Archives for category: Vivências

Três painéis de azulejos existentes no átrio interior do Leal Senado (fotografias pessoais de 2017)

1789

15-07-1789 – É eleito Bispo de Macau, D. Fr. Marcelino José da Silva. Franciscano da Ordem de Terceira, e frade conventual de S. Bento de Aviz, doutor pela Universidade de Coimbra. (SILVA, Beatriz Basto da – Cronologia da História de Macau, Volume 1, 2015, p. 320)

16-07-1789 – Faleceu em casa do seu Marechal de Campo, Simão de Araújo Rosa, o Governador Francisco Xavier de Mendonça Corte Real. Fica no cargo interinamente, Lázaro da Silva Ferreira até 1790.

1888

25-09-1888- O Processo n.º 344 – Série R da Administração Civil (A.H.M.) contém a representação dirigida ao Governo de Sua Magestade, pelo Leal Senado da Câmara de Macau, como protesto pela sua dissolução pelo Governador Firmino José da Costa.

1999

O “Leal Senado” deixou de existir e as suas funções municipais e administrativas passaram provisoriamente para a “Câmara Municipal de Macau Provisória“. Mas, no dia 31 de Dezembro de 2001, este organismo provisório foi também abolido, dando lugar ao “Instituto dos Assuntos Cívicos e Municipais” (IACM).

Assi azinha, ung´a ano já passá

Más unga vêla, já sandê

Virá mám, virá ôlo, gurunhá

Neno sai có, mán mán más crescê

Destung’ a ano, nunca más lembrá

Iou qui pensám, muto medo morê

Vento suzo, vento-china, malínguá

Parece têm vida;  pussá bafado, tossê

Non sã savan, sã non bicho, respirá

Siguí órde, tudo cofiná, na casa já retê

Tánto-tánto gente logomente mâm-mâm lavá

Usá bôbo, já tirá, lavá rópa di rua… Qui ramêde

Nhónha azinha já comprá papel pra rabiósque limpá

Unga, vai Sé, pedi Siára di Fátima, vêla sandê

Outrunga corrê Miu dessá pivete no San Chi Pá

Muto tanto fica murum, cabeça sofrê

Mestre-china, logo vai mizinha receitá

Savanado, iou sã casa fichado nada fazê

Destunga laia, ismirado, non pódi pandegá

Calado-calado, perdê juízo, cai pê –mám

Tem tánto sapeca non pódi gastá.

Paxá non podi, tánto-tánto consumiçam

Cofinado, pedí vacina logomente apanhá

Gáridona azinha vai rua companhá cám.

Pandemia cavá, 

ninguim pôde isquecê.

Cabeça lembrá,

Afastá…afastá…

Ano assi azinha zaprecê

Natal diferente, mais isolados, mas com a mesma alegria
Na chaminé, Pai Natal atrasado por causa do teste
Presépio reduzido, nada de aglomerações

Na consoada, não podia faltar na mesa, a tradição maquista, com as lembranças “muto tanto sabroso” das mãos da sempre amiga Diana (mais uma vez, muito obrigado)

Empada
Fartes
Alua

Ver anteriores referências em:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/category/gastronomia-macaense/
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2016/12/24/poema-natal-azinha-chega-na-anote-di-consoada/

Equipamento desportivo – blusão e calças – da “Associação Recreativa dos Deficientes MACAU – CHINA” do ano 2000. A “Associação Recreativa e Desportiva dos Deficientes de Macau” (ARDDM)(1) foi fundada na década de 60 (século XX) por Leonel Borralho, e ,em 2000, era presidente,  António Fernandes e vice-presidente, Jorge Leitão Pereira.

(1) A denominação «ARDDM», em 2009, foi alterada para Comité Paraolímpico de Macau-China – Associação Recreativa e Desportiva dos Deficientes de Macau – China. (CPM ARDDM). https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/associacao-recreativa-e-desportiva-dos-deficientes-de-macau-arddm/

CAPA + CONTRACAPA

Organizado pela 1.ª vez, por iniciativa da Direcção dos Internatos Médicos (DIM)  dos Serviços de Saúde de Macau, as “1.ªs Jornadas do Médico Interno” decorreram no Auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde, de 23 a 25 de Novembro de 1995.

 O tema escolhido por esta Direcção tendo como participantes prioritários os médicos dos internatos complementares das diferentes especialidades (carreira médica de clínica geral; carreira médica hospitalar e carreira médica de saúde pública) e do internato geral, (1) foi “Urgências Médico Cirúrgicas

PROGRAMA DIA 23
PROGRAMA DIA 24
PROGRAMA DIA 25

(1) Decreto-Lei n.º 52/85/M, de 25 de Julho (criação do internato geral); depois aperfeiçoado pelo Decreto-Lei n.º 17/88/M de 7 de Março (criação da Direcção dos Internatos Médicos – DIM); este diploma foi revogado sucessivamente pelo Decreto-Lei n.º 65/88/M; Decreto-Lei n.º 68/92/M, de 21 de Setembro e parcialmente pelo Decreto-Lei n.º 8/99/M; e depois pela: Lei n.º 10/2010. Actualmente, após criação da “Academia Médica”, em 2018, esta instituição veio substituir a Direcção dos Internatos Médicos, ficando responsável pela formação profissional médica e pela organização, coordenação e supervisão dos internatos médicos. https://bo.io.gov.mo/bo/i/92/38/declei68.asp.

