Archives for posts with tag: 1932

Extraído de «BGC», VIII- 86/87 AGO/SET 1932 p.187

NOTAS: I – José Pedro Braga nasceu em Hong Kong em 3-8-1871  e faleceu em Macau (como refugiado de guerra de Hong Kong,  vivia com o filho José Maria Braga) em 12-02-1944 Era o 8.º filho de Vicente Emílio Rosa Braga (Macau 2-12-1834- Kobe 1900) e  de Carolina Maria de Noronha. Em 1927 foi o primeiro membro da comunidade portuguesa de Hong Kong a ser eleito para o «Sanitary Board» (hoje «Urban Council») e em 1929 foi convidado pelo Governador, Sir Cecil Clementi, para membro do «Legislative Council». Era cavaleiro da Ordem de Cristo, por decreto de 16-03-1919. Era também membro da Ordem do Império Britânico (O.B.E.) (FORJAZ, Jorge – Famílias Macaenses, Volume III, 1996, p.325) + https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/jack-m-braga-jose-maria-braga/

II – «A Voz de Macau», periódico republicano, impresso na tipografia do mesmo nome, e publicado às terças, quinta e sábados, começou a 1 de Setembro de 1931, do director Henrique Nolasco da Silva, proprietário e redactor principal Domingos Gregório da Rosa Duque, assumindo este em 18 de Dezembro de 1932 a direcção do jornal de que era fundador e director de facto. Em 1 de Outubro de 1931, passou «A Voz de Macau» a ser diário, que manteve durante 16 anos (o primeiro a manter um jornal tanto tempo em Macau) até à sua morte em 16 de Agosto de 1947. (TEIXEIRA, Pe. Manuel – Imprensa Periódica Portuguesa no Extremo Oriente, ICM, 1999, pp. 144-148)

Ver também em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/a-voz-de-macau/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/domingos-g-da-rosa-duque/   

III – Sobre a Companhia de Cimento da Ilha Verde ver em: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/fabrica-de-cimento-ilha-verde/ .

Artigo do jornal «Daily Sun» de Cantão, de 24 de Maio de 1931, (1) traduzido e publicado no «Boletim Geral das Colónias», n.º 74/75 de 1931.

Extraído de «BGC», ano VII, 1931 Agosto/Setembro n.º 74-75, pp. 313/314

(1) Joaquim Anselmo de Mata de Oliveira (1874-1948) governou por pouco tempo Macau, de 30 de Março de 1931 a 15 de Outubro de 1931. Tinha estado anteriormente em Macau como 1. º Tenente, comandante da lancha – canhoneira «Macau» no episódio contra os piratas em Coloane em 1910. Partiu para Lisboa, em serviço, a 15 de Outubro, no cruzador «Adamastor» que saiu da Ponte Nova do Porto Exterior. Só em 21 de Junho de 1932, Macau teria novo governador: Tenente Coronel de Artilharia, António José Bernardes de Miranda, exonerado a 4 de Janeiro de 1936.

Artur Tamagnini Barbosa, nasceu em Lisboa em 31-08-1881 e veio para Macau ainda bebé chegando no transporte África a 22-01-1882. Regressou a Portugal com a família aos 19 anos de idade, em 1900. Foi Governador de Macau por três vezes: de 1-07-1918 a 12-04-1919; 19-06-1926 a 19-11-1930 sendo exonerado a 2-1-1931; e novamente nomeado em 25-11-1936 para novo mandato que se iniciou a 11-04-1937 até sua morte, em Macau.

