Archives for posts with tag: 1950

Com o fim de comemorar o restabelecimento do «Sporting Club de Macau», efectuaram-se, nos dias 13 e 16 de Setembro de 1951 dois interessantes festivais desportivos um de futebol em miniatura e outro de pugilismo, com grande concorrência do público. (1)

As equipas de “misto Militar” e o “Clube Melco”
As equipas do “Sporting” e “Lin Yee”
Os pugilistas enfrentando-se cautelosamente
Uma fase animada dum dos combates

Extraído de «Mosaico» 1951.

NOTA:O «Sporting Clube de Macau» foi fundado em 11 de Setembro de 1926, sendo a filia n.º 25 do «Sporting Clube de Portugal». Os estatutos foram aprovados pela Portaria n.º 172 de 8 de Setembro de 1926 (publicada no Boletim Oficial n.º 37, de 1926). Foi depois restaurado em 16 de Agosto de 1950 com novos estatutos aprovados pela Portaria n.º 4:935, de 10 de Março de 1951 (publicada no Boletim Oficial n.º 10, de 1951). A sede nesse ano estava situada no Edifício da caixa Escolar , 1.º andar e tinha cerca de 200 sócios.

Os corpos gerentes em 1951/1952 eram:
MESA DA ASSEMBLEIA GERAL:
Presidente – Major Acácio Francisco Leão Cabreira Henriques
Vice-presidente – Alfredo José da Silva
1.º Secretário – Mário Correia de Abreu
2.º Secretário – Gregório Félix
DIRECÇÃO:
Presidente – António de Magalhães Coutinho
Vice-presidente – Capitão Carlos Loureiro Palmela
Secretário-geral – Adelino Serra de Almeida
Secretário-adjunto – Romeu Xavier
Tesoureiro – Albino Pereira da Silva
Vogais – Gióbio Pires Soares e Américo Lopes Gomes
CONSELHO FISCAL E DE SINDICÂNCIA:
Presidente – Dr. Adolfo Adroaldo Jorge
Vice-presidente – Arnaldo Rodrigues da Silva
Secretário relator – Manuel Dimas Pina

O «Clube Melco» foi fundado em 1 de Setembro de 1940.Os estatutos foram aprovados pela Portaria n.º 3:113, de 26 de Abril de 1941, publicada no B oletim Oficial n.º 17, de 1941. Tinha, nesse ano (1951), cerca de 130 sócios e a sede estava localizada na Areia Preta (Melco)

DIRECÇÃO:
Presidente – Dr. Cassiano de Castro Fonseca
Secretário – Vicente Nunes
Tesoureiro – António de Barros Pereira
Vogais – Vítor B. da Silva e King W. Chun

 

Festival militar comemorativo do 1.º aniversário da chegada (13-09-1949) da expedição a Macau. A foto (campo de treinos militares do quartel de Mong Há) mostra o rebentar de fornilhas de trotil durante o exercício de uma patrulha de contacto que em entraram em acção canhões anti-carros e trens.

Retirado de «BGC» XXVI-305, 1950.

Livro de Henrique Manuel Vizeu Pinheiro com o título “INSPIRAÇÕES”, de 1950
Pequeno opúsculo (83 páginas) contendo pequenas reflexões, pensamentos, meditações, breves crónicas, apontamentos, etc., num total de 43 escritos, colectados desde “Patriotismo” (escrito a bordo do “Empress of Canada”) de Abril de 1923, até “Envelhecido” de Agosto de 1950.
O prefácio é de Hernâni Anjos: (2)
“… O autor não o diz nem talvez espera que lho digam mês, decerto, compreenderá que eu lho observe: o seu opúsculo, mais do que uma colectânea de breves crónicas, surge-me, a princípio, como um aliciante salão, vazio de materialismo mas repleto de profunda espiritualidade, em cujas alvas paredes o autor tivesse ido pendurando, pela vida fora, os quadros pessoais, muito pessoais, que dessa mesma vida e através dela foi pintando…..”

MEDITANDO

Quando ao nosso redor deparamos com objectos que foram pertença de entes queridos que já não podem voltar, avivamos, na retina, essas imagens que o Tempo tende a apagar! Mas o Tempo, contrariado na sua acção demolidora, longe de perdoar … leva-nos também, para junto desses queridos que já dormem no Além!
São aqueles pequenos nadas da vida, que, por vezes, a levam de fugida!

Macau, Junho de 1950

NOTA: A única referência que consegui obter referente a este autor, além da apontada em (2) , é a seguinte:
15-08-1917 – Processo n.º 508 – Série P – Indemnização concedida ao 1.º oficial de Fazenda, Henrique Manuel Vizeu Pinheiro, da quantia de esc. 17$12, relativa à diferença entre o custo da passagem, via terrestre, de Barcelona a Lisboa e a quantia que lhe fora abonada para a compra da referida passagem”. Boletim do Arquivo Histórico de Macau, Tomo I – Jan/Jun 1985.
(1) PINHEIRO, H. M. Vizeu – Inspirações. Impresso na Imprensa Nacional, Macau em 1950, 83 p., 19 cm x 14,5 cm.
(2) Hernâni Anjos dedicou na revista «Mosaico» de 1951, o soneto “Rossio” a Henrique M. Vizeu Pinheiro. Ver em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/07/27/salve-macau-seis-sonetos-de-hernani-anjos-vi/ 

Uma das lanchas a motor que inauguraram em 1 de Setembro de 1950 as carreiras para as Ilhas da Taipa e Coloane.
Extraído do «BGC» XXVI-305.

Um dos últimos actos oficiais do Governador Albano de Oliveira (1) em Macau que embarcou para Lisboa em 18 de Abril de 1951, foi a inauguração da Escola Primária Luso-Chinesa Sir Robert Ho Tung. (2)

O Governador cortando a fita simbólica
O novo edifício da Escola Luso-chinesa «Sir Robert Ho Tung»

Extraído de «BGC» XXVI-310, 1951,
Já em anterior notícia de Março de 1950, o mesmo Boletim Geral da Colónias (3) assinalava o seguinte:
(1) Albano Rodrigues de Oliveira tomou posse a 1 de Setembro de 1947. Ficou como encarregado do Governo Aires Pinto Ribeiro até tomada de posse a 23 de Novembro de 1951 de Joaquim Marques Esparteiro. Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/albano-rodrigues-de-oliveira/
(2) Sobre este filantropo Robert Ho Tung ver em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/sir-robert-ho-tung/
(3) «BGC» XXVI -297, 1950.

Aspecto do cemitério de S- Miguel durante a homenagem a Vicente Nicolau de Mesquita em 25 de Agosto de 1950, por motivo da passagem do 101.º aniversário da tomada de Passaleão.

Foto de «BGC» XXVI- 305. 1950.
Anteriores referências a Vicente Nicolau Mesquita em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/vicente-nicolau-de-mesquita/

A nova draga «Almirante Carmona» 
A cábrea flutuante 

Cábrea flutuante: espécie de guindaste instalado em barco, ou outro dispositivo flutuante, para embarcar e desembarcar cargas. É utilizada para embarcar ou desembarcar grandes pesos sem necessidade de atracar o navio ao cais.
Extraído de BGC, XXVI –311, 1951.