Archives for posts with tag: 1965

No dia 23 de Outubro de 1965 foi inaugurado pelo Governador Tenente-coronel António Lopes dos Santos, o Hospital do Centro de Recuperação Social da Taipa.(1)

O Hospital do Centro de Recuperação Social da Taipa, 1965

À inauguração, a que foi dado um carácter festivo, assistiram entidades civis, militares e eclesiásticas e outras representativas de todos os sectores da vida pública e privada de Macau. O Governador foi recebido à chegada à Taipa, no largo fronteiro à ponte, por uma guarda de honra, constituída por uma companhia da PSP, com charanga, banda de música e bandeira, sob o comando do Tenente José Carvalho da Fonseca.

Outro aspecto do Hospital do Centro de Recuperação Social

Após revista à formatura e ao seu desfile, o Governador e comitiva tomaram lugar em 17 viaturas, divididas em grupos, visitaram a Casa dos Rapazes, a Granja, o Asilo dos dementes e inválidos e o Edifício do Centro de Recuperação Social, onde nos terrenos anexos foi construído o novo Hospital.
O Centro de Recuperação Social da Ilha da Taipa incluía como sector especial e importante entre os seus objectivos e funções o tratamento e recuperação de toxicómanos. No aspecto particular da reabilitação social estava sob a alçada do centro de Combate à Toxicomania por força do Art.º 50.º do Decreto n.º 46 371, de 8 de Junho de 1965 que na província regula o comércio, uso e detenção de estupefacientes.

O Governador, tenente-coronel Lopes dos Santos, fazendo uso da palavra, na inauguração do Hospital do Centro de Recuperação Social.

No Centro de Recuperação Social (CRS) o serviço médico, especialmente no que se referia ao tratamento de toxicómanos era um dos serviços fundamentais.
O novo hospital tinha no rés-do-chão 4 salas de psicoterapia e 2 gabinetes para inquérito, salas devidamente separadas, onde a direcção do CRS apresentou uma exposição de fotografias, gráficos e plantas, a história do CRS.
No primeiro andar tinha uma enfermaria com 18 camas para homens e outra com 6 camas para mulheres. Tinha gabinetes para os médicos e enfermeiras, sanitários separados para homens e mulheres, sala de raios X e câmara escura, quarto para a enfermeira e outros anexos funcionais do hospital.

Uma enfermaria do Hospital do Centro de Recuperação Social

O custo da obra foi de $274 469,00. A receita foi proveniente dos seguintes donativos: $ 110 900,00m (US $19 000,00) do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados; $ 63 740,00 da Assistência Pública; $ 18 669,00 do CRS; e $ 81 160,00 do Sr. Y. C. Liang.
O projecto era da autoria da engenheira Gaby de Sena Fernandes e do arquitecto Allan R. Gilbert, tendo a empreitada sido adjudicada ao empreiteiro Choi Seng.
O director clínico do Hospital era o Dr. Alberto Cota Guerra (2) e médico assistente o Dr. Alberto da Luz (3) auxiliado por 3 enfermeiras.
Por cima do amplo refeitório dos internados, tinha uma sala onde os internados podiam ouvir música, leitura, efectuar jogos lícitos, e por vezes, assistirem às sessões de cinema educativo e recreativo.