Outras referências a estes Governadores: https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/joaquim-a-mata-e-oliveira/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/antonio-jose-bernardes-de-miranda/ https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/artur-tamagnini-barbosa/

Extraído de «BGC», Ano VIII, n-º 82, Abril de 1932, pp- 188

Alfred Charles William Harmsworth, (1865 – 1922) 1º Visconde Northcliffe (Lord Northcliffe em 1905) foi um jornalista e um empresário inglês, fundador do «Daily Mail»e do «Daily Mirror». Revolucionou o jornalismo britânico tornando o jornal um produto acessível a todos, de baixo custo, impresso em grandes tiragens, com artigos claros e explícitos. Autor do livro “My journey round the world (16 July 1921-26 Feb. 1922)”, um relato da sua viagem à volta do mundo entre 1921-1922, publicado em 1923 pela editora Lippincott, 326 páginas. https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfred_Harmsworth

“O ano de 1933 vive sob os efeitos da depressão económica derivada da guerra sino-nipónica de 1931-32. O sentimento nacional chinês está profundamente atingido; no entanto, recrudescem as lutas intestinas entre os warlords. Os japoneses, por outro lado, não desistem dos seus intentos de expansão, perante a inércia da Inglaterra, França e Estados Unidos. Os periódicos de Macau fazem-se eco da carestia de vida e queixam-se do aumento geral dos preços em tudo. Contudo, essa carestia de vida era perfeitamente suportável e para nós, hoje, totalmente ridícula. Se não, vejamos:

Uma viagem a Hong-Kong, no “Sui Tai” ou no “Sun An”, custava, em 1a classe (cabine), $2,00 por pessoa. E a Cantão, no “Seng Cheong”, também em 1a classe (cabine), $2,50. Não era necessário passaporte ou salvo-conduto, nem se conhecia esta terrível instituição conhecida por Serviços de Imigração.

O preço corrente dum fato de verão – calça e casaco – andava à roda de $7,00 (nota). Na “Loja Luso-Japonesa” de J. Manuel da Rocha, à Rua do Campo, vendia-se vinho da Bairrada, tinto, a $4,50 e, branco, a $5,50, por uma dúzia de garrafas. No “Oriente Comercial, Lda.”, à avenida Almeida Ribeiro, uma caixa de 24 meias-garrafas de espumante adamado custava $36,00. Um cate de batatas para a tropa era adquirido a 4 avos e, se fosse ao quilo, eram 5 avos. Nas mercearias, uma lata de chouriço Isidoro custava $1,11.

No “Fat Siu Lau”, um bife com ovo estrelado e batatas fritas pagava-se por 25 avos (prata), e um prato substancial de arroz chau-chau por 10 avos. Os comensais da Pensão e Botequim “Aurora Portuguesa” pagavam pelos pequeno-almoços, almoço e jantar, $22,00 (nota), por mês. A “Casa do Povo”, um dos melhores restaurantes de comida portuguesa que existiram em Macau, orçava pela mesma barateza. Eis a ementa de 16 de Abril, Sábado:

Almoço especial (das 12 às 15 horas) Sopa: Canja de galinha 1. Feijoada 2. Lombo recheado 3. Presunto e ovos 4. Pastelinhos de carne 5. Arroz de camarão 6. Pudim 7. Fruta 8. Chá ou café $1,00 (nota)

Jantar especial Sopa à Juliana 1. Peixe com molho de tomate 2. Coelho guisado com batatas 3. Galinha assada com ervilhas 4. Croquetes com azeitonas 5. Arroz à Jardineira 6. Pudim 7. Fruta 8. Chá ou café $1,00 (nota)

Extraído de FERNANDES, Henrique de Senna – Cinema em Macau III (1932-36) in Revista da Cultura, n.º 23 (II Série) Abril/Junho de 1995, pp.151-152. Edição do Instituto Cultural de Macau

Vários anúncios, todos do ano de 1932 da empresa de importação e exportação: K. C. POON & CA. , Importadores e Exportadores , na Avenida Almeida Ribeiro n.º 94, MACAU (China). Endereço Tel: KAMCHUEN

Esteve em actividade na década de 30 (no Anuário de Macau de 1940 já não estava listada nos “Importadores e Exportadores”)

