Archives for posts with tag: 1954

A visita do Comandante-em-chefe da esquadra Inglesa no Extremo-Oriente, vice-almirante Sir Charles Edward Lambe a Macau, no dia 20 de Janeiro de 1954, relatado no «Boletim Geral do Ultramar» de 1954 (1) e publicado neste blogue no dia 20 de Janeiro de 2018, (2) mereceu também uma reportagem mais pormenorizada no «Macau Boletim Informativo» (3)
Em visita oficial ao Governador da Província, Almirante Joaquim Marques Esparteiro, chegou a Macau no dia 20 do corrente, a bodo do «H.M.S. Alert», o Comandante-em-chefe da esquadra Inglesa no Extremo Oriente, Vice-almirante Sir Charles Edward Lambe.

O Comandante-em-chefe da Esquadra Britânica do Pacífico veio até à ponte da Capitania numa vedeta da Marinha Inglesa

Depois de receber, a bordo, os cumprimentos de boas-vindas do Secretário do Sr. Governador, do Comandante Militar de Macau, do Comandante do Aviso «Gonçalo Zarco, do Capitão dos Portos e do Cônsul de S. M. Britânica, o Vice-almirante Lambe desembarcou na Ponte n.º 1 da Capitania dos Portos, passando em seguida revista à guarda de honra, formada por uma companhia da nossa marinha de guerra.

O Vice-almirante Sir Charles Edward Lambe passa revista à guarda do honra formada por uma companhia do Aviso «Gonçalo Velho»

Dirigiu-se, depois, ao Palácio do Governo, à Praia Grande, onde apresentou cumprimentos ao Governador, que os retribui, a bordo do «Alert», sendo servido em seguida um almoço oferecido pelo Vice-almirante Lambe.

Sir Charles Edward Lambe e o Governador de Macau, Almirante Joaquim Marques esparteiro

À tarde, realizou-se uma recepção no Consulado Britânico a que assistiu o Governador e Esposa, e as mais destacadas entidades do nosso meio social.
O Governador e sua Esposa, homenagearam com um jantar, que se realizou no palácio da Praia Grande, o ilustre visitante, e que assistiram as principais individualidades da Província,

O Governador discursando no jantar de homenagem oferecido ao ilustre visitante no Palácio do Governo, à Praia Grande.

O comandante-em-chefe regressou a Hong Kong na manhã do dia 21, depois de, na companhia do Sr. Governador, ter visitado os pontos de maior interesse da Província.

O embarque, informal, fez-se também na Ponte n.º 1 da Capitania dos Portos, tendo aí comparecido várias individualidades de destaque.

(1) «Boletim Geral do Ultramar» XXIX-345, Março de 1954.
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2018/01/20/noticia-de-20-de-janeiro-de-1954-visita-oficial-do-comandante-das-forcas-navais-britanicas-no-extremo-oriente-i/
(3) «Macau Boletim Informativo» I-12 de 31 de Janeiro de 1954 pp-10-12.