Uma dependência do mesmo Hospital

Usaram da palavra o Comandante da PSP, tenente-coronel Galvão Figueiredo e o Governador da Província.(4)
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/centro-de-combate-a-toxicomania/
      https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/centro-de-recuperacao-social-da-taipa/
(2) Dr. Alberto Juliano Gonçalves Cotta Guerra (1913-2012) médico neuropsiquiatra dos Serviços de Saúde e Assistência de Macau, desde 6-09-1957, foi vogal do Centro de Combate à Toxicomania e Director Clínico do Centro de Recuperação Social (desde 1961) tendo nesta qualidade representado o território no XI Congresso Internacional de Pediatria realizado de 6 a 13 de Novembro de 1965, em Tóquio, e apresentado uma comunicação sobre o fenómeno da toxicomania e a contribuição de Macau para uma revisão do problema. Trabalhou no CRS até Abril de 1966 ano em que regressou a Portugal, para ser colocado em Angola. Foi posteriormente Director Nacional do Centro de Estudos de Profilaxia da Droga (CEPD) entre 1976 e 1978.
(3) Dr. Alberto Vaz da Luz (1930 -?), natural de Macau, licenciado pela Universidade de Coimbra, foi nomeado médico de 2.ª classe do quadro médico comum do ultramar por despacho de 31-08-1964, tomando posse em Macau no dia 21-09-1964. Foi nomeado em 05-01-196, Delegado de Saúde das Ilhas a partir de 21-01-1965, em comissão de serviço de 12 meses tendo sido exonerado em 10-03-1966 e em 31-03-1966 nomeado adjunto do Delegado de Saúde de Macau. Posteriormente viria a obter o título de especialista em Otorrinolaringologia pela Ordem dos Médicos em Portugal, voltando a Macau para exercer essa especialidade nos Serviços de Saúde até á sua reforma.
(4) Extraído do Relatório n.º 22 do “Centro de Combate à Toxicomania”, 1965.

Extraído de «BGU» XLI-483, 1965.
Extraído de PEREIRA, A. Marques –  Ephemerides Commemorativas da História de Macau …., 1868.

Em 24 de Setembro de 1865, acendeu–se pela primeira vez, nesta cidade o Farol da Guia, oferecido ao Governador José Rodrigues Coelho do Amaral, pela comunidade estrangeira de Macau, chefiada por H. D. Margesson (1) sendo o primeiro que se acendeu, na costa da China.

AVISO AOS NAVEGANTES 

(1)  H. D. Margesson era negociante/ comerciante em Macau durante mais de vinte anos (até finais da década de 80 do século XIX) e tinha a sua firma na Rua Central, n.° 17. Com o nome de “MARGESSON & CA”. O gerente era Mortimer E. Murray.
Em 1879, trabalhava nessa firma Francisco P. de Senna e António C. da Rocha.
Em 1885, trabalhava (ainda) na firma Francisco P. de Senna e outro funcionário, Themiro Maria Gutierrez. Publicitava como agentes de várias companhias de seguro e de companhias de vapores

Directório de Macau para o anno de 1879
Directório de Macau para o anno de 1885

NOTA: as duas fotografias são da Cristiana, tiradas em Maio de 2017.

Relatórios do Centro de Combate à toxicomania (Board of Anti- Narcotics) da Província de Macau. Tenho sete números dispersos, o mais antigo, n.º 22 de Outubro/Dezembro de 1965 (com 67 páginas) e o último, n.º 46, de Outubro/a Dezembro de 1971 (todos os restantes seis números têm 32 páginas).
O primeiro número terá sido de Julho/Setembro de 1961. Por ano eram publicados 4 números referentes aos trimestres do ano. Desconheço quantos números foram publicados neste formato.
Todos os números que possuo constam no sumário: dados/elementos referentes ao tráfico e usos ilícito de estupefacientes durante o trimestre em causa e informações das actividades do centro de recuperação Social. O N.º 22, contém ainda alguns documentos fotográficos.
Ver anterior referência a este Centro e ao Centro de Recuperação Social da Taipa em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/centro-de-combate-a-toxicomania/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/centro-de-recuperacao-social-da-taipa/

Mais um ”slide” digitalizado da colecção  “MACAU COLOR SLIDES  – KODAK EASTMAN COLOR)”comprado na década de 60 (século XX), se não me engano , na Foto PRINCESA (1)
macau-color-slides-x-1965-mgpO XII GRANDE PRÉMIO DE MACAU realizou-se no dia 28 de Novembro de 1965. Neste “slide”, o vencedor John MacDonald (escocês com residência em Hong Kong) num Lótus 18 Ford com o n.º 7, passando à frente da bancada principal que estava, nessa altura, na actual Avenida da Amizade.
(1) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/decada-de-60-seculo-xx/ 

