, a maior parte dos espectáculos eram sessões de ópera chinesa (cantonense e de Beijing) mas a partir da década de 20 do século XX, com a popularidade do cinema, passava já filmes (4) predominantemente filmes chineses embora continuasse a apresentar ópera chinesa e outros tipos de espectáculos: circenses, musicais como por exemplo a do artista Xavier Cugat em 1953 (5), o “Trio Odemira” na década de 60, os chamados “pop concert” com artistas e agrupamentos de Hong Kong na década de 60s, etc. Recordo neste cine-teatro, os dois festivais de música de 1963 e 1964, concurso para eleger o melhor conjunto “ié ié” de Macau. Renovado em 1970 voltou a passar filmes (mais chineses) mas reposições e os chamados filmes “B”. Fechou no dia 21 de Agosto de 1992 quando o sistema de ar condicionado se avariou.
Foi o Cineteatro que mais tempo esteve em actividade em Macau 1875 a 1992 (117 anos).
(1) TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau Volume 1,1997, p. 493
(2) https://macaostreets.iacm.gov.mo/p/route/detail.aspx?gid=4&id=0bc7aeda-ee3d-47b8-95f7-493cdc1fc971
Anteriores referências a este Cine Teatro
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/cine-teatro-oriental/
(3) “29-09-1872 – No domingo, dia 29 de Setembro, após o almoço, a que assistiram também vários funcionários, o Príncipe Alexis visitou o Leal Senado e a Gruta de Camões. De tarde recebeu cumprimentos dos funcionários e, à noite, novo jantar de gala, após o qual assistiu num teatro a um auto-china. Não se esqueceu de galardoar o empresário do teatro, chamado Eloc, com um alfinete cravejado dum pérola e brilhantes…. “ (TEIXEIRA, Padre Manuel – Residência dos Governadores do Macau, p. 13)
(4) Em 1925, projectou-se neste teatro o célebre filme de Lilian Gish “The White Sister” –  filme mudo americano (drama; filmado em Itália) de 1923 com Lillian Gish e Ronald Colman, dirigido por Henry King para a “Metro Pictures”.
https://www.youtube.com/watch?v=0Hh3ZcAEHPY
(5) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2015/11/29/noticia-de-29-de-novembro-de-1953-xavier-cugat-em-macau/

Outro postal da Ilha da Taipa da colecção de oito postais (seis da Ilha da Taipa e dois da Ilha de Coloane), da década de 90 (século XX), com edição da Câmara Municipal das Ilhas. Indicações em português, chinês e inglês. Fotografia de Fong Kam Kuan. (1)

Biblioteca do Carmo, Taipa
氹仔嘉模圖書館 (2)
Carmo´s Library – Taipa

A biblioteca está localizada no Largo do Carmo em frente da Igreja de Nossa Senhora do Carmo. É um belo edifício, com uma colunata de estilo clássico na frontaria. Foi Escola Municipal no início do século XX. Em 1992 este edifício foi reconstruído e em 10 de Dezembro do mesmo ano foi assinado um protocolo entre a Câmara Municipal das Ilhas e o Instituto Cultural de Macau, no sentido de aí instalar uma biblioteca. É a primeira Biblioteca Pública da Taipa desde Janeiro de 1993.

Foto do “Roteiro das Ilhas – Ilha da Taipa”, 1996

Do lado esquerdo da Biblioteca, encontra-se um edifício de arquitectura europeia, que foi também Escola Municipal no início do século XX. Em 1956 foi transformada em maternidade, designado-se “Maternidade da Junta Local” destinada a auxiliar as mulheres pobres da ilha da Taipa que ali eram internadas e socorridas gratuitamente. Na década de 70 (século XX) este edifício transformou-se num Centro de Idosos gerido pelas Caritas de Macau.

Foto do “Roteiro das Ilhas – Ilha da Taipa”, 1996

(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/10/08/postal-da-ilha-da-taipa-da-decada-de-90-seculo-xx-i/
(2) 氹仔嘉模圖書館mandarim pīnyīn: dàng zǎi jiā mú tú tú guǎn; cantonense jyutping: tam5 zai2 gaa1 mou4 tou4 syu1 gun

A revista «MACAU» surgiu nas bancas de Macau em Maio de 1987. (1)
Tinha como Director, Miguel Lemos, director executivo da edição, Helder Fernando, na redacção: Helder Fernando, João Miguel Roque e Armanda Rodrigues e fotografias de Manuel Cardoso.
De periodicidade mensal, terminou com o n.º 42, em Janeiro de 1992.

1.º Número, n.º 1 de Maio de 1987
Último Número, n.º 42, de Dezembro de 1991/Janeiro de 1992.

(1) Edição do Gabinete de Comunicação Social do Governo de Macau. Administração e Redação na Rua da Praia Grande, 31, 1.º E.

Do meu amigo, José Felício, agradeço o envio deste “poster/autocolante” (digitalizado) do “ III RALLY-PAPER DA A. A. L. M. “ (Associação dos Antigos Alunos do Liceu Nacional Infante D. Henrique) que se realizou no dia 26 de Janeiro de 1992. (1)
Os prémios:
iii-rally-paper-1992-a-a-l-mO “ III Rally-Paper da A. A. L. M.” que era para ser realizado em 1991, foi também, a última que se realizou pois “os rally-papers, não tiveram continuação. O crescimento de Macau ditou o aumento do trânsito e, consequentemente, o fim desta actividade.” (2)
Os prémios:
1.º Prémio: Viagens no valor de MOP 8 000.00
2.º Prémio: Viagens no valor de MOP 4 000.00
3.º Prémio: Viagens no valor de MOP 2 500.00
Patrocínio: Aldifera; S. T. D. M., Construções Técnicas, C. E. M., Serviços Sociais Administração Pública, C. T. T., e Livraria Portuguesa.
(1) Ver anterior referência aos “rallies” da A. A. l. M. em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/10/15/noticia-de-15-de-outubro-de-1989-rally-paper-da-a-a-l-m/
(2) PALAVRA, Mariana – Os Primeiros 15 anos da Associação dos Antigos Alunos do Liceu Nacional Infante D. Henrique de Macau (AALM), 2004.