Iniciam-se, hoje, as corridas constantes do 67.º Grande Prémio de Macau que neste ano, devido á situação sanitária de Macau, (1) ficaram muito reduzidas (com um programa de somente 5 corridas somente em três dias, 20 a 22) (2) e sem a presença de muitos dos mais conceituados condutores e marcas das diferentes modalidades.

Uma das corridas canceladas é a prova de motos por isso recordando antigas corridas, desta modalidade, apresento cinco fotografias (infelizmente não datadas e com poucas condições de conservação) de uma das corridas de moto (de finais da década de 60 ou princípios dos anos 70). De interessante serem fotos pessoais de um dos percursos do circuito pouco fotografados durante as provas – a Estrada de Cacilhas – á frente dos actuais prédios n.º 7 e n.º 9. (esta última, no lugar onde era a casa dos meus pais).

Ao fundo, o Miradouro de Nossa Senhora de Mar, à direita as três “vivendas” da STDM (nomeadamente para a permanência do Stanley Ho quando vinha a Macau, nos primeiros tempos da STDM, constituída em 1962), (3) (à esquerda a “guarita” de madeira construía pela STDM, para a vigilância (a PSP fazia guarda nas 24 horas, quase sempre por polícias trabalhando em horas extraordinários)

À esquerda, uma saliência à estrada (ainda hoje existente) obra da STDM que alisou e cimentou parte do monte que exista atrás do muro para fazer parque de estacionamento para frota dos carros dos seus gerentes e convidados para as festas. Nos dias de grande prémio, com o circuito “fechado”, servia para colocação dos carros rebocados “avariados” ou  “acidentados” – na foto uma mota e um carro.

No inferior direito, o muro da casa n.º 9

(1) De forma a assegurar que o evento decorra com as condições de segurança, a comissão organizadora implementou um número de medidas de prevenção epidémica. Como por exemplo a obrigatoriedade de quarentena de 14 dias à entrada em Macau, e redução dos lugares para o público de 14.000 para 10.000.

 (2) O 67º Grande Prémio de Macau será realizado de 20 a 22 de Novembro. O programa inclui cinco corridas: Grande Prémio de Macau de Fórmula 4, (a substituir a de Fórmula 3), Taça GT Macau, Corrida da Guia Macau, Taça de Carros de Turismo de Macau e Taça GT – Corrida da Grande Baía. https://www.macau.grandprix.gov.mo/pt/news/event/1553

(3) Após a compra à família da vivenda do alferes Luís (n.º 7 da Estrada de Cacilhas), a STDM, acrescentou num dos terrenos do lado, um prédio com garagem que serviu para, nesses primeiros anos, estacionamento dos automóveis de corrida utilizados por Teddy Ip (1913-2003) – um dos sócios da STDM – grande impulsionador do Grande Prémio de Macau e piloto participante, na década de 50 (século XX). https://nenotavaiconta.wordpress.com/tag/teddy-ip/

Continuação da postagem anterior sobre as comemorações do 10º aniversário dos Cuidados de Saúde Primários (C. S. P.) em Macau, realizadas de 23 a 28 de Outubro de 1995.

CADERNO de resumo dos trabalhos e CONVITE
CAPA + CONTRACAPA do CADERNO (30 cm x 21 cm) DE RESUMOS DOS TRABALHOS APRESENTADOS EM PÓSTERES

MENSAGEM na 1.ª página do Caderno de resumos

“Em 1995, Macau tinha uma rede de nove centros de Cuidados de Saúde Primários (sete em Macau e dois nas ilhas da Taipa e Coloane), através dos quais, nos últimos três anos, quase duplicou o número de utentes, passando de 37 mil em 1991 para mais de 68 mil em finais de 94, número que representa um aumento de 28,7 por cento relativamente a 1993. No tocante a consultas, passaram de 124 mil em 91, para cerca de 212 mil em 1994, significando que houve um aumento, em relação a 93, superior a 31 por cento. De referir também, no âmbito da prestação de serviços de saúde à população, que o Centro Hospitalar Conde de S. Januário, registou durante o ano passado mais de 4000 intervenções cirúrgicas e 4255 partos (correspondentes a 70 por cento dos nascimentos ocorridos em Macau), para além de mais de 99 mil consultas externas e cerca de 76 mil consultas de urgência.” (1)

AUTOCOLANTES DO EVENTO

(1) Informações recolhidas de «Jornal Tribuna de Macau», n.º 4862, 20 de Outubro de 2015 http://jtm.com.mo/opiniao/ha-20-anos/dez-anos-de-cuidados-primarios-de-saude/

PROGRAMA – frente
PROGRAMA – verso

Iniciaram-se a 23 e decorreram até 28 de Outubro de 1995, várias actividades e conferências médicas que assinalaram a passagem do 10º aniversário dos Cuidados de Saúde Primários (C. S. P.) em Macau.