debbie-reynols-1932-2016Actriz, dançarina e cantora que se destacou nos anos 1950 e 1960 sobretudo em musicais e que tanto encantou a minha geração (infância/adolescência), Debbie Reynols faleceu em 26 de Dezembro de 2016, um dia depois da partida da sua filha, Carrie Fisher, que também marcou outra geração de cinéfilos mais jovens, com a “Guerra das Estrelas”.
Estreou-se em 1948 em “June Bride”  e logo em 1952 atingia o estrelado com “Singing in the Rain” (“Serenata à Chuva”). Mais tarde, em 1964, seria foi nomeada para um Óscar pelo desempenho em “Os Milhões de Molly Brown” de 1964 (“The Unsinkable Molly Brown”). Ao longo de sete décadas de carreira participou em mais de 80 filmes e séries.
Ficará sempre na memória uma das mais espantosas cenas do filme “Singing in the Rain” de 1952, com Gene Kelly, e Donald O’Conner, na canção “Good Morning” (1)
https://www.youtube.com/watch?v=hhW-kL5fZS8
Dos meus folhetos de cinema dos Teatros de Macau, apresento dois referentes a dois filmes desta famosa intérprete com a diferença entre eles de dez anos: o primeiro realizado em 1954 e estreado no Teatro Capitol (“A começar em 19 de Agosto de 1955”) – “Athena” e outro com que foi indicada para a única nomeação ao Óscar em 1964, no Teatro Vitória (“A começar a 19 de Março de 1965”) – “The Unsinkable Molly Brown”.
capitol-19ago1955-athenacartaz-athena-1954Athena” filme de 1954, dirigido por Richard Thorpe, uma comédia musical romântica da Metro-Goldwyn-Mayer. Debbie Reynolds canta em duas das várias canções do filme: “Imagine” (Debbie Reynolds com Vic Damone) e “Never felt better” (Debbie Reynolds, com Jane Powell e as restantes irmãs do filme)
http://www.imdb.com/title/tt0046728/mediaviewer/rm3215982336”>http://www.imdb.com/title/tt0046728/mediaviewer/rm3215982336
capitol-19ago1955-athena-versoTrailer oficial do filme “Athena
https://www.youtube.com/watch?v=hirnbkEiT0g
the-man-from-bitter-ridge-1955O filme esteve em cartaz até 22 de Agosto, pois no dia 23, estreava o filme de 1955: “The Man from Bitter Ridge “ com o popular actor na época, Lex Baker (1919-1973) após a fase em que fez de «Tarzan» em 5 filmes.
http://www.imdb.com/title/tt0048341/mediaviewer/rm396795136
vitoria-19mar1965-molly-brownO segundo folheto é do filme “A Inafundável Molly Brown” (tradução mais correcta do título original da peça teatral e do filme), filme musical que retrata a vida da activista e filantropa norte americana, Margareth “Molly” Brown (1867-1932) umas das sobreviventes do naufrágio do Titanic em 1912. Por esta interpretação (sem dúvida, o seu melhor papel no cinema) Debbie Reynols foi nomeada para o Óscar de melhor actriz em 1964.
vitoria-19mar1965-molly-brown-versoTrailers deste filme:
https://www.youtube.com/watch?v=cbrTLb3-ztI
https://www.youtube.com/watch?v=58wH_PoivLc
https://www.youtube.com/watch?v=o1osIeSXdvw
https://www.youtube.com/watch?v=hzGyCkQdzwY
https://www.youtube.com/watch?v=JYhVEu_RGcQ
(1) Era sempre com esta música “Good Morning” que um popular programa da rádio Comercial de Hong Kong (seria do popular locutor de Hong Kong Reinaldo Maria Cordeiro mais conhecido como Ray Cordeiro – nascido em Hong Kong com ascendência macaense?) iniciava o seu programa da manhã na década de 50/60 (século XX).

VITÓRIA - 14MAI1965 The Spy With my Face
Folheto com manchas nas partes laterais inferiores.