Chá da China, Artefactos de malha, Leques, curiosidades Chinesas, Artigos de Prata, Sedas Cruas, Malas e Comodas de Canfora – Fogos de Artifício – Pivetes Insecticidas – Conservas doces de Gengibre e Chowchow

Encarregam-se de encomendas para o Estrangeiro, Portugal e Colónias de artigos da China de toda a espécie e qualidade

– PEDIR AMOSTRAS E FOTOGRAFIAS –

Especialidades: – Bordados de Linho, Meias e Peugas de Seda e de Algodão, Bordados de Seda, Colchas, Mantos, Tintas de Nanquim, Calçados, Louças da China, Artigos de Cobre Lavrados, Artigos de Marfim, Artigos de Xarão, etc.. etc..

Colcha de sêda bordado

Bordados de sêda, Bordados de linho, Leques de sêda bordados, Sêdas cruas, Louças da China, Artigos de xarão e varios outros artigos de origem chinesa.

Jarras de louça da China; Mala de canfora coberta de couro

K. C. POON & CIA. Importadores e Exportadores de Calçado – Avenida Almeida Ribeiro n.º 94, MACAU (ASIA) – Endereço Tel: Kamchuen – Caixa Postal n.º 57

Encarregam-se de encomendas para o Estrangeiros, Portugal e Colónias de artigos da China de toda a especie e qualidade. Pedir Amostras

“O Porto Interior é formado por um braço do rio Sikiang. As províncias de Kuang-tung e Kuang-si, ou seja, os dois Kuangs são cortados em três sentidos por três rios – o Sikiang (Rio do Oeste), o Pehkiang (Rio do Norte) e o Chukiang (Rio do Este ou das Pérolas –Rio de Cantão)

O Sikiang e Pehkiang fundem-se num só ao chegarem a Sam-chui; é este que, com o nome de Sikiang, vai descendo numa linha tortuosa, recebendo afluentes e ramificando-se em numerosos braços até Mo-to, numa extensão de 57 milhas. Percorre ainda aproximadamente 9 milhas até ao Broadway, desviando-se para Macau pelo canal de Malau Chau; é um braço desse rio que forma o Porto Interior de Macau que mede duas milhas de comprimento da entrada da Barra até à Ilha Verde, medindo na sua maior largura uma milha e um quarto e meia milha na menor. A leste, Macau é limitado pelas águas do delta do rio Chu Kiang” (1)

24-02-1868 – Em Macau, nesta data, o aterro do rio, para o lado da Barra, achava-se já unido ao aterro do Pagode chinez, de modo que as povoações da Barra e Patane ficaram em comunicação pela estrada marginal (2). Miguel Aires da Silva concessionário das obras do cais e aterro, foi o homem que se abalançou à terragem da marginal do Porto Interior, ficando as obras concluídas em 4 de Março de 1881. (1)

(1) TEIXEIRA, P. Manuel – Toponímia de Macau, Volume I, 1997.

(2) «Boletim da Província de Macau e Timor», XIV-8 de 24-02-1868.

Anúncio, de 1932, de uma empresa de transporte (aluguer de automóveis) em Macau  “EMPRESA LUSITANA DE TRANSPORTES LIMITADA” em que garantia “serviço da ILT – EFICIENCIA e LIGEIRESA nos TRANSPORTES”.

A sede da empresa estava na Avenida Coronel Mesquita s/n.