CONVITE: frente (10 cm x 21 cm)
CONVITE: atrás (10 cm x 21 cm)
CONVITE:  interior (10 cm x 21 cm)
Chegada do governador Vasco Rocha Vieira

A sessão inaugural, com a participação de médicos de Macau, de Portugal, de Hong Kong e das Filipinas, teve lugar pelas 9:00H do dia 25 de Outubro no auditório da Escola Técnica dos Serviços de Saúde com a presença do governador Vasco Rocha Vieira e da secretária-adjunta para a Saúde e Assuntos Sociais, Ana Perez.

PROGRAMA: 20,5 cm x 21 cm
PROGRAMA – verso: 20,5 cm x 21 cm
A dança do leão

O programa comemorativo, iniciou-se no dia 23 de Outubro, com visitas (nos dias 23 e 24 de Outubro) a Centros de Saúde e ao Hospital Conde de S. Januário. Nos dias 25 e 26, além da sessão de abertura, tiveram uma exposição e apresentação de posters, e realizaram-se conferências e mesas redondas, e no dia 27, um “workshop” sobre “C.S.P. 3m Macau – Presente e Futuro/Present and Future in Macao”

A sessão de abertura

A sessão de encerramento para a apresentação das conclusões, teve lugar no mesmo auditório às 10:00 horas do dia 28.

Os temas em debate centraram-se no “passado, presente e futuro” dos Cuidados de Saúde Primários em Macau, e também se abordaram os sistemas do desenvolvimento dos cuidados primários mundial, avaliação dos C.S.P. na região Ásia-Pacífico, programas de educação para a saúde relacionados com rastreios, implementação de cuidados de saúde da criança, diabéticos, pessoas idosas, apoio domiciliário, saúde oral, tuberculose e outros.

Encontrei este papel (19,7 cm vertical x 17.1 cm horizontal) da Mocidade Portuguesa de Macau, de 1965/66, com as posições para sinalização do alfabeto homográfico, utilizado na preparação para a graduação de chefe de quinas (exame prático no átrio do Colégio de S. José.

O alfabeto homográfico, (1) usado inicialmente nas comunicações militares é baseado na movimentação de um par de bandeiras por um sinaleiro seguras com os braços esticados, transmitindo assim códigos de letras e números por bandeiras.

Note-se os 5 sinais inferiores de: sentido, posição normal, atenção (o sinal de erro era comunicado pelo agitar de ambas as bandeiras), entendido e fim de palavra.

(1) Alfabeto homográfico – alfabeto usado em transmissões militares, cujos sinais são obtidos por um semáforo mecânico ou por uma pessoa que empunha duas pequenas bandeiras. https://www.infopedia.pt/dicionarios/linguaportuguesa/homogr%C3%A1fico

Quelóra lembrá, neno fechá ano-ano,
Meo di Dizémbro, tánto alegria.
Saicó já fazê oito ano-ano.
Grandi festa pra suprá oito cera candia,
Más comida sabroso di Natal. (1)

Pát sôi,  qui sórte – fát ch´ói
Tanto ancuza china-china já falá.
Sãm oito santo-santo taoistas,
Gandi Confúcio su oito tesouros,
Sãm oito trigramas de Pakuá,
Pilares do céu sãm oito ouros,
Tudo Fong Soi já incachá.

Iou uví falá ditado china
“Oito sãm vida di macho home” (2)

Oito tamêm Neno dâ lembrança
Lembrá qui lembrá di nosotro tempo antigo:
Scola Primária Central, criançada,
Lembrá Pofessô Rosário, si nâm sabi liçãm,
Quadro pêto, giz branco, pano suzo pra apagá,
Nâm respondê céto, régua na mám.

Lembrá terra batida, recreio pra brincá,
Pátio di areia, muto joelho esfolá,
Jogá tálu,  batê kong chái chi, lança triól.
Chai feng quelê primero começá,
Jogá bola, pontapé bola, gritá Gól.

Otrung´a vànda, raparigas bonita
Jogo cinco saquinhos, atirá.
Saltá cordas, saltá tapa, bola batida
Fazê Tiu Lám, chiquia de jogá.

Tãm difrente hoze brincá.

(1) Mais uma vez os meus agradecimentos à amiga Diana pela empada, coscurões e fartes,  iguarias macaenses da quadra natalícia.
Ver anterior referência aos significados das iguarias macaenses próprios do Natal:
https://nenotavaiconta.wordpress.com/2017/12/25/merenda-e-consoada-de-natal-iguarias/
(2) A vida do homem é regido pelo número 8. Aos 8 meses obtém dentes de leite; aos 8 anos ele perde-os; aos 2×8 anos de idade torna-se um homem e aos 8×8 anos de idade torna.-se incapaz de procriação.
EBERHARD, Wolfram – A Dictionary of Chinese Symbols, 1993.