História do Tufão Pamela relatado pelo Dr. Mário de Matos Silveira, meteorologista-adjunto do serviço Meteorológico de Macau (1)
“Este tufão foi pela primeira vez assinalado no observatório de Macau às 08 horas do dia 3 de Novembro, cerca de 500 milhas a E de Luzon.
Nas 24 horas seguintes, deslocou-se para WNW encontrando-se às 08 horas do dia 4, cerca de 200 milhas a E do estreito de Balintang.
Atá às 08 horas do dia 5, deslocou-se para W, com a velocidade média de 11 nós, ficando centrado 360 milhas a ESSE de Macau. Foi içado o sinal n.º 1 de tufão às 10.05 horas.
Nas 6 horas seguintes, deslocou-se para WNW com a velocidade média de 16 nós estando o centro do tufão, às 14 horas locais, situado 260 milhas a ESSE de Macau, Às 15.45 horas foi içado o sinal n.º 5 (tempestade provável do quadrante NW). Às 20 horas do mesmo dia o centro do tufão estava 50 milhas a E da Ilha das Pratas, cujo observatório registou nessa altura, vento N de 130 Km/h; o nosso observatório registava na mesma ocasião vento N de 18 Km/h.
Nas 12 horas seguintes o tufão continuou a deslocar-se para WNW com a velocidade média de 13 nós, estando às 08 horas do dia 6, situado cerca de 90 milhas a E de Macau. Às 09.25 horas foi içado o sinal n.º 9 ( a tempestade tende a aumentar).
Depois o tufão deslocou-se para W tendo o centro passado a cerca de 40 milhas a Sul de Macau.
A rajada máxima, 130 Km/h, direcção E, foi registada às 15.10 horas; a velocidade horária máxima foi de 99 Km/h, entre as 15 e as 16 horas, com a direcção predominantemente ESE
A pressão mínima registada, reduzida ao nível do mar, foi de 988,3 mb, às 15 horas. às 15.30 horas o sinal n.º 9 foi substituído pelo n.º 8 (tempestade provável  de SE) Entre as 15 e as 16 horas a pressão subiu 3, 5 mb, e o vento rodou para ESSE. Das 16 para as 17 horas a pressão subiu rapidamente 6,1 mb, e o vento continuou a rondar para SE, fixando-se nesta direcção; a velocidade diminuiu para 50Km/h. às 16.50 horas foi  arriado o sinal de tufão e substituído pelo sinal de ventos fortes.
O tufão continuou a deslocar-se para W, em direcção do Golfo de Tonquim e diminuir de intensidade às 12.25 horas do dia 7 foi arriado o sinal de Ventos Fortes, pois todo o perigo do tufão Pamela havia passado.
Valores observados
Velocidade horária máxima do vento: 99 km/h, direcção ESE.
Rajada máxima: 130 Km/h, direcção E.
Pressão mínima: 988,3 mb.
Precipitação: 41,5 mm.”
(1) Extraído do «M. B.I.» ANO II, n.º 31, 1954.

Certificado de vacinação dos Serviços de Saúde de Macau, com o número 320802, duma menina de 13 anos, vacinada em 3/6/54 (vacinação anticolérica com validade até 3/9/54)
Este certificado devia ser apresentado sempre que era exigido o que obrigava a que todos que estivessem vacinados não esquecessem de os trazer consigo, para comprovarem aquando das “rugas” na via pública (com a colaboração da polícia que “fechavam” uma rua, nas décadas de 50 e 60 do século passado) em que as equipas técnicas de vacinação “apanhavam” os que não estavam vacinados.

No dia 7 de Outubro de 1954, em substituição do Sr. Coronel António Cirne Rodrigues Pacheco, (1) assumiu, o Comando Militar da Guarnição de Macau, o Coronel Rui Pereira da Cunha (2) que desembarcou nesta Província no dia 5 de Outubro de 1954. Exerceu o cargo até 16 de Maio de 1956 (3)
O Governador Almirante Joaquim Marques Esparteiro esteve no dia 8 de Outubro, no Quartel General, a fim de retribuir os cumprimentos da véspera (o novo comandante militar esteve no Palácio do Governo, acompanhado do seu ajudante, tenente Mendonça, onde apresentou cumprimentos ao governador) tendo ali sido recebido com todas as honras militares. Passou revista à guarda de honra, +restada pelo Esquadrão Motorizado.
(1) O Coronel António Cirne Rodrigues Pacheco, que exerceu o cargo de Comandante Militar desde 14 de Maio de  1952,  regressou a Portugal no dia 7 de Outubro para frequentar o curso de Altos Comandos. Os oficiais da guarnição militar ofereceram no dia 2 de Outubro, ao Comandante cessante, no Clube Militar um almoço de despedida. No dia 4 de Outubro, o Coronel Cirne Pacheco despediu-se de todos os oficiais do Quartel General.
Ver anteriores referências  em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/antonio-cirne-pacheco/
(2) Ver anteriores referências  em
https//nenotavaiconta.wordpress.com/tag/rui-pereira-da-cunha/
(3) «M. B. I.» II-29, 1954.

No dia 14 de Fevereiro de 1954, o Clube Náutico de Macau levou a efeito duas interessantes regatas,  a que não faltou o valioso concurso da Secção Náutica da Mocidade Portuguesa. Duas taças foram postas à disputa, a primeira denominada «Improviso» oferta do velejador Gustavo Nolasco da Silva e a segunda denominada «Carochinha», oferta do velejador Tenente Lopes da Costa.