Estreia em Macau no dia 14 de Maio de 1965, no Teatro Vitória, do 2.º filme de Napoleon Solo, (1) espião criado para a série televisiva de espionagem americana “The Man from U.N.C.L.E.” (2) (na década de 60, muito popular, rivalizando com James Bond, surgido em 1962 com “Dr. No” precisamente do mesmo autor, Ian Fleming)  e interpretado pelo actor Robert Vaugh e que tinha a colaboração do espião russo Illya Kuryakin interpretado por David McCallum.
CARTAZ The Spy With My FAce (USA) 1964 (UK)“THE SPY WITH MY FACE“, foi filmado em 1964  (filmado com o duplo propósito, para a série televisiva que foi apresentada a preto e branco e para o cinema, com cenas adicionais, a cores), distribuído em Inglaterra, em 1965 (nos EUA em 1966), dirigido por John Newland para Metro-Goldwyn-Mayer.
CARTAZ The Spy With My FAce (USA) 1965O Cartaz apresentado no Folheto é a cópia da sua distribuição em Inglaterra em que é apresentado como uma aventura de “Napoleon Solo´s newest and wildest thriller” enquanto os cartazes para o EUA apresentavam-no como  uma aventura de “The Man from U.N.C.L.E.”
VITÓRIA - 14MAI1965 The Spy With my Face versoPRÓXIMA MUDANÇA:
Um filme para a juventude da época, 1964  “Get Yourself a College Girl” uma comédia com música cantada por grupos ou cantores conhecidos (“beach party movie”)  dirigido por Sidney Miller.
CARTAZ 1964 Get Yourself a College GirlDos conjuntos mais conhecidos: “The Dave Clark Five” canta “Whenever You’re Around,” and “Thinking of You Baby.”e  “The Animals” canta “Blue Feeling” and “Around and Around.”
Saliento a presença de Astrud Gilberto com acompanhamento de “Stan Getz Quartet” cantando “The Girl of Ipanema”
A filha de Frank Sinatra, Nancy Sinatra  nesse ano de 1964 estreava como actriz  em dois  filmes: este e “For Those Who Think Young” (só dois anos depois, em 1966 se tornaria cantora conhecida com ” These boots are made for walking”.)
A actriz Mary Ann Mobley (1937-2014), Miss America em 1959 estreou-se neste filme e canta o tema-canção “Get Yourself a College Girl”
Trailers do filme
https://www.youtube.com/watch?v=o5rf2atp75I
https://www.youtube.com/watch?v=AsPFVP05WWk
https://www.youtube.com/watch?v=6_p1eVIAW7Y
(1) Foram oito filmes de 1964 a 1968:
1964: To Trap a Spy; 1965: The Spy with My Face; 1966:  One Spy Too Many; 1966: One of Our Spies Is Missing; 1966: The Spy in the Green Hat;  1967: The Karate Killers;  1968: The Helicopter Spies;  1968: How to Steal the World;
Em 1983, fizeram um nono: “Return of the Man from U.N.C.L.E.: The Fifteen-Years-Later Affair”
Em 2015 uma nova adaptação, sem grande interesse, com novos actores: “The Man from U.N.C.L.E.” do realizador Guy Ritchie.
Na minha opinião “The Spy with my Face”  foi o melhor, valorizado com a presença de bela Senta Berger.
Trailer deste filme
https://www.youtube.com/watch?v=DVRsohqxlVI
(2) “The Man from U.N.C.L.E” é uma série de espionagem americana, criada por Ian Fleming para a Metro-Goldwyn-Mayer para ser exibida na televisão. A série foi ao ar de 1964 até 1968 na rede de televisão NBC, com 105 episódios de 60 minutos cada, totalizando quatro temporadas (a primeira foi em preto e branco).
https://pt.wikipedia.org/wiki/The_Man_from_U.N.C.L.E.

A COMEÇAR EM 30 DE ABRIL DE 1965
Sessões às 20.00, 19.00 e 22.00 horas.
(Espectáculo para maiores de 12 anos)

Teatro Vitória 30ABR1965 Evil of FranKensteinNeste folheto, há um engano no horário; a 1.ª sessão teria sido às 14.30 horas, como era habitual.