Certamente que os leitores do jornal, nesse dia longínquo de 22 de Janeiro de 1932, se riram das singularidades do Calito. Mas pouco havia que se rir nesse dia, pois no jornal também vinha a notícia dos graves acontecimentos em Xangai.
Em 28 de Janeiro de 1932, desencadeia-se um feroz bombardeamento que deixa Chapei, a cidade chinesa de Xangai, num mar de chamas. Imensas vidas se perdem no inferno das explosões e no desmoronamento dos edifícios.
No capítulo do cinema, ouvem-se pela primeira vez as vozes de Lon Chaney e Greta Garbo, respectivamente nos filmes “The Unholy Three” (1) e “Romance“, (2) ambos no Vitória. O Capitol distingue-se com uma película que é um vale de lágrimas: “East Lynne“. (3)  Janeiro também será o mês de “Huckleberry Finn”, com Mitzi Green e Jackie Coogan, (4) e de “King of Jazz”, (5) um dos melhores filmes musicais de todos os tempos, ambos apresentados no Capitol.
A vida continua tão despreocupada que “A Voz de Macau” se entretém, numa coluna, a falar de uma das figuras mais populares e características da nossa terra nos anos 30, o “Calito Maluco”, também conhecido por “Calito-Tâo-Kai” (Calito que furta galinha). Quem, das gerações mais velhas, não se recorda desse pobre homem, desdentado, calvo, sujo, tanta vez embriagado, falando um patois retinto, fazendo de moço de recados para não morrer de fome, ou simplesmente pedindo “emprestado” dez ou vinte avos às pessoas conhecidas?
Quem não se lembrará do seu pregão habitual: “Quim querê comprá Alua? Fiado cerzi mêa! Ginête cornesstach!”, pelas ruas da cidade pacata, batendo a várias portas. Lamuriava sempre, tratando toda a gente por “mano” ou “mana”. Sofria vexames e impaciências com resignação e só perdia a cabeça quando a criançada cruel gritava “Calito-Tâo-Kai”. Era um homem honrado que ganhava os seus dez ou vinte avos com lisura e não podia suportar que o chamassem de ladrão. Então enfurecia-se e da sua boca ouviam-se pragas e impropérios.
Era um homem original. “A Voz de Macau” relata em certa passagem:
Contam-se dele coisas interessantes como: empurrar um carro (riquexó) durante meia hora e, logo que recebe a paga do seu trabalho, meter-se no carro que empurrou e, de perna cruzada, andar a passear outra meia hora, entregando, por fim, ao cúli que o puxa, aquilo que recebera; pedir uma esmola, e não conseguindo obtê-la, pedir vinte avos emprestados. Por fim, são-lhe dados os vinte avos a título de empréstimo, e quando o credor já não se lembra do facto, aparece o ‘Calito’ a pagar-lhe dez avos, dizendo que o resto será pago para o mês que vem!
Das vendas que o incumbem de fazer, presta sempre contas certas, não se enganando nem desviando um avo sequer.
Pobre Calito! Pobre, mas honesto”.
FERNANDES, Henrique de Senna – Cinema em Macau III (1932-36)
http://www.icm.gov.mo/rc/viewer/30023/1797
(1) “The Unholy Three” é um melodrama norte-americano de 1930, sonoro, da Metro-Goldwyn-Mayer , com o célebre actor Lon Chaney (seu último filme e o único falado; Chaney morreu de cancro de garganta, dois meses após o lançamento do filme) e dirigido por Jack Conway. É uma nova versão do filme homônimo de 1925, com ambos os filmes baseados no romance “The Unholy Three”, de Clarence Aaron “Tod” Robbins.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=SZy6H4u1r18
https://www.dailymotion.com/video/x20nosn
(2) “Romance” é um filme norte-americano de 1930, do gênero drama, dirigido por Clarence Brown e protagonizado por Greta Garbo e Lewis Stone.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=O5IOLuqmIjM
https://www.youtube.com/watch?v=tHGmiMpxiRw
https://www.youtube.com/watch?v=5M-gqduRobc
(3) “East Lynne” é um filme norte-americano de 1931, do gênero drama, dirigido por Frank Lloyd e protagonizado por Ann Harding e Clive Brook.
“East Lynne” é baseado no romance homônimo da escritora Mrs. Henry Wood, publicado com enorme sucesso em 1861. A obra já foi filmada várias vezes,
“East Lynne” obteve uma indicação ao Oscar, de Melhor Filme, porém o vencedor naquela edição foi o musical “Cimarron”.
(4) “Huckleberry Finn” é um filme norte-american de 1931, do gênero comédia de aventuras, /Uma versão livre do romance clássico de Mark Twain) dirigido por Norman Taurog. É uma sequência do filme “Tom Sawyer” de 1930, do qual utilizou praticamente a mesma equipa técnica e os mesmos actores:  Jackie Coogan, Junior Durkin, Mitzi Green e Jackie Searl.