Aspecto das regatas «red-wing», vendo-se ao fundo as ilhas da Taipa e Coloane.

Disputaram a primeira taça as embarcações da classe «moth» do Clube Náutico e da Mocidade Portuguesa, vindo a ganhá-la a embarcação conduzida pelo «às» da vela da Mocidade, António Maneiras.
A seguir à largada dos «moths», fez-se a dos «redwings», para a disputa da taça «Carochinha» , a qual foi ganha por Lopes da Costa.
Estas regatas serviram também como preparação dos velejadores de Macau para o «Interport» com Hong-Kong , que nesse ano se realizaram no dia 28 de Fevereiro, nas águas de Macau.

O velejador tenente Lopes da Costa recebendo das mãos da esposa do governador a taça conquistada numa regata à Taipa e Coloane

(1) Ver anteriores referências ao Clube Náutico de Macau
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/clube-nautico-de-macau/
NOTA: informações retiradas de «MBI» I- 14, 1954. As Imagens foram extraídas de «BGU» XXIX-346, 1954.

Mais dois “slides” digitalizado da colecção  “MACAU COLOR SLIDES  – KODAK EASTMAN COLOR)”comprado na década de 60 (século XX), se não me engano , na Foto PRINCESA (1)

O edifício das Repartições Públicas, na Praia Grande, inaugurado no dia 21 de Maio de 1952 (2) e a estátua de Jorge Álvares, do escultor Euclides Vaz, inaugurada a 16 de Setembro de 1954. (3)

O Ministro do Ultramar Sarmento Rodrigues na sua deslocação a Macau em Junho de 1952, acompanhado pelo Governador da província, visitou no dia 20 de Junho de 1952, o Palácio das Repartições Públicas que tinha sido inaugurado no dia 21 de Maio de 1952 e presidiu à inauguração do Tribunal Judicial da Comarca.
Com a progressiva saída das repartições que aí estavam instaladas (Serviços de Fazenda e Contabilidade, Serviços de Administração Cívil e Administração do Concelho), em finais da década de 70 o edifício passou a ter os serviços dos vários tribunais, pelo que normalmente era referido como “O Tribunal” , na década de 80.

O Palácio das Repartições à esquerda (foto tirada provavelmente do edifício D. Leonor), a Avenida Almeida Ribeiro à direita (o Hotel Central, o edifício mais alto).

(1) Ver anteriores slides desta colecção em
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/artes/
(2) Este edifício denominado Palácio das Repartições Públicas substituiu o antigo Palácio das Repartições que tinha sido construído entre 1872-1874, no mesmo lugar (começou por ser residência de governadores, depois diversos  serviços públicos e mesmo o início do Banco Nacional Ultramarino). Como foi construído de tijolo e madeira, com o tempo, devido à formiga branca e tufões, degradou-se e foi necessário demoli-lo em 1946.O projecto do novo edifício foi de António Lei , de 1949  e conforme regime da altura, estilo monumental com colunas altas em pedra. (4)
Anteriores referências ao Palácio das Repartições
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/06/20/noticia-de-20-de-junho-de-1952-o-palacio-das-reparticoes-publicas-e-o-tribunal-judicial/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2014/05/21/noticia-de-21-de-maio-de-1951-edificio-das-reparticoes/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2012/12/10/noticia-de-10-de-dezembro-de-1862-visconde-da-praia-grande/
(3) https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jorge-alvares/
(4) Descrição mais pormenorizada, aconselho consulta em:
http://www.hpip.org/def/pt/Homepage/Obra?a=499

Esta notícia referente à libertação do capitão de infantaria Álvaro de Andrade Salgado no dia 19 de Dezembro de 1954, após cativeiro em Cantão durante 31 meses,  foi publicada em Portugal no «Boletim Geral do Ultramar», em Fevereiro de 1955. (1) Para mais informações consultar neste blogue, uma anterior postagem (2) sobre o mesmo assunto.
(1) Extraído de «BGU» XXXI-356 – 1955.
(2) https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/03/22/noticias-de-22-de-marco-de-1952-e-19-de-dezembro-de-1954-capitao-alvaro-marques-de-andrade-salgado/
Outras referências a este oficial em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/alvaro-m-andrade-salgado/