Mais um filme com o tema “Barão Frankenstein” que nasceu da assombrosa imaginação de uma jovem escritora, na altura com 19 anos de idade, Mary Shelley (1797-1851), publicado em livro, em 1818, ” Frankenstein, ou o Prometeus Moderno“, um dos pontos mais altos da literatura de ficção científica/fantástica.. A partir deste tema, da criação de um ser vivo, a partir de restos de cadáveres fizeram-se dezenas de adaptações cinematográficas (a primeira adaptação cinematográfica é de 1910) mas a melhor versão continua a ser a de 1931 realizada por James Whale com o actor Boris Karloff.
The Evil of Frankestein 1964Esta versão é de 1964 produzida pela Hammer Film Productions (esta produtora, durante os anos 50,  60 e principio de 70 do século XX, fez várias versões), dirigida por Freddie Francis “Evil of Frankestein / A Maldição de Frankestein”,  com o actor Peter Cushing no papel do Barão. Este filme é o 3.º com o actor Peter Cushing no mesmo papel (1.º filme: ” The Curse of Frankenstein“, em 1957 e o 2.º “The Revenge of Frankenstein” em 1958.
Trailers:
http://www.dailymotion.com/video/x22ce8c_the-evil-of-frankenstein-1964_shortfilms
https://www.youtube.com/watch?v=bzsKtRgR8UI
Teatro Vitória 30ABR1965 Evil of FranKenstein versoCom maior interesse cinematográfico é o filme apresentado no verso do folheto como “BREVEMENTE”

The Night of Iguana 1964THE NIGHT OF IGUANA”
filme de 1964, dirigido por John Huston, com os actores: Richard Burton, Ava Gardner e  Deborah Kerr.
Baseado numa peça de 1961, de Tennessee Williams, (um dos maiores dramaturgos americanos do séc. XX) “A Noite de Iguana”, dirigido pelo lendário cineasta John Huston, que também participou no argumento e da produção, é um bom filme. Premiado com um Óscar em 1965, venceu  na categoria melhor figurino (Dorothy Jeakins) pela apresentação de um guarda-roupa marcante. Sobressai ainda uma maravilhosa a fotografia em preto-e-branco e uma trilha sonora de Benjamin Frankel.
Sinopse: Nesta adaptação da peça de Tennessee Williams filmada no México, à  beira mar, com fotografia de Gabriel Figueroa, Burton é um padre renegado e alcoólico que ganha a vida como guia turístico. Ainda um pouco “Lolita” como no Kubrick anterior (LOLITA, 1962), Sue Lyon assume a descontraída pele de jovem tentação. No papel da livre Maxine, Ava Gardner é a dona da fabulosa estalagem que será cenário do filme. Deborah Kerr é Hanna, auto -castrada neta do “poeta mais velho do mundo” por quem se faz acompanhar. THE NIGHT OF THE IGUANA é um dos mais reputados Huston. O mergulho pelos meandros do dilema entre o espírito e a carne, tema do último sermão do Reverendo Shannon na dramática sequência de abertura, é denso. A rodagem foi feliz. (Cinemateca Portuguesa)
http://www.cineclubejoane.org/2013-02/TenesseeWilliams.html

As  provas automobilísticas  integradas na XIX Grande Prémio de Macau realizaram-se nos dias 19, 25 e 26 de Novembro.
No dia 19, foram realizadas as eliminatórias do Troféu ACP; Motociclos Júnior até 250 ccs; e a Final do Troféu ACP e «Guia 200»
Os resultados destas competições foram os seguintes:
Motociclos Júnior:
1.º – N.º 11 – Jason Ho (HK) – Yamaha DTI – 38m 38s, 34
2.º – N.º 72 – Chan Yoi Yuen (Macau) – Yamaha DT2 – 39m 14s,09
3.º – N.º 16 – Siu Kwok To (Macau) – Suzuki – 39m 17s,99
Troféu ACP
1.º – N.º 40 – U. Ritcher (HK) – BMW 2002TI – 33m 03s,39
2.º – N.º106 – Wan Shek Kong (HK) – Morris Cooper S – 33m 54s,13
3.º – N.º 3 – John Fraser (HK) – Austin 1275GT – 34m 20s,25
Guia 200 (200,4 milhas)
1.º – N.º 2 – John Macdonald – Austin Cooper S – 3h 11m 15s,94
2.º – N.º 22 – Harold Lee – Opel Ascona – 3h 12m 09s,30
3.º – N.º 23 – Albert Poon – Opel Ascona –  3h 15m 01s,06

MACAU B. I. T. XII-9-10 Nov-Dez 1977 XIX GPM IIUm aspecto do trágico acidente em que perdeu a vida o malogrado corredor, Chan Shui Fat, de 26 anos de idade, conduzindo um Mini-Cooper S.