(5) “King of Jazz” é um filme norte-americano de 1930, musical, da “Universal Pictures” protagonizado por Paul Whiteman e sua orquestra. O filme contou também com o grupo “The Rhythm Boys” (trio formado por Bing Crosby, Al Rinker e Harry Barris entre 1927-1930). Dirigido por John Muray Anderson. “King of Jazz” foi filmado inteiramente no processo “Technicolor” de duas cores e foi produzido por Carl Laemmle Jr. para a Universal Pictures.
Trailers do filme:
https://www.youtube.com/watch?v=KdCukticfmE
https://www.youtube.com/watch?v=Yib17tXwxj4
https://www.youtube.com/watch?v=p8OZiDucB3w

No dia 22 de Novembro de 1931, exibiu-se no Teatro Capitol, o Trio Schneider, composto pelos artistas austríacos o mestre de orquestra Remja Waschitz (violino); o professor Wolfgang Schneider (violoncelo) e o professor, barão A. Vietinghoff-Scheel (piano e cravo-“harpsichord”) (1) (2) (3)
Cinco citações referentes ao TRIO SCHNEIDER, no jornal de Singapura “The Street Times” (4) de 1931 e 1932, aquando da digressão deste trio por Singapura e Malásia.
Music lovers will welcome the forth-coming visit to Singapore of the Schneider Trio, of Austria, consisting of Professor Baron Vietinghoff-Scheel (piano and harpsichord. Concert-master Remja Waschita (violin) and Professor Wolfgang Schneider (cello). They will give concerts in the Dutch Club on Feb 5 and at Raffles Hotel on Feb. 6. They specialise in baroque music of the 17th and 18th centuries, and items for the harpsichord will be special features of the programmes. Professor Vietinghoff-Scheel is taking his own harpsichord on tour and the beauty of this instrument makes these numbers very popular. All three are artits of high ability, and thaey have been highly praised by the Continental Press. They were described in Vienna as forming a trio of the first order.” (To Play in Singapore Next Month– «The Straits Times», 26 January, 1931, p. 8)
“The first perf ormance of the Schneider Trio in Singapore will take place at the Dutch Club on Thursday evenining when a programme of classical  music will he given. This will comprise pieces for the violin, violincello, piano and harpsichord.. The latter instrument will be a novelty in the East and listeners will be charmed with the delicate tones and expression it is capable of producing.” (Harpsichord To Be Played At Recitals – «The Straits Times» 3 February 1931, p. 12)
To be present at the début of a musical instrument in Malaya was the experience of those who attended the recital by the Schneider Trio last night  at the Dutch Club. The harpsichord, which was played for the first time, provided a distinct novelty, though as a serious musical instrument it has long been superseded by adaptations and developments which have finally resulted in the pianoforte as we know it today. The period between the 16th and 18th centuries saw the heydey of the harpsichord and many of the great composers of that time wrote specially for it.(Novelty Combined with beautyit – «The Straits Times» 6 February 1931, p.18)
Those who heard the Schneider Trio on the occasion of their last visit to Singapore some months ago will be pleased to learn that they are returning some time this month to give two concerts. The Trio comprises Prof. Baron Anatol Vietinghoff-Scheel, piano and harpsichord, Remja Wastchitz, violin and Prof Wolfgang Schneider, cello. During their visit to Japan they gave command performances in the palace of H.R.H. Prince Tokugawa, to members of the Royal Family, Ministers and the Diplomatic Corps, and Baron Vietinghoff-Scheel gave a concert at the British Lagation in Tokyo. In the Dutch East Indies they gave about 60 concerts” («The Straits Times» 1 July 1932, p. 12)
“A concert of rare beauty and distinction was given by the Schneider Trio in the Adelphi Hotel last night. This accomplished ensemble is no stranger here, having paid a visit about 18 months ago, when a distinct touch of novelty was introduced  y the harpsichord, which formed part of their programmes. It is unfortunate that this instrument suffered damage in China ad had to be sent back to Germany for repairs, for it produced many charming effects” (Concert of Rare Beauty And Distinction -«The Straits Times» 21 July 1932, p.12)
(1) GOMES, Luís G – Efemérides da História de Macau, 1952
(2) “Baron Boris Alexandrovich Fitinhoff-Schell, a.k.a. Baron Boris Vietinghof-Scheel or Baron Schell (1829? -1901) was a Russian composer. Fitinhoff-Schell was trained at the Moscow Conservatory under Field and Henselt, and was a classmate of Tchaikovsky’s. His most noted work are the ballets The Haarlem Tulip (1887) and Cinderella (1893), composed for the Imperial Ballet of St. Petersburg. His Wedding March, scored especially for the wedding of Tsar Nicholas II and Empress Alexandra Fyodorovna is still occasionally heard.”
https://en.wikipedia.org/de hapsichord wiki/Boris_Fitinhof-Schell
(3) Cravo (Hapsichord) – instrumento musical semelhante ao piano muito utilizado nos séculos 17 e 18.
Pode-se ouvir num dos mais velhos cravos de meados do século 15, restaurado no museu de South Dakota, uma peça do século 16, tocado pela chilena Catalina Vicens, em: http://www.mprnews.org/story/2015/07/05/this-is-what-the-oldest-playable-harpsichord-sounds-like
(4) http://eresources.nlb.gov.sg/newspapers/Digitised/Article/straitstimes19310126-1.2.23.1.aspx

Este anúncio, publicado no “Directório de Macau de 1932” é semelhante ao anúncio de 1934 que apresentei em anterior postagem sobre esta mesma «Leitaria/Vacaria Macaense» (1)
O “Clube de Corridas de Galgos de Macau” (“The Macao Greyhound Racinc Club”) foi fundado em 28-09-1932 (2) com o objectivo realizar corridas de galgos para entretimento / divertimento. As corridas duraram até 1936 quando foram suspensas.(3)
(1) Ver anteriores referências a esta Leitaria/Vacaria em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/leitaria-vacaria-macaense/
(2) “Em 1932, um grupo de chineses e americanos organizam em Macau a «Associação de Corridas de Cães de Macau» e fazem construir um canídromo. A inauguração do espaço foi um acontecimento importante, a que não faltou o concurso de uma orquestra feminina, composta de 22 raparias americanas, com vistoso uniforme. Mas o preço das entradas, muito elevado para o nível médio de vida, não permitiu a manutenção do espectáculo que acabou em 1936. Em substituição das corridas de cães, o espaço do canídromo foi transformado em parque de diversões (ópera, acrobacia, jogo) assim se mantendo até cerca de 1940. Em 1940, o Governo de Macau transforma o espaço do canídromo no «Campo Desportivo 28 de Maio“. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 4, 1997)
“In 1932, greyhound racing was first introduced to Macao by Fan Che Pang (范潔朋) and a group of overseas Chinese and Americans, who later formed the “Macao Canine Club” and built a greyhound racing stadium, which is now the “Yat Yuen Canidrome”.  However, this newly introduced game was not truly popular at that time. The business stopped operating several years after until it was reopened in September 1963
http://www.dicj.gov.mo/web/en/history/
(3) Ver anteriores referências ao Canídromo
https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/canidromo/