A estátua equestre do governador Ferreira do Amaral foi retirada a 28 de Outubro de 1992, da Rotunda com o mesmo nome. O apeamento da estátua do pedestal, que foi demolido irá dar lugar à remodelação da Rotunda Ferreira do Amaral que inclui a construção de um parque automóvel subterrâneo. A estátua foi levada para o cais de contentores do porto de águas profundas de Ka Hó, em Coloane, a aguardar embarque para Portugal. (1)
revista-macau-n-o-8-dez-92-estatua-ferreira-do-amaralA estátua erigido na esplanada dos aterros da Praia Grande, à entrada da baía do mesmo nome, por subscrição pública e auxílio do Governo da Colónia, foi inaugurada em 24 de Junho de 1940, por ocasião das Festas Comemorativas do Duplo Centenário (Oferta do Leal Senado) A estátua é da autoria do escultor Maximiliano Alves.

un-de-macau-no-ano-xiv-da-revolucao-estatua-ferreira-do-amaralO monumento no dia da sua inauguração, em 1940

Além do monumento foi dado o nome do governador Ferreira do Amaral a uma via pública de Macau (rua), à Rotunda onde estava a estátua e ao istmo da ligação da península ao continente. Também o arco das Portas do Cerco, inaugurado a 31 de Outubro de 1871, foi dedicado à memória do Governador João Maria Ferreira do Amaral.
Apresento cinco diapositivos meus (“SLIDES” depois digitalizados) tiradas no Ano Novo Chinês, de 1992.
slide-estatua-ferreira-do-amaral-1992Por detrás, o edifício sede da sucursal de Macau do banco da China inaugurado em 1991, na altura um dos mais altos edifícios em Macau.
slide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-iislide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-iiislide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-ivslide-estatua-ferreira-do-amaral-1992-v(1) Revista «MacaU», II série N.º 8, Dezembro 92, pp. 199.
(2) Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/estatua-ferreira-do-amaral/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/joao-m-ferreira-do-amaral/

Três calendários de bolso do Banco Luso Internacional – LUSO INTERNATIONAL BANKING LTD
Logótipo do Luso International BankingO Banco Luso-Internacional foi constituído em Macau em 1974, (sede na Avenida Dr. Mário Soares, n.º 47)  tendo em 1985 passado a ser uma subsidiária controlada a 100% pelo Banco Internacional de Xiamen (廈門國際銀行) (1), o primeiro banco da China em regime de parceria.
Do Ano 1990
CALENDÁRIO 1990 Luso Internacional BangkingDimensões: 9,3 cm x 6,9 cm
CALENDÁRIO 1990 verso Luso Internacional BangkingDo Ano 1991
CALENDÁRIO 1991 Luso Internacional BangkingDimensões; 6,5 cm x 9,8 cm
CALENDÁRIO 1991 verso Luso Internacional BangkingDo Ano 1992
CALENDÁRIO 1992 Luso Internacional BangkingDimensões: 9,8 cm x 6, 3 cm
CALENDÁRIO 1992 verso Luso Internacional BangkingAnteriores referências a este Banco em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/banco-luso-internacional/
(1) 廈門國際銀行 (mandarin pinyin: Xiàmén Guójì Yínháng) was established in August 1985 as the first joint venture bank in China with capital of RMB 410.069 billion. Xiamen International Bank has now grown into a bank with good reputation in the world that covers Hong Kong, Macao and Mainland China.
(https://en.wikipedia.org/wiki/Xiamen_International_Bank)

Entre as notícias de Julho de 1992, encontrava-se esta:
“Foram recuperados pela polícia americana os dois valiosos desenhos do pintor George Chinnery pertencentes ao espólio do  Museu Luís de Camões e roubados há quatro anos durante a exposição em Nova Iorque.
O desaparecimento das duas obras de Chinnery, que têm por tema Macau, deu-se em Novembro de 1988 durante a participação de uma representação de Macau no certame ” O Ano do Dragão”, na cadeia Bloomingdale´s de Nova Iorque. (1)
Um dos quadros recuperados era o desenho da Igreja de S. Paulo, antes do violento incêndio de 1835, (2) com destruição da igreja e colégio construídos pelos jesuítas da Companhia de Jesus, na segunda metade do século XVI (1594-1602) restando depois somente as ruínas: a imponente fachada e a escada de granito.

CHINNERY Igreja de S.Paulo antes do incêndio 1834Igreja de S. Paulo, antes do incêndio
George Chinnery, 1834
Lápis e sépia
160 x 180 mm

(1) MacaU, II Série n.º 4, Agosto 92, p.97.
(2) “27 -01-1835 – A bela Igreja de S. Paulo de que hoje só resta a arruinada frontaria  foi destruída por um violento incêndio, na noite de 26 para 27. O Batalhão Príncipe Regente estava instalado no Colégio e o incêndio propagou-se a partir da cozinha ateando-se com rapidez a toda a estrutura.” (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 3, 1995)