Provas do Dia 25:
Corridas de Motociclos, Sénior, acima de 251 ccs.
1.º Yutaka Oda (Japão) – Yamaha R5F – 34m 34s,90
2.º Jason Ho (Hong Kong) . Norton Commando 745 – 36m 11s,70
3.º O Gunvawan (Indonésia) – Zuzuki – 36m 25s,57
Eliminatórias de Carros de Produção Corrente (principiantes)
Carros do Grupo 2, Sénior -Turismo
1.º – K. Misaki – Toyota Celica – 1h 17m 11s,16
2.º – N. Tachi – Toyota Corolla- 1h 19m 58s,87
3.º Trd Moorat – BMW 2002 T1 -1h 20m 14s,29
Carros de Grande Turismo e Sport
1.º – H. Adamzcyk – Porche Carrera 906 – 1h 32s,89
2.º – Harold Lee – Honda S800 -1h 01m 09s,66
3.º – K. J. Doerr – Porsche 911R – 1h 11m 01s,57
Provas do Dia 26:
Carros de produção corrente (principiantes) – final
1.º – U. Richeter (Alemanha) – BMW 2002 Alpina – 49m 13s,43
2.º – Paul  Stania (Hong Kong) – BLMC Mini Cluman – 50m 56s,20
3.º – Tony Cheong – Honda Coupé 9S – 51m 19s,27
MACAU B. I. T. XII-9-10 Nov-Dez 1977 XIX GPM IVI Grande Prémio de Motocicletas
1.º – Ikujiro Takai- Yamaha TR3 – 1h, 19m 51s,04
2.º – Yutaka Oda –  Yamaha TR3 – 1h 19m 51s,27
3.º – Akira Terui – Yamaha TR3 – 1h 21m 52s,81.
MACAU B. I. T. XII-9-10 Nov-Dez 1977 XIX GPM IIIXIX Grande Prémio de Macau
1.º – N.º 11 – John Macdonald – Brabham BT 36 – 2h 00m 08s,64.
2.º – N.º 73 – M. Stewart – Dolfin – 2h 00m 39s,77.
3.º – N.º 6 – Sonny Rajah – March 712 -M – 2h 00m 41s,70.
MACAU B. I. T. XII-9-10 Nov-Dez 1977 XIX GPM IVNOTA:
John Macdonald (1936, escocês, radicado em Hong Kong de 1963 a 1978) principiou em provas de motas e carros em 1957 mas foi após a sua fixação de residência em Hong Kong em 1963 (onde viveu até 1978) que alcançou grande sucesso em circuitos e provas na Ásia quer em motociclismo quer em automobilismo. É uma das lendas do circuito da Guia de  Macau, com recorde de vencedor por quatro vezes do Grande Prémio de Macau (Fórmula Livre):   1965 (Lotus 18-Ford), 1972 (Brabham BT36), 1973 (Brabham BT40) e em 1975 (Ralt RT1-Ford). Foi 2.º no Grande das Motocicletas em 1968  e 1.º em 1969 (Yamaha). Foi em 1972, o 1.º vencedor da Corrida da GUIA 200 (prova para carros de turismo)

John Macdonald GPM 1972John Macdonald – Vencedor do XII Grande Prémio de Macau – 1972
(Na foto, outra legenda do Circuito da Guia, Teddy  Ip)

Competed on two and four wheels throughout England, Africa, Japan, SE Asia and Australia and was based in Hong Kong from 1963 to 1978. Over the years won the Asian Kart Prix, Macau Motorcycle GP, 3 international rallies, Macau Guia 101, Philippine Driving Championship, 4xMalaysia GP, 3xSelangor GP, 3xPenang GP, 2xPhilippine GP, 1xIndonesia GP, 4xMacau GP and 1xMacau Motorcycle GP . Won over 100 races. Prepared vehicles and ran teams for Marlboro, Lancia and Ford from 1969 to 1972, and from 1972 to 1976 ran the Cathay Pacific racing team.”
http://www.teamdan.com/people/m.html
Fotos e informações de «MACAU B. I. T.», 1972

No dia 13 de Julho de 1950, realizou-se na Ilha de Coloane, a cerimónia comemorativa dos combates de 12 e 13 de Julho de 1910, nessa ilha contra os piratas. A cerimónia foi presidida pelo Comandante Militar, Coronel Cota de Morais,  vendo-se na foto de José Neves Catela, (1) a alocução do Alferes Assis, um dos combatentes ainda vivos nessa data.

13JUL1950 Coloane MOSAICO I-1 1950Também no ano seguinte, 1951, os sobreviventes da histórica acção militar juntaram-se no dia 13 de Julho para recordar essa data.

13JUL1951 Coloane I MOSAICO II-12 1951Os sobreviventes da acção militar, (1951) alinhados em frente do obelisco comemorativo
13JUL1951 Coloane II MOSAICO II-12 1951Dois dos sobreviventes (1951) durante o almoço numas das barracas da praia de Cheok

Obelisco Coloane 1910 TEIXEIRA, M Macau e as IlhasObelisco em Coloane comemorando as operações contra os piratas.
Símbolo da Cruz e Espada homenageados na Igreja e no Monumento Militar.
(data ? – autor não identificado).

“Para comemorar estas operações contra os piratas, levantou-se no jardim em frente da igreja de S. Francisco Xavier, um tosco monumento com estes dizeres:

COMBATES
DE
COLOANE
12 e 13 de Julho
1910

Esta inscrição está muito defeituosa, pois os combates de 12 e 13 de Julho pouco adiantaram e as operações só terminaram a 29 desse mês.
O último sobrevivente foi o alferes Costa Roque que faleceu em 25 de Janeiro de 1965.” (TEIXEIRA, Pe. Manuel – Os Militares em Macau, 1975)
Anteriores referências (e fotos) destes combates em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/ilha-de-coloane/
(1) Sobre este fotógrafo ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jose-neves-catela/

Christopher LeeFaleceu no passado dia 7, aos 93 anos, o actor carismático Christopher Lee, (1) conhecido com a série de papéis que encarnou para a “Hammer Film Producting” (conhecida como “Hammer Horror Film”) – diversos personagens clássicos do cinema de terror, com grande eficácia, ”graças à sua silhueta alta e inquietante, aos seus gestos extremamente angulosos e hieráticos, bem como à sua dicção shakesperiana ( 2), o mais conhecido “The Mummy /A Múmia” de 1959) e com créditos em 278 filmes (cinema e TV) ao longo de quase 70 anos de carreira, iniciado em 1947..

Dos folhetos de cinema que possuo, encontrei este em que o actor contracena com outro “monstro do terror” Peter Cushing (também protagonista de “The Mummy”). Como actor convidado neste filme, Christopher Lee, ao contrário da maioria dos seus filmes, num papel de “não vilão”.

A CAVEIRA (THE SKULL)

The  skull 1965

The Skull 1965Filme de terror/mistério/suspense inglês, dirigido por Freddie Francis, de 1965, baseado num conto de Robert Bloch “A Caveira do Marquês de Sade “ (3).
Em Macau, estreia a 19 de dezembro de 1965, no Teatro Vitória.

The  skull 1965 verso

Mirage 1965PRÓXIMA MUDANÇA: Um bom filme – “thriller” psicológico –  de 1965 dirigido por Edward Dmytryk para a “Universal Pictures”, com os actores Gregory Peck e Diane Baker.

(1) Sir Christopher Frank Carandini Lee (1922-2015). Além dos filmes de terror, será lembrado ainda como o vilão Frâncico Scaramanga no filme de James Bond (com Roger Moore) “The Man with the Golden Gun” (de 1974); como o Conde Dooku em ”Star Wars: Episódio II – Attack of the Clones”  (2002), “Episódio III- Revenge of the Sith” (2005) e “Star Wars –The Clone” (2008); e como  Saruman na triologia “Lord of the Rings” (2001-2004) e “The Hobit” (2012-2014).
Poucos conhecerão a faceta  de cantor do “Heavy Metal”
Ouvir um dos álbuns publicados: “Heavy Metal Christmas” em
https://www.youtube.com/watch?v=gVzOve8T39w
(2) Dicionário de Actores, Publicações Alfa.
(3) Robert Albert Bloch (1917-1994) escritor americano de contos e novelas (crime, horror, ficção científica) mais conhecido por ser autor de PSYCHO, que Alfred Hichcock adaptaria ao